Menu:
12/set

Semana passada, eu comecei a falar das Spice Girls no especial Nostalgia Anos 90 e dividi o post em duas partes, pois ficou muito grande. Se você ainda não conferiu o começo da saga das garotas apimentadas aqui no Random Girl, dê uma chegada por lá, pois só assim você compreenderá melhor o post de hoje.

 

Como os fãs das Spice Girls bem sabem, a saída de Geri foi um rebuliço, como também deu a entender que a girl band tinha chegado ao fim. A despedida da Ginger Spice abriu portas para que as antigas companheiras de palco (antes do retorno) também se aventurassem na carreira solo.

 

Não se lembra? Refrescarei sua memória.

 

Generation Next: a carreira solo das Spice Girls

 

Ginger Spice

 

Em 1998, Geri investiu na carreira solo assim que saiu das Spice Girls. Ela era tão importante para as amigas que foi homenageada com as canções Goodbye, Let Love Lead the Way e Tell Me Why, que entraram no álbum Forever. Em 1999, a então ex-Spice Girl, lançou o primeiro álbum chamado Schizophonic. O trabalho emplacou os hits Look at Me, Chico Latino, Lift Me Up e Bag It Up. Quem se lembra do videoclipe do qual ela “assassina” o lado Ginger Spice? Juro que a odiei na época, mas depois Look at Me virou tendência.

 

 

Em 2001, Geri lançou o segundo álbum, Scream If You Wanna Go Faster. O single que se tornou popular foi a regravação de It’s Raining Men, que entrou para a trilha sonora do inesquecível filme, Diário de Bridget Jones. Depois, ela lançou a música título do trabalho e Calling. Ambas se deram bem nas paradas britânicas. Em 2005, veio o terceiro projeto chamado Passion. A música Ride It alcançou a quarta posição no Reino Unido e foi figurinha batida nas baladas da vida.

 

Em 2007, Geri anunciou que se juntaria as amigas para o show que marcaria o retorno das Spice Girls. Ela até cantou It’s Raining Men na turnê. Além de ter se dedicado à música, a Ginger Spice se engajou na publicação de livros, como a autobiografia If Only (1999), onde ela descreveu sua vida como Spice Girl, e Ugenia Lavender, livro infantil. Hoje, Geri também investe no mundo da moda, sem contar que há boatos de um quarto álbum no forno.

 

Em 1999, mesma época do lançamento do álbum solo da Geri, Mel C resolveu se arriscar também. Lembro como se fosse ontem do clipe Northen Star, do qual ela aparece com os cabelos curtíssimos, com o intuito de também desvirtuar a imagem de Sporty Spice. Essa foi a música dela que mais marcou, pois foi um baque para mim vê-la tão diferente, meio rockstar e sem as roupas esportivas.

 

A música é linda e o videoclipe muito bem produzido. Não tem como negar que a voz de Mel C é reconhecível a milhas de distância.

 

 

Mel C foi a Spice Girl que mais se deu bem na carreira solo. Alguém ainda se lembra da música Never Be the Same Again, com a participação da ex-TLC Lisa “Left Eye” Lopes? Este terceiro single do álbum de estreia consolidou o projeto solo da Sporty Spice. O remix de I Turn to You também chegou ao topo das paradas britânicas.

 

Devido aos problemas de depressão, Mel C só voltou ao estúdio em 2003, com o álbum Reason. Em 2005, foi a vez de Beautiful Intentions e, em 2007, This Time. Ela também teve um tempo para atuar na peça Mrs. Johnstone. Em 2011, ela continuou a trabalhar na carreira musical e lançou The Sea e, no começo deste ano, saiu o EP chamado The Night. O sexto álbum da carreira dela está com lançamento previsto para o final de 2012, intitulado Stages.

 

Scary Spice

 

Eu acho que ela foi a que mais se meteu em fofoca no decorrer da carreira dentro e fora das Spice Girls. Quem se lembra da polêmica dela com o ator Eddie Murphy e o caso de paternidade do bebê dela? Da girl band, acredito que ela foi a mais desaparecida.

 

Quem gosta bastante dos reality shows X-Factor e Dancing with the Stars, deve ter se encontrado com ela, pois a Scary Spice sentou na cadeira julgadora. Para mostrar como ela se deu bem nesse emprego, é provável que ela ocupe a poltrona de Kelly Rowland no X-Factor UK.

 

Sim, ela teve uma carreira solo, mas foi meio tardia, pois o primeiro álbum foi lançado em 2000 e se chama Hot. Porém, o álbum não engatou. A mídia chegou a chamá-la de Spice desesperada, por ter chegado ao ponto de usar a filha no videoclipe Lullaby (conte-me mais sobre isso).

 

 

Baby Spice

 

Em 2001, Emma também engatou a carreira solo. O primeiro álbum, A Girl Like Me, emplacou em quarto lugar na parada britânica. What Took You So Long? foi a música chiclete da Baby Spice e o videoclipe é muito amor.

