Menu:
04/out

Vamos bater um papo literário sobre “as pessoas” que contam uma história para você. Mas, antes de abrir a mesa de debate, quero deixar bem claro que não vou criticar nenhum dos dois livros que usarei como exemplo neste post, até porque não faz nenhum sentido. Se é uma coisa que desaprovo de cabeça erguida são essas comparações desnecessárias entre obras de autoras/autores diferentes, cujos universos não remetem em nada entre si.

 

Não é de hoje que me incomodo com livros que são escritos em primeira pessoa. Eles tendem a ser chatos para uma leitora curiosa como eu, que prefere obras escritas em terceira pessoa. Eu gosto do narrador intrometido, que sabe o que todo mundo pensa, como vive, o que esconde, entre muitas outras coisas, dentro da trama.

 

Para exemplificar melhor o que eu quero dizer, citarei como exemplo nesta postagem dois títulos que são muito populares, tanto no exterior quanto no Brasil.

 

A trilogia Jogos Vorazes é uma excelente obra, não tem como contestar, criticar ou se estapear para dizer o contrário. Os livros entraram para os favoritos da minha prateleira. O universo criado por Suzanne Collins faz todo sentido, em nenhum momento me decepcionou e me apaixonei por grande parte dos personagens (Haymitch, seu lindo!). Porém, admito que poderia ter uma narração e um envolvimento muito melhor se fosse em terceira pessoa.

 

Eu gosto da Katniss e tudo mais, é uma das heroínas das quais me identifico bastante, mas, conforme eu lia, especialmente Esperança, batia o desânimo, pois a narrativa dela nunca acabava. Havia momentos que não dava para ler o livro sem largá-lo por umas boas horas, pois estava cansada de saber como ela pensava e como ela via os problemas da Capital, do Distrito 13 e a maneira como a personagem lutava contra os sentimentos conflituosos com relação a Peeta e Gale.

 

Na minha opinião, o livro seria muito mais promissor em terceira pessoa, pois saber de tudo o que acontece no ponto de vista de uma pessoa chega a dar sono. Ainda mais com um conteúdo tão interessante que Collins moldou perfeitamente, de forma bem criativa. Katniss conseguiu me aborrecer, por mais que a história estivesse interessante.

 

Eu sei que Peeta sempre foi muito claro sobre seu amor pela garota, mas será que ele sentia um frio no estômago toda vez que a via? A boca seca? O desespero por saber que Katniss, provavelmente, nunca o corresponderia? As mãos trêmulas? Esses são itens que eu gostaria de saber do ponto de vista dele. Sem contar que adoraria e muito ler o que se passava na cabeça do personagem em Esperança.

 

Se você ainda não o leu, não continue, pois a partir do próximo parágrafo, há spoilers.

 

Peeta estava, literalmente, robotizado para odiar Katniss. Tudo bem que foi interessante a jogadinha “verdadeiro ou falso”, mas eu queria vê-lo trancafiado, em conflito com os próprios sentimentos, preso à desconfiança com relação à amada. O mesmo vale para todos os personagens da trilogia. Com certeza, eu teria chorado mais com o final de Finnick, se houvesse um viés mais profundo para a história dele e de Annie. Digo o mesmo para Prim, que teve um final muito oco, pois Katniss é desprovida de emoção – salvo o momento dela com a Rue.

 

A trilogia de Collins é um livro primoroso e a primeira adaptação cinematográfica ficou bastante fiel. Mas, em terceira pessoa, pelo menos para mim, a leitura seria mais proveitosa (embora eu tenha comido os três livros com mais fome que um leão, fato!).

 

Por outro lado, Cassandra Clare fez jus à vida de ficwriter, ao ter optado em escrever os Os Instrumentos Mortais em terceira pessoa. A protagonista Clary tem seu ponto de vista explorado, assim como dos Caçadores de Sombras. Os personagens de Clare são “opinativos” e não “cogitativos” pela lupa de outra pessoa. Eu gosto de saber como todos se sentem dentro de uma determinada situação, pois dá para ter preferência por um personagem de imediato. Confesso que ainda não li os outros volumes da “saga”, mas só em ser em terceira pessoa, minha leitura do primeiro livro rendeu muito mais e estou prestes a terminá-lo.

 

Ficwriters sempre têm o costume de escrever em terceira pessoa e isto vale para Cassandra, pois ela tem todo um histórico de escritora de ficção de fã (além de ser H² aka Harry e Hermione frívola), pois ela escreveu a popular e badalada fic The Draco Trilogy (que ela tirou do ar ao se tornar pop). Por mais que haja um personagem principal, os outros não estão de passagem e, com certeza, rendem alguma história para contar.

