Menu:
22/mar

Depois de tanta agonia, eis que chegamos a mais um season finale de Pretty Little Liars. Admito com toda a sinceridade do universo que esse término foi muito melhor em comparação ao da temporada passada. Houve a famosa monotonia, cuja ação só apareceu no final, mas fiquei animada e satisfeita com o que assisti. Ano passado, Mona abaixou o capuz e se revelou como membro do “A” Team, o que foi uma surpresa, pois tinha fé de que nada dos livros (pelo menos não quanto ao mistério de Ali) seria colocado por ser tão óbvio. Dessa vez, enfrentei o final da temporada mais preparada e não me surpreendi em nada com a hipótese – que para mim é uma confirmação – de que Ali está viva. A única coisa que pode quebrar isso é a teoria das gêmeas.

 

Marlene tem o dom de trollar ao dar atenção demais para determinados personagens e depois fechar o círculo entre aqueles que ficam de fora a temporada inteira. Pior que isso, é que os sumidos voltam com grandes responsabilidades. A presença de Melissa é aceitável, pois a personagem marcou presença em flashbacks de relevância, mas Jenna praticamente foi esnobada da trama e ganhou destaque justo no final. O mesmo aconteceu com Shana, a última pessoa do planeta que eu acharia que se envolveria com os barracos que envolvem a lenda urbana chamada Ali. Mesmo com vista grossa, a aparição da meia-irmã de Toby ao lado da irmã de Spencer e da paquera de Paige só confirmou o que assinalei na review passada: a formação de um grupo de confronto contra o “A” Team.

 

Ian e Garret morreram. Provavelmente, Jason também se foi. Restou apenas Wilden que não tem nada a ver com esses garotos que fundaram o N.A.T. Club. Isso trouxe uma semelhança incrível com as liars, pois o grupo delas é formado por meninas e o único garoto, por enquanto, é Toby. Agora, há um duelo entre as damas dos homens falecidos versus o “A” Team liderado por Ali. Quem será o vencedor?

 

Outro fato que também foi confirmado para minha alegria foi a surpresa dentro do porta-malas do carro de Wilden. Sabia que tinha alguma coisa lá ou ele não teria dado uma de louco atrás do veículo. Deram uma avacalhada básica no personagem que deu uma de pentelho nos últimos episódios e foi tirado de cena, em teoria, por não ter relevância. Sobre o vídeo, depois de tamanha confusão, se confirmou como um presente de A.

 

Antes da trama pegar fogo, houve o término entre Ezra e Aria. O casal recebeu seu fim como era previsto e não estou chateada com esse fato. Como frisei nas reviews passadas, a liar é uma adolescente que precisa retornar à realidade dela. O amor Ezria se tornou forte e bonito ao longo desta temporada, mas ninguém sobrevive só com esse sentimento. Sim, eles tinham aquela sensação de que durariam pela eternidade, mas, como Aria bem relembrou, não existe o “felizes para sempre”. Claro que, no caso dela, existir um tão cedo seria impossível. Afinal, a jovem nem começou a viver ainda. Mas, o que bateu forte entre o casal, foi a conversa deles diante da janela, um resgate do início deles na primeira temporada durante o funeral de Ali.

 

Confesso que aprendi a gostar de Ezria nesta temporada e fiquei até triste pelo fim. Eu não gosto de ver a Aria sofrer, essa que é a verdade. Depois de Spencer, ela é minha pequena favorita e sou total Team Sparia. No fundo, concordo com a tomada de decisão da liar, algo que ela já tinha cogitado no episódio que antecedeu ao finale, e acho que este foi o momento propício para ambos se afastarem. A relação deles não estava fácil e só piorou com o aparecimento da Sra. Fitz, seguida de Maggie e Malcolm. Se eu estivesse no lugar dela, teria tomado a mesma atitude, ainda mais sendo tão nova. Antes eles terminarem a namorarem escondido de novo, algo que me tiraria do sério.

 

Achei muito bacana frisarem a importância que um tem pelo outro, o quanto ainda se amam e o quanto Aria foi esforçada em ter lutado pelo cara que gosta. Ela abriu mão do namoro para ele conseguir a vaga na escola. Isso me deixou orgulhosa, pois ela não quis se submeter a ficar nas sombras de novo com o professor. Vamos pensar pelo lado positivo dessa situação. O término de Ezria se fez necessário pelo simples fato de que a próxima temporada exigirá mais trabalho das liars. Sendo assim, elas precisam de mais ação e não de namoricos.

 

Emily e Hanna boiaram o episódio inteiro. O expresso Hanna só teve a funcionalidade de fazer Malcolm confirmar o que tinha sido cogitado, o fato de Spencer ter levado a criança para o circo. Não gostei de terem deixado Caleb de lado, digo logo. Também não entendi porque resgataram o papo da natação de novo. Só serviu para ser cenário de fundo para a perseguição de Spencer atrás da Red Coat que nem era a Red Coat. Esses tapa buracos de PLL nunca causam o efeito esperado e gastam um tempo que poderia ser usado com coisas mais relevantes.

