Menu:
12/jul

Acredito que o conceito de shipper (casais que os fãs admiram e torcem por um desenrolar feliz) bombou com o lançamento do filme “Harry Potter e a Câmara Secreta”. Como não havia nada de concreto ainda nos três primeiros livros sobre quem ficaria com quem, nosso querido roteirista Steve Kloves teve a ideia de atiçar os inúmeros seguidores da saga que se dividiram entre os shippers canons ou fanons que envolviam o nosso trio favorito. Por causa disso, o fandom Potteriano começou a pegar fogo.

 

Os shippers canons são aqueles que já foram escolhidos pelos autores e colocam a tese de que contra fatos não há argumentos (isso me fez lembrar do lema da torcida de Rony e Hermione no fórum Potter Village). Além disso, são aqueles que realmente pertencem a história. Os casais canons estão destinados a ficarem juntos, mesmo que haja dezenas de dúvidas no meio do caminho.

 

Já os shippers fanons são aqueles que nunca ficarão juntos e seus fãs são apedrejados por não gostarem do que parece ser “óbvio”. Inventam casais e ganham carisma por eles mesmo que não haja probabilidade deles ficarem juntos. Os casais fanons, às vezes, atingem limites absurdos como é o caso de casais slash (homossexuais).

 

Eu, como uma boa pessoa do avesso, sempre fui a favor dos shippers fanons. Por que? Porque eles são mais emocionantes e, na minha visão, muito mais compatíveis. Em toda a saga Harry Potter sempre torci por Harry e Hermione, Draco e Gina, Rony e Luna, Sirius e Bellatrix, um affair entre Narcissa Malfoy e Rabastan Lestrange, entre muitos outros. Esses casais sempre serão os mais sensatos para mim, cheios de desdém sensual e química explosiva.

 

Hoje, falarei um pouco do meu shipper de coração: Harry e Hermione, mais conhecido pelo mundo de Fanfics como o casal Harmony. A própria junção dos nomes já diz tudo: harmonia. Eu tive que ouvir muita gente me chamando de louca, mas não consigo ver Hermione com o Rony. Esse papo de que o amor sempre começa com brigas é uma tese nem um pouco aceitável, pois para mim um relacionamento que se baseia em birras grotescas possuem probabilidade zero de dar certo.

 

 

“Quem não iria preferir ele, que mulher aceitaria você? Você não é nada, nada perto dele.”

(Riddle-Hermione, Harry Potter e as Relíquias da Morte, pág. 294)

 

Por outro lado, Harry e Hermione sempre tiveram uma relação de irmandade, mas isso nunca me convenceu. Embora tenha pulado do sofá inúmeras vezes, achei uma sacanagem quando começaram a apelar nas cenas H² nos filmes, principalmente em “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”. Todos criaram fé de que o shipper seria possível até a J.K. destruir geral ao publicar “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”. Nem preciso dizer que é o livro que odeio e nem faço questão de reler.

 

Harry e Hermione possuem uma relação muito forte. Eles se compreendem e funcionam corretamente juntos. Eles não perdem tempo discutindo com bobagens o tempo todo e são uma das poucas figuras maduras que existem nos livros antes de atingir os 17 anos. Harry sempre precisou de alguém destemido e corajoso ao seu lado e essa pessoa sem sombra de dúvidas foi Hermione Granger.

 

Por mais que eu goste do Rony, ele nunca foi compatível com a Hermione, na minha opinião. Por ela sempre ser a mais durona, imagino o quanto a coitada sofreu na mão do ruivo descoordenado quando estavam casados.

 

Honestamente, o erro da J.K. foi querer reprisar o relacionamento entre James e Lily. Garoto moreno com garota ruiva. Harry poderia ficar com qualquer pessoa menos com Gina Weasley. Ela é uma pessoa vazia que não cresceu durante os sete livros da saga.

 

Quando digo vazia e que não cresceu, significa que o personagem não foi devidamente desenvolvido. No sexto livro, Gina foi jogada de repente, como se houvesse necessidade de estar ali. Ela nunca foi vista, na verdade. Sua personalidade nunca foi apresentada. Ela foi colocada só para Harry ter um par sendo que a Hermione estava ali o tempo todo. J.K. colocou Harry ao lado de uma estranha que nem os leitores conheciam direito.

