Menu:
24/out

Karen Gillan foi responsável em dar vida por duas temporadas e meia a minha inspiração da semana: Amelia Jessica Pond aka Amy Pond codinome The Girl Who Waited, a última companion até então da série – que tanto amo – Doctor Who. A inserção da personagem gerou vários burburinhos no Reino Unido, por acharem a ginger sensual demais para um programa televisivo que sempre foi voltado para a família. Nesse ponto, até concordo, pois achei que a jovem seria mais uma apaixonada pelo Senhor do Tempo. Por sorte, esse embaraço não ocorreu!

 

Quando Amy apareceu pela primeira vez em Doctor Who, na versão crescida claro, ela apresentou um appeal muito diferente. Rose e Martha se apaixonaram pelo Doutor e as ruivas representadas por Donna e Amy só faltaram jogá-lo em uma lata de lixo e rolá-la ladeira abaixo com ele dentro (em nome da amizade!). Ambas preferiram ser devotas ao alienígena a caírem na besteira de amar quem não podiam ter. A importância que elas deram ao Senhor do Tempo partiu da ingenuidade, pois Donna já não tinha mais esperança com a vida e Amy mal sabia quem realmente era até seu amigo imaginário voltar para buscá-la.

 

Além disso, Amy tem o que o Doutor ainda não teve: cabelos ruivos.

 

Ao contrário das roupas 2005 de Rose Tyler, Amy trouxe um estilo mais adolescente para a série. Eu a considero a criação mais isolada com relação às outras companions da versão moderna de Doctor Who, com traços joviais e um figurino que se resumiu a pernas de fora. Sem contar, que ela deu um novo viés à trama, uma história inédita, cujas revelações ao longo dos episódios me deixaram de queixo caído. Posso até arriscar e dizer que a ruiva foi responsável em trazer novos whovians para o seriado.

 

A popularidade ainda ficou maior quando Karen Gillan, Arthur Darvill e Matt Smith se tornaram o trio de hipsters mais amados da televisão britânica (Karen and the Babes), por terem levado uma grande amizade para fora das telinhas. Aliado a esse fato, as melhorias nos efeitos especiais de Doctor Who (muitas pessoas não conseguem assistir a série desde o começo por achar grotesco. Conheço gente que começou de traz para frente) acarretou no boom do seriado.

 

Mas o que faz de Amy Pond uma inspiração não só pessoal como fashion para a Random Girl?

 

Amy é símbolo de aleatoriedade. Ela achava que gostava do Doutor até escolher Rory Williams. Uma hora ela era emotiva demais e depois virava um iceberg. De uma garota sozinha, ela se tornou uma companheira da TARDIS, casou e teve uma filha viajante do tempo, a linda e perfeita River Song. Por trás do rosto bonito, havia uma garota apaixonada por história e arte, e que virou jornalista no final das contas.

 

Para quem não tinha nada em mãos, ela construiu a melhor família do tempo e do espaço, casou com o homem que fez tudo por ela e teve uma conclusão perfeita e, ao mesmo tempo, muito triste.

 

Para poupar palavras, vocês podem ler a minha review chorosa sobre o último episódio – até agora – da sétima temporada de Doctor Who. É muito amor para pouca Amy Pond (e os Pond em si).

 

Vamos falar do estilo da minha companion favorita e que é a inspiração do dia?

 

 

1º: Amy Pond usou e abusou de meias-finas coloridas com saias ou shortinhos. Para concluir o visual, ela sempre usava coturnos, botas de couro ou aquelas de modelo cowboy, além do amado all star de cano médio. Desde a quinta temporada, a ruiva apresentou uma transição de estilo, o que fez de Karen Gillan um ícone da moda britânica.

 

Entre tentar agarrar o 11º Doutor, sentir a gravidade de pijama e ser sedutora, cara de pau e dona de um humor ácido (e escocês), a jovem inseriu ao guarda-roupa de muitas fãs da série esses itens junto com as jaquetas de couro ou jeans, casaquinhos mais cotidianos,  camisa xadrez, cachecóis e até vestidinhos com estampas românticas.

 

 

2º: Amy Pond refrescou minha memória com relação ao uso de esmaltes. Eu vivi meses com preguiça de fazer as unhas nos finais de semana, tudo por causa do clima infernal do TCC. Eu sempre ficava entre o vermelho ou o pink para dar uma disfarçada, mas a ginger me deu um leque de opções de cores fortes e vibrantes. Para ela, não é nenhuma vergonha ter as unhas pintadas de azul, amarelo, laranja, vermelho, rosa, verde… Em cada episódio, minha amada companion sempre estava com as mãos chamativas em tons diferentes. Assim como as saias, meias e botinhas, os esmaltes de Amy Pond foram bastante imitados.