 

Spencer honrou o season finale com toda a dignidade. Depois de tanto sofrimento, a personagem renasceu aliada ao “A” Team e enfrentou muitas surpresas no decorrer da sua decisão que lhe rendeu a saída do Radley. Depois de ser fria e evasiva com as amigas, a jovem ganhou o presente que muitos torcedores de Spoby aguardavam: o retorno do pretty eyes. Toby estava vivo, óbvio, o que reforça ainda mais o fato do corpo na floresta ser de Jason. Eu fiquei feliz por ver Spencer voltar a sorrir ao saber que o garoto que ama está vivo. Eu morri de emoção quando Toby simplesmente falou que agiu como um babaca para protegê-la e que o que ambos tiveram foi real. Eu já sabia disso, seu lindo! Dá vontade de dar print em todas as reviews que escrevi aqui no blog sobre a minha defesa com relação ao caráter dele. Eu não estava errada. Spoby é endgame! É true love! É vida!

 

O comportamento de Toby me deixou tão contente. Achei que essa felicidade logo acabaria e gelei quando ele simplesmente dá uma de louco com Spencer quando ambos estão na presença de Mona. Senti meu coração ser destruído de novo e ainda bem que eles continuaram unidos para descobrir quem é Red Coat. Sem contestar, Spencer e Toby foram os salvadores da temporada inteira e teve todo o direito de ter mais de 5 minutos de cena para esbanjar amor. Achei justo o clima de romance, perdão, saudade e lágrimas por parte de ambos, um momento compensatório pelo tanto que a liar sofreu, chorou e surtou. Eles mereceram essa pausa para a redenção em um quarto de hotel, pois foi assim que eles começaram. Ambos voltaram a representar uma dupla inesquecível e eu espero que eles retornem mais fortes na próxima temporada.

 

Mona surpreendeu a sociedade pelo simples fato de não saber quem é Red Coat. Janel atuou muito bem nesta temporada, embora sua rotatividade tenha sido centrada apenas para aborrecer Spencer até fazê-la ceder e entrar no “A” Team. Foi uma sacada muito boa a falta de conhecimento da personagem, pois eu pensava que ela sabia de tudo, pelo modo arrogante característico do comportamento dela. A jovem esbanjou autoridade ao recrutar Spencer, então, deu a entender que ela era o braço direito da Big A, o que não deixou de ser um fato. Porém, a doida trabalhava para uma sombra, sem saber quem era a a garota do sobretudo vermelho. Ficou nítido o desespero de Mona em querer saber quem comanda a equipe A, especialmente quando a casa pega fogo. Só quero ver se ela virará aliada das liars, pois ela também viu o que tinha no porta-malas. A única diferença é que ela não recebeu a fatídica sms de fim de temporada.

 

Dessa vez, a pegadinha de PLL foi com relação à Red Coat. A foto promocional de Spencer diante da misteriosa personagem, na verdade, era Hanna. Quando a liar começou a persegui-la dentro da escola, enquanto todos iam para o ginásio de natação, resmunguei com a possibilidade da Big A ser descoberta daquela maneira. Seria fácil demais e não justificaria o fato de Spencer ter sido recrutada e ter sofrido tanto para alcançá-la. Se fosse tão simples, esse mistério todo poderia ser anulado. Respirei aliviada ao ver a Hanna Banana como líder do teste de fidelidade para saber se a melhor amiga estava no “A” Team ou não.

 

Por outro lado, a tortura dos 10 minutos finais me fez puxar os cabelos. Eu ainda esperava ver CeCe embaixo do sobretudo vermelho, mas foram as feições de Ali que se revelaram. O que me deixou com a pulga atrás da orelha foi a exclamação (oh!) da Red Coat quando Hanna a vê. Cadê a malícia da Ali? Como Mona disse, a Big A sabe de tudo, como ela não suspeitaria que as liars estavam prontas para revelar sua identidade? E cadê a arrogância, com direito aquele sorriso de little bitch? Courtney é você? Ou seria mesmo a Ali? Essas twins que confundem, até quando?

 

A teoria das gêmeas pode não ser usada, mas há possibilidades de Red Coat ser realmente Ali por causa do pânico de Jenna ao telefone com Shana. Afinal, ela sempre teve medo da falecida, por mais que a enfrentasse quando tinha oportunidade. Melissa também ficou em alerta e nunca escondeu seu ódio pela garota. Isso me faz perguntar se elas, ao lado de Sasha e Wilden, sabiam de algo que confirmasse que Ali estava viva. O que pode reforçar a sobrevivência dela foi o flashback que encerrou o episódio, a mão suspensa no ar e outra puxando. Essa cena começou no episódio 3×13 e acredito que teremos a charada completa em breve (assim espero). PLL fica cada vez mais confuso, fato.

 

Para as damas do N.A.T. Club terem demonstrado tanto medo e tanto desejo em cercar as liars, a ponto de atear fogo na casa onde o quarteto estava junto com Mona, é provável que seja Ali mesmo. Além disso, acredito que o vídeo que Jenna mencionou se referia ao que estava no carro do Wilden.

 

Perguntas para a próxima temporada:

 

– Quem era o corpo que serviu de álibi para a suposta morte de Toby? – voto em Jason.

 

– Quem ou o que está no porta-malas? – voto em Jason

 

– O que Red Coat sempre quis? – referência de Mona ao falar com a cidadã no telefone. Se vingar das liars acho que não é, pois o quarteto, teoricamente, pertence ao “A” Team agora.

 

– Mona finalmente terá as liars de volta?

 

– Toby se safou do capote e do isqueiro que ateou fogo na cabana?

 

– O flashback do final do episódio se refere à ressurreição de Ali?

 

– Só eu que tive a impressão de ter duas Red Coat ou usei drogas?

 

O segredo agora é segurar a onda até dia 11 de junho, data marcada para a estreia da quarta temporada de Pretty Little Liars. A Random Girl estará na contagem regressiva!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3