Menu:
24/jul

Para aproveitar o post onde comentei sobre a vida real contra a minha vontade de chutar tudo para abraçar meu lado de pseudo-escritora, eis que encontrei algumas dicas para me tirar do vício de sempre afirmar que não tenho tempo para escrever porque trabalho. Resolvi adaptá-las para postar aqui em nome daqueles que se encaixam no mesmo dilema. Vocês verão como elas serão úteis.

 

No meu caso, meus momentos de inspiração sempre aparecem no meio do expediente. O triste é ver o We Project rendido aos finais de semana, pois sei que meu tempo seria muito bem gasto na produção de um capítulo por dia, mas não dá. Nessas horas, volto a cogitar o abandono de tudo para me dedicar ao que gosto. Só assim para eu terminar meu livro ainda este ano (sendo bem otimista!).

 

Tem horas que trabalhar é uma chatice. Tem dias que não dá vontade de fazer nada. No meu caso, escrevo há 1 ano sobre as mesmas coisas e estou em constante tédio. Nas minhas pausas dramáticas diante da tela do computador, sempre tenho o insight perfeito, mas não posso explorá-lo. Tenho que anotá-lo e torcer para que a inspiração volte em algum momento para inclui-lo no meu pseudolivro. Com o trabalho e o blog, o tempo para escrever se tornou diminuto. Dar essa desculpa me fez dormir melhor por um período curto até eu começar a me sentir culpada. Por isso, quando a ideia vem, dou uma brecha para deixar meu lado escritor aflorar.

 

E isso acontece no trabalho.

 

Mesmo com a correria, há maneiras de manter a criatividade sempre ativa, mesmo em um dia em que se precisa entregar um relatório das trevas ou enfrentar uma reunião por tortuosas horas. Quer saber como? Vamos para as dicas de hoje, onde você pode usar o horário de trabalho para escrever! Tcharam!

 

1. Na hora em que você estiver no rumo casa-trabalho (ou vice-versa), use o tempo para observar o que acontece ao redor. Eu vou para o job de metrô e tenho que pegar um ônibus. Isso é um processo de ida e volta. Na ida, leio algum livro e, na volta, sem contar com o assento sagrado de todo dia, observo a vista do percurso e escuto as conversas alheias. Vocês não fazem ideia de quantas dicas já colhi por meio dessa atitude. Até defini características de personagens, se querem saber. Analiso como as pessoas se comportam, decoro nome de estabelecimentos que combinam com o plot do WP. Até o nome de trajetos de ônibus são minhas vítimas.

 

Observar ajuda e muito na construção de cenários. No meu caso, eu precisava de prédios, muitos prédios, e, ao longo do caminho, capturei algumas imagens. Se você não correr nenhum risco de ser assaltado, tire fotos para se lembrar daquilo que precisa quando chegar em casa. Quem tem a sorte de ir sentado no metrô – no meu caso, prefiro ficar em pé, porque me concentro melhor para ler –, escreva. Eu já tentei fazer isso no ônibus, mas ele chacoalha muito, mas sempre ando com um bloquinho na bolsa. Até durante o expediente surge àquela luz e eu corro para anotar. Não sou besta!

 

Observar sempre me dá ideias ótimas, especialmente para pensar no próximo capítulo, pois sou dessas que precisa ter tudo arquitetado para não me perder.

 

2. Defina o melhor período para escrever. Eu me sinto mais inspirada pela manhã. No trabalho, o que me ajuda é que chego primeiro que todo mundo e deixo os dedos sangrarem no teclado. Esse é o período que minha cabeça está tranquila, limpa e sem sinais de irritação. Escrever durante o expediente é um risco, sei bem. Já suei frio por deixar o arquivo do We Project aberto, mas parei de cometer essa burrada e me impus limites. Se houver brecha e não tiver tanto trabalho, eu escrevo.

 

Qualquer oportunidade que aparecer pode render um parágrafo. É meio tenso fazer isso, eu sei, passo por essa situação todos os dias, mas quando não se tem tempo, é preciso aproveitar as chances que surgem.

 

3. Se você tem um celular moderno (iPhone) ou um tablet, e eles podem ser usados no trabalho, taí armas infalíveis. O bloco de notas do meu iPhone é uma bênção. Isso porque não queria comprá-lo, mas foi o maior investimento da minha vida. Além de poder escrever, eu atualizo as coisas do blog por meio dele. Amo/sou a Apple! Eu trabalho na redação e, quando estou sem paciência, dou uma relaxada e foco no WP. Faço um brainstorm e anoto tudo no celular. Ao aderir essa ideia, só tomem cuidado para não ficarem muito tempo dedicados aos aparelhos, pois é deselegante e o chefe pode pensar que você está pendurado no WhatsApp.

 

4. E-mails podem ser úteis sabiam? Quando li essa dica, quase morri do coração, pois ela é bem maligna! Ficar com o e-mail pessoal aberto o tempo inteiro pode não ser bacana (se a empresa usa Gmail e você também, pode rolar um disfarce). A sacada para quem não tem tempo de escrever é lançar todas as ideias no corpo do e-mail que podem ser salvas como rascunho ou enviadas para algum endereço pessoal. Se você tiver moral para usar o da empresa, basta encaminhar para si mesmo ou transferir o texto para o Word. Os insights do dia estarão salvos, você não se sentirá culpado por não ter escrito nada e poderá dar continuidade em casa. Olhem que maravilha!

 

5. O horário de almoço é uma coisa complicada. Alguns querem jogar conversa fora, outros querem dormir e outros querem ficar sem fazer nada. Mas, se você não tem outro horário para escrever, esta pode ser uma oportunidade para desenvolver aquelas 500 palavras que você prometeu que escreveria todos os dias. Ninguém reclamará e se importará, pois é o seu momento de pausa. E, de quebra, ninguém espiará por cima do ombro, como os meus queridos amigos que chamo de “gansa tela”.

 

E eu achava que encontrar tempo para escrever era difícil. Agora, é sem desculpite mesmo! Metade dessas dicas eu coloquei em prática e elas são eficazes. Só a do e-mail que não, pois tenho medinho.

 

Se alguém tiver alguma dica interessante, compartilhe nos comentários que eu vou amar.

 

Em breve trarei mais meios para se escrever, sem frescura ok? Fiquem ligados no Random Girl 😀

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3