Menu:
21/jul

Eu sabia que a Comic-Con me mataria do coração e agradeço e muito por não ter estado online no sábado. Em um dia, teve trailer de Jogos Vorazes – Em Chamas, o elenco de The Vampire Diaries, Doctor Who e Karen Gillan. Se eu estivesse nos corredores do evento mais nerd do mundo, tenham certeza que não faria este post devido a um AVC instantâneo. Muita gente bacana, muito fandom que amo e, claro, muitos momentos fangirling na madrugada.

 

Da mesma forma que não sabia por onde começar na hora de procurar todo o material dos meus fandoms queridos, este post também não tinha um começo, um meio ou um fim. É muita emoção para meus dois corações, uma vida de whovian que me dá direito a dois órgãos vitais, mais o processo de regeneração para enfrentar diferentes ondas de emoção. Não é à toa que começarei a falar de Doctor Who, onde as duas pessoas que me representaram foram Matt Smith e Steven Moffat (que deveria ser bonzinho e liberar o trailer dos 50 anos da série que foi transmitido no evento). Não considerarei a Jenna, pois já me conformei que não gosto dela. A garota impossível pode ficar com as impossibilidades longe de mim.

 

Depois de ler todas as entrevistas referentes a Doctor Who, choraminguei com a declaração de Matt no painel sobre a saída dele da série que acontecerá no final deste ano. Depois de David Tennant, não sei se estou preparada para uma nova despedida, pois os Pond foram os últimos que levaram tudo de mim e me deram uma semana de luto. Mal conseguia olhar para as fotos de Karen and The Babes que fungava de tristeza. Não sei se aguentarei mais um adeus, pois sei que ficarei de cara com a série por dias. Já percebi que esse comportamento é vicioso, mas logo volto a amar meu alienígena de dois corações e a nova versão.

 

Matt ficou na série por quatro anos e, assim como Arthur e Karen, afirmou na Comic-Con que esses foram os melhores da vida dele. Para quem não sabe, Matt interpreta o Doctor mais velho, mas foi o ator mais novo a dar vida ao personagem. É bem bacana vê-lo com a carinha de bebê na quinta temporada e acompanhar o quanto ele amadureceu ao longo da saga do Senhor do Tempo.

 

 

No painel, ele disse que sentirá muita falta do universo Who. Porém, o que machucou, foi a seguinte declaração:

 

“Eles vão conseguir alguém incrível (referência ao novo Doctor que entrará no lugar dele), vão conseguir alguém brilhante para fazer isso, eles realmente vão. E essa é a coisa maravilhosa com relação ao show. Ele continua, ganha força e sobrevive. E ficará melhor e maior, e vocês se esquecerão de mim”.

 

Onde é que encontra uma TARDIS para se enfiar e morrer de tanto chorar?

 

Meu coração whovian ainda teve que sobreviver ao impacto de ver Karen Gillan careca. Em visita a casa de Matt Smith, minha atriz mais amada, eternizada pelo papel de Amy Pond, companion do 11º Doctor, apareceu com os cabelos curtinhos. Achei lindo! Porém, jamais me passaria pela cabeça de que se tratava de uma peruca.

 

Pausa dramática!

 

Sim, minha gente, a minha ruiva do coração estava de peruca e a arrancou na Comic-Con. Tudo isso porque ela realmente abraçou o novo trabalho na adaptação de Guardians of the Galaxy, onde ela será a Nebula (que é careca). Ela já tinha passado nos corredores do evento, como se nada tivesse acontecido, na sexta-feira para divulgar a série NTFS:SD:SUV. Não se preocupem, pois Karen está com as madeixas longas por lá, algo que dará para matar as saudades.

 

São nessas horas que percebo que escolho as atrizes certas para ser fã. Vocês não fazem ideia do quanto a Karen me encheu de orgulho com essa atitude. Ela é uma artista que sempre desejarei o melhor, pois a ruiva é extremamente talentosa e dedicada. Que ela ganhe Hollywood para calar a boca das inimigas! Eu daria uma beijoca na carequinha dela, de boa.

 

Depois desse susto, no meio da madrugada, cheguei ao momento delicado do que aconteceu no meu dia na Comic-Con: o trailer de Jogos Vorazes – Em Chamas, um dos itens que me perturbou no decorrer da semana. Acompanhei a contagem regressiva da galera do fandom de Jogos Vorazes com relação ao segundo trailer. Depois do soco no estômago que foi o primeiro teaser divulgado no MTV Movie Awards, esperava algo grandioso, que me fizesse enfiar o punho inteiro na boca de aflição.

 

Foi exatamente isso que aconteceu.

 

Eu não sei como descrever minhas sensações com relação ao trailer de Jogos Vorazes – Em Chamas. O efeito da adaptação sempre me causa sentimentos variados e indescritíveis. Porém, o que me cutuca lá no fundo é a questão da rebelião.

 

Katniss e Peeta acham que saíram vitoriosos do Hunger Games, mas sabemos que não é exatamente isso que acontecerá. Ambos ainda terão muitas responsabilidades e conflitos pela frente. Na segunda adaptação, nossos tributos terão que enfrentar o estopim de uma aparente revolução. Quando vi o trailer, tudo se misturou e minha visão ficou entregue a um intenso blur. A palavra que me representa diante do que vi é: pânico.