 

 

O segundo álbum veio em 2004, chamado Free Me que teve quatro singles lançados: Free Me, Maybe, I’ll Be There e Crickets Sing For Anamaria. Em 2006, veio Life In Mono. Depois de ser mamãe, Emma ficou bem tranquila e também ficou escondida da mídia até surgir com as amigas na turnê de retorno e no encerramento das Olimpíadas.

 

Posh Spice

 

Victoria Adams, agora, Victoria Beckham é a que mais menospreza o passado de Spice Girl, na minha opinião. Só por que ela ficou muito, mas muito mais rica por ter casado com David Beckham? Antes mesmo de esnobar o lado cantora, a Posh Spice tentou a carreira solo, que naufragou tanto quanto a de Mel B.

 

Lembro-me da apresentação dela no Party in the Park, com um playback muito feio (vídeo não encontrado, infelizmente). A música Out of your Mind, em parceria com uns caras chamados Dane Bowers and Truesteppers (que até hoje não faço a menor ideia de quem são) é bem legal, chegou a render a segunda posição nas paradas do Reino Unido, mas ela acabou por colocar a carreira solo em stand by.

 


 

Contudo, a dondoca se deu bem no ramo da moda e se tornou um ícone fashion. Em um dos shows do retorno das Spice Girls, no London’s The O2 Arena, ela foi a única que não cantou uma música da carreira solo. Sempre simpática! Mas, vamos combinar, ela não precisa disso, pois a Posh Spice tem duas contas bancárias bem gordas, quatro filhos e um marido que a mulherada amaria ter.

 

Friendship never ends

 

Mesmo separadas, as Spice Girls conseguiram ser bem-sucedidas, em curto e longo prazo, nas respectivas carreiras solos. Algumas se destacaram mais que as outras, claro, isso era evidente até mesmo quando as cinco subiam nos palcos juntas. Geri sempre foi a mais querida, não tem como evitar, assim como Mel C e Emma.

 

As Spice Girls tiveram seus barracos internos, mas nunca oficializaram o fim da girl band. Quando uma integrante começa a ter mais destaque que a outra, o negócio desanda. Um exemplo bastante atual foram as Pussycat Dolls. Nicole era a única que cantava e as outras meninas ficavam de assistente de palco. Isso gerou muito conflito e algumas delas acabaram por sair do grupo.

 

Mesmo com a saída de Geri, as Spice Girls não desistiram. Em 2000, o quarteto lançou o terceiro álbum chamado Forever, cujos singles foram Holler e Love Lead the Way. Elas voltaram na pegada dos quatro elementos da natureza, a fim de transmitir a ideia que juntas elas conseguiriam ser fortes. Infelizmente, o álbum não atingiu o mesmo sucesso dos dois antecessores e elas largaram o projeto de mão por causa das vendas e da pouca publicidade.

 

Depois do fiasco razoável de Forever, as garotas declararam o hiatus das Spice Girls. A Spicemania viu a luz no túnel em 2007, quando foi oficializado o retorno do quinteto. Para lançar o Greatest Hits, as garotas apimentadas empacotaram as coisas e voltaram aos palcos para uma turnê memorável. O single que anunciou a reunião foi Headlines (Friendship Never Ends), que trouxe Geri de volta para loucura dos fãs. Lembro que fiquei estarrecida ao vê-la no grupo mais uma vez.

 

 

Spicemanina – Viva Forever

 

As Spice Girls é um grupo eternizado e que dificilmente recusa uma aparição, como aconteceu nos Jogos Olímpicos deste ano. O segredo é insistir e muito! Victoria Beckham é a única que aparenta ter vergonha do passado, por mais que jure que não, pois ela não me pareceu nada feliz ao ter se apresentado na festa de encerramento em Londres, com as “amigas” de estrada. Com ou sem a Posh Spice, as outras apimentadas não botam empecilhos para engatarem um novo retorno e nós agradecemos e muito por isso.

 

Enquanto mais uma união das Spice Girls não acontece, as garotas continuam a ser uma tendência mundial, mesmo longe dos holofotes. Praticamente seis anos depois da estreia da girl band, não existiu nenhuma outra boa o bastante para tirar o legado delas. Sou grande fã das Girls Aloud, mas, nem com Cheryl Cole, elas conseguiram desbancar a Spicemania, por mais que sejam ovacionadas em solo britânico.

 

Nenhum grupo feminino ganhou tanta atenção comercial e da mídia como o quinteto que inspirou uma legião de fãs e virou um exemplo a ser seguido. Além de terem os figurinos na lupa da moda e motivar bandas de meninas a se exporem, as Spice Girls figuraram em inúmeros produtos, como bonecas e o inesquecível pirulito que bombou na década de 90 (quero eles de volta. Comprava aos montes por causa dos cards, gente!).

 

A importância das Spice Girls para o mundo da música nos anos 90 as tornaram símbolo de uma revolução musical para garotas e um fenômeno da estirpe dos Beatles. Ninguém dava nada para cinco meninas fofas que cantavam, dançavam e distribuíam sorrisos, como se fossem fúteis. Mero engano! Sem elas, não haveria o Girl Power e nem motivo para se orgulhar em ser uma dama.

