Menu:
11/fev

E todos saíram de Mystic Falls para brincar de Lost no meio do nada. Como era de se esperar, a reunião da galera só gerou babado e confusão. A começar por Elena que continua sendo a figura que causa desconforto, mas Rebekah estava lá para me representar e dizer algumas coisas que adoraria falar – e mais um pouco – para a santa Gilbert. O episódio acabou com todo o brilhantismo de Elena ao enumerar todas as atitudes estúpidas da garota pela voz da Original, algo que realmente precisava, pois a personagem principal está longe de ser a vampira do século com o espírito altruísta.

 

E é por isso que começo com Elena de novo. Depois de muito tempo, a garota se ferrou em todos os sentidos possíveis. Literalmente, ela ouviu tudo o que jamais pensou que ouviria por ser “boa demais”. A vampira comeu o pão que o diabo amassou, a começar por Rebekah que continua imperdoável com relação à existência dela, influenciada pela perda de Kol. Como disse a Original, Elena é uma inútil. E concordo completamente. Continuo a insistir na mesma tecla sobre o vampirismo da personagem que parece que nunca virá à tona enquanto a cura for pauta. Estamos no episódio 13 e tudo o que Elena sabe fazer é quebrar pescoços, correr e babar por Damon. Era esse o tipo de crescimento que queriam para ela? Pois, até onde sei, a personagem deveria ser a estrela desta temporada e está mais para coadjuvante, tipo o Matt que não faz nada para ajudar e termina quase morto.

 

Elena é tão infantil que não sabe lidar com suas fraquezas. Ela perdeu a razão quando Rebekah a provocou e, ao erguer a estaca para a Original, a jovem apenas afirmou o quão patética realmente é. Ela, no meio de toda galera, foi um leve estorvo, não mais que Jeremy, pois o menino já nasceu assim, mesmo sendo o caçador que de caça não entende nada. Conforme a trama se desenrolava, Elena se enfiou embaixo da asa de Damon por não “tolerar” a presença de Stefan e Rebekah em mais uma demonstração pura de que ela não engoliu o relacionamento do ex e a possibilidade dele tê-la “esquecido” tão rapidamente. O elo entre Damon pode existir, mas ela ficaria mais contente se Stefan estivesse depressivo por ter sido abandonado por ela. Tenha dó!

 

Mas a inutilidade de Elena ganhou força quando assumiu novamente o posto de babá de Jeremy e no desenrolar das cenas Delena. Por favor, alguém me explica o que essa menina tem na cabeça? Um tempo atrás, Elena era a mocinha que amava ser humana, que jamais queria ser vampira, que queria envelhecer e ter filhos, uma atitude que me deixou orgulhosa, especialmente pela existência de Bella Swan que abriu mão de tudo pelo Edward. Mas, de repente, a santa Gilbert resolveu querer a cura, mas para levar Damon com ela para um buraco sem volta. Ok! O discurso foi bonito, meio “se você pula, eu pulo” de Jack e Rose, mas na prática sabemos que o resultado será completamente diferente. Ela vai voltar a ser humana, o elo acabará e, como sempre, ela correrá até o Stefan para pedir milhões de desculpas, e mimimi, e magoar Damon.

 

Para minha felicidade, ou não, Elena caiu do cavalo ao vender o discurso que fez para Stefan ao Damon. Na hora que ela falou sobre envelhecer e ter filhos, subi pelas paredes, pois ela tinha falado isso para o Tefinho quando eles compartilharam aquelas cenas lindas na Casa do Lago. O Salvatore mais velho teve a atitude mais correta do mundo, por mais que tenha sido dolorosa, ao dizer que essa figura que ela tanto almeja assim que estiver curada é Stefan.

 

O que eu disse sobre Elena gostar de fazer Damon sofrer? Sério, gente, não há nada de poético nisso. Isso não é sacrifício, já virou círculo vicioso. O vampiro é bem grandinho para saber que vive uma mentira com a amada. O sentimento dela por ele existia antes do elo, será que ele não poderia lutar por essa faísca verdadeira de recíproca? Por que se torturar se ele tem consciência de que o elo torna o relacionamento deles extremamente falso? Meio mundo sabe que, quando a garota for curada, e se for curada, vai tentar se redimir com Stefan pelas burradas e palavras que o magoaram com a maior cara de pau do mundo.

