Menu:
26/jul

Conforme a trama se desenrola, mais itens pertencentes a Ali e novos personagens são inseridos na trama. Toda vez que assisto a abertura com o flashback do que aconteceu anteriormente, fico cada vez mais confusa. Isso só comprova a tese que me deixa mais desgostosa com Pretty Little Liars: a mania de engrandecer a história e depois não dar conta de tantas informações. Eu sei que cada novo integrante e os pertences da falecida são elementos cruciais, porém, temo e muito como eles darão os nós nas pontas soltas no final da temporada.

 

Mas, antes que cheguemos lá, o episódio dessa semana foi bem arrastado. Wilden ajudou com alguns picos de tensão, mas foi só isso. Ele deu uma animada ao fechar o cerco em torno de Hanna, por conta do tipo sanguíneo que consta na tornozeleira de Ali. Spencer ficou na mira do detetive também, por ter omitido o acidente de Jason. A sede de Wilden em pegar o assassino de Ali é insana e, às vezes, acho que ele tem dedo envolvido nisso. Ele pode estar todo solícito, por exemplo, por ter brigado com Garrett sobre o ocorrido. De algum modo, a minha tese justificaria a vontade dele querer o ex-policial preso para sair imune de algo. O que posso dizer é que Wilden, pela primeira vez, rouba a cena desde seu “ressurgimento” e mostrou uma utilidade grandiosa.

 

Emily e Nate foi dispensável. Ultimamente, considero a liar fora de foco e ela só se torna útil quando relembra fragmentos da noite que não aconteceu. A dupla rendeu alguns diálogos bobos, que não precisavam ser inclusos à trama. Todo o mimo dele por Jenna foi forçado. Só sei que ele não parece confiável e a cantada para cima de Ems foi ridícula. Se ele amasse tanto Maya, Nate não agiria dessa forma para cima da liar. Outro fator que quebrou o ritmo do episódio foi o encontro de Ella com nada mais, nada menos que Ted. O homem me saiu um belo de um garanhão, isso porque ele é pastor. Todo caso, prefiro ele com Ashley e, se ele for boa pinta, eles serão um shipper muito perfeito.

 

Um comentário: onde está Meredith? Sabe, forçaram tanto o retorno da personagem que nem sinal de vida ela mais deu. Confesso que não fico feliz.

 

Falando em personagens novos, a cover de Ali, Cece chega para aborrecer as liars. Digo isso porque a jovem é muito similar à falecida (ou seria a falecida similar a ela?). Pensar em Cece me fez cogitar spoilers dos livros referentes a irmã de Ali. A garota realmente tem os trejeitos da líder do quarteto, o cabelo, as roupas e até mesmo a maneira como impõe opiniões e atitudes quando não é chamada. Isso ficou evidente quando ela toma partido de Emily para causar atrito entre Jenna e Nate. Não gostei da personagem, sendo muito honesta, e espero que ela tenha utilidade. Cece foi inserida para criar mais dúvidas, ainda mais pela estadia repentina em Rosewood. Um atrito entre Spencer e ela seria algo bem explosivo.

 

Spencer se afunda conforme a trama caminha. Ela se envolve com os problemas de Jason e carrega o peso nos ombros com relação a liberdade de Garrett. A próxima liar em potencial a ficar ser namorado é ela. A jovem voltou a mentir para Toby, omitiu informações e, para piorar, o fez mentir para a polícia (mesmo sem querer!). Depois de ter desabado em um choro profundo, Spencer não age mais pela razão, mas sim, pela emoção. Isso gerará sérios problemas à ela. Como disse Toby, a jovem precisa parar de julgar as pessoas. E eu digo que minha Nancy Drew deveria se acalmar e maneirar a impulsividade.

 

Quem rouba a cena é Hanna, Aria e Mona. Uma mistura inédita e que, de certa forma, salvou o episódio. Depois do tabuleiro de Ouija e o aparecimento sinistro de Ali, vimos que as ex-melhores amigas compartilham segredos aterrorizantes. Contudo, o valor que Mona dá à amizade de Hanna, faz com que ela dê o braço a torcer. A dica para o mistério de A vem no formato de um poema macabro, acompanhado das bonecas de porcelanas do Voldemort. Óbvio que Spencer descobriria o código que as guiaram para um website. O site é tão sinistro que a foto de Maya me deu calafrios. Foi algo meio “Megan is Missing”.

 

Eu me pergunto o por que citam tanto a lembrança de Maya. Para fazerem isso, ela deveria saber de algo incrível. Ela estava com Emily, passeava com Holden nas baladas e dava carona para Jenna de vez em quando. Qual era dessa menina?

 

Agora, uma pergunta: o duelo da vez será entre Mona x A? Porque foi isso que deu a entender no final do episódio, quando o vilão/vilã recupera uma das bonecas e revela o gravador. O código está em mãos inimigas e eu não consigo imaginar A leiga à existência do site. Isso cheira muito mal!

 

Uma coisa que não gostei: terem atiçado o mistério de Ezra e cortarem o personagem nesse episódio. Quando falo que é muita gente para pouca trama, é a mais pura verdade e já estou pronta para PLL começar a me decepcionar.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3