Menu:
12/jul

Um sonho de família é uma boa definição. Arthur, Molly, Gui, Carlinhos, Percy, Fred, Jorge, Rony e Gina Weasley são responsáveis em representar a família mais querida do mundo bruxo criada a dez anos atrás. Afinal, quem não queria passar as férias nA Toca? Tomar um grande café da manhã feito pela Sra.Weasley? Ou talvez ganhar o famoso suéter com a inicial do seu nome? Uma maravilha só de imaginar!

 

Os Weasley são o que os bruxos mais “classudos” como os Malfoy chamam de traidores do sangue. Eles tinham tudo para serem os mais requisitados para seguirem ao lado de Voldemort, mas a paixão de Arthur pelos trouxas fez com que sua família recebesse tal título. Isso foi motivo suficiente para eles serem expurgados da linhagem daqueles que defendem a tese de que os casamentos no mundo bruxo só podem acontecer entre aqueles que são donos de puro sangue.

 

Arthur trabalha no Ministério da Magia na Seção de Controle do Mau Uso dos Artefatos dos Trouxas. O setor cuida dos objetos que são enfeitiçados propositalmente e colocados, por exemplo, à venda para que um trouxa adquira a peça e seja azarado. Uma das pérolas do mundo não bruxo que o Sr. Weasley possuiu foi um Ford Anglia enfeitiçado para que voasse. Isso lhe rendeu um grande inquérito e detenções a Harry e a seu filho Rony que o utilizaram para chegar a Hogwarts no segundo ano.

 

Carismático, o sr. Weasley se esforça para dar uma vida digna aos filhos e a esposa. Embora ganhe muito pouco, ele e sua mulher tentam equilibrar as despesas comprando roupas e materiais escolares de segunda mão. Além disso, o que fosse reutilizável entre os irmãos sempre passava de um para o outro como foi o caso da varinha e do rato que Rony possuiu. A única que talvez não tenha passado por isso foi Gina, por ser a única garota da família.

 

 

Molly sempre ficou no papel de dona de casa assegurando que os filhos recebessem uma educação mágica adequada. Nunca demonstrou que preferia um filho a outro, mesmo que Percy Weasley fosse o mais apto a se sobressair entre os outros irmãos por ser muito ambicioso. Não foi para menos que ele quebrou o coração da sra.Weasley ao deixar A Toca à procura de seus objetivos em engrandecer dentro do Ministério da Magia.

 

A sra. Weasley é dona do “coração de mãe, onde sempre cabe mais um”. Foi o que aconteceu quando Harry Potter entrou pela primeira vez no convívio dos Weasley. Desde o primeiro contato, Molly garantiu que ele sempre passasse as férias em sua casa e, junto com os outros Weasley, fossem ao Beco Diagonal para fazerem as compras para o próximo ano letivo em Hogwarts.

 

Mesmo não sendo mãe do garoto, agia como uma, cuidando das suas vestes, das compras, da alimentação e, claro, do carinho que ele nunca havia sentido desde que seus pais morreram. Por causa dela, Harry sentiu que pela primeira vez era especial não por ter sobrevivido ao ataque de Voldemort, mas por ser humano cujas necessidades vão além do respeito de outros bruxos.

 

Arthur também via Harry como filho. Cuidou para que ele não fizesse nenhuma estupidez, mesmo que soubesse que isso seria algo muito em vão, e o aconselhou sempre quando estava em apuros – como na situação da fuga de Sirius Black de Azkaban. O chefe dos ruivos sempre soube que o filho de Lily e James Potter era cabeça dura, mas reconhecia o seu talento como um ótimo bruxo e como uma ótima pessoa que sempre colocava seus amigos em suas prioridades com a justificativa de que não queria sacrificá-los na guerra que estava por vir.

 

Harry tinha a figura materna e a paterna e isso o fez se sentir seguro por saber que possuía um lar de verdade e pessoas com quem contar. Ele ganhou de quebra seis irmãos e uma namorada. Gui e Carlinhos nunca foram tão presentes na vida do garoto, mas os gêmeos e Rony foram peças importantes em seu crescimento.