 

O fato é que Gina nunca será Lily Evans Potter e nem passa perto. Ela pode ser ruiva e tudo mais, mas tentar criar um casal feliz para sempre baseado no que já havia acontecido no passado foi uma bizarrice. Eu não vi a relação entre ela e Harry ser construída como foi o caso dele com Hermione. Harry não via Gina diferente, mas com um repentino estalo no cérebro ele percebeu que ela estava lá. Achei isso muito sem noção!

 

O mesmo vale para Rony Weasley. Eu sei que romance não se constrói quando se é criança, mas muitas vezes acontece. Durante todos os livros – menos no sétimo, talvez – ele agia como cabeça dura e nunca se equiparava a inteligência de Hermione e nem a coragem de Harry. Se fosse comigo eu já teria acertado um livro na cabeça do ruivo por mais que apreciasse a amizade dele.

 

O fato dele se preocupar com ela não é motivo suficiente para explicar que eles se amam já que o mesmo acontecia entre Hermione e Harry. Eu tento me controlar com relação ao meu shipper de coração, mas não tem como. A formação de casais no final da saga pareceu um sorteio de bingo onde todo mundo era de todo mundo, sem ter uma lógica plausível.

 

 

“Entendi, você escolher ficar com ele”
(Rony Weasley, Harry Potter e as Relíquias da Morte, pág. 245)

 

Harry e Hermione são perfeitos um para o outro e ver isso na telona só comprovou ainda mais. Mesmo com toda aquela ideia de que Rony descobriu que gostava dela desde o “O Cálice de Fogo”, Hermione sempre pertencerá ao Harry. O coração dela sempre estava com o garoto e não com Rony.

 

Fazê-la ter uma explosão de ciúmes por causa do ruivo ao vê-lo namorar com Lilá Brown foi muito tosco. É o mesmo que ver Damon Salvatore reclamando da vida, que todos são injustos e que ele não merece morrer. J.K. distorceu a personalidade dela no sexto livro, fazendo-a se render a posição de desesperada por causa de um garoto imaturo.

 

Por isso que digo que Harmony é o melhor casal do mundo e que não precisou de brigas e patadas para que o amor surgisse. Acho um absurdo quando diziam que a forma como Rony tratava Hermione era uma exposição de seu amor. Para mim, era uma atitude patética. Harry e Hermione possuem um relacionamento natural repleto de cumplicidade exatamente como duas pessoas devem agir uma com a outra. A amizade para se ter um relacionamento mais maduro é a base de tudo. Não adianta você querer arrancar o cabelo da pessoa todo dia para provar que a ama, pois não é verdade. Ciúmes não é sadio em doses exageradas e Rony sempre transpareceu ser ciumento ao extremo. Ele enlouqueceria Hermione, simples assim, coisa que Harry jamais faria.

 

No meio de tantos traumas, Harry precisava de alguém que o curasse e quem colaborou com isso também foi Hermione. A pequena bruxa não dava o braço a torcer quando se tratava dele e fazia questão de lutar ao lado de Rony para protegê-lo. Sua prioridade nunca foi pensar se gostava do ruivo ou não, por isso ela optou a ficar ao lado de Harry quando o Weasley resolveu ir embora. Estar com Harry fazia com que ela fosse ela mesma, sem cobranças. A sensação de bem-estar que Rony não oferecia a ela encontrava-se com Harry que não tinha problemas de autoestima e não descontava nada em outras pessoas. Eles se confortavam e, mesmo sem palavras, Harry e Hermione sabiam em seus corações que pertenciam um ao outro, que poderiam ficar juntos e se entenderem e, acima de tudo, construir uma relação sadia.

 

Essas atitudes nos livros não ficam tão evidentes, claro, pois a J.K. apagou tudo o que poderia ser Harmony em uma pincelada de caneta. Como nós costumávamos dizer, bastava ler nas entrelinhas. Onde comprova que Rony e Hermione pertencem um ao outro? As brigas? Grande piada! Muitas pessoas com quem eu conversava sempre dizia que os filmes eram Harmony e que os livros eram Rony e Hermione. Eu achei uma extrema falta de respeito, isso sim. Se não era para formar o casal Harmony porque encher as esperanças dos fãs?

