Menu:
11/jun

 Random You por: Andressa Ferreira

 

Dia 12 de junho… Ao invés de nos lamentarmos (ou não) por não viver um romance digno de ser adaptado para o cinema, porque não pararmos para apreciar os casais que, ao contrário de nós, tem a sua história contada em uma tela? No meu caso, não me canso de apreciar Stefan e Elena. Pois é, talvez eu aprecie mais o Stefan, mas tem como não apreciá-lo? Não quero transformar isso numa declaração de amor a Stefan Salvatore, mas quando paro e penso no que as pessoas têm valorizado nos dias de hoje, me sinto quase um ser de outro planeta.

 

As pessoas têm valorizado a beleza óbvia, é isso. E Stefan Salvatore não é apenas um rostinho bonito e um poço de sarcasmo, ele é muito mais. Ele deu a Elena uma história de amor, de amor verdadeiro que poucos caras são capazes de dar. Primeiro fato: Stefan salvou a vida dela. Claro, não era porque ela era a Elena, ele salvaria quem estivesse naquele carro, mas ELE SALVOU A VIDA DELA. Qualquer ser que não ache isso romântico pode parar a leitura.

 

Segundo fato: apesar dela ser idêntica a Katherine, Stefan amou Elena por ela ser quem é. Isso é tão “confirmado” pela própria Elena que ela não conseguiu ficar brava com ele por muito tempo por ter escondido isso dela – o amor que ela sentia por ele era maior que isso, fim.

 

Terceiro fato: Stefan SEMPRE ESTÁ LÁ. Não importa quantas decisões erradas Elena tome, não importa em quantas enrascadas ela entre, ele sempre vai estar lá para salvá-la sem julgá-la, sem dizer que ela faz tudo errado ou insinuar que ela não é capaz de tomar suas próprias decisões. Isso só demonstra o quanto ele a respeita. O quanto a opinião dela é importante e o quanto ele a ama, mesmo quando faz coisas que não dão certo e mesmo quando ela coloca todos em risco.

 

Em contrapartida, Elena não escolhe o caminho mais fácil, porque creio eu, que o amor não anda nessa estrada. Mesmo com todas as dificuldades e problemas que estar com Stefan traria a ela, ela nunca quis que ele se afastasse, muito pelo contrário, ela sempre o quis perto. Se isso não é amor verdadeiro, o que é então?

 

O que é um cara largar a mulher da sua vida e seguir rumo a um destino incerto só para mantê-la viva? O que é abrir mão de sua própria felicidade para ver a outra pessoa bem, sã e salva e feliz? Bem, Elena não estava feliz porque ela não fica assim longe do Stefan. Eles se apoiaram, deram razão a vida um do outro. Eles protagonizaram cenas que fariam qualquer um chorar e pensar: “Poxa, eu quero isso pra mim”. E não é impossível!

 

Talvez, se nós revermos nossos conceitos e valorizarmos o que as pessoas têm de bonito por dentro, ao invés do rostinho bonito, estaremos prontas a encontrar nosso Stefan ou qualquer outro cara que olhe e diga: “Por essa garota vale a pena morrer”.

Random Girl
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3