Menu:
27/jan

E foi dada a largada na corrida pela cura. Só faltou a narração do Galvão Bueno para dar mais força a situação de pega-pega neste episódio de The Vampire Diaries. A trama já se apresentou cheia de gás, onde Jeremy e Matt fugiam dos vampiros recém-criados, graças ao mandato gentil de Klaus e sua pressa em ter a tatuagem do caçador formada antes do Natal. Uma coisa que achei legal foi terem aproveitado o gancho do último episódio para dar introdução a este, com um pouco de flashback do antes e depois do Team Klaus, que emendou com a chegada de Elena pós-declaração ao Damon.

 

Para começar bem este review, vou dar ibope para Elena mais uma vez, porque é sempre bom falar mal dela ou não teria graça. Só de vê-la sair com as mãos abanando sem Damon e Stefan, valeu o episódio inteiro. Sério! Foi patética a fina esperança que Elena teve sobre o fora que recebeu do Salvatore mais novo ao achar que Rebekah o hipnotizou para dizer aquela “barbaridade”. Sem contar a expressão tristonha dela um tanto quanto inadmissível para quem escolheu com quem quer ficar. O discursinho sem pé e nem cabeça sobre Stefan agir daquele jeito para puni-la foi o auge da forçada de barra para uma personagem que está apaixonada por outro. Ela deveria ter ficado feliz pelo desprezo de Stefan, não? Nessas horas, acho que nem os produtores lembram que criaram o elo, pois Elena ficou muito preocupada com o descaso do Salvatore mais novo, sendo que se declarou para outro, cheia de uma certeza que nunca existiu.

 

Mas Elena teve sua inutilidade frisada ao ficar atrás de Jeremy que nem um cachorro corre atrás do próprio rabo, sem contar sua insistência que já ficou chata demais atrás de Damon. Achei o cúmulo na hora do aperto ela correr atrás de Stefan, como se fosse a donzela indefesa (que negativa mais linda foi essa da parte dele, hein?). Fico cada vez mais passada como Elena ainda age como humana, com o diferencial de só ter as presas e ser mais ágil em quebrar os pescoços. Atitude mulher! Essa fraqueza de Elena é, em parte, culpa dos Salvatore que a vangloriaram demais. Uma hora ou outra eles teriam que ver o calo apertar e foi exatamente isso que aconteceu neste episódio.

 

A começar por Damon que caiu na emboscada do meu lindo, maravilhoso e irresistível Kol. Foi ridículo o Salvatore se comportar teoricamente bem diante de Elena e depois mudar da água para o vinho dando espaço aos seus verdadeiros instintos. Pelo menos, o vampiro manteve a boa índole ao proteger o irmão da amada contra as decisões nada pertinentes de Klaus (com direito a vários momentos de resmungos engraçadíssimos, diga-se de passagem). Mas, o que me fez refletir, foi Kol sussurrar como um belo capetinha no ouvido de Damon de que o irmão de Stefan não hesitaria em aniquilar Jeremy, pois o menino é o único resquício que impede Elena de agir como vampira. Tudo bem que eu não engulo essa desculpa nem a pau, porque com Jeremy ou sem ele, ela continuará com as crises existências de que ninguém a ama ou de que é sempre vítima, que o mundo é injusto, etc., mas Damon tentou negar, mas senti que, se fosse permitido, ele descartaria Jeremy sem pensar duas vezes.

 

O Salvatore mais velho ama Elena. Por isso, ele não hesitaria em tê-la só para si. É um amor possessivo que Damon tem por ela e ele já demonstrou isso inúmeras vezes. O que ele sente pela jovem só se ampliou por conta do elo e das declarações amorosas dela, e não acharia nenhum absurdo se Damon ficasse na posição obcecada em mantê-la por perto. Ele até age dentro da etiqueta para não perdê-la, pois Stefan ainda é um peso por ser o bom moço da história, algo que Damon nunca foi e tenta ser. Mas uma coisa que achei bem digna foi não terem distorcido o fato de Damon sempre pensar em si em primeiro lugar. Foi sensacional ele dar as costas para Elena por querer o sangue de Jeremy. Hipnotizado ou não, ele é um vampiro mortal. Poderia ser um gambá, ele se alimentaria do mesmo jeito. Ver a cara de tacho de Elena foi mais bonito que um tapa na cara bem dado. O discurso dela, de você me ama e faria tudo por mim, foi tão forçado que achei maravilhoso Damon ter cortado a lorota ao ir atrás do irmão dela.