 

Além disso, os batons nos tons de vermelho e rosa fechavam o look da ginger. Essas cores foram mais usados na sétima temporada de Doctor Who, onde Amy estava muito bem casada, mais velha, na casa dos 30 anos, com uma expressão muito mais madura. Nessa Era da personagem, ela apareceu com os lábios marcados em tons fortes, como os citados acima.

 

Às vezes, penso que Karen colocou muito dela na personagem, pois da mesma forma que vimos Amy toda fashionista, a atriz aparece em eventos da mesma forma. A única diferença é a preferência de Karen por saltos, sapatilhas e Oxfords – este último item Amy Pond usou nos episódios finais do seriado.

 

 

3º: Amy Pond é ruiva e isto me faz ter inveja. Eu sofro da síndrome do Doutor em querer madeixas vermelhas, mas ele tem maior probabilidade de conseguir isso mais rápido que eu. Karen Gillan merece all the awards por um cabelo tão perfeito. Muitos fãs ruivos de Doctor Who a agradeceram pelo ginger pride e eu não agiria muito diferente se tivesse sido abençoada com esse tom de cabelo.  A vida é injusta quando olho para Karen.

 

Sabe a questão da genética injusta que Asma defende? Então, ou você é ruiva ou você é bonita, mas a atriz nasceu trabalhada no egoísmo, pois ela é tudo isso e, de grátis, tem a altura a seu favor. Não é à toa que antes de emplacar como atriz, Karen foi modelo de passarela.

 

 

4º: Bijuterias de prata são bregas, pois Amy Pond é rica e usa joias douradas. O anel de noivado sempre foi o destaque da personagem, mas ela sempre usou o colarzinho muito fofo com a letra A, pulseira, brincos pequenos e o discreto relógio que girava no pulso dela. The Girl Who Waited não poderia sair com bijus maiores, pois ela era uma companion, mas, na simplicidade da escolha, eis que a identidade de Amy foi montada por meio de peças delicadas.

 

Amy Pond é uma personagem incompreendida e isso a fez inesquecível e uma inspiração para a Random Girl. Não só a personagem, como Karen em si, por sempre ser tão transparente com os fãs, se apresentar sempre de bom humor, mesmo quando o dia está péssimo, e por ter dado vida a mais uma garota incrível da qual me identifiquei em muitos momentos, até o fim.

 

Crédito das imagens: divulgação | @KarenGillan2. Edição: random girl

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Joyce Kath

    Ah, a Amy! Me identifico e admiro demais. Melhor companion!!!

  • heyrandomgirl

    Hey, Vanessa, tudo bem? Fico MTO feliz que tenha gostado do post, de verdade *_*

    O bom de se vestir que nem a Amy é que dá para fazer isso todossss os dias, pois ela tem look para qualquer estação do ano. Eu não sei onde vc mora, mas, aqui em SP, há bastante lojas no centro, como também dá para encontrar roupas mto bacanas em lojas de departamento como a Renner e a C&A. Sempre tem camisas xadrez, regatas mais lisas, e calças skinny. Tudo bem que tem peças que podem ser um pouquinho mais carinhas, mas isso depende de onde vc mora.

    Espero ter ajudado. Qualquer coisa pode perguntar, viu?

    Beijão!!! :DDD

  • Vanessa

    Hey! AMEI sua postagem! Eu estava pensando em fazer o cosplay de Amy, mas não tenho a menor ideia do que vestir :/ Não tenho muitas coisas que a amy usa, portanto eu vou ter que comprar (exemplos: camisa xadrez, cachecol, só da parte de blusas e jaquetas, tirando a de couro) Você poderia me dar uma dica de onde eu posso comprar alguma coisa que pareça da Amy? Ou se você tem uma sugestão de qual "época" da Amy eu possa fazer cosplay :)
    Bjbj :*

  • A Karen é linda demais! Como ela consegue isso?!?
    Estou morrendo de saudade dos Ponds! =/

    Estou vendo se ano que vem tento deixar meu cabelo parecido com o da Karen, mas isso é um pouco (muuuuuito) dificil. Vamos, vou tentar, né?
    Amei o blog, além das artes do Flickr. Parabéns!

    Beijos, Talita M.
    (http://mileduascoisinhas.blogspot.com.br)