Menu:
03/fev

Quando eu acho que The Vampire Diaries está melhor ou que está prestes a atingir um nível aceitável, a coisa toda desanda. Este episódio ou você amou ou odiou. No meu caso, eu detestei. Por que? Primeiro: estou cansada de ver Rebekah ser traída (ou quase) e empalada por caprichos dos Salvatore em fazer Elena feliz. Segundo: jamais, em hipótese alguma, os Gilbert matariam um vampiro como Kol. Terceiro: esse elo já deu tudo o que tinha que dar. O que assisti só valeu pela ação e pelos Originais. Nada mais que isso.

 

Cada vez mais vejo o porquê de montarem um spin-off sobre os Originais, pois são eles que seguram TVD. E isso dá vida longa a eles por serem os personagens mais interessantes de se assistir. Como a série já pede um novo vilão, que pelo visto será Silas, Klaus e companhia precisam de uma despedida decente para que a presença deles não passe em branco (como se isso fosse acontecer, duh!). Os Mikaelson, mesmo arrogantes, possuem uma autoconfiança invejável. Haja o que houver, os irmãos ficam juntos no final e não tem como não desejar ser parte dessa família tão caótica. Podem falar o que for, mas sem os Originais, o seriado não teria criado tanta força.

 

Uma coisa que me revoltou demais: o comportamento de Stefan. Ou ele decide amar Elena ou não. Sei que o que ele sente pela garota é forte demais para ser apagado sem uma ajudinha extra da hipnose, mas essa dualidade do vampiro me irritou. Achei o fim do mundo Stefan ouvir Elena com seu plano medíocre depois de tudo o que ela fez para ele. De repente, a garota se tornou a pessoa com as ideias mais brilhantes de Mystic Falls e o Salvatore a ouve depois dos dois foras que deu nela nos episódios anteriores. Isso foi intragável e surreal. Eu sei que Stefan ainda a ama muito, é lindinho, mas cadê a dignidade do personagem? É bem conveniente colocá-lo no topo e depois fazê-lo retroceder quando Elena abre a boca.

 

Quando Stefan topou a ideia de Elena em empalar Rebekah junto com Kol, me enfureci. Elena não quer a cura, ela só solicitou o serviço dos seus capachos para manter Jeremy vivo. Ela só quis destruir os dois Originais para proteger o irmão em mais um ato egoísta. Ela o ama? Ok! Mas ela é vampira e pode se virar, não pode? Não foi para isso que a transformaram? Ou será que só a tornaram vampira por causa do elo? No popular, Elena tocou o foda-se para a cura e para quem estivesse no meio, pois só o que importava era o irmão. Para isso, a jovem levou todo mundo para o mesmo buraco, como sempre. Bati palmas quando Abby proíbe Bonnie de ajudar Elena Gilbert. Isso aí! Parece até que a bruxa não se lembra que foi graças a amiguinha que a mãe se tornou vampira. As coisas são facilmente esquecíveis na série, mas só no que condiz ao comportamento de Elena.

 

Stefan me decepcionou neste episódio. Ele pensou em trair Rebekah para atender Elena. Só esse comportamento me deixou chateada. Foi ridículo minimizá-lo a servente da ex-namorada de novo, só porque ela teve uma ideia que poderia proteger Jeremy e, supostamente, garantir a cura. Engraçado que ninguém pensa nas consequências, né? Ah! É Elena, vamos ouvi-la! Como podem ouvir uma vampira que ainda usa fralda, gente? Será que ninguém aprendeu que ir na dela é furada? O Salvatore só conseguiu um pouco de dignidade por causa das cenas Stebekah que realmente geraram muitos, mas muitos suspiros. Quando a Original conta a ele sobre os motivos de querer a cura com a adaga na mão, foi emocionante. Ainda bem que Stefan recuou da sua ideia de jerico, pois se ele a empalasse, eu desistia da série. Stebekah foi lindo de novo, mesmo que a intenção por debaixo tenha sido imperdoável. Matt agora tem o segredinho deles e só quero ver o que esse humano vai fazer com a informação.