 

Para não dizer que Elena recebeu um tapa de um lado só, Stefan veio com tudo sambando na cara da sociedade com Rebekah ao seu lado. Eu nunca tive tanto orgulho do Salvatore como tive nesse episódio. Ele não precisou se tornar o estripador para demonstrar sua desilusão amorosa e preferiu se manter por cima para remendar o coração partido ao assumir uma posição implacável. Se ele saísse como o ripper por Mystic Falls seria o mesmo que provar que se abalou, algo que ele se tocou que não compensa, pois é dar o gostinho da vitória para Elena e Damon.

 

Se ele quer punir o casal pelo que aconteceu, nem ligo, porque a maneira como Stefan a humilhou, ainda de uma maneira sutil, foi arrebatadora. Ficou nítido o que comentei na semana passada sobre Elena achar que é dona dos Salvatore e como ama ser ovacionada por ambos. Ela nunca imaginou que ficaria sem eles de uma vez só e ficou desconcentrada. Damon está enclausurado por causa de Kol e Stefan simplesmente cuspiu na cara dela ao dizer que a vampira não sabe como ele é sem estar apaixonado por ela. Teve frase mais linda que essa, gente? Sério! Eu cansei desse papo Delena e Stelena. É um absurdo querer que dois vampiros lindos, cheios de amor para dar, fiquem com uma garota desequilibrada, sem amor próprio e fraca como Elena. Team Defan, Always!

 

O plot principal foi realmente de tirar o fôlego. Farei as palavras de Rebekah as minhas nessa gincana atrás da cura. Temos o Team Klaus, Team Shane e Team eles (Stebekah). Em qual lado você ficaria? Mesmo que não tenha Galvão Bueno para fazer a narração, é fato que as equipes se encontrarão no final, perto da linha de chegada, desesperadas em slow motion pela cura e ninguém, possivelmente, ficará com ela. É notável que ninguém esteja interessado pela substância para usá-la. Klaus quer destruir, Elena também, assim como Stefan. A única que ainda tem um objetivo quanto ao uso da cura é Rebekah. Kol está no bloco do eu sozinho e só quer bloquear a corrida de todo mundo por causa do Silas.

 

Comentário: Silas deve ser marido de Shane, porque só isso justificaria a doença “entusiasta” do professor para trazer um imortal de volta que tem como objetivo destruir tudo e todos e, além disso, reviver os mortos. A cena dele com Bonnie bateu na mesma tecla, só para mostrar que a bruxinha está mais poderosa e perigosa, com todo seu comportamento a la Carrie, a Estranha.

 

Os Originais estão cada vez mais em destaque por causa do spin-off baseado na vida deles. Fiquei com pena do Kol quando falou tudo o que acredito que Rebekah e Klaus jamais tinham escutado antes, nem mesmo por Elijah, que sempre foi defensor dos Mikaelson. Ele não deu as caras em TVD ainda (Daniel pode sair de Saving Hope, não ligo), mas, nas palavras de Kol, Elijah deve estar enojado com a qualidade tacanha que a família conquistou, que nem se dá ao trabalho de aparecer. É triste ver irmãos que costumavam ser unidos agirem por ambições diferentes, em grande parte destrutivas. Kol culpou a cura como a causadora dessa desunião, mas ele passou tanto tempo empalado que nem sabe metade da missa que rodeia a discórdia entre os Originais. Como comentou Rebekah, a família estava destruída antes disso e nem é preciso mencionar que a culpa maior pertence ao Klaus.