 

Todo caso, a formação desses casais foi mera jogada de marketing. Sim, não tenho vergonha de dizer. A maioria dos fãs torcia para Hermione e Rony. Se a J.K. virasse a moeda, muitas pessoas possivelmente largariam a leitura do último livro. O mesmo aconteceria se ela tivesse colocado o Draco com a Gina e a Luna com o Rony. Seria um antro de indignação que levaria milhões de fãs a xingar a autora e colocar o nome dela na boca do sapo.

 

Mesmo depois de 7 livros, a comunidade que ainda é fã do shipper Harry e Hermione continua mais ativa do que nunca. Temos até nosso Hino Nacional. Ainda temos muitas Fanfics espalhadas por aí e a comunidade no orkut é uma das mais ativas. Eu sinto muito por aquelas pessoas que acham que a raiz de um futuro relacionamento sejam ofensas, briguinhas infantis ou complexo de inferioridade. Harry e Hermione são almas gêmeas, fim! E, em grandes livros da literatura, as almas gêmeas nunca ficam juntas no final. Essa é a lógica! Isso vem desde Shakespeare com o aclamado “Romeu e Julieta”.

 

Em meio a tantos buracos na obra, principalmente quando Harry e Hermione ficam a sós dentro da barraca quando Rony resolve ir embora por causa de suas crises bipolares, duvido muito que não tenha acontecido nada entre os dois. Eles eram adolescentes, cheio de medos e com os hormônios bombando. Claro que a J.K. não escreveria nada específico, mas nada nos livros da saga aconteceu por acaso. Essa é minha tese. Ainda defendo as entrelinhas.

 

Podem ficar com seu shipper canon, pois eu prefiro os meus fanons. Há intensidade entre eles, um brilho contagiante que me faz torcer sempre que leio alguma coisa sobre.  Eu gosto da ideia de conflito, mas não em forma de brigas, mas quando representa desejo reprimido. Isso para mim tem a graça de tudo. Querer e não poder ter. Essa é uma das ideias que tenho com relação a Harry e Hermione.

 

Claro que na cena do beijo entre Rony e a bruxinha vai me enojar e irei fechar os olhos. Na primeira parte de “Relíquias da Morte”, o presente aos fãs de Harmony não poderia ter sido melhor. Pensando também no sétimo livro, bem espertinha dona J.K. em querer agradar os dois lados, né? Muita falta de consideração com a gente, pobres fãs do shipper fanon, rs.

 

Mesmo com o fim da saga, Harry e Hermione sempre estarão juntos e sempre serão o casal ideal. Eu passei muito tempo sofrendo por amor. Um amor destrutivo e cheio de brigas e posso dizer 100% que esse tipo de relação nunca dá certo. O mesmo penso sobre Rony e Hermione. As brigas uma hora cansam e lidar com a infantilidade do outro também. Motivos pequenos por causas bestas são suficientes para acabar com o amor que algum dia existiu. E, com toda certeza, isso não aconteceria entre Harmony, meu eterno Pumpkin Pie.

 

Links úteis:

 

Harry Loves Hermione: Fan Site destinado a quotes, Fan Arts entre muitas outras coisas do casal Harmony.
Fórum Pumpkin Pie: Leia a lista dos motivos (sem motivos) em ser R/Hr.
Artigo: Um ótimo texto que explica exatamente o que eu penso (em inglês).

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Dak

    Que surpresa agradável é estar procurando imagens específicas de H² na internet e me deparar com um post de uma abóbora justamente do fórum que mais amei e que mais participei, o Potter Village!
    Concordo com tudo o que você disse.
    Não é a vontade de JK que apagará Harmony.
    :*
    byeee

  • Anônimo

    O melhor dos livros de HP é isso, dá para pirar legal com os shippers, pq são TANTOS personagens que podemos viajar legal (e brigar mto defendendo nossos favoritos tbm kkkkkkkkkkkk) +_+
    Como vc sabe, tenho traumas de H² graças a uma fic, mas respeito mto quem é fã desse shipper.
    É AMANHÃ A NOITE, VOZINIA! Tô preparada já pra começar a receber os sms e começar a chorar cry4 kkkkkkkkkkkkkkkk
    Saudades! Amooo vc (L)
    Bjos não anôNEmos da sua Netita (LLLL)