Menu:
01/mar

Assistir ao Oscar acabou com meu sono, Randoms. Sério! Não me recuperei ainda e todo dia durmo no busão. Chego em casa e só penso em dormir mais e isso explica minha pequena ausência por aqui. Mesmo com o problema da sonolência em excesso, não ia deixar Pretty Little Liars passar batido aqui no Random Girl.

 

Vamos falar de coisa nem tão boa assim?

 

Aviso: as palavras morte, morreu, assassinato, cadáver e afins estão entre aspas para simbolizar minha descrença.

 

Minha expressão neste momento ao escrever esta review é: WTF? Sério! Por que você faz isso, Marlene? Depois de muito ponderar, eu não boto fé na morte Toby, pois as coisas em Pretty Little Liars são bastante mutáveis. O suposto incidente pode ter acontecido por causa daquilo que ainda me faz acreditar no personagem: seus sentimentos por Spencer. Eu fiquei meio passada com essa investida da série ao considerar aniquilá-lo, pois ele engrandeceu da última temporada para cá e seria uma perda muito grande. O tom da descoberta sobre o verdadeiro caráter dele, falado por Spencer, me agradou. Gostei da reação de Emily e Aria, com expressões de funeral, ao saberem da verdade. Agora, a montanha russa se acelera com destino à conclusão que, espero, seja arrebatadora.

 

O comportamento de Emily ao defender Toby me deixou satisfeita e foi importante terem frisado isso, pois ela foi o apoio do garoto quando ele fincou estadia em Rosewood depois do Jenna Thing. Foi muito bom ver a liar defender a crença de que ele é inocente, afinal, o personagem demonstrou muito bem o quanto amava Spencer e, na medida do possível, foi muito dedicado a ela e às amigas. Pedir para ter a verdade soou como a oportunidade de ouro para Toby se explicar, pois até eu preciso saber o por quê dele ter virado a casaca. É tanto ódio assim? Agora, o quarteto que virou trio precisará contornar o que chamo de Toby Thing para dar suporte à Spencer que realmente precisa de muitos abraços e mimos.

 

Ainda com Emily, a liar continuou com o lado investigativo, comportamento que merece elogios, pois ela é a única que está centrada e alerta aos novos passos de A e não há nenhum problema mirabolante que possa mantê-la de mãos atadas. Eu não a critico por ter insistido na inocência de Toby, porque também agiria da mesma forma se tivesse construído algum tipo de amizade com ele. Sei que as pessoas mudam da água para o vinho, mas ainda acredito na redenção dele. Eu confiei no Snape até o fim e esfreguei na fuça de muita gente que ele era bom, então, vou manter meu posicionamento a favor de Toby até que PLL me prove o contrário. Ems foi incitada a agir pelo estado de negação quanto à revelação e, mesmo visada pela Big A e por Mona, ela insistiu não só para sanar dúvidas, mas para tentar colher fatos que pudessem fazer Spencer se sentir melhor. Dignidade que só!

 

Enquanto Emily corria atrás de Toby, Hanna e Ashley continuaram tensas e preocupadas com relação ao desaparecimento de Wilden. O policial resolveu dar uma de serial killer, que aparece para a vítima e depois some só para causar um efeito de suspense. Eu acho que ele está vivo. O que me deixou com a pulga atrás da orelha foi o carro dele ter parado na garagem dos Marin, com o vídeo que rodou na íntegra, sem nenhuma alteração. Como comentei aqui no Random Girl, imaginava que fosse um truque do “A” Team, mas, se fosse realmente uma tentativa de colocar Hanna na berlinda, o vídeo já teria sido enviado para a delegacia. Como isso não aconteceu, creio que a liar recebeu um presente que não foi usufruído. Ela tinha a chance de ferrar Wilden, vivo ou morto, mas resolveu afogar o carro que, obviamente, virá à tona para dar uma pitada de terror ao season finale. Isso é só uma opinião.

 

A pequenina Aria me fez ficar com o coração muito, mas muito apertado. Que situação a dela, né? Foi muito bizarro ela sugerir que cuidaria de Malcolm enquanto Ezra e Maggie resolviam suas pendências pela cidade. Literalmente, foi a típica cena onde os pais contratam uma babá para poderem curtir uma noite sem as crianças. Maggie assumiu a face cretina que me deu vontade de estapeá-la, ao agir como se fosse casada com o professor. Claro que a venda do condomínio do qual ela morava foi uma cartada de mestre da Sra. Fitz, pois a mulher não gosta de Aria, e Maggie pode negar quanto quiser, mas ainda sente algo por Ezra e acredita, intimamente, que poderá construir uma família de verdade. Isso ficou evidente quando ela fala para Aria na maior naturalidade do universo que, se soubesse que ele se daria tão bem no papel de pai, teria contado o segredo antes. Posso com isso?

