Menu:
20/set

Semana passada, eu contei para vocês a importância dos 15 minutos mágicos de Rosanne Bane, a pausa que pode ajudá-lo na criação ou atualização dos capítulos da sua história. Incrementada à escrita criativa, não há mais desculpas para enrolar na produção de uma ótima trama para a fanfic ou algum enredo original. Tudo soa perfeito, porém, há outra coisa que pode empacar o processo de escrever: a publicação. Como todo mundo não sai da frente do computador, eis que apresento o grande impasse da vez, o receio (ou vergonha) de postar textos online.

 

Algumas pessoas escrevem fanfics por diversão (e por amar demais um fandom), outras porque querem praticar o ato de escrever. Mas, o que acontece quando uma review bem mal-educada de um leitor aparece para fazer com que você perca a animação em continuar a postar a história? Há também aquele problema de fazer um blog e postar diferentes textos sobre determinado assunto, poemas ou até mesmo resenhas de série, como eu faço aqui no Random, e aparece alguém para te trollar? Chato né?

 

É difícil fugir dos pentelhos de plantão, que aparecem para dizer que a escrita está horrível ou coisa muito pior. É desanimador! Eu sei que é!

 

Escrever pode ser até fácil para algumas pessoas, mas acho que a parte um pouco mais complicada é compartilhar textos em redes sociais. Eu tenho receio de fazer isso até hoje, acreditam? Com fanfics é até mais fácil, pois o nickname dá certa imunidade, além de me fazer anônima para o mundo (ok! Nem tanto!). Só as amigas sabem o quanto é um parto para eu divulgar alguma coisa que escrevi. Quem não tem esse receio, certo?

 

Primeiro de tudo: esqueça os julgadores de plantão. Eu sei que não dá para evitá-los, mas, se você tem interesse em praticar a escrita e explorar novas ideias, não tenha vergonha de fazer isso. Se não estiver pronto para se abrir para o mundo, deixe o blog no privativo e convide os amigos próximos para dar uma lida.

 

Saiba que publicar textos online é um grande passo, pois você estará mais suscetível às críticas e piadinhas. Escrever fanfic e assinar com um fake name é uma coisa. Ter um blog ou divulgar resenhas com seu nome verdadeiro é totalmente diferente. Se a intenção é publicar um livro em uma editora conceituada o impasse é maior, como se todos soubessem quais são suas intenções e desejos, o que o faz empacar no meio do caminho.

 

Tenha em mente que a reputação online não acontece apenas por causa de um texto bonito, com as regras gramaticais obedecidas e muitos likes no Facebook. Lembre-se que, tudo na internet é questão de visual, ou seja, as pessoas querem explorar site e blogs bonitos e organizados. Ter um blog não é apenas digitar, copiar e colar o que você escreveu no editor de texto e clicar em publicar. Ninguém vai te descobrir por sorte nas buscas do Google.

 

Pensando nisso, leia as dicas abaixo e tenha uma base com relação à maneira de publicar textos online e ter um blog/site preparado para abrigá-los:

 

1. Se a intenção for entrar em contato com algum blog, site ou revista online para ter um texto publicado, tenha em mente que, provavelmente, você não será escolhido logo de cara. Muitos meios de comunicação online são mais exigentes que outros. Digo isso por experiência própria! Se você é daqueles que gosta do veículo impresso e quer enviar um texto, não o poste primeiro no veículo online, pois ele deixará de ser inédito, mesmo que esteja no seu blog pessoal.

 

2. Faça amizade com a formatação. As orientações no progresso do TCC não foram inúteis, pois o texto justificado ajuda e muito na leitura. Eu abandono qualquer texto quando ele não está alinhado, pois parece que há uma descoordenação de ideias (mesmo que ele esteja muito bem escrito), além da sensação de bagunça com as palavras deslocadas. Outro ponto importante é o layout do site/blog que conta e muito para os visitantes permanecerem na página. Não configure o blog com fundo amarelo e fonte vermelha. Além de lembrar o McDonald’s, você deixará o visitante cego.

 

3. Faça do ato de escrever uma atitude organizada. Seja cuidadoso, especialmente, na questão das páginas internas do blog/site. Se você gosta de poemas, crie uma tag para que os leitores os encontrem com facilidade. O mesmo vale para histórias, contos, resenhas, colunas, artigos, etc. Quanto mais organizada a “moradia” dos seus textos for, mais os visitantes te farão companhia.