 

Como Shane disse, Damon perdeu o amor-próprio e se tortura porque é um idiota, pois a verdade sobre a situação dele com Elena sempre foi muito clara. Ele pode virar o vampiro mais bondoso do universo, cavalheiro e tudo mais, mas isso não fará a vampira ficar verdadeiramente com ele, não quando houver o elo. Ele sabia dos riscos em não deixá-la ir e das possibilidades dela voltar a ser humana. A insatisfação dele com relação à cura ficou nítida quando ele comenta que não imagina Rebekah sem as presas. E isso coincidiu quando ele declama que quer Elena como vampira.  Isso me revoltou e vou dizer o por quê.

 

No passado nem tão distante assim, Stefan queria a substância para dar à ex-namorada por se sentir culpado pelo acidente na ponte e pelo fato de que Elena nunca quis ser vampira. Tefinho queria a cura para atender o desejo da santa Gilbert e foi taxado de tudo quanto é coisa ruim “por não aceitá-la como ela é”. Agora, todo mundo suspira porque é lindo Damon revelar que não quer que Elena se torne humana. Isso não é lindo e só prova que quem não aceita a garota como deve ser é o Salvatore mais velho. Sei que ele está com medo dela voltar com Stefan e perdê-la para sempre assim que a humanidade dela retornar, mas isso é egoísmo do mesmo jeito. Ouvi muitas críticas sobre o Salvatore mais novo não “aceitar” Elena, mas quem se revelou como contraditório nesta história toda? Por mais que esteja magoado e apavorado, Damon é bem grandinho para arregaçar as mangas e lutar pela garota que ama, mas se acomodou dentro da falsidade amorosa gerada pelo elo.

 

A afirmação de Damon, por mais que fosse contra seus princípios amorosos (talvez sim ou não) não quer que Elena volte a ser humana, por achar que a versão vampira dela é a única parte que o ama, junto com o elo. E isso o faz egoísta por não querer que Elena seja curada. Será que ele não se lembra que foi ela que tomou a iniciativa de beijá-lo na temporada passada? Será que os pequenos gestos Delena não o fizeram perceber que foram mais honestos e intensos a uma baboseira criada por um elo? Será que ele não percebeu que, antes dessa ligação, havia sim um sentimento por parte dela e que ele ainda pode lutar por isso se ela voltar a ser humana? Sabe, uma coisa é você dançar conforme a música por não saber a real da situação, mas continuar a valsa sabendo o que virá depois, é realmente estupidez.

 

Gostei muito, muito, muito mesmo de Shane acabando com a moral e o surrealismo de Damon. Quando ele comenta da falta de autorrespeito do vampiro ao afirmar que ele tinha muito a perder com a cura de Elena, me fez pirar de alegria. Pelo menos, para uma coisa, o professor serviu. Mas, mesmo assim, ainda não aceito a posição conformista de Damon em uma situação que é clara como água. Elena pode até não ficar com Stefan, o que eu acharia uma maravilha, mas Damon provavelmente não será prioridade se a jovem voltar a ser humana. O Salvatore mais velho simplesmente não se liga de que o tonto da história é ele por acreditar em uma mentira escancarada. E, mesmo que não goste de ver Damon ou Stefan magoados, uma dose de realidade é sempre bom para ambos acordarem para vida.

 

O lado da dignidade do episódio

 

Para entrar em conflito com o comportamento de Damon, eis que surge Stefan com sua dignidade e prontidão em querer beber a cura para sua autossatisfação.  Mesmo que ele ainda se importe e muito com Elena, ele tenta se manter por cima da situação e Rebekah tem sido de grande ajuda. Foi linda a maneira dele em dizer para a Original que beberá a substância por ele e mais ninguém. Isso sim é tentar voltar a ter autoestima. Ele quer abrir mão da ex de uma forma ou de outra, por mais que o sentimento ainda esteja enraizado dentro dele. Os resquícios da mágoa ficaram bem nítidos quando o vampiro manda um discurso de 146 anos de sofrimento para cima de Elena, tendo Rebekah como testemunha. Ser humano ajudaria a anular muita coisa ruim, a santa Gilbert entre elas, e ele voltaria a ser livre, o que acharia sensacional.

 

Quando digo que Rebekah é a única pessoa com o desejo genuíno em ter a cura é a mais pura verdade. A barbie Klaus continua a ter opiniões decisórias quanto à substância que se contrastam com as de Elena. Rebekah não quer beber o antídoto por capricho ou porque quer proteger alguém. Ela só pensa em si e nas suas perdas, algo que, de certa forma, deve ter influenciado o comportamento de Stefan. Ela quer ter uma vida humana, quer aproveitar cada segundo daquilo que lhe foi privado quando se tornou vampira, quer ter uma família e ser amada. Mesmo com a sensibilidade disfarçada na fachada de ser superior, Rebekah é uma das personagens mais incríveis da série e gostaria de pensar que ela teria um final feliz, algo que já descarto, pois TVD não é para Originais.

