Menu:
13/jun

Demorei muito tempo para escolher um casal preferido, pois tenho uma lista gigantesca de shippers que merecem um post digno. Mas, vamos considerar que, enquanto eu mantiver esse blog, muitos outros casais virão (isso se eu não casar antes).

 

Depois de muito pensar, a ideia de duas fofurinhas para fechar esse especial do Dia dos Namorados me veio à mente. Estava bem diante dos meus olhos, mas ignorei, pois estava animada com outros pares mirabolantes. Depois de horas de devaneios, apresento a vocês um dos melhores casais da história da ficção científica: Amelia Jessica Pond e Rory Williams ou apenas “Os Pond”.

 

Amy Pond e Rory Williams são personagens da minha amada série Doctor Who. Amy começou seu caminho como companion do Doutor na quinta temporada, tendo algumas participações de Rory, que só se fixou ao lado da amada na sexta temporada. Amy é interpretada pela minha linda Karen Gillan e Rory é interpretado pelo meu outro amor platônico, Arthur Darvill. Quem não os conhece, especialmente a série, só tenho muito a lamentar!

 

Por que os amo tanto?

 

Vamos começar pelo clichê: eles se conhecem desde a infância. Isso para mim é suficiente para construir um amor puro, aquele que perdura por muitos anos. Posso estar muito errada nesse pensamento, mas é algo que acredito. Conviver desde cedo com a pessoa que poderá ser sua soulmate deveria ser uma lei para que lindos casais não desmoronassem como castelinhos de areia.

 

Voltando a eles, Amy e Rory sempre foram companheiros, mas ele nunca foi o “tipo” da jovem. Ele é muito tímido e devagar e ela é acelerada e espontânea. Enquanto a ruiva pensava que ele era gay, por aparentar certa falta de interesse em garotas e pela falta de revelações de possíveis pretendentes, a melhor amiga abre os olhos de Amy, que descobre o amor platônico de Rory por ela.

 

À primeira vista, Amy é apenas uma jovem sapeca, sensual, durona, desafiadora e sarcástica e que poderia trocar Rory pelo Doutor fácil, fácil. Afinal, o Senhor do Tempo tem o dom de ser o amor platônico de qualquer garota e, para uma como Amy Pond, amá-lo poderia ser uma praticidade, mas também um risco. A garota conhecida como the legs e o garoto conhecido como the nose compartilham ao longo de duas temporadas (estou à espera da sétima), provas de amor singelas, mas suficientes para demonstrar que se amam com honestidade. Eles provam que o amor pode sobreviver a tudo, especialmente colapsos no tempo.

 

As superações de Amy e Rory perante inúmeros desafios que surgiram no meio do caminho, foram apenas circunstâncias para pôr em prova o sentimento deles. Embora ele, teoricamente, seja o mais apaixonado nessa história toda, a ruiva nunca pensou em desistir do amigo que se tornou seu marido. Rory Williams é o amor da vida de Amy Pond. Por mais que seu amigo imaginário tenha uma TARDIS, lhe dando todas as possibilidades do universo, com Rory ela teria um lar, uma família, amor, segurança… E uma filha. Uma filha maravilhosa, por assim dizer.

 

No decorrer dos episódios de Doctor Who é difícil acreditar que uma garota como Amy ame um cara como Rory. Eles não possuem nada em comum. Só o Doutor! Porém, as temporadas da série nos guiam a um amor recíproco e engraçado, que se fortalece durante cada viagem entre o tempo e o espaço. Em cada contratempo, o sentimento deles um pelo outro só aumenta. Amy e Rory não agem como covardes quando o assunto é se jogar nos campos de batalha intergaláticos, pois eles levam a sério a parte do discurso até que a morte nos separe.

 

Eles se protegem a fim de manter um ao outro vivo. Não há prova de amor maior quando Rory espera por dois mil anos o retorno da amada, provando sua devoção a jovem. Não é nada espantoso vê-lo morrer inúmeras vezes (em Doctor Who isso é possível) e voltar para os braços da única garota que amou de verdade e saber que, de alguma forma, Amy também encontra o caminho para casa. Rory é seu lar. O ponto fixo na Terra. O seu equilíbrio. Pode cair o mundo, mas eles sempre voltam e se apaixonam inúmeras vezes seguidas. Eles são almas gêmeas.

 

Amy’s Choice: ela optou por Rory e não pelo Doutor. Esse era o grande impasse da quinta temporada, pois Amy aparentou ser mais inclinada a amar o Senhor do Tempo, embora estivesse de casamento marcado com o enfermeiro. Como alguém shippa Amy e o Doutor? Sou mais Karen e Matt, isso sim!

 

The Girl Who Waited: Uma única frase: “I care that we didn’t grow old together”, por Rory Williams.

 

Amy e Rory formam aquele tipo de casal que você tem a absoluta certeza que permanecerão juntos para o resto da vida. Mesmo com altos e baixos, eles se manterão firmes como um casal jovial, independente do final e dos problemas que surgirão no meio do percurso. Eles se completam de uma maneira estranha e divertida, mas se completam.

 

Por isso, The Legs and The Nose é meu One True Pairing.

 

Por que? Porque eles formam um casal atrapalhado, não estereotipado, com ciumeira e discussões desnecessárias. Ambos amam um ao outro independente de suas falhas e se respeitam. Amy e Rory não precisam dizer que se amam a todo momento. Eles não precisam de um pote de mel para ficarem lindos. Basta assistir uma única cena deles e ver nos olhos deles que ambos precisam um do outro, sem fazer um discurso melodramático.

 

Os Pond é o casal mais certo que aprecio e me aperta o coração só de imaginá-los fora de Doctor Who.

 

E, com classe, encerro o especial de Dia dos Namorados.

 

Happy V-Day!

 

Imagens: Tumblr

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3