 

Estou cansada de ver Rebekah ser sempre a primeira opção a ser descartada. A única pessoa que pode fazer isso com ela é Klaus. Já acho que virou um ponto de fuga enfiar a estaca no peito dela toda vez que o problema aperta. Sério! Os sentimentos dela com relação a ser humana são muito mais honestos em comparação aos de Elena, que age como se sempre quisesse ser vampira. Ao contrário dela, Rebekah tem plena noção do que quer, sem frescura. Afinal, a Original não pediu para ser vampira também e é linda a maneira dela em desejar ser humana de novo. Rebekah dá valor as coisas por nunca tê-las e Elena as desperdiça por ter demais, por isso perdeu Jenna e Ric. A loira é uma garota que merece ficar com alguém como Stefan, pois ambos sabem dar valor a cada momento que vivem. É de uma pessoa assim que o Tefinho precisa.

 

Podem falar o que for dos Originais, mas eles provaram que são a parte mais humanizada da história toda. Entro no objetivo do spin-off destinado aos personagens. Klaus pode ter feito suas burradas, mas ele também quer ser visto como uma boa pessoa (vampiro) capaz de fazer alguém (Caroline) feliz. Ele também quis a harmonia entre os irmãos que são sua base, mas seus desejos sempre ficaram em primeiro lugar. A cutucada que Damon deu nele sobre sua preocupação com relação à Caroline fez completo sentido. Klaus a ama, a sua maneira, e só quer conseguir provar que pode ser bom para alguém, mas só faz estupidez sem motivo o que reforça sua popularidade de malvado. O Salvatore teve toda razão em dizer que Klaus é vilão por estupidez.

 

Entramos aqui em mais um quadro comparativo entre dois personagens. Klaus faz as coisas para chamar a atenção e Damon faz porque gosta, mas as motivações o fazem agir por impulso. Porém, o Salvatore sempre tem uma razão que o faz ser perdoado, algo que Klaus nem se dá o trabalho de pensar. Adorei o questionamento de Klaus sobre o comportamento de Elena com relação ao passado de Damon. A garota submissa que age como se o Salvatore fosse sempre bom. Ambos possuem muitas coisas em comum e teriam uma amizade perfeita se não fossem tão mortais. Trocando os papéis, Klaus também foi maravilhoso em dar uma alfinetada em Damon ao dizer que no final só vê Stefan e Elena.

 

Em tese, Damon passa metade do seu tempo querendo provar que é bom para Elena com o único objetivo de tentar sustentar o elo. Ele está à vontade e nem se questiona sobre a mentira que vive. O vampiro pode virar um anjo, mas quando Elena acordar, a realidade será muito diferente. O Salvatore esqueceu que não é imune a dor e fará coisas estúpidas quando chegar o dia em que a vampira lhe dará uma bica na traseira. Damon costumava ser meu personagem favorito mas, depois que assumiu seus sentimentos por Elena, caiu no meu conceito. Essa falsidade ideológica que impera nele me incomoda demais. Ou ele é cruel ou não.

 

É revoltante vê-lo dessa maneira, perdido e indeciso, na crença de que haverá um “felizes para sempre” com Elena. Foi uma piada vê-lo falar que a amada o conhece, que sabe que ele não é bom com seus impulsos, que mata sem pensar e, mesmo assim, ela fica com ele. Alô, Damon! Pior que isso foi vê-lo no final do episódio na pinta de cachorrinho e ela com os olhos brilhando. Please! Damon atingiu o mesmo nível de Stefan no que condiz à Elena, ambos sem atitude e batendo na mesma tecla. Já virou sadomasoquismo sentimental da parte dos dois. Mas eles são craques nisso, né?

 

Agora, a coisa fica séria!

 

O descarte de Kol foi inaceitável. Os Gilbert não têm preparo algum para aniquilar um Original e, de repente, eles conseguem passar por cima de uma linhagem de vampiros mais antiga que a Estátua da Liberdade. Peraê! A cena toda do embate foi mentirosa demais. É muito conveniente lutar contra Kol e contar com a ajuda da Liga da Justiça que, magicamente, consegue aniquilar o Original. Quando Elena e Jeremy vão aprender a se virar? Trata-se de uma vampira e um caçador. Quando eles vão agir como tal?

 

Eu não sabia se ria ou se morria de ódio, pois, convenhamos, Kol teria esmagado um deles para dar de exemplo aos outros que querem a cura. Mas, como os Gilbert precisam sobreviver, Jeremy se solta com grande facilidade da mesa, Elena consegue atacar Kol com uma FACA, e depois de um banho de verbena, ela pega a estaca e o vampiro morre. Poderiam ter pensado em algo melhor, pois isso foi patético e, digamos, muito bem ensaiado. Mas a bizarrice foi ver Elena correndo feito tonta junto com Jeremy. Ela só sabe pular nas costas dos outros também, já notaram? Pelo menos, Kol me deixou orgulhosa ao enfiar um pedaço de madeira na vampira. Ela deveria ter morrido ali mesmo para deixar de ser ridícula.

