Menu:
18/dez

Amém pelo hiatus de The Vampire Diaries! Até aqui, só consigo dizer que a história começou bem, cheia de gás, dando uma esperança muito boa que tudo seria bem pauleira, mas, de repente, as coisas em Mystic Falls começaram a andar em câmera lenta, novos plots surgiram e a dedicação total ao triângulo amoroso desequilibrou todo o conteúdo da série. Está certo que a palavra “elo” serviu para dar uma guinada e sentido à trama, mas os detalhes se perderam, onde tudo ficou disperso e atado à Elena. Entre elo e cura, encerramos essa primeira fase da série falando de confiança.

 

Mas, antes disso, vou comentar algumas coisinhas. Muito bem! A quarta temporada de TVD começou com uma explosão, a transição de Elena e chegou à cura. Para não deixar o assunto morrer com a maré, a esperança de Stefan se moldou na possibilidade de tornar a amada humana de novo e esse desejo se intensificou quando a ligação dela com Damon veio à tona. Com muito drama, a cura e o elo uniram alguns universos, no caso de Tyler e Klaus. A partir daí, virou um Deus nos acuda, onde ninguém mais ficou como prioridade e tudo virou uma lambança. Até aqui, chego com uma ponta forte de decepção com relação à série.

 

Voltando ao episódio, gostei muito da parte representativa de Tyler e Klaus. O lobo mostrou suas verdadeiras garras no episódio anterior, submetendo seus amigos a ele, mas o papo não durou tanto quanto gostaria. Estou em choque até agora com o fato de Klaus ter sido apenas um joguete para dar continuidade ao plano do professor Shane que ainda é muito distorcido. E eu crente que o híbrido morreria! Klaus arrasou na cena em que deu cabo nos híbridos e eu não deixei de ligar esse fato com as mortes no Conselho. Damon comentou isso na casa do lago dos Gilbert e, talvez, possa até ser uma ligação para a bruxaria que promete agitar as coisas com o retorno da série. Como o padre Young disse, o Conselho seria só o começo do que estaria por vir. Mas o quê? Zumbis em Mystic Falls?

 

Depois da informação de 11 vítimas (não eram 12?) do Conselho para 11 híbridos mortos, pois ainda falta Tyler, certeza que há uma ligação. E nessa bagunça toda está Jeremy e Bonnie. Meu Deus! Eu não me conformei com a tentativa de trazer o irmão de Elena a vida chata de novo. Ele estava cheio de sangue nos olhos e eu achei isto master excelente, pois o personagem precisava de um upgrade. Ainda tenho fé que essa redescoberta de irmandade não dê certo, pois todos precisam odiar Elena. Jeremy representou mais um exemplo das mil facilidades na história de TVD que sempre bato de frente. Ele queria matar Elena e agora não quer mais. Que bagunça é essa, cheesus? Só porque o rapaz blaster bombado reencontrou o sentimentalismo em Bonnie, não quer dizer que ele mereça ser “meio caçador”. E tudo voltou a ficar azul e belo em clima natalino. Inaceitável!

 

Sem contar que o papinho do professore Shane sobre Silas e blá! blá! blá! não convenceria nem Matt que é, infelizmente, o mais perdido dos personagens. Se fosse tão fácil ter a cura, a série já deveria ter encerrado a história. Shane fez tudo soar muito simples e, o mais tenso, é que ele consegue iludir quem está em volta dele. Tipo, um novato no meio da bagunça e ninguém desconfia? Aham, chamem a Cláudia! Damon ainda se manteve relutante em acreditar nele, mas acabou engolindo a narrativa muito surrealista do docente sobre a localização da cura.

 

Está certo que o Salvatore tem os dois pés atrás com relação ao professor, o que é um grande avanço, mas cadê o lado investigativo do nosso querido vampiro? Sem dúvidas, ele já teria xeretado muito mais sobre a vida dele, pois Damon sempre quebrou limites, independente se ele gosta de uma pessoa ou não, ou se precisa protegê-la. Daí eu falo que o elo que o liga a Elena só fez morrer de novo o lado petulante e egoísta dele. Ou seja, a parte legal! Aquele que age por conta própria, encontra coisas incríveis e incita a trama a pegar fogo.

 

Por falar em elo, confesso que fiquei bastante surpresa com o comportamento de Damon. ‘Tá permitido ficar orgulhosa? As promos é algo assim… Muito enganosas, por isso evito ao máximo assisti-las. Sabem por quê? Porque é um truque para vender cenas e iludir o público. De certo, muita gente pensou que Delena se atracaria por causa da frase de efeito “me taca na parede e me chama de lagartixa”, o que deve ter decepcionado os fãs do casal. Mas eu não esperava que a separação deles fosse acontecer depois de dois episódios. Ainda defendo a minha ideia de que o relacionamento deles foi mal construído e se é para fazer amor por amor, deixasse os dois quietos no canto. Seria mais elegante!

 

Se era para satisfazer uma parcela de fãs, deveriam ter feito direito. Como vejo a série como um todo, longe dessa briga de casal, não vejo e continuo a não ver motivo de estardalhaço para Delena. Não é à toa que o ponteiro da audiência despencou dos dois últimos episódios para cá. Plec foi meio irresponsável em uni-los tão rápido, com um elo que era muito óbvio que viraria cinzas, mas ela simplesmente achou que ficou bonito e que seria um sucesso. Uhum! Na minha doce opinião, o lado tortuoso entre Damon e Elena é o que dá graça aos dois, aquela sensação de ser proibido, de querer tocar e não poder. Isso fazia do casal interessante de se ver.

 

E eu me senti muito confortável assistindo ao casal neste episódio. Damon me deixou feliz por apresentar um pouco de juízo, culpa e caráter ao perceber que não está confortável em enganar o irmão sobre a verdadeira situação entre Elena e ele. Foi bem bacana mostrar o quanto o Salvatore mais velho se sentiu incomodado, sendo que acreditei que ele chutaria o balde e realmente manteria a vampira em sua cama para sempre. Enfim, o respeito dele pelo irmão é algo que sempre vai prevalecer e, por eu ter uma irmã, jamais abriria mão de uma pessoa que cresceu junto comigo por um garoto que não vale a pena.

 

Por isso, faço das palavras de Jeremy as minhas: Elena destrói tudo. Tudo que ela toca, morre. A impulsividade dela e a ignorância de Damon em compartilhar seu sangue fez o casal perder um pouco do potencial. Neste episódio, deu para ver a verdadeira intensidade em Delena, aquele desejo de querer ficar junto e não poder, esse toque excêntrico que eu acho que torna os dois um casal intrigante. Como aconteceu no beijo never let me go dos dois na temporada passada, a força deles está aí, no proibido, no sacrifício. Elena sabia da linha tênue que existia com Damon, sabia que gostava de Stefan, mas arriscou e o beijou. E esse gesto eu achei interessante e honesto, pois quebrou todas as regras e o sentimento era sim verdadeiro e foi algo de tirar o fôlego.

 

E aí que Damon bateu no peito e abriu mão da garota que gosta. Todas as ironias foram deixadas de lado e ele colocou o irmão em primeiro lugar. The Vampire Diaries é sobre Defan, fim. Elena é apenas uma distração boba que deveria ser aniquilada por Jeremy o mais rápido possível ou por qualquer outra pessoa. O reflexo do elo entre os Salvatore, apesar de pesar mais para o lado de Damon, apareceu quando ele comenta que o Natal é a data infantil favorita deles. A relação de Damon e Stefan é conturbada sim, mas, no final das contas, o caminho deles sempre se encontra e eles se tornam essenciais um ao outro.

 

Eu lamentei por Damon ter libertado Elena. Não totalmente, pois se os dois episódios em que eles ficaram juntos fosse um combo completo de puro deleite, tudo bem, acho que até teria chorado, pois estou no auge da TPM, mas fiquei entristecida por ele ter se dado mal mais uma vez a troco de nada. Era óbvio que Damon levaria o mundo nas costas de novo e veria Elena partir. Se é para os braços de Stefan, não se sabe, e eu prefiro que isso nem aconteça. Que ela curta Bonnie e Caroline, se toque que está prestes a se formar, e largue do pé dos Salvatore. A quebra do elo para mim foi um alívio, pois oferece menos melodrama para uma trama que precisa urgentemente de muito mais ação.

 

Caroline foi a porta-voz no quesito confiança, mas acho que o momento para ela falar de Damon e Elena para Stefan não foi apropriado. Ela me irritou, sério! Primeiro porque de novo ela tem que ser efeito colateral de alguma coisa, tendo o pescoço quebrado por Hayley. Ela poderia continuar a falar mal de Elena porque estava mais conveniente e bacana. Não sei, eu fiquei meio dividida sobre o fato dela ter contado apenas com o silêncio sobre o envolvimento mais profundo entre Damon e Elena.

