Menu:
25/jul

The Bling Ring, novo longa assinado por Sofia Coppola, ainda não chegou aos cinemas brasileiros e a ansiedade para conferi-lo me mata dia após dia. Não só por ter Emma Watson no elenco, mas também pela história interessante: um grupo de jovens, uma gangue de Hollywood (termo traduzido para o livro que se refere a um dos nomes que o grupo recebeu, tais como Hollywood Hills Burglar Bunch e o próprio Bling Ring), que furta acessórios de celebridades que valem uma fortuna para desfilarem com um falso status de riqueza e de poder. É bem verdade que tudo do universo Coppola serve de inspiração para gerar moda, como aconteceu com a lindeza do filme Maria Antonieta.

 

Quem é que não queria esbanjar dinheiro com as amigas e falir um governo?

 

A influência de The Bling Ring também alcançou o universo fashion. O enredo do filme é inspirado em fatos reais entre os anos de 2008 e 2009. O grupo de adolescentes é impulsionado pelo desejo de entrar nas residências das celebridades para esbanjarem o que não podem ter e foram certeiros na escolha dos artistas, onde na lista estão Paris Hilton, Lindsay Lohan, Rachel Bilson e Orlando Bloom.

 

Chamada de “a gangue de Hollywood”, ela pode ser simbolizada por uma única palavra: consumismo. A curiosidade e a obsessão gerada por The Bling Ring vão muito além de adolescentes que furtam, pois o longa virou um espelho para abrir espaço para novas tendências da moda. Coppola moldou um novo hit que pode se enquadrar ao mimo que foi (e sempre será) As Patricinhas de Beverly Hills.

 

The Bling Ring - Construindo o Figurino

Alguns críticos afirmam que The Bling Ring é um estudo sobre o materialismo. Porém, Coppola aproveitou a oportunidade para contratar uma figurinista talentosa, que encontrasse a personalidade de cada personagem por meio das roupas que eles vestiam. A diretora sempre demonstrou certa preocupação quanto a esse assunto, o que torna cada adaptação assinada por ela um luxo e um deleite aos olhos daqueles que amam um filme que tem bom gosto para moda. O citado Maria Antonieta traz a sensação sonhadora de querer fazer parte do mundo criado por Coppola. Com a gangue de Hollywood, não foi muito diferente.

 

Coppola contou mais uma vez com a colaboração de Stacey Battat, a mulher por detrás do figurino de The Bling Ring. Como hoje é dia de moda no blog e a estreia do filme está bem próxima, nada como trazer um post sobre o assunto e deixá-los por dentro da produção do elenco que, só pelo trailer, é impecável. A estilista repete a parceria com a diretora que se iniciou no filme Somewhere, onde Battat foi responsável pelo guarda-roupa de Elle Fanning.

 

Montando o figurino de The Bling Ring

 

Para aqueles que acham que foi difícil dar personalidade aos personagens por meio da escolha do figurino, que causa inveja só de olhar para o pôster, se enganou. Battat afirma que não teve muito trabalho para encontrar inspiração para desenvolver o figurino da gangue de Hollywood. Tudo o que ela precisava foi encontrado em Los Angeles e a estilista obedeceu a regra primordial para quem atua no ramo: fazer uma pesquisa de mercado.

 

A busca pelos trajes perfeitos começou na cidade de Kitson, o point das celebridades, tais como Paris Hilton, uma das vítimas do assalto, conforme descrito no livro e na notícia que deu inspiração para o filme. A lição de casa se deu na loja da marca Wildfox, que serviu de cenário para a filmagem de uma cena para o longa.

 

The Bling Ring - Construindo o Figurino

Battat considera The Bling Ring o melhor projeto que se envolveu até agora e se dedicou bastante para mostrar como os personagens são apaixonados por roupas. Para os figurinos de Emma Watson e o restante da gangue de Hollywood, ela tentou recriar as peças coringas de 5 a 10 anos atrás tendo como base marcas como Herve Leger (Hervé Léger) e Marc Jacobs. A inspiração para o guarda-roupa a fez voltar no tempo e descavar as edições anteriores da revista US Weekly. A Loja Greystone Manor também serviu como ateliê para a busca do figurino.

 

De acordo com Battat, os figurinos não foram produzidos na hora, pois ela e a equipe queriam peças que o público pudesse reconhecer. Assim, a opção foi para a moda urbana, mas de pessoas ricas, com trajes reais vindos da Louis Vuitton, da Versace e da Balenciaga, mas sem perder o foco de que a história acontece em L.A.

 

Como disse, The Bling Ring é inspirado em fatos reais que aconteceram entre meados de 2008 e 2009. Porém, Battat foi buscar o figurino em 2003 e, como vimos no trailer, o longa abraça a alta tecnologia que temos atualmente. Não seria uma contradição, sendo que nessa época nem tínhamos Orkut? A designer notou essas diferenças de épocas e teve que balancear todos os pontos para ajudar na criação de um filme atraente e que desse impacto. Coppola e ela debateram essa questão da linha do tempo entre os fatos e a adaptação, e optaram pela ambiguidade.

 

Atualmente, é difícil ver um filme voltado para a galera jovem que não tenha um elenco que não use Twitter ou Facebook via iPhone. Com roupas de alta classe e aparelhos eletrônicos, o mix deu um retoque básico à adaptação que, mesmo com o conflito temporal, ganhou mais valor.

 

The Bling Ring - Construindo o Figurino

Ao contrário do que se imagina, a personagem da Emma Watson não é a principal da história, mas ganhou destaque por ela ser quem é. Ela interpreta Nicki, inspirada na versão original chamada Alexis Neiers. Quanto ao figurino dela e do restante do elenco, Battat queria transparecer ao público que esses jovens sabiam exatamente onde as roupas de classe se encontravam. Eles são aquelas pessoas que leem tabloides e reconhecem quando a Paris Hilton usa um vestido do Roberto Cavalli em uma festa, por exemplo.

 

A gangue era um grupo antenado naquilo que buscava, mas eles não “nasceram” assim. No início do longa, os integrantes da futura gangue usam roupas de marca que eles seriam capazes de comprar, mais acessíveis para a idade juvenil que tinham. Ter um par de sapatos de 500 reais era questão de mera sorte. Antes dos furtos, Battat deu a eles roupas da minha amada Urban Outfitters e da Old Navy.

 

Para Battat, fazer a transição da vida quase pobre para a supostamente rica foi bem fácