Menu:
26/mar

Oito horas da noite foi o horário que os primeiros fãs e interessados na adaptação do primeiro livro da autora Suzanne Collins, chegaram ao cinema para à sessão das 21h10 no shopping Santa Cruz em São Paulo. Por ser fã de Harry Potter de longa data e ouvir desde o ano passado que Jogos Vorazes seria um fenômeno em ascensão em 2012, confesso que esperei aquele caos do fandom para conseguir a melhor poltrona do cinema.

 

Honestamente, estava esperando que isso acontecesse, pois quem faz parte da comunidade de fãs, sabe o quanto um momento como esse nos fazem tolos e inatingíveis, correndo desesperados ao encontro daquilo que faz nossos corações baterem mais forte, a ponto de tirar nosso poder racional por breves segundos. É a melhor sensação do mundo ser incapaz de respirar a poucos minutos de saber que aquele livro que você correu semanas para ler ou reler aparecerá na telona em instantes. Mesmo assim, a euforia estava presente. Isso foi inegável.

 

Empurra, empurra e corre, corre foram duas coisas que não aconteceram ao longo da espera para a próxima sessão do mais aguardado filme do ano. Os Tributos apareceram em pouca quantidade, mas eram grupos animados. Não houve cosplayers, infelizmente, mas a maneira como cada fã resolveu simbolizar Jogos Vorazes foi singela e muito especial.

 

Desde às tranças da Katniss, que sem dúvidas, é a nova moda para as garotas que admiram a heroína, havia uma boa parte dos Tributos com camisetas que representavam seus personagens favoritos. Óbvio que para quem entendia aquela nova linguagem, não escondeu as expressões de espanto, empolgação e risos por se depararem com frases e desenhos totalmente divertidos. Desde Peeta, Haymitch e Cinna, de qualquer maneira que fosse, da forma mais simples possível, lá estava aquele fã representando o novo livro que, com certeza, se tornou uma preciosidade na sua prateleira.

 

Entre muitas conversas, boa parte já tinha conferido o filme na pré-estreia e durante a tarde do dia seguinte. Ao perguntar o que realmente acharam do filme, se destacou uma única palavra: incrível! Quem não teve a oportunidade de comparecer a uma sessão mais cedo, como eu, após essa declaração foi assomado por uma comichão dos pés à cabeça, imaginando o que iria acontecer e o que veriam dentro da sala escura do cinema.

 

Muitas cenas começaram a apertar meu cérebro, algo que vinha acontecendo desde o começo da semana. É impossível controlar aquele “gene-fã” que faz com que você se desligue do mundo real e só se concentre no que virá a seguir, com relação ao seu fandom: se dedicar a ele.

 

Uma das sacadas bem legais para promover o filme foram as distribuições de pôsteres dos personagens de Jogos Vorazes para aqueles que compraram os ingressos pela rede Cinemark. Não sei se isso aconteceu com outros cinemas que não pertenciam a mesma empresa, mas lá estavam os Tributos ensandecidos atrás daquele importante-médio-pedaço de papel que será guardado com muito carinho, sem sombra de dúvidas.

 

O que achei legal foi a diversificação da preferência com relação ao apunhado de personagens criados por Collins. Cinna, Effie, Rue, e até mesmo Cato, conseguiram seu lugar ao sol na preferência dos fãs que desfilavam orgulhosos com seus pôsteres embaixo do braço enquanto aguardavam arduamente os ponteiros do relógio marcarem a hora certa.

 

Mesmo com essa preferência inusitada, o amor mesmo pertencia a Peeta. O garoto do pão gera suspiros antes mesmo de abrir a boca durante o filme e estampava uma boa parte das camisetas que o homenagearam. Embora as meninas tenham demonstrado seu amor pelo padeiro, não houve nenhum amor maior com relação aos shippers que o defende. A questão Team Peeta é logo esclarecida, com cestas e mais cestas cheias de pão, provando que o tributo do Distrito 12 é realmente muito querido e considerado o par perfeito para Katniss.

 

Por outro lado, além do estardalhaço por Peeta, o ato de fã que achei lisonjeiro, discreto e excepcional, foi a tatuagem do Luís. O tordo que virou estilo nas mãos de Catnip, foi traçado em preto, sem nenhum retoque colorido e considerei um dos gestos mais sensacionais à trilogia. Não tem como não admirar um fã que faz algo como isso. De uma maneira ou de outra, a atitude dele demonstra sua lealdade com aquilo que aprecia e respeita.

 

A sessão da qual estava não tinha muitos fãs alarmados por Jogos Vorazes, mas a experiência de estar de volta em um pequeno círculo de fãs e debater um assunto em comum, além do seu círculo social, é uma atitude que sempre será impossível descrever. Até os mais tímidos conseguiram se expressar à sua maneira e isso foi sensacional. Todos estavam ali, reunidos, tendo como principal objetivo fazer parte do que JV representa, de todas as maneiras possíveis e inimagináveis. A obra, com toda certeza, inspirou mais uma vez jovens e adultos a apreciarem à leitura e aceitar uma nova história que ultrapassa limites na escrita e na originalidade.

 

Dentro do cinema a atitude dos Tributos realmente mudou. A timidez é deixada de lado e, desde a abertura, gritos e aplausos emergem na sala escura, e tudo se intensifica quando Katniss assume o lugar de Prim como tributo, gerando algumas lágrimas pelo impacto do gesto. Mais aplausos tomam conta do local com o sinal que pertence à população do Distrito 12 quando Katniss assume o lugar da irmã e após a morte de Rue. Ao longo do filme, a euforia é substituída por um tom de luto. Assim que os tributos são jogados na arena, o clima fica pesado e realmente é difícil respirar.Um tributo, dois, três…E Rue.

 

A pequenina do Distrito 11 realmente arrancou mais suspiros e lamentações por ser uma das personagens mais queridas do livro. Após esse período, a empolgação volta com a cena da caverna e o beijo entre Katniss e Peeta. O clima mais uma vez sofre uma reviravolta, uma euforia e exclamações com a luta final na Cornucópia.

 

É tensão para todos os lados e os Tributos se encolhem nos bancos, como se evitassem uma dor maior. Os créditos sobem e a expressão de surpresa e satisfação de ver quase 400 páginas muito bem adaptadas para às telonas, apenas confirmou que Jogos Vorazes é uma história que realmente chegou para ficar.

 

 

Deixo aqui meu agradecimento ao Arena Voraz pela simpatia e atenção comigo e ter aceitado minha participação como correspondente do site no dia da estreia de Jogos Vorazes. Foi ótimo levar o nome de vocês no crachá e espero que vocês continuem com a ótima cobertura que fazem e durem por bastante tempo.

 

Imagens: Stefanny Lima.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3