 

Sabe, tem coisas que amigos não devem falar sabendo o estrago que podem causar. Honestidade é tudo, mas dependendo da situação, ela pode esperar um pouco e eu senti isso no impasse Steroline. Stefan não tem uma boa reputação e ele ama Elena com todo seu coração. Ele botou um voto de confiança em Damon – que foi cumprido, mesmo ele não sabendo – e a ira dele pode fazer renascer seu pior (e melhor) lado que é o estripador.

 

Estripador, a palavra frisada por Klaus durante a festa organizada pela Sra. Lockwood. Parecia até que ele estava dando um recado sobre um possível retorno de Stefan a velha forma. Bem, eu não duvido que isso possa acontecer, pois toda vez que o Salvatore está sem Elena e se junta com o híbrido, as coisas saem do controle. Sem contar que foi tensa a maneira como ele se decepcionou com Damon. Honestamente, eu não queria vê-lo dessa forma por causa de Elena de novo. Foi de quebrar o coração a maneira como ele surtou pelo fato de Caroline ter contado indiretamente sobre o irmão e a garota que ama. Foi muita mancada!

 

O que me deixou enfurecida é que Caroline não falou que o fato de Damon e Elena terem dormido juntos foi antes deles irem atrás da bruxa para quebrar o elo. Isso eu achei uma falcatrua sem tamanho, pois tiraria o direito de Stefan agir como um louco. Eu fiquei parecendo àquelas malucas, abanando a tela do computador, como se assistisse a um filme de terror e tentasse avisar a vítima que o assassino está atrás dela. Nesse caso, eu queria mandar uma sms para o Stefan e dizer que Damon tinha quebrado o elo, que o irmão foi honesto, que tudo poderá voltar a ficar bem e que a cura voltou a ser trending topic. Enfim, eu achei uma injustiça que, claro, pegou mal para Stefan.

 

Levando para o lado triste da coisa, que dó da April, gente! Na hora que Caroline a hipnotizou, na hora a pulseira que Jeremy deu a ela me veio à mente. O que essa menina surtará, ainda mais por ter encontrado o caixão de Rebekah (amém, cheesus!), não está escrito no gibi. A jovem já estava meio desequilibrada, né? Bem que ela poderia fazer algo útil e tirar a estaca da vampira. Isso daria a chance de uma vingança entre irmãos e acharia isso muito digno, pois ajudaria a tirar o lado coitadinha, carente e injustiçado da loirinha.

 

Os pontos altos pertenceram ao Klaus e ao Tyler. Eu tenho muita pena do Original, sei que não deveria porque ele foi e é muito cruel com qualquer tipo de ser humano, e isso justifica sua intensa solidão. Mas tudo isso se supera com o sorriso que ele dá toda vez que vê Caroline. Achei um máximo ele bancando o Picasso ao pintar quadros deprimentes para caridade. Ele bem que tenta se redimir, mas ninguém o leva a sério por ele ser impulsivo e egoísta. Ninguém pensa em Klaus sem querer matá-lo.

 

Para começar, o banco de horas dos falecidos de Mystic Falls, um minuto de silêncio para a ryqueza da Sra. Lockwood.  Na cidade não é permitido ter mãe e nem pai, pois todos devem morrer em algum momento. Mas que a cena ficou muito boa, ficou sim. Klaus todo banhado de sangue incitando o ódio, não houve finalização mais decente para metade da temporada.

 

Para uma finale, achei o episódio morno. Teve todo aquele clima natalino bonitinho, mas a qualidade de TVD costumava superar expectativas.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Olá Random… finalmente poderei comentar sua review desse episódio, que pra mim foi o melhor de 2012. Ok, vamos lá:

    Uma das coisas que me deixou satisfeita foi o fato de que não teve sexo Delena como havia na promo. A partir daí passei a enxergar esse episódio com bons olhos, pois não estava nem um pouco a fim de ver eles transando novamente. Tyler a cada episódio que passa tem me impressionado, tô gostando muito do que os roteiristas estão fazendo com esse personagem, e espero que a morte da prefeita Carol esquente ainda mais a briga dele com Klaus.Caroline me chateou por ter abrido o bico sobre os híbridos pra Stefan, e por ter deixado a entender pra Stefan que Damon e Elena estavam juntos de uma maneira tão injusta, mas aí tem a seguinte situação: Stefan acabaria descobrindo de qualquer maneira, então é bom que ele saiba logo porque não é NADA justo que ele se mate pra achar a cura pra Eleninha enquanto ela fica lá transando com o irmão dele.

