Menu:
23/jul

Hoje, livros voltados para o mundo da fantasia – especialmente livros infantojuvenis – seguem (se é que podemos dizer isso) clichês deixados por outros autores. Não quero dizer que seguir um “padrão” existente não seja algo bacana, pois qualquer escritor precisa de embasamento para rascunhar. Mas, hoje, obras enquadradas no gênero fantasia são escritas, em grande maioria, em primeira pessoa porque é trend. Escrever em terceira pessoa virou algo mainstream.

 

Não conseguiu entender?

 

Depois dos quatro volumes de Twilight, escritos por Stephenie Meyer, quantos livros em terceira pessoa, considerando esse gênero literário, você encontrou? Aposto que foram muito poucos. Além disso, o mercado para vampiros se ampliou e todos só querem falar (escrever) sobre isso. A garota abatida que encontra o amor sobrenatural… Honestamente, não gosto de “heroínas” fracas, muito menos de livros em primeira pessoa. Nesse caso, a escolha do narrador que conta tudo em seu ponto de vista, deve ser muito, mas muito interessante.

 

Dessa forma, até então, a única protagonista do universo literário de fantasia que me encantou foi Katniss Everdeen da trilogia Jogos Vorazes. Pelo menos, acredito que ela é uma heroína que se impõe e acho que a jovem é um modelo perfeito para as adolescentes que dormem no ponto hoje em dia.

 

Para sair desse quadro de mesmice na hora de escrever, eis aqui quatro dicas bem legais para você escrever algo interessante (em terceira pessoa para me deixar feliz. Brincadeira!). O post que me inspirou é original em inglês e, ao todo, são sete dicas, mas só algumas realmente são cabíveis para futuros escritores brasileiros.

 

Quer explorar novas formas de escrita criativa? Anote os tópicos abaixo no caderno de rascunhos:

 

1. Discuta ideias

 

Novos escritores acham que compartilhar ideias fará do texto menos distinto, menos original e menos criativo. Mas não é bem assim! Compartilhar ideias ajuda a imaginar o inimaginável e é bacana questionar e dar tolerância àqueles que dão ótimas dicas. Com certeza, outras pessoas podem ajudar na elaboração do texto. Sabe quando você quer escrever um livro e não sabe por onde começar? Ligue para a melhor amiga antenada em literatura. É fato que ela te guiará à luz do final do túnel.

 

2. Foque-se em um lugar

 

Criar cenários é uma das partes mais difíceis para um escritor, especialmente, detalhá-los. A dica para exercitar à mente é imaginar uma rua, uma casa ou um quarto onde você viveu, mas não voltou a visitá-lo há alguns anos. Por 15 minutos, faça uma lista das coisas relacionadas a esse lugar que faz parte da sua memória. Podem ser também associações táteis como um cheiro, uma música, uma doença, um mistério, uma descoberta, uma perda, uma paixão, um livro, uma pessoa importante.

 

Escreva tudo o que conseguiu lembrar para descrever o lugar. Depois, visite-o (se ainda existir ou se for possível, claro!), analise o que foi anotado e busque encontrar mudanças ou detalhes que foram esquecidos. A primeira versão visualizada, antes de conferir se anotou tudo certo, pode ser a descrição mais sugestiva, mesmo tendo imaginado detalhes inexistentes.

 

3. Entreviste uma ideia

 

Utilize a forma de um poema em prosa ou um monólogo dramático e entreviste a ideia da história. O enredo pode assumir inúmeras formas como uma das quatro estações, leis termodinâmicas, um dos elementos da tabela periódica. Descubra tudo o que puder sobre o fenômeno da literatura, da ciência ou da história, de modo que dê voz à ideia. Dessa forma, você verá se o que pensou é engraçado, misterioso ou autêntico. É bem legal fazer isso na construção de personagens. Como ele é, como pensa, o que precisa, e assim por diante.

 

4. Não escreva só o que você sabe

 

Eu gosto de drama. Nicholas Sparks de romance. Porém, Nora Roberts escreve de tudo. Dessa forma, a dica final é: não escreva só o que você sabe. Arrisque-se e faça melhor! Escreva e acredite na imaginação. Esse conhecer imaginativo tem o potencial para dissipar barreiras que isolam o indivíduo de outros assuntos. O exercício criativo permitirá, sempre, o nascimento de uma narrativa potencialmente transcendente, que poderá falar algo importante para nossa humanidade. Se você gosta de comédia e acha que sua especialidade é essa, que tal pensar em um romance? Desse gênero, pode nascer um novo best-seller.

 

 

xxx Nota da Random Girl:  link que inspirou o post.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3