 

Para não dizer que não sei das coisas, eu escrevi apenas uma fanfic em primeira pessoa. Juro, parecia que alguém havia me lançado Crucius, pois foi muito difícil de fazê-la. Claro que estar acostumada em escrever em terceira pessoa contribuiu, mas “ser” a mesma personagem o tempo inteiro é muito monótono. E era assim que eu me sentia ao ler as palavras de Katniss. Talvez, o escritor/a acha melhor escrever em primeira pessoa, mas nada tira da minha cabeça que todos embarcaram nesta onda por conta de Twilight de Stephenie Meyer.

 

Desde Harry Potter, os livros obedeciam à ordem de serem em terceira pessoa. Vejam Tolkien e C.S. Lewis, eles também fizeram isso. Autores consagrados que respeitam o ponto de vista de seus personagens e dos leitores têm créditos comigo. Livros em terceira pessoa permitem que a imaginação se amplie mais, pois nos é mostrado diferentes universos, de acordo com os olhos de diferentes “pessoas”, algo que não acontece muito com livros em primeira pessoa.

 

Mas, o que importa no final das contas é que tudo é livro. Seja em primeira ou terceira pessoa, não hesito em navegar em novos universos, mesmo que eu chegue no final revoltada e com vontade de lançar a obra na parede.

 

Este post é mera opinião pessoal, mas se vocês quiserem compartilhar o que pensam são todos bem-vindos!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Oi Stefs, muito legal o seu post. Me ajudou a resolver um dilema que eu estava lidando. O primeiro livro da minha série Guerreiras de Gaia foi escrito em primeira pessoa, baseado nos diários da protagonista. Mas os outros serão em terceira pessoa. Obrigada!

    • Hey, Gisele, tudo bem? Fico muito feliz que meu post tenha ajudado *-* É sempre muito treta escolher o POV hahahahahaha

      Awn, muito sucesso pra vc e pra continuação do seu livro *-* Ainda mais por passar a impressão de várias personagens, deve ser demais <3

      Beijoss e volte sempre!

  • Vanessa Barros

    Engraçado, eu concordo contigo em vários pontos, mas sempre escrevi em primeira pessoa porque não conseguia parar de pensar no que eu queria dizer através daquele personagem, tipo a Katniss. Concordo que chega uma hora no Esperança que cansa, aquele dilema todo dela e tals. Mas agora, escrevendo o meu projeto para o TCC tá complicado porque acho que nunca escrevi algo em terceira pessoa, sempre fui para o meu lado da história e não para ver o de todos, sabe? Me sinto até um pouco egoísta assim xD

  • heyrandomgirl

    Ahhh fico feliz em poder ajudar *_* Depois me conte qual pessoa achou melhor Hahahahaha

    Beijosssssssssss!!

  • Gabriela

    Heey de novo! hehe. Então.. Obrigada mesmo pela ajuda, você foi muito clara,e atenciosa =) Estava precisando de uma segunda opinião.., vou fazer essa ideia do prólogo, que achei otima!
    Obrigadíssimo!

    Bjookas

  • heyrandomgirl

    Hello, Gabriela, tudo bem? Obrigada pelo comentário *_*

    Bom, ano passado eu escrevi um romance tão dramático, por
    assim dizer, que o escrevi inteiro em terceira pessoa Hahaha. A maioria dos
    romances costumam ser na 3ª pessoa, mas é aquela velha questão dos personagens e do tipo de trama que eles se encaixam. Se você acha importando dar direito ao ponto de vista para o casal, por exemplo, acho que compensa a 3ª pessoa, pois dá uma visão mais completa. Mas se for no estilinho Young Adult, tipo A Culpa é das Estrelas, pode ficar bem legal em 1ª pessoa tbm. Vale mencionar que vc precisa se sentir bem confortável entre um ponto de vista e outro. Uma dica que já me deparei por aí é escrever dos dois jeitos. Faça um Prólogo, quem sabe, em
    1ª e 3ª pessoa e veja qual fica melhor, qual vc desenvolve melhor e tals.

    Espero ter ajudado e qualquer dúvida é só chamar *_* Vou
    adorar ajudar!

    Beijossss!

  • Gabriela

    Hey Ca, como vai? adoreeei seu post, me ajudou bastante.. mas queria saber se para um romance, você acha melhor em 1ª ou 3ª?
    Bjss! adorei seu blog!