Menu:
08/jun

Estreia hoje nos cinema brasileiros Para Sempre (The Vow) cujos personagens principais são interpretados por Channing Tatum e Rachel McAdams. Confesso que falar desses dois atores deixa minha imparcialidade meio de lado, pois ao longo de muitos trabalhos, assisti o amadurecimento dos dois atores e, pelo que parece, há possibilidades para a carreira artística de Tatum e McAdams ser bastante promissora.

 

O filme baseado em fatos reais (tem surpresinha no final do filme sobre isso), conta a história de Leo e Paige, um casal muito apaixonado que tem sua rotina abalada após um acidente de carro. A jovem fica em coma e, ao acordar, não reconhece seu marido nem nada do que viveu ao lado dele. Sua memória voltou no tempo e fica estagnada na lembrança do ex-noivo que não é Leo e no antigo modo de vida. Ele, sem ter muito o que fazer, pede para os pais dela a oportunidade de ajudá-la a resgatar suas lembranças, sendo que seus sogros se opõem a ideia, pois veem a possibilidade de trazê-la de volta a família, aos moldes da elite da qual pertencem.

 

No final das contas, Paige passa uma temporada com Leo. A tarefa poderia ser fácil, mas todos os dias ele tenta lidar com o fato que sua mulher não lembra mais dele. Toda a rotina da casa é alterada, embora o rapaz insista em oferecer a ela traços do que viveram. No decorrer da trama, Leo tem que aturar Paige apaixonada de novo pelo ex-noivo, lidar com as amigas da alta sociedade e vê-la traçar, pela segunda vez, o caminho rumo à carreira de advocacia, que ela revogou ao abraçar a carreira no ramo da Arte. Essas situações, contudo, não condizem com a verdadeira Paige, a mulher que Leo se apaixonou. Ela é uma artista libertina, que ama a vida e não fala com os pais a muitos anos por motivos que são revelados mais para frente.

 

Na saúde ou na doença, o longa mostra a insistência de Leo em reconquistar o grande amor da sua vida. Sem pensar duas vezes, ele enfrenta tudo e todos para ter Paige de volta, com ou sem memória. Essa é a sacada que faz da história uma fofurinha. Um homem apaixonado que corre atrás da garota sempre gera suspiros, por mais que a trama seja a mais clichê possível. Não há como não torcer pelo casal, que enfrentam altos e baixos, preconceitos e muitos medos diante da peça pregada pelo destino.

 

Solteira ou comprometida, a história de amor entre o casal é muito conveniente para o final de semana do Dia dos Namorados. Não esperem nada mirabolante, um roteiro muito elaborado, pois há situações melosas, comoventes e engraçadas. Para Sempre é uma mistura de todos os tipos de sensações e não é muito difícil se ver pregado ao enredo, por mais que o filme seja bem fraco. Mesmo não sendo promissor e tendo a probabilidade de ser esquecido assim que você sair dos cinemas, o mercado americano agradeceu o período do romance nas telonas. Agora, basta aguardar para ver se a recepção será a mesma no V-Day brasileiro.

 

Para Sempre é tão romântico quanto Diário de uma Paixão, também estrelado por McAdams, mas não é tão profundo e intenso. O que os diferem, essencialmente, é o fator “drama excessivo”. Não é algo ruim, mas a história de Paige e Leo é bem pura, sem tantos altos e baixos irreversíveis, o que já é uma boa coisa. Channing e Rachel obtiveram uma química excelente e, os dois achados de Nicholas Sparks, que ofusca nas telonas, o que comprova, mais uma vez, que ambos se dão muito bem em filmes de romance, no papel de bons moços que se deparam com a possibilidade de perderem o amor, lutando para tê-lo ou para mantê-lo em suas vidas.

 

Comprem bastante chocolates ao assistirem esse filme. Se eu desejei um John (Querido John) para minha vida, não era de se esperar que eu também almejasse um Leo, empacotado na porta da minha casa nesse Dia dos Namorados.

 

Vídeo hospedado no YouTube e pode sair do ar a qualquer momento

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3