 

Mais uma vez, Rebekah me encheu de orgulho com toda sua persuasão para cima de Stefan. O mais legal é que em momento algum ela hipnotizou o vampiro para tê-lo. “Amar e se importar acaba com você”, conselho de vida da irmã de Klaus que deve ser seguido por nós reles mortais a partir de hoje. Realmente tenho que concordar, pois quem tem vida longa é quem não se importa, mas isso custa todas as pessoas que você gosta. Será que vale a pena criar um muro? Stefan já está sobre ele e não parece nem um pouco disposto a descer.

 

Stebekah foi a realização de um sonho contido, meu guilty pleasure. Sem sentimento, sem ligação, apenas sexo selvagem. Depois de fazer a egípcia para Elena, nada mais justo que Stefan e Rebekah rolarem na cama com todas as honrarias. Rebekah não estava nem um pouco errada ao ordenar que Stefan não se importe, pois quem se importa demais sempre rola pela escada e não encontra o melhor dos prêmios. Ainda mais quando tem gente que não vale a pena envolvida. Nesse caso, Elena.

 

Agora, como diria Klaus, como o Clã Gilbert sustentará a casinha, caso Kol apareça e bote fogo em tudo? Agora a brincadeira virou sorte ou revés. Ou Jeremy acha Kol e o mata ou vice-versa. Posso ficar brava por saber que Kol vai se dar mal de qualquer jeito, só porque o Jeremy é irmão da Elena e tem que ficar vivo? Já que levaram Alaric e Jenna, por que não o matam também? Isso faria um favor ao Damon, a mim e a uma nação que não gosta dele. Simples assim!

 

Estou ansiosíssima para a próxima empreitada e espero essa mesma qualidade de trama para a série. Pergunta: o que Stefan se referiu ao dizer que havia um terceiro time na corrida pela cura, assim que o zumbi que foi atrás da lápide de Silas se matou? Posso apostar no Elijah? Em breve, na CW!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Olá Random, tudo bem ?? não via a hora de comentar a sua review desse episódio, que para mim marcou a volta da ação e tensão a TVD, e é claro, um momento histórico: Stefan deu um tremendo fora em Elena.

    ♪ ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA,ALEEUUUIA ♫ Ok, parei com a palhaçada. Mas é que eu não resisti !! hahaha… vamos ao episódio :

    Tudo começa com Matt e Jeremy correndo dos vampiros, e a Elena chegando depois para salvá-los. Aqui vai um comentário. Até que enfim ela quebrou o pescoço de alguém, porque para mim o Connor não contava, afinal ele era caçador, então… sobre a inutilidade de Elena, você tá certa. Elena é vampira, mas ainda se comporta como uma humana, porque né… com exceção da cena que citei, ela nunca teve um ato vampiresco, de verdade. Até porque para quê ela arrisca quebrar as unhas se tem dois vampiros para salvá-la de todos os perigos ? Pois é ¬¬

    Stefan me deixou orgulhosa como nunca nesse episódio… parece que pelo menos por enquanto, ele não cogitar voltar com a chata-mor, mas também tem isso: para que Stefan vai querer a sem sal da Elena se ele tem uma vampira original linda, chique, dona de um sotaque maravilhoso e ainda por cima louca por ele ?? Pois é, vamos torcer para que Stebekah dure o máximo de tempo possível, pois Rebekah traz um frescor novo para Stefan, e eles possuem uma química incrível. Stebekah é a onda do momento para mim, apesar de torcer para que role Steroline um dia.

    Ok, vamos falar de Elena. Nunca pensei que ela fosse ficar mais chata em um episódio como esse, o recorde para mim tinha sido o After School Especial… mas não é que a fofa (só que não !) supera o próprio recorde ?? Nunca vi Elena se comportar de uma maneira tão egocêntrica como aqui, meu Deus !! Eu fiquei abismada com a cara-de-pau dela quando ela liga para o Stefan pedindo ajuda por causa de Damon. E a parte em que ela pede para ver Damon ?? Ela precisa urgentemente de um chá de semancol, essa mulher tá terrível hahahaha… mas a melhor cena do epísódio foi com certeza a resposta de Stefan ao que Elena disse sobre ele não estar sendo ele mesmo… Sem falar na cena em que ela tenta acalmar Damon, dizendo que eles se amam e tal ?? É como diz a música : Tá se achando, gostosa, mulherão ♫.. Ainda bem que Damon não ouviu e seguiu em frente atrás de Jeremy.

    Stefan dizendo que Elena não sabe como ele quando não está apaixonado por ela foi simplesmente épico, acho que pausei a cena umas cinco vezes, tava começando a achar que era um sonho !! KKKKKKKKKKKKKK Enfim, fiquei feliz da vida, como deu para perceber.

    A familia Mikaelson teve um grande destaque nesse episódio, e muito merecido aliás. Sempre que eles estão em cena, rendem ótimas cenas e diálogos… importante você ter citado o fato deles sempre se apunhalarem. Isso é algo que vem de séculos, e de fato é triste, porque não importa o que aconteça, eles nunca aprendem que deveriam estar unidos, e não em guerra um com o outro. Elijah deve sentir um desgosto enorme por isso… Falando em Original, Kol ganhou pontos comigo. Te confesso que não ia muito com a cara dele, o achava um tanto chatinho, talvez porque na maioria das vezes ele agia de maneira inconsequente, mas dessa vez gostei da maneira que ele falou da cura. Kol é o único que percebeu que essa história é balela, que é roubada na certa. ¬¬ O modo como ele falou com Damon me agradou também, afinal Damon nunca gostou de Jeremy, e agora vira amiguinho dele por causa da namoradinha caprichosa ?? Por favor né ?? Essa forma de amar Elena por parte de Damon me irrita muitas vezes, ele não tem amor próprio não é ?? Aff.

    Nem vou comentar sobre Bonnie, ela tá malucando legal, digamos assim. Como ela sabendo que Shane matou 12 pessoas, continua acreditando nele ?? Dispenso.

    No geral, eu amei esse episódio, me fez ter vontade de ver o próximo, como não acontecia há muito tempo *_* Bjos Random <3

    PS: A Corrida pela Cura narrada pelo Galvão, aquele cara é chato demais PQP. HAHAHAHA

    • Hey!!! Nossa! Eu ri demais com o seu comentário sério! Hahahahaha Realmente o Tefinho botou pra quebrar e eu espero que tenha continuado assim. Não vejo a hora de chegar em casa e baixar o episódio de hoje. Ainda mais pq o Kol vai estar lá HAUHAHUAHAUHUAUHAHUA

      Eu pensei que só eu estava bestando sobre a Elena não ser vampira e ao mesmo tempo ser. Ela não tem reação e já nem aceito mais que é por culpa do Jeremy que ela ainda age assim. Lorota! Até pq o irmão dela tá todo lascado e ela não tem nenhuma reação de louca e protetora como aconteceu qdo ela reagiu contra o caçador.

      Tefinho! Deu vontade de apertá-lo depois do fora. Ele está ficando mais forte contra seu amor por Elena, ele precisa agir assim se quiser manter a dignidade e espero que a continue a torturá-la pq merece. Stebekah é uma esperança que me deixa até temerosa pq a Rebekah nuna termina bem. E eu juro que não gostaria de ver o Stefan com a Elena no final da temporada. Seria estupidamente ridículo!

      Eu fiquei passada com o pedido de ajuda dela seguido de um roll-eyes como se o Tefinho tivesse obrigação em ajudá-la Huahhuauhaauhuahauh foi um absurdo!

      Eu tenho queda por personagens fdp, então, meu amor pelo Kol foi à primeira vista :( Ele é mais novo, age que nem delinquente, isso é tudo genética, mas foi mto bom mostrá-lo um pouco mais fragilizado, pois Klaus e Elijah, até o pobre de Finn, tinham que ser exemplo para os mais novos. Klaus destruiu a família e só resta chorar mesmo :( Damon perde o amor próprio qdo se trata da Elena. Ele fica tão chorão quanto ela e ele fica o tempo todo tentando se provar. Convenhamos que ele não precisa disso, né? Hahahahaha

      Até a próxima review! E, pôxa, seria tão bacana o Galvão narrando a corrida pela cura. Hahahahahaah ele é um saco, mas seria engraçado kkkkkkkkkk