Menu:
04/jun

Pausa para o momento desabafo aqui no Random Girl! E ele não é nada contente.

 

Ontem (03.06), o fandom de The Vampire Diaries parou pelo seguinte motivo: Ian Somerhalder cancelou a vinda dele ao Brasil e isso quer dizer que a participação do ator na convenção Bloodlines foi por água abaixo. Eu pensei mil vezes em fazer este post, mas, como sou intrometida em tudo o que envolve TVD, resolvi aproveitar o bafafá para comentar o ocorrido. Eu não ia despender energia com isso, mas, depois que vi tanta gente dando a louca no Twitter, não consegui me segurar e cá estou prestes a ser lançada na fogueira para ser queimada pela Bonnie.

 

Como sempre acontece aqui no Random Girl, vou começar com um pouco de história. No ano passado, o Ian veio para cá com o intuito de participar de uma festa da loja John John. Eu relatei tudo em ricos detalhes, como vocês podem ler aqui, e vou pontuar alguns fatos que valem a pena serem mencionados. Ir atrás do Ian foi bom no começo, mas, depois, foi um inferno. A minha saga neste dia aparentou certa tranquilidade, sem direito a drama ou ao caos, mas o acúmulo de pessoas em uma das ruas mais ricas de São Paulo se tornou centro de confusão, de desconforto e de garotas malucas que quase arrancaram a cabeça do Ian.

 

Pois bem! O fandom brasileiro não tem limites. Quando digo isso, não se trata de uma questão territorial, mas de comportamento. A galera não hesita em gritar, puxar cabelo, chamar de gostoso/gostosa e derivados. Esse tipo de atitude parece normal e bonita, mas não é. Apreciar a presença do ídolo é uma coisa. Pagar de ridículo diante dele/dela é outra. Aprendi, em frente à Jonh John, que bons fãs são prejudicados pelos fãs lunáticos, que não conseguem segurar a emoção e agem como um bando de recém-saídos do manicômio. Não digo isso por maldade, mas porque vivi o momento de caos, onde o Ian parecia um animal sendo aturdido por perseguidores, o que o fez nem ficar mais de 20 minutos na festa.

 

O cancelamento da presença dele na convenção Bloodlines foi anunciado e a RTA Global, empresa responsável, foi pontuada como a culpada e recebeu inúmeros tweets agressivos. Alguns fãs foram bem compreensivos, isso fez meu peito se encher de orgulho, mas sempre há a parcela extremista. Vejam bem, porque a empresa investiria tanto no evento para causar a desistência do Ian, o ator que todo mundo queria ver? Isso seria desperdício de dinheiro, de energia. Inclusive, seria uma falta de respeito com quem comprou os passaportes.

 

Se as pessoas não se levassem tão fácil pelo calor do momento, poderiam analisar toda a situação de um ângulo diferente e notariam o quanto é inconcebível culpar alguém, sendo que a desistência do Ian é contratual. Quem estava ligado hoje no Just Jared, por exemplo, sabe que o ator confirmou trabalho novo e, por mais que ele goste e ame os fãs daqui, é trabalho. Eventos grandiosos sempre apresentam imprevistos. Infelizmente, foi o Ian, fazer o quê?

 

O que realmente me incomodou nesse alvoroço todo foi a cegueira alheia de achar que o Ian é a única estrela do evento. Sim, ele foi a causa de muitas pessoas terem investido nos passaportes, de terem deixado os pais sem sono para assumirem uma dívida de R$ 1.500 reais (conheço pessoas que pagaram do próprio bolso, o que não deixa de ser um peso extra, pois dinheiro não está fácil para ninguém), tudo para satisfazer o desejo que nem chega perto de ser um sonho, mas um item para inflar o ego. Com todo esse escarcéu, concluo, pela milésima vez na minha vida, de que tudo se trata de status. Todo mundo quer o Ian, mas ninguém quer saber “do resto”.

 

O resto seria Paul Wesley e Torrey DeVitto. Será que eles merecem esse tipo de “desfeita”, só porque o cara que é o Damon, o vampiro mais sexy da televisão, deu o cano em geral? Please! Amar The Vampire Diaries, ou qualquer outra coisa, não é dar valor a um único fator, mas ao conjunto. A série não é do Ian, oras! Sem contar que ou você ama o personagem ou você ama o ator (ou ambos), dois detalhes que, tenho certeza, influenciou a galera frenética a investir na convenção sem pensar duas vezes para ver o Damon, o homem-vampiro que não existe.

 

Claro, isso não é generalizado, ainda bem, mas há muitos fãs que não conseguem desprender uma imagem da outra. Tem gente que não chama o Ian de Ian, mas de Damon. Posso até compreender o alvoroço do cancelamento dele, pois as pessoas queriam vê-lo, mas acredito que essa força veio da insatisfação de quem iria a Bloodlines por causa da imagem idealizada do personagem.

 

Voltando a John John, ralei para conseguir uma foto do Ian e foi minha irmã quem a tirou. Fui esmagada, pisoteada, fiquei horas sem comer. Não paguei nada no ano passado para vê-lo e não me arrependo de nada do que passei. Ninguém paga pela minha emoção que foi ver o Ian em meio a muitas mãos na minha cara e aos berros ensurdecedores. Foi uma questão de esforço, que me deixou orgulhosa, pois conquistei algo próprio sem ter um tostão no bolso.