 

Sem contar que Aria ficou totalmente deslocada, como era de se esperar. Foi um belo de um toque de realidade e acho que ela precisava disso. Aria e Ezra formam um casal lindo, porém, muito acomodado. Está mais do que na hora deles reavaliarem o relacionamento, pois, quando a liar se formar, as necessidades serão outras. A cena do hospital foi decisiva para repartir Ezria e fazer Aria rever a situação embaraçosa da qual se encontra. Digo por mim: eu não aguentaria um fardo tão pesado. É como se sentir um belo de um estorvo, onde um dos lados está bem resolvido. Maggie e Ezra têm a mesma idade e, de brinde, um filho juntos que compõe, hipoteticamente, uma família quase perfeita. Eu me sentiria muito mal no meio dessa bagunça emocional e não tiro o direito de Aria seguir os conselhos da mãe em dar ré no relacionamento para conseguir respirar.

 

Como sempre, Spencer tinha que compartilhar crises de ódio com Mona. Este episódio contribuiu para terminar de afundá-la no fundo do poço, fato. “Matar” Toby foi o último golpe que ela acreditaria que o “A” Team faria para destrui-la. Spencer parecia “melhor” em comparação aos outros episódios e chegou a assumir mais uma vez seu lado investigativo ao perseguir Mona, sem ao menos esperar o susto dentro da sauna dispersar. A liar ainda teve tempo de duelar com uma monstruosidade de sentimentos e olhares desacreditados de Aria e Emily que não engoliram de primeira o fato de Toby estar ligado à Mona na composição de quem é A. Os questionamentos sobre o rapaz surgiram para infernizá-la, mas as meninas tiveram o bom tato de não repercutirem isso a ela.

 

O que me faz ter um pouco de certeza que Toby ainda gosta de Spencer foi o aviso no espelho do episódio anterior que foi pura mágoa de cabocla, só porque ela ficou com Wren. Para mim, o tipo de mensagem não condiz com as regras e os modelos do “A” Team, pois as liars são mais importantes vivas que mortas, e não houve nenhuma mensagem de ciúme puro para nenhuma delas. A não ser para Spencer.  Isso me faz crer que teve dedo do Toby e essa atitude que, provavelmente, o fez imaginar que arrasou, mudou completamente a logística de trabalho da Big A. Por isso mesmo que eu não sei o que pensar sobre a “morte” dele, mas, se a motivação for amor, há certo nexo. Como disse em reviews passadas, não é possível que ele não chegou a sentir nada, nadinha, por alguém depois de tanto tempo de convivência amorosa.

 

A coroa de flores é um símbolo de funeral e dá-la para Spencer foi um indicativo muito forte de que alguém morreria, muito mais que o bilhete e a faixa. E a dúvida da vez fica por conta da tatuagem do “cadáver” de Toby, detalhe que achei muito fake. Eu li alguns comentários de que poderia ser o corpo de Wilden ao invés do ex de Spencer, mas a estatura não bate muito, porque o policial é um pouco maior que o garoto. E Ashley viu Wilden, né? Duvido que o policial tenha morrido, seria muito fácil. Se Jason conseguiu fugir da queda de um elevador, ele conseguiu sair imune do atropelamento. Fim!

 

O desespero e a dor de Spencer ao ver o corpo de Toby foram chocantes, até mesmo para mim. Eu queria que ela não desmaiasse, pois temia pela presença de Mona. Ela sozinha, no meio do mato, pirando, anunciou a queda final da personagem que se rendeu à própria loucura, acarretada pela queda da máscara do cara que gosta, seguida da “morte” dele. Eu fico até bege como a liar ama o garoto, a maneira como ela ainda teve forças para lutar por ele, mesmo depois do inferno que começou a viver. Esse amor é bonito e eu não queria que se perdesse (mesmo tendo o gatinho do Wren na jogada!).

 

O que me faz ter dúvidas sobre a morte de Toby também é o fato de Mona ter sido tão escancarada quanto a isso e agir de maneira meio proposital. Isso me faz pensar que Toby pode sim ter planejado isso para terminar de destruir Spencer com uma cartada final ou livrar o peso dos ombros para voltar a se filiar com as liars. Me pergunto se foi ele mesmo que encaminhou as mensagens para Ems, mas, de acordo com o bilhete que Big A deixou para Emily, ele não existe mais. Isso quer dizer que ele está vivo e fora do “A” Team ou morto? Socorro! Aniquilar Spencer foi um prato cheio e Mona conseguiu isso – com muita facilidade até. A liar terminou internada e vejo isso como uma oportunidade para ela bancar uma de detetive lunática no local que teve como última visitante Mona. Eu deixo!

 

Toby pode ser o tal reaparecimento do season finale, seguido da revelação de Red Coat diante dos olhos de Spencer. Isso me dá arrepio só de imaginar. Agora, pergunto, quem é aquele cara que sabia o nome da Emily sem ela ter pronunciado? Foi muito clichê isso! Na hora percebi que ele deu um escorregão, mas por quê? Foi uma mera distração? Outra coisa, ninguém dentro daquele lugar seria cego de não ver uma loira, de salto, com um casaco vermelho. Me poupe!

 

Me pergunto também onde está Jenna. A garota simplesmente foi engolida, assim como Lucas. Preciso dela de volta!

 

Pela próxima promo, teremos muitas surpresas e mal posso esperar, ainda mais a nova interação de Spencer e Mona, bastante ameaçadora.

 

Conclusões, dúvidas e desespero? Desabafe, minha gente!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3