 

 

Fred e Jorge são os irmãos gêmeos que eu gostaria de ter. Sempre quis ter um irmão mais velho e não me importaria se fossem os dois. Donos de uma alegria contagiante, eles faziam os tempos ruins parecerem uma piada. Para eles, não havia era das Trevas. Em Hogwarts, procuraram sempre uma forma de driblar o medo e traziam esperança para os alunos menores. No período em que ficaram em Hogwarts, foram responsáveis pelas dores de cabeça dos professores ao testarem os produtos que logo estariam nas prateleiras da futura loja.

 

O dinheiro dado por Harry por causa do Torneio Tribruxo não poderia ter vindo em melhor hora e ambos conseguiram realizar o sonho de terem um comércio de logros que se tornou o mais badalado do Beco Diagonal. No período da guerra, foi o único lugar que se manteve aberto, pois eles queriam representar os bruxos que ainda acreditavam que poderiam tranquilizar os outros com um pouco de felicidade.

 

Eles representaram muito bem a tese de que irmãos gêmeos podem ser o máximo juntos, quebrando a lenda de que um sempre tem que ser mau e o outro bom. Juntos foram donos por anos do Mapa do Maroto que deram para Harry em seu terceiro ano em Hogwarts. Eles eram uma ponte entre os demais Weasleys e  realmente mudam o conceito de como duas almas gêmeas devem funcionar. Um sabia da necessidade do outro mesmo a quilômetros de distância. Eles possuíam um elo muito forte onde a dor, a tristeza e o medo era sentida da mesma maneira pelo outro irmão sem necessidade de dizer em voz alta.

 

Mesmo com os gêmeos, Ronald Weasley foi o que se sobressaiu mais. Ao entrar no trem a caminho de Hogwarts não esperava que fosse dar de cara com o menino que sobreviveu e também não esperava que ele fosse virar seu melhor amigo. Ele e Harry cresceram juntos ao lado de Hermione Granger, a garota que sempre foi apaixonado. Rony sempre sofreu complexo com relação aos irmãos. Era um histórico muito grande de conquistas e ele sempre teve em mente que tinha que superá-los e chamar a atenção da mãe.

 

Na família já existia os jogadores de Quadribol, o monitor-chefe e os baderneiros que passavam boa parte do tempo cumprindo detenções. Como melhor amigo de Harry,  a necessidade de ser bom em algo se tornou um monstro interior, pois todos só tinham olhos para ele e só sabiam que ele era um Weasley por causa do cabelo ruivo e das vestes maltratadas.

 

Rony teve que lidar com um período de autoaceitação e a dura lição de controlar seu orgulho e seu ciúmes. Aos poucos, ele foi conquistando seu espaço e conseguiu atingir o nível dos irmãos ao se tornar o goleiro do time de Quadribol e virar monitor. O reflexo que Harry trazia em sua vida perdeu o valor já que conquistou posições muito importantes e que sempre imaginou que pertenceriam ao melhor amigo.

 

Principalmente a garota. Rony teve que conviver com os segredos entre Harry e Hermione durante sete anos de sua vida. O ponto alto de tudo é em “Harry Potter e as Relíquias da Morte” quando ele, ao lado de Harry, vão destruir o colar de Salazar Slytherin que era uma Horcrux. Ao abrirem o medalhão, a peça se apresenta mortífera ao ruivo que tem que lidar com Harry e Hermione “Riddle” desmerecendo-o e humilhando-o. Mesmo que não fosse uma situação real isso fez com que a ira de Rony brotasse e destruísse a peça com muito gosto. Ao saber a quem o coração de Hermione pertencia, o complexo de inferioridade se dissipou.

 

 

É difícil dizer qual dos Weasley é meu favorito, pois eu os amo e os admiro pela capacidade de manter a família unida mesmo nos tempos mais sombrios. Arthur e Molly são donos de uma força fora do comum e de um domínio dos seus sentimentos que não existe em qualquer pessoa. Eles tinham que se mostrar esperançosos e equilibrados para que os filhos não desandassem. O mesmo valia para Harry que sempre idolatrou a família e já se sentia parte dela como se eles fossem realmente seus pais.