 

Ok! Não tirei foto com ele, mas quem disse que eu ligo? Quando fiz isso, eu estava desempregada e com um TCC nas costas. Não tive a comodidade que um passaporte Bloodlines oferece e oferecerá a quem ainda persiste em comparecer ao evento (orgulho de vocês!) mesmo com o cancelamento do ator (mandem um beijo ao Paul por mim).

 

Eu faria tudo isso pelo Paul, pelo Joseph, pela Nina, pela Kat, pela Candice, por qualquer um! Isso me daria certo orgulho, mais do que investir tão caro por algo que muita gente deixou evidente não se importar, porque o Ian não vai. Independente do valor pago, é dinheiro que não volta mais. Agora, concentrar toda a raiva só porque 1 ator cancelou, é reclamar de barriga cheia. O evento ainda rolará, o que há de tão dramático nisso? Há tantas pessoas que gostariam de estar lá, na primeira fila, para apreciar parte de um elenco tão incrível. É triste ver a turma abrir mão de uma oportunidade que, independente de exibicionismo nas redes sociais, será uma lembrança para a vida inteira.

 

O que as pessoas precisam compreender é que a série não se chama The Ian Diaries. Ian não é o Damon, mas o representa. Nian não é/foi Delena, mas serviu de motivação para muita gente torcer pelo shipper na ficção. O que vejo no fandom de TVD, não só neste como em outros, é que uma fatia dos fãs deturpam muitas coisas e geram caos a troco de nada.

 

Bloodlines não é só sobre o Ian, pois o Paul, aquele que faz o Stefan Salvatore, aquele que é um dos protagonistas do seriado mais influente da CW, também estará lá e a Torrey, mesmo que não seja tão amada, é muito querida, algo evidente em todos os vídeos das convenções de TVD que está rolando em outros países.

 

Sério mesmo que alguém comprou o ingresso só para barganhar a beleza de Ian Somerhalder? Não acho que este tipo de motivação o faria se sentir orgulhoso, no mínimo, ele ficaria agradecido e honrado, mas tenho certeza que ele prefere ser reconhecido pelo trabalho. Por isso sou totalmente contra ao fato da possibilidade dele atuar em 50 Tons de Cinza, pois acredito que Ian merece algo melhor que uma pornochanchada. Pensar no quanto Ian é gato é menosprezá-lo indiretamente, pois é uma futilidade e ele é bem mais que um rosto bonito. O cara é altruísta, ativista, possui uma organização. Ser bonito é apenas um brinde para um homem que tinha tudo para ser um doido varrido, arrogante e etc.

 

Eu posso não ser a mais dedicada ao fandom de TVD, mas, conforme escrevo as reviews de cada episódio, não tenho medo de xingar os personagens e nem de falar mal dos atores. Reconhecer as falhas da série não me faz amar menos o contexto dela. Isso me faz humana, que reconhece quando algo está bom ou ruim. Me arrisco demais quando coloco a boca no trombone, mas não estou aqui para agradar ninguém e, se é para ser honesta, é assim que tem que ser.

 

Sou fã e não preciso lamber ninguém para provar isso. Aproveito e agradeço a todas as meninas, Stelenas e Delenas, que passam por aqui e compartilham dos momentos felizes e revoltantes de TVD comigo. Isso é uma atitude que raramente encontro em pessoas que amam demais determinadas celebridades, séries e afins.

 

Recado da Random Girl

 

Você! Você mesmo com o passaporte All Access para a Bloodlines, tenha orgulho de ter o bendito em suas mãos com ou sem Ian Somerhalder. The Vampire Diaries não é só o Damon. Digo isso porque, quando estava espremida entre muitas pessoas para ver o Ian de relance no furdunço da John John, os supostos fãs só queriam ver o DEIMON. E não adianta dizer que isso não acontece, pois fucei a Fan Page da Bloodlines Convention e vi geral usando o nome dos personagens para definir os atores. Alowww!

 

O triste é notar que os fãs de TVD (friso: não todos), só assistem a série por causa de um interesse em específico, como os shippers ou um personagem, e foi com esta atitude que muitos investiram em um passaporte na Bloodlines e agora querem abrir mão dele. O resto do elenco não importa? Eu acho este tipo de comportamento indigno, pois a ideia é amar o conjunto da obra muito bem formado por Kevin Williamson e Julie Plec.

 

The Vampire Diaries é uma das séries mais influentes entre os jovens e é de se lamentar que o público brasileiro em específico só leve em consideração uma pessoa que, neste caso, se chama Ian Somerhalder.

 

O que me alivia é que existem fãs conscientes de The Vampire Diaries que sabem o momento que estão prestes a viver e eu sou uma dessas pessoas com inveja de quem vai à Bloodlines. Espero que todo mundo aproveite, com ou sem o Ian, pois amar esse elenco com pessoas altamente talentosas é o que faz toda a diferença.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3