Menu:
25/mar

Dia do Fã aconteceu e ele foi incrível. Eu sou suspeita para falar sobre assuntos que envolvam fandoms de obras e seriados tão maravilhosos reunidos em um mesmo lugar com pessoas que esbanjam um pouco mais de amor com relação àquilo que gostam. Eu estava ansiosa, como sempre acontece, imaginei uma superlotação, mas foi bastante tranquilo. Ainda tive tempo de acordar indisposta para ir (leia-se: preguiça), mas, se eu tivesse dado para trás, teria me arrependido mortalmente.

 

Eu prometi que chegaria cedo ao Dia do Fã, mas cheguei depois do almoço, um ótimo horário. O esquema de stands foi o mesmo, cujos fandoms representados foram aqueles que vi no ano passado (Supernatural, Jogos Vorazes, Doctor Who, Harry Potter, universo Tolkien, dentre outros), mas a diferença foi que, este ano, assisti duas palestras. Uma foi ministrada pelo gestor do site Bookeando, Rafael Nery, e fiquei chateada por ter chegado na metade. O tema que ele abordou foi justamente sobre blogs voltados para resenhas.

 

Porém, deu para assimilar detalhes bem bacanas da palestra dos quais concordo, como o ato de procurar outras resenhas para fazer uma comparação, especialmente quando eu acho que sou a única doida a achar determinada coisa ruim (50 Tons de Cinza, por exemplo), a questão do blog para expressar opinião pessoal, relacionamento com as editoras e a construção de um blog por prazer e com diferencial. Foi uma apresentação que realmente fiquei triste de ter pegado quase no finalzinho.

 

Logo em seguida, emendei a estadia no auditório para assistir à palestra sobre A Astronomia no Universo Harry Potter, ministrada por Sílvia Reis, coordenadora do Grupo de Ficção Científica Alpha. Como pottermaníaca convicta, foi bem legal ver esse ponto de vista com relação à saga, algo que passa despercebido, pois o hábito é ficar ao redor de Poções ou de Transfiguração, como se fossem as únicas matérias dadas em Hogwarts. A palestra se apoiou na árvore genealógica da Família Black, seguida de explicações sobre a origem do nome dos integrantes e dos significados.

 

Os stands dos mais diferentes fandoms estavam lá para me fazer morrer de inveja com tanta coisa de colecionador. O primeiro lugar que parei foi no de Doctor Who e fiquei por lá durante muito tempo, pois apreciar qualquer coisa do Senhor do Tempo requer uma pausa para esbanjar muito amor. Depois de passear e tirar fotos, deu tempo de fazer umas comprinhas. Ainda bem que fiz isso, pois não ganhei nada nos sorteios. Nem minha irmã, que achava que seria sortuda de novo.

 

Nada me animou mais ao ver crianças vestidas de cosplay. Vocês têm ideia disso? Em grande maioria, eram meninos de personagens do Star Wars, acompanhados de pais que mereciam um enorme parabéns, seguido de um abraço apertado, por educarem os filhos com uma cultura que merece ser conhecida, respeitada e levada adiante, independente da preferência. O universo fantástico há muitas opções, certo? Isso foi muito bom de ver, pois a atualidade engole as crianças e elas se tornam adolescentes precoces que tudo quer e tudo manda, sem aproveitar direito a faixa etária que possuem. Fui master fangirling com a criançada, me senti a tiazona, mas papariquei mesmo.

 

A unanimidade entre os adultos sempre será Star Trek e o universo Tolkien. Os adolescentes ainda honram Harry Potter. O desfile de fantasias sempre é algo incrível de se ver, pois você imagina por quanto tempo as pessoas elaboraram a roupa, mais os gastos. O cosplayer do Gandalf não precisava nem andar pela faculdade Sumaré, pois o cajado já anunciava sua chegada sem fazer o mínimo de esforço. Tinha até um mini Arthur Dent, do Guia do Mochileiro das Galáxias, com a toalha no pescoço e o roupão. Quase tive um infarto!

 

Estar em um evento como esse me deixa extremamente feliz e diminui minha crise de idade. É tanta coisa bacana que não me importaria se houvesse um dia para os fãs todos os finais de semana. Por mais que haja aquela competitividade pelo melhor cosplay, as pessoas se reúnem para se divertirem em um universo paralelo onde todos se assemelham, mesmo com gostos diferentes. É o segundo ano que compareço ao evento e não vejo motivos para largar de mão.

 

Abaixo, vejam as fotos dos stands e dos momentos da Random Fangirling. Anuncio oficialmente meu relacionamento sério com David Tennant.

 

 

Um babado para os amigos Shadowhunters: ninguém sabia quem era Cassandra Clare e o exemplar do Anjo Mecânico foi um achado que merecia ser fotografado. Esperem até agosto chegar!

 

No aguardo do próximo Dia do Fã!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Pingback: Os Instrumentos Mortais e as comparações com Crepúsculo - Hey, Random Girl!()

  • Stefanny, obrigado pelo elogio! Fico contente que tenha gostado do bate-papo sobre literatura e internet… Que você possa aproveitar o que apresentei para o seu blog! Boa sorte =D

    • Olá, Nery! Realmente fiquei feliz pelo seu comentário aqui e obrigada mesmo pela mention no Twitter. Era algo que não esperava Hahahahaha. Espero que da próxima vez eu chegue mais cedo, pois o tema do painel de resenhas para blog foi excelente.

      Abraços!

  • Sil

    Adorei sua resenha Stefs e agradeço seu carinho e olhos generosos.

    Sou organizadora do Dia do Fã e ver o quanto o evento deixa as pessoas felizes não tem preço para mim e faz todo o trabalho valer a pena.

    Espero que possamos nos conhecer pessoalmente um dia.

    Um abraço

    • Olá, Sil! Meus parabéns então pelo evento. Como disse na resenha, foi meu segundo ano e só fiquei ainda mais feliz de ter comparecido e ter tido um sábado diferente e especial.

      Obrigada pelo comentário carinhoso, você não faz ideia do quanto me fez feliz. E também espero que possamos nos conhecer, de verdade.

      Grande abraço!