 

Os Weasley são donos de uma fibra imensa. Não se importavam muito com o que pensavam deles, pois a única coisa que bastava era a integridade. Poderiam ser traidores do sangue, mas isso não valia de nada para mudar o conceito daquilo que acreditavam. O respeito mútuo entre eles é muito invejável, algo que não existe em qualquer família por aí.

 

Ao contrário de muitos livros que colocam a família rica como a ideal, aqui temos uma mais humilde, que nunca passou necessidade, apenas dificuldades financeiras como qualquer mortal. Mesmo com sete filhos para sustentar, Molly e Arthur ofereceram atenção a todos eles de igual para igual, não os deixou a mercê dos outros e, sem dúvidas, merecem o prêmio de melhores pais.

 

Arthur, Fred, Jorge e até mesmo Rony possuem um espacinho guardado dentro do meu coração. Não gosto da Gina e muito menos do Percy, assumo. O Gui aprendi a gostar quando ele apareceu na primeira parte de “Relíquias da Morte”, pois não tinha uma visão apropriada dele. Gosto muito da Molly também, pois é uma mãezona que dá vontade de apertar todos os dias.

 

Isso acontece também quando leio as falas do Arthur e o vejo representado tão bem nas telonas por Mark Williams. Dá vontade de levar para casa! Sem sombra de dúvidas, os gêmeos Phelps nasceram para dar vida a dupla mais engraçada da saga escrita pela J.K. e, claro, Rupert Grint não poderia ter sido o melhor ator para encarnar o tão amado Rony Weasley.

 

No discurso na premiere de Londres de “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, Rupert agradece a J.K. por fazer os ruivos parecerem legais. Isso me fez rir, porque de fato isso aconteceu. Não se vê muitos ruivos verdadeiros por aí e, quando se vê, não tem como controlar a língua e deixar escapar: “Olha! É um Weasley!”. Daqui a três dias todos chorarão no cinema com a perda de um Weasley tão querido e vibrarão com o beijo tão esperado do Roniquinho (não que eu espere isso, porque não quero ver essa cena, argh!).

 

Todos agradecem a J.K. por ter criado uma família da qual todos queriam fazer parte e da qual todos queriam ter uma fortíssima amizade. Foi a família mais próxima da realidade que já encontrei na literatura. Sem pestanejar, eles são os melhores e não há nenhuma outra equipe que conseguirá superá-los.

 

Como muitos outros personagens, eles sempre estarão na nossa memória e no nosso coração, pois se Harry ganhou um espacinho, com certeza ganharíamos o nosso por respeitar sempre quem eles são, como sofreram e como deram a volta por cima mesmo depois de tantas perdas.

 

“Weasley is our king”

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • HAHUHAHAUAUHAAHUAHUAHU vc anda me TRAINDO SUA SAFADA??? Acho mas INDIGNO vc me trocar por outra avó cry6

    Mas eu gosto dos Weasley, não todos, mas gosto sim. Eu queria que o sr. Weasley fosse meu pai, idai/ AHUAHAUAHUAHUAHUAHUAHU e eu super me daria bem com os gêmeos, apenax @_@

    Eu levei um susto com seu comentário HUAHAUHAHUAUHAUHAHUHAU quando vi "vó" saquei que era vc, de ANONEMA de novo HAUHAHAUHAUAHU

    Te amo mais, ♥

  • Anônimo

    Sou uma leitora fiel dos seus posts, adels KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Acho que minha avó deve se sentir a própria Molly Weasley. Tudo bem que ela só tem 3 filhos, mas neto é o que não falta. O que minha mãe economizou tendo apenas euzinha de filha, meus tios abriram mão tendo 8315313413 filhos *exagerada* kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Enfim, esse foi um comentário meio desnecessário, mas a minha avó (não to te traindo, vozinia, me refiro a mãe da minha mãe Q kkkkkkkkkk) me lembra mesmo a Molly, principalmente qdo o assunto é cozinhar.
    Eu sempre soube que vc admirava os Weasley ok?! Mesmo sendo sangue-puro, sempre soube que vc tbm amava a família ruiva kkkkkkkkkkkkk
    Esse post, assim como todos os outros, ficou lindo demais, vó. Sempre me emociono quando venho aqui, sério =[
    Vou parar de falar, pq esse comentário tá virando um trem já bege1 kkkkkkkkkkkk
    Te amoooo (L)