Menu:
12/fev
But you are going to have to live the rest of your life knowing that you’ve turned your back on love

Shippers. Essa foi a ideia central do novo episódio de The Vampire Diaries. O mais legal é que, com quase toda certeza, todos os gostos foram atendidos. Tivemos Elena sendo disputada pelos irresistíveis irmãos Salvatore, Caroline indecisa sobre as intenções de Klaus e Rebekah dividida em sentir ou não os prazeres humanos ao lado de Matt. E, para não deixar tudo passar em branco, acompanhamos muitas, mas muitas encrencas que destroçaram e, ao mesmo tempo, reviveram alguns corações. A única coisa em comum entre todos esses personagens? Simples! O convite para participarem da festa dada pela família Original Mikaelson, tendo como anfitriã Esther.

 

314VampireDiaries0429Muitos vestidos farfalhando no soalho na honrada casa de Klaus, assim como bonitos penteados, muitos homens lindíssimos e suspiros para todos os lados. A festança visa comemorar a reunião da família de vampiros e uma oportunidade de Esther se apresentar à população de Mystic Falls. Entre amores que se desenvolvem e outros que caem do penhasco, a trama principal pertence a mama Original. Ela incita a dança dos convidados, tendo como foco atrair Elena para que ela cumpra o que lhe foi solicitado: encontrá-la durante o baile. Os filhos Originais e nem os envolvidos na destruição de Klaus imaginam que toda aquele discurso da mulher sobre deixar as mágoas para trás, não passa de uma lorota. A doppelgänger é uma parte do plano para aniquilar o vilão híbrido e, como consequência, levar os irmãos para o túmulo de vez. O mais triste desse fato, é que a amada dos Salvatore aceita participar do ritual que será feito pela bruxa, mesmo tendo noção que nem todos os Originais são ruins e que pagarão por algo que não tiveram culpa. Esther considera os filhos uma abominação e está convencida de que é ela que tem que terminar com isso. Vale lembrar de Elijah e do quanto será doloroso perder um vampiro tão bom e importante.

 

Para os que amam Delena, talvez, não tenha sido um ótimo episódio. Pode ter sido bom, pois eles compartilharam uma cena perfeita na festa – a minha preferida, por sinal -, dando um revival de mais uma dança e declarações fofas por parte de Damon. Mas tudo que é bom dura pouco e Elena parte em milhões de pedaços o coração não humano do vampiro. Algo que não foi muito difícil, pois o Salvatore já estava abalado com as palavras do irmão, que o considera um peso nos planos para destruir Klaus, por se importar demais. Para quem se lembra, Stefan sempre foi criticado por Damon ao se deixar levar pelas emoções e, ironicamente, o irmão mais velho se afundou no mesmo problema. A diferença, é que Damon é  um vampiro muito intenso, pois sempre se depara com alguma desilusão, especialmente amorosa. O amor nunca o escolhe. O que ele acredita ser a melhor demonstração de seu sentimento, cai por terra, pois a superproteção dele com relação à amada cria uma zona de sufoco da qual Elena não se sente mais à vontade. Ao dizer que a ama, sem usar o artifício da hipnose para fazê-la esquecer logo em seguida, o Salvatore afrontou uma negativa que doeu em sua existência sem alma. A afirmação dela, provocou o que eu esperava há muito tempo: o lado autodestrutivo do vampiro vir à tona.

 

Sendo honesta, não gosto dele bonzinho e preocupado, pois ele é insano e essa é a sua graça. Entendo que ter se apaixonado por Elena foi inevitável, mas ele nunca foi o tipo de rapaz que se molda por causa de uma garota. Forçá-lo a isso, descaracterizou o personagem que costumava ter pontos muito altos durante o decorrer da série.

 

O drama amoroso continuou, mas dessa vez é com Klaus e Caroline. Depois de ter salvado a jovem, ele a convida para o baile e lhe dá um lindo vestido (que inveja!). Olhando pelo Tumblr, percebi que eles foram um shipper bem recebido por uma quantidade interessante de fãs. A junção Klaroline enlouqueceu aqueles à espera desse episódio para ver como a relação deles se desenvolveria. A barbie vampire ainda sofre com a bipolaridade de Tyler, que foi embora a fim de se livrar das garras do híbrido e voltar aos seus braços. O que eu achei extremamente fofo, foi o fato dela sentir ciúmes de Matt com Rebekah. Ciúmes é até uma maneira forte de dizer, pois havia também aquele misto de preocupação com relação ao ex-namorado, que está muito bem acompanhado da irmã do vampiro que mais detesta. Eu até torci para que Caroline e Matt compartilhassem uma cena importante, pois ele é o único personagem que está sobrando na trama. Infelizmente, não aconteceu, pois o espaço foi todo ocupado por Klaus.

 

Continuando com Caroline, ela ganhou seu destaque por conseguir dar um choque de realidade em Klaus e conseguir algum efeito. Stefan também cutucou o híbrido tempos atrás, mas não foi bem-sucedido. Ora, garotas são garotas! O Original tenta a todo custo agradá-la, falando das possibilidades de viajarem juntos e revela um lado que ninguém conhecia: sua paixão pelas artes e o dom de desenhar. Mas nem a perfeição aparente do vampiro faz a loira dar o braço a torcer. Ela ainda remói o que Klaus ordenou Tyler a fazer contra sua pessoa e não aceita qualquer charme que o vilão exponha. A vampira, então, libera tudo o que está engasgado na garganta.