 

O olhar da Effie para a Katniss. O caos no Distrito 11. Gale e as chibatadas. O beijo Katniss e Gale (sou Team Peeta, mas achei a cena linda, tchau!). O filme tem tudo para ser incrível, insuperável e fiel. Eu achei a primeira adaptação muito próxima do livro, então, não me custa torcer para que tenham repetido a mesma fórmula. As cenas da Capital foram de tirar o fôlego e bato palmas para o Presidente Snow, impiedoso na medida certa.

 

Mas nada, nada se compara a colheita para o Massacre Quaternário. Ela sempre baterá de frente. Ainda mais quando Prim está dentro do cerco. Katniss é uma personagem que me identifico demais, especialmente quando ela cuida com tanto carinho da irmã mais nova. É, assim, muito perturbador para descrever.

 

Peeta sempre gracinha com aquela carinha de cão abandonado. Posso dizer que quase pulei na tela quando ele diz para a Katniss que quer um relacionamento real? Por favor, manda esse padeiro para cá!

 

O centro de treinamento merece certo louvor, pois, a meu ver, superou a do primeiro filme, com toda a pegada high tech. Sou viciada nessas coisas, admito. Adoraria fazer treinos com simulação ao lado da Enobaria, do Brutus e da Johanna. Katniss com os trejeitos de guerreira competindo com o sentimento de pavor ao segurar o arco e flecha, a arma que mais uma vez terá que garantir a sobrevivência dela… Novembro, cadê você?

 

A pausa dramática deve-se para Finnick recém-chegado do Havaí. Gente, vocês não fazem ideia do quanto ri e do quanto reprisei essa cena. Como disse na última coluna fangirling, Sam não é meu Finnick, porque meu Finnick não existe, mas, em dois segundos de aparição no trailer, a expressão de canalha dele me convenceu de que o ator vai honrar o personagem da melhor maneira possível.

 

Agora, os figurinos merecem indicação ao Oscar. Olha eu sendo precoce. Tipo, as roupas estão muito melhores e mais elaboradas. Só a transformação do vestido da Katniss merece quinhentos homenzinhos dourados, porque ficou muito incrível. A roupa do desfile também, muito mais apropriada que a versão do primeiro filme.

 

Alguém ainda tem dúvidas de que Jogos Vorazes – Em Chamas vai silenciar muito fandom metido a besta? Obrigada!

 

Passado o drama de Jogos Vorazes, lá fui eu perseguir minha vampirada tão amada. Gente, pelo amor de Deus, alguém convence a CW a me dar um emprego no meio desse cast? Eu fico em uma euforia tão grande que, às vezes, não acredito que eles existem. Nem quando estava na Bloodlines parecia real. Todas as fotos já foram salvas no meu celular e me farão morrer de amor no decorrer dos próximos dias.

 

Falando nelas, as fotos do elenco de TVD que foi à Comic-Con deixaram claríssimas como água que Nian não existe mais. Nina ficou o tempo inteiro ao lado do Paul, algo que fez meus olhinhos brilharem. Povo todo errado considerando que Dobesley é um shipper canon. Lembrando que Paul é casadíssimo com a Torrey, morre de amores por ela e nunca esconde isso. A photoshoot para o TV Guide, com a Nina pendurada no pescoço do Paul, foi um kick no estômago. Fiquei meio assim com o grude entre a Kat e o Ian, mas eles são bem amigos e não há nada a temer (eu acho, até porque a Kat é supercomprometida).

 

Não adianta, pois a grande estrela da Comic-Con foi o Paul e quem disser o contrário vai receber a macumba da Bonnie para o resto da vida, tenho dito.

 

Vale mencionar o elenco de The Originals que aspiravam a sexo por onde passavam. Joseph era só chamego com a Claire. Daniel, por favor, onde se encontra um homem desses?

 

Conseguem entender o porquê preciso de um emprego no meio deles? Por favor, sonho!

 

Encerro a coluna fangirling em meio a suspiros por amar tanta coisa ao mesmo tempo. Nessas horas, não tem como não amaldiçoar o fato de não ter nascido rica para conferir um evento desse de perto, mas aguardem que um dia estarei lá e não será como fã. Alguém aí iria a um painel de um suposto WP? Olha eu sonhando de novo! Mas eu vejo a mãozinha da minha metade balançando no ar. Arrasei!

 

Créditos das imagens: divulgação/instagram

Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Isis Renata

    é muito estranho ver as fotos do cast tvd né? estranho assim, sei lá como a nina e i ian agiram como se 'não te conheço amigs' rsrs

    prima, eu também queria ser rica para estar em um momento como este, ver atores que admiramos serem uns fofos é uma coisa linda ! *-*

    eu estou em clima de Clone Club, a senhorita Barros me passou a serie e estou simplesmente absorta com ela. viciei em segundos como a tempos não sentia com uma série. e acompanhei o cast e eles são DBHJGBJHNJBAKJFHBMJ saca? hahaha

    por fim, tem Catching Fire e devo dizer que embora não seja tão fangirling como tu da saga, eu gosto muito e fiquei sem ar no trailer. tá muito bem feito, tá muito real, tá tantas coisas que sei lá eu vi tudo e fiquei 'ai meu deus, meu deus, ai meu deus', era as únicas coisas que conseguia dizer.
    e o Gale então? sério eu PAUSEI a cena da chibatada e sai do quarto porque PQP velho. não dá…

    anyway. muito amor ♥
    um beijo, te amo, tchau