 

Elas foram pioneiras em dar uma nova cara para a publicidade e acabaram criticadas por assinarem contratos, um atrás do outro, com grandes empresas. Mas quem se importava com isso?

 

Ao contrário do Five, que ainda não sabe se volta ou não, as Spice Girls possuem um grande projeto para o final deste ano, o esperado musical Viva Forever: The Spice Girls Musical. O trabalho não será um retrato da vida delas, mas sim, uma apresentação com os hits do quinteto, bem no estilo de Mamma Mia, em homenagem ao ABBA.

 

Nota da Random¹:

 

Músicas de destaque do álbum Spice: todas

 

Músicas de destaque do álbum Spiceworld: todas, mas, especialmente, Never Give Up On The Good Times, Move Over (usado na propaganda da Pepsi), Denying;

 

Músicas de destaque do álbum Forever: Tell Me Why, Get Down With Me e Weekend Love.

 

Não se esqueça de ouvir os hinos da Spicemania: Goodbye e Headlines (Friendship Never Ends).

 

Como foi a nostalgia anos 90 ao lado das Spice Girls? Confesso que me lembrei de muitas coisas que não fazia ideia que ainda recordaria. Encontrei até meu VHS que tem um show delas gravado, transmitido pela Globo (fiquei aborrecida nesse dia, porque a apresentação passou de madrugada e eu tinha aula no dia seguinte).

 

Eu simplesmente amei fazer os dois posts das minhas eternas garotas apimentadas e espero que vocês tenham gostado também. Comentem, chorem, gritem…Tudo é permitido!

 

Na próxima terça-feira (18/09), o post será dedicado ao Westlife.

 

Nota da Random²: os vídeos foram retirados do YouTube e eles podem ser excluídos a qualquer momento.

Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Dácioo, tudo bem? Adorei seu comentário *_*

    Elas possuem uma amizade lindíssima e lamento mto pela Vic não querer fazer parte disso. Sei lá, é como se ela tivesse vergonha ou algo do tipo =[ Mas eu espero vê-las brilhar de novo, nem que seja em uma turnê minúscula. Sonhar em vê-las ao vivo é um sonho a ser consumado, mesmo que seja impossível Hahahhaahah

    Grande Beijo!

  • Dácio Ivan Ivan

    PARABÉNS E MUITO OBRIGADO POR NOS PRESENTEAR COM ESSE POST STEFS!
    AO CONTRARIO DO QUE MUITAS PESSOAS ACHAM, AS SPICE GIRLS NÃO SÃO EXCLUSIVIDADE DAS MULHERES, NOS HOMENS TAMBÉM NOS APAIXONAMOS POR ELAS, EU QUE O DIGA, TODOS OS DIAS ABRO O GOOGLE BUSCANDO NOTICIAS DELAS, O QUE ME EMOCIONA É VER QUE MESMO SEPARADAS MUSICALMENTE, A EMMA, MEL C. E GERI SÃO EXTREMAMENTE AMIGAS, VIVEM POSTANDO FOTOS JUNTAS NAS REDES SOCIAIS.!!
    GRANDE ABRAÇO! E VIDA LONGA AS APIMENTADAS..!!

  • Anônimo

    as cantoras principais do grupo eram Mel B , Mel C e Emma Se ouvir bem geri tbm participava bastante mas victoria sempre ofuscada pelas outras nao so no palco como nas musicas tbm apesar de teruma voz legal, mas as vozes mais notaveis e melhores eram das Mel's , Mel B e Mel C , Mel B Conseguia atingir qlquer tom de qualquer musica , podia se a adaptar a qlqer som , tanto num tom mais grave qnto num mais agudo, ja Mel C tinha sua voz bem peculiar e unica.
    tanto que as 2 sempre dividiam os solos vocais das musicas em maioria… Emma tbm tinha uma voz bem peculiar e bem doce não atoa o apelido baby spice,ja geri e victoria eram um pouco mais fracas musicalmente falando ,geri compensava com sua extravagancia que todos gostavam e sem duvida por isso foi a spice mais marcante, victoria cantava em musicais antes mais nunca foi muito versatil.
    mas para quem acompanhou na epoca viu em documentarios fica bem claro que as lideres do grupo eram sem duvida nenhuma Mel B e Geri,alem de tudo as 2 eram melhores amigas, tomavam decisoes,e como as outras spice diziam qndo entravam em acordo nada podia parar elas 2, mas qndo em conflito parecia uma bomba.
    muito bom o post parabens. minha infancia foi com essas garotas , eu era apaixonado por elas.ainda mais depois que vi um pouco de um show que passou no fantastico delas cantando naked semi nuas em cadeiras, ai gamei de vez kkk, bem nostalgico mesmo.
    vlw

  • Amo-as! Amo amo amo!
    Pra mim, são inesquecíveis!

    • Ownnnnnnnnnn sempre inesquecíveis! Elas precisam de turnê no Brasil, isso sim. HUAHUAAHAHHAU