 

Em linhas gerais, ele tem medo de ficar sozinho, pois seu pai nunca lhe deu amor. Por isso, suborna e hipnotiza as pessoas, formando novos híbridos para ter companhia. Os dois beiram a insegurança e é um casal interessante, confesso. Eles nunca foram amados de verdade. Caroline sempre foi reprimida pela mãe e seu pai nunca lhe deu atenção. A jovem foi torturada por ser vampira. Matt e Tyler são seus relacionamentos amorosos frustrados, pois eles traíram de alguma forma a sua confiança. Klaus não fica muito para trás, escondendo o desespero para fazer com que alguém o ame verdadeiramente. Traumas do passado mudam o coração de uma pessoa e isso ficou evidente entre esses dois vampiros.

 

Além da vontade de querer ser amado, Klaus se mostra ligado à família e satisfeito com aquela reunião e o perdão de sua mãe. Ele ficou apagado durante o episódio, não se envolvendo em maldades, mostrando sua devoção a Esther e aos irmãos. O híbrido não desconfia de nada das tramoias da mãe e deixou o benefício da dúvida nas mãos de Elijah, que não hesita em pedir para Elena lhe contar o possível plano que a mama Original traçou contra o irmão que o enganou. Mal sabe ele que sua desconfiança é certeira e que um feitiço se inicia nas suas costas e dos demais Originais. Colocando a vida daqueles que movem a trama de TVD em risco, sinceramente, não consigo ver uma próxima temporada sem esses personagens de peso. Para dar continuidade à saga de Mystic Falls sem Klaus e companhia, será preciso inventar algo imbatível  para superá-los, pois todos se tornaram inesquecíveis.

 

In the game of seduction, there is only one rule: never fall in love

 

Fechando o círculo de romance, os fãs Stelena deram alguns pulos de felicidade. Elena insiste em Stefan. De novo, mas dessa vez com mais firmeza. De acordo com as palavras dela, ele pode não se importar mais com o amor entre eles, mas pelo menos respeita seus pensamentos. Algo que Damon não faz por ter medo que ela possa fazer uma besteira e morrer. Eu nunca acreditei que o Salvatore tinha virado realmente as costas para a jovem. Ele a ama e o sacrifício é uma das palavras que pertencem ao vocabulário de duas pessoas que pretendem ficar juntas. Nada é fácil no amor. Stefan abdicou a liberdade, magoou Elena de maneiras cruéis e, teoricamente, não lhe sobra mais nada para existir. Apenas a felicidade de matar Klaus. Ele amargura por não poder tê-la de volta e pretende permanecer que nem um iceberg até o fim. O que me tocou verdadeiramente foi a tentativa dela em trazê-lo de alguma maneira de volta. Home is where the heart is e não há como negar que o coração da garota é dele e vice-versa. Pelo menos até aqui. A fina linha de amor que ainda une o casal persiste, de maneira dura, mas ainda está lá. Mesmo não querendo que Stefan amolecesse à investida da amada, torci por um beijo, pois sinto falta deles juntos.

 

Dessa vez, não critico a insistência de Elena, pois ela só queria provas de que o Salvatore não tinha abrido mão do que eles costumavam representar um ao outro. Ficar desolada é o novo ponto forte da protagonista e ela assiste mais uma vez o amado abandoná-la, se segurando para não ceder aquele amor e a dor gerada pelas atrocidades que cometeu. É complicado imaginar um futuro para ambos depois disso, mas estou na torcida.

 

Damon Salvatore foi eliminado por Elena bruscamente e voltou a assumir seu lado ranzinza, irônico, safado, entre outros inúmeros adjetivos que sabemos bem. Confesso que gostei da junção dele com Rebekah. Ambos possuem os mesmos instintos de insanidade, sensualidade e caráter nada gentil. Esse conjunto, somado o quanto os vampiros são lindos, os uniu em um momento onde a palavra “picante” é apenas um apelido. Todos se perguntam de que maneira isso afetará Elena e espero que não influencie em nada na mente dela. O irmão mais velho de Stefan está dançando no álcool e no negativismo, que ficou confirmado após um confronto quase mortal entre Kol, o irmão Original-insolente de Klaus. O Salvatore retorna a marca zero, sem ganhar a garota da festa. Insensibilidade, egoísmo e muita pegação com a vampira podem ser promessas para agitar um pouco os corações em Mystic Falls.

 

Próximo ao dia dos namorados nos EUA, o episódio fez jus ao tema romance. Os quotes que utilizei nessa review são do filme Segundas Intenções (Cruel Intentions). Para quem não percebeu, o título Dangerous Liaisons, coincide com o nome da produção de mesmo nome de 1988. Ambos são adaptações baseadas na obra francesa de Pierre Choderlos de Laclos. Pensando em segundas intenções ou ligações perigosas, acredito que esses dois termos simbolizaram a trama, que mostra o quanto é delicado amar, ser ou não amado e lidar com esse frenético sentimento.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3