    Gostei muito dessa atitude de Damon de libertar Elena, porque aquela fase Delena tava um nojo, e é com muita tristeza que digo isso, porque é o meu OTP né… mas aí eu sempre vou escolher TVD acima de quaisquer preferência, então se Delena acabar pra série melhorar, pra mim tá ótimo.A cena da morte dos híbridos e a morte da prefeita foram as melhores partes ! Klaus roubou a cena, prefiro ele doidão do que um bobão apaixonado. É. Outra coisa que me deixou felícissima foi Stefan quebrando tudo, adoro quando ele deixa seu lado todo racional de lado e explode, como na época de rippah.

    Enfim, esse é meu comentário, desde já te desejo um ótimo 2013 e que Deus te abençoe muito. Beijos <3

  • Hey Random (:

    Existem várias coisas que eu realmente não gostei nesse episódio. Quer dizer, nos últimos episódios.
    Sou e sempre fui Delena, mas realmente a forma como juntaram os dois foi totalmente inesperada e até desnecessária para a série. Como você disse, a graça deles está no proibido e ao tirarem isso deles a relação ficou muito forçada, sem aquela naturalidade que sondava Stelena ou até mesmo Delena nas cenas de troca de olhares e indiretas. Pra mim a relação do Damon com a Rose foi algo mais verdadeiro do que o que ele teve com a Elena nos últimos três episódios.
    Ao contrário de ti, fiquei super revoltada com o fato do Damon ter demorado o episódio inteiro para quebrar o elo, porque eu sabia que isso iria f** com a relação dele com o irmão. Tudo bem que a série em si gira em torno dos conflitos entre eles, mas é foda vê-los brigando por uma garota que sinceramente não liga para o sentimento de nenhum dos dois a não ser o dela mesma, e isso faz dela muito parecida com a sua digníssima cópia, Katherine.

    Nesse episódio eu não gostei da Diva Caroline. Ela não tinha que abrir a boca para falar sobre esse assunto com o Stefan. Para mim ficou nítido nessa cena que o ódio dela pelo Damon foi maior que a razão, porque parece que ela se esqueceu que ele é irmão do Stefan e de qualquer forma a decepção seria muito grande, mesmo que não envolvesse o amor de uma mulher. Ela teria muito o que aprender com a Lexi sobre ser best friend de um ex-estripador!

    Pelo que eu vi do promo (não aguentei), não acho que Stelena voltarão a ficar juntos muito cedo. A dor que ela causou em Stefan é muito grande (pelo menos é isso que o personagem passou para mim), e ele não vai simplesmente, de uma hora para outra, esquecer tudo que aconteceu e se entregar à um Happy Ending com a insuportável da Elena.

    Estou e não estou ansiosa para saber o desfecho dessa temporada, e sei que muita coisa ainda vai rolar, só espero que consigam dar um final digno para a Quarta Temporada, porque se for para continuar assim é melhor parar por aqui.

    Beijos, sua linda :)

    • Concordo plenamente contigo sobre a relação Delena. Se bobear a Elena foi até mais verdadeira com o pobre Matt que com o Damon. Um casal que tinha tudo pra bombar por ser algo tão esperado pra muita gente acabou sendo um fiasco total, é.

      Eu tentei ficar com raiva do Damon por ele não ter quebrado o elo logo de cara, mas eu até compreendi. Ele gosta da Elena e, por mais que colocasse o irmão no topo de suas prioridades, ele nunca teve essa felicidade de ter a garota :( Por mais que só o fato dele pensar em ficar com ela e botar tudo a perder com Stefan, realmente é digno de raiva, mas ele voltou atrás e quebrou essa macumba toda. Pelo menos, ele mostrou dignidade no final das contas, algo que geral achava que ele não teria Hahahahaha

      Ahhhh!! Fiquei contente por não ter gostado do comportamento da Caroline. Ela foi mtoooooooooo inconveniente, mammy :( Ela agiu realmente pelo ódio por Damon que em respeito por Stefan. De verdade, ela tem mto o que aprender e digamos que o passado dela de ~ tema de hoje ~ pra botar fogo na vida alheia não ajuda mto em seus impulsos. Ela acha que tá protegendo, mas na verdade tá piorando tudo.

      Eu espero que Stelena não volte nunca mais HAHAAHAH depois dessa cachorrada, eu até queria que nem Delena acontecesse mais. Sou total a favor de casos gays pq tá um saco esse triângulo Hahahahahahahaha

      Eu queria estar ansiosa que nem vc, mas confesso que não estou. Já estou preparada para as coisas melhorarem só do episódio quinze em diante, porque do jeito que tá, pior não fica Hahahahaha

      Beijos gatchenha!