 

O desespero de Rebekah com relação à lápide deixou meu coração na mão. Especialmente pelo fato dela se sentir traída pela milésima vez. Nota-se que esse comportamento dela é uma insegurança que se enraizou. Ela tentou ser amiga de Elena e foi apunhalada, depois veio Stefan com suas mentiras e permitiu que Klaus a condenasse de novo à tumba. Claro que ela pensaria que a lápide foi uma jogada da turma para salvar a santa Gilbert, o que teria aumentado até minha revolta se essa fosse a verdadeira intenção de incluir a Original no tour no meio do nada.

 

A relação fortalecida entre Stefan e Rebekah fica cada vez mais linda. O que foi eles de bracinhos dados sentadinhos no acampamento? E a mãozinha do Tefinho na cintura dela no meio da floresta? Nhac! Ela também não poupou o verbo ao explicar que de boa samaritana Elena não tem nada e que as pessoas deveriam parar de tratá-la como coitadinha, pois ela foi tão cruel quanto qualquer Original ao planejar a morte de outras pessoas. Rebekah aproveitou mais um discurso para se defender, pois não é uma vilã e não se sente desta forma, nem mesmo quando Stefan pontua a atitude dela em ter causado o acidente de Elena e Matt. Mas ela logo devolveu com muita classe ao explicar que suas motivações eram familiares, algo que a santa Gilbert sempre faz e nunca é julgada. Que eu saiba, os maiores assassinos da história toda são os irmãos maravilha. Jenna e Ric morreram, né? Mas eles continuam como os anjinhos de Mystic Falls.

 

Shane ganhou destaque, algo que demorou um pouco, mas se encaixou perfeitamente. Depois de toda sua narração sobre seu passado e Silas, ficou óbvio que o professor de entusiasta pela mágica e pela imortalidade não tem nada. Ele apenas agiu como um pau mandado movido pelo amor cego por uma mulher que morreu e que usou o amor que o homem sentia para dar início a uma atrocidade atrás da outra. E eu achando que o motivo para toda essa bagunça fosse algo que me fizesse puxar os cabelos. Mas adorei o raciocínio dos 3 massacres e estou no aguardo do último.

 

Enquanto as coisas pegavam fogo na ilha de Lost, Klaus continuou com beicinho e depressão com relação ao Kol. Tyler apareceu todo marrento, mas quem sambou para variar foi Caroline. Sério! Estou cansada da Candice Accola demorar quilos para aparecer na série e, quando surge, é para ser envenenada com verbena, ter o pescoço quebrado, ser amarrada por correntes e, agora, ser mordida por Klaus. Eu não aguento mais ver uma vampira não agir como deve ser. Elena e ela são os completos desperdícios da série, pois não conseguem usar o poder que tem para se defenderem. Danem-se as pessoas! Elas têm que abraçar o feminismo e se defenderem sozinhas. Isso é um desperdício de talento e de enredo, porque a transformação delas foram o auge de TVD que só perde o brilho cada vez mais.

 

Mas minha revolta não se estende só pelo fato de Caroline ser machucada de novo, mas por Klaus ser iludido. Digo isso porque tenho certeza que aquele discurso da namorada do Tyler foi ensaiado, pois se ela cedesse e dissesse algo bom e verdadeiro para o Original, que o fizesse reconhecer e perceber que havia chance dela gostar dele um dia, ele a pouparia. Tenho certeza que Caroline o iludiu e isso me deu uma ponta de irritação. Da mesma forma que não dá mais para ver Rebekah sendo traída, não dá mais para ver Klaus ser enganado por um bando de gente que não sabe enxergar nada além do umbigo (e da Elena). Team Originals!

 

Agora, o papo ficou sério. Se Shane chegar à tumba, todos ficarão ludibriados com a possibilidade de ver entes queridos. O quanto isso é normal? Não sei, mas achei o fim Elena cogitar rever Jenna e Ric em mais um papo que ela nem nota o quão desumano é. A cura está mais valiosa que apostar na loteria, mas o que importa é mais um caçador vindo aí.

 

Com qual objetivo pelo amor de Deus?

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3