 

4. Link building é tudo nessa vida, então, relacione-se online e compartilhe suas ideias. Não tenha medo de linkar sites que tenham algum texto seu publicado ou que tenha a ver com sua linha editorial, independente da popularidade dele (peça autorização antes!). Essa atitude dará reputação para o blog/site, pois os visitantes verão que você tem textos em outros lugares e parceiros que o acompanha.

 

5. A reputação é a primeira coisa pensada por uma pessoa que quer um site/blog, no intuito de ser reconhecido. Hoje, pensar na diversão de escrever é algo raro, pois a maioria dos seres humanos que entram no universo online querem ser web celebrities de uma hora para a outra e ganhar dinheiro fácil. Assim, escrever se torna uma obrigação, pois o cidadão/cidadã fica bitolado em querer ser pop e não faz nada bacana. Seja sério, mas seja natural! Tratar bem os usuários também gera uma boa reputação e eles divulgarão o site/blog por aí.

 

Se o desejo é ser visto como um escritor respeitado na web, ter um site/blog só para os seus textos é uma ótima opção. Que tal fazer um site oficial? (leia-se: comprar um domínio. Algo que preciso fazer). Se você manda muito, mas muito bem, não hesite em fazer isso.

 

6. Está a fim de gerar um buzz para o seus textos? Houve uma época em que os ficwriters costumavam postar trailers que antecediam a história (não sei se ainda continuam com a ideia, pois parei de fazer isso por achar desnecessário) e você pode fazer o mesmo ao apresentar uma pequena sinopse do seu manuscrito para testar o efeito que ele causa.

 

É extremamente importante que no seu blog/site haja os botões das principais redes sociais para que os visitantes deem os almejados like, share, g+1, etc. Só assim os resultados serão ranqueados.

 

7. Se você é um escritor que quer um livro publicado, não há necessidade de postá-lo online na íntegra, a não ser que os likes e os shares tenham superado suas expectativas. Muitos agentes literários não querem ver mais que uma sinopse ou um primeiro capítulo publicado em um site ou blog. Ao publicar o excerto da obra, não se esqueça de deixar todas as informações do projeto.

 

O mesmo vale para os ficwriters que não aguentam a emoção e publicam 5 capítulos de uma vez só, sem dar tempo para que os leitores degustem a história. Atualizações muito rápidas não deixam a trama esfriar e, se for muitos capítulos por dia ou semana, o leitor ficará com preguiça de ler. Aquele que gosta da fic e está atrasado na leitura agradece e muito as pausas do ficwriter. Se o autor atualiza o texto com frequência, é provável que o leitor espere a fic chegar ao fim para depois dar continuidade à leitura.

 

Outra coisa que gosto muito na questão no universo das fanfics é o disclaimer ou ficha técnica. Isso é importante, ainda mais em lugares como o FanFiction.net. Não adianta colocar apenas a descrição da sinopse na caixinha permitida pelo site e selecionar os personagens principais da história (no caso do FF, só dá para escolher dois). O estímulo do interesse pela história pode acontecer pelo meu amado e querido disclaimer.

 

Disclaimer retirado do FanFiction.net (do ex-marido de fórum, oito anos atrás)

 

A ficha técnica é colocada antes do prólogo ou do primeiro capítulo (uma única vez) e tem o nome da fic, gênero, universo (no caso de Harry Potter: Era dos Marotos, Nova Era, etc.), os casais (este é o ponto mais importante para leitores de fic serem atraídos para sua história, pois nem sempre um casal fica em foco em uma trama de mais de 10 capítulos), a sinopse e os avisos (se é para maiores de idade, se terá cenas de violência, sexo ou shippers inusitados, censura, etc.).

 

O mesmo pode ser feito com uma história original. Um bom disclaimer atrai leitores.

 

É difícil seguir todas as regras, pois nem sempre temos coragem para publicar textos online. Quem posta uma coluna ali ou uma resenha aqui, não esconde o medo de que algo tenha saído errado e que o texto não ficou bom. Sem contar a quantidade de F5 a todo instante para saber se alguém apareceu para elogiar ou dar pitaco na publicação.

 

Bom, se você é aspirante a escritor, independente do gênero, o segredo é arriscar. Como diria Miguel de Cervantes: “Somente quem tenta o ridículo consegue o impossível”.

 

Vamos compartilhar textos online? Se você tem um blog bacana e quer espalhar a palavra pela rede, deixe um comentário para que nos tornemos parceiros.

 

Gostaram da dica de hoje? Mão na massa galera e não se esqueçam de ir me visitar na página do blog no Facebook para me contar sobre suas evoluções.

 

xxx Fotos: Tumblr | Fonte: Writer’s Relief

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3