 

A presença de Klaus diante do corpo morto do irmão me deu calafrios. Quando o Original está prestes a chorar, segura que vem um momento revoltante da parte dele. E, nesse caso, não foi muito diferente. Chorei com ele, gente, mas de pura indignação. Por mais que ele tenha empalado todos os irmãos, ele gosta da família e é fiel a eles, custe o que custar. Não é à toa que ele correu quando soube a verdadeira ideia do plano de Stefan. Foi demais ele ter mudado da água para o vinho ao saber que Kol e Rebekah estavam em perigo e partiu meu coração vê-lo destroçado pelo que a Liga de Elena fez com o irmão dele. Eu quero mesmo que Klaus os persiga até o inferno e os mate. Sou drástica quanto a isso. Chega do lado de Elena sempre ter sucesso. Uma hora o mal (não que os Originais sejam os vilões) tem que se sobressair sobre o bem e está na hora disso acontecer.

 

Depois deste episódio, ficou claro que os personagens que mais merecem respeito são os Originais. O que foi Kol agindo como um adolescente, gente? Ele ficou 100 anos empalado, sem ter noção do quanto a vida mudava enquanto ele dormia. O Original empacou na adolescência para sempre. Pelo menos, foi levado em conta suas preferências, um golpe baixo que só ajudou a me encantar ainda mais pelo personagem. Ele ama música e parecia uma criança diante do videogame. Parecia até um garoto normal. Kol não chegou a “crescer” para usufruir um pouco da vida vampiresca. Klaus tirou isso dele. Ao contrário de Rebekah, que ainda curtiu muita coisa, ele só queria que não revivessem Silas. Era pedir demais? Por causa disso, espero que esse cara apareça e bote todo mundo para correr. Entrei para o time do professor Shane.

 

É impossível odiar os Originais depois deste episódio, de verdade. Os desejos deles com relação à cura são muito mais honestos que os de Elena e companhia, e meu sonho seria uma revolução de Klaus contra a ponta fraca da série. Queria mesmo que os Mikaelson se unissem e destruíssem tudo. Podem até levar os Salvatore juntos. Nem me importo mais com eles.

 

Para não dizer que os Salvatore não contracenam mais, eles participaram de uma cena digna de jardim de infância para ver quem brilha mais diante de Elena. Até quando isso vai durar? Damon abre a boca sobre Stefan ter dormido com Rebekah na frente da ex, e daí? Mas sabem o que me matou? Foi a expressão do Salvatore mais novo diante da revelação, como se fosse um pecado ter levado a Original para a cama. Por que se preocupar com o que Elena pensa, Stefan? Ela só pensa no Damon agora, se liga!

 

Desisto de tentar entender Damon e Stefan que deveriam agir como vampiros e homens de verdade. Por mais que um garoto ame uma garota, ele não sente vergonha de ter dormido com outra, ainda mais depois de uma bica. Teoricamente, Stefan queria seguir em frente, o que é lindo. Mas a raiz de esperança que ele ainda possui em ter Elena de volta deveria dar uma pausa, pois ela deu um break da presença dele na vida dela. Do outro lado, a esperança de Damon em ficar com a garota que ama para sempre só fortalece sua burrice.

 

Mas foi impagável o recalque da Elena com relação à Rebekah. Falou tão mal da Original o episódio inteiro, se achando superior, e ficou boladona quando soube que o Tefinho dormiu com a rival. Risos eternos.

 

Bonnie não merece ser mencionada por ter sido insustentável o episódio inteiro. Ela que vá para o inferno com a expressão. Mas nada foi mais deselegante que o strip sem necessidade de Jeremy na hora que a tatuagem cresceu. O que foi aquele grito? Achei que o moleque viraria lobisomem, vampiro ou qualquer coisa do tipo. A rasgadinha daquela blusa tinha que ganhar o prêmio de pior cena do ano.

 

Pergunto: o que diabos Stefan pensava sobre facilitar o acesso da lápide de Silas? E eu ouvi o nome de Katherine (volta gata!)? Cadê o Elijah, o amor da minha vida, para colocar ordem nessa bagaça? Tá precisando, viu?

 

Um beijo para Lexi que ainda faz falta e foi homenageada. Até ela deve estar com vergonha do Stefan, adeus!

 

PS: ainda estou ELIMINADA com este episódio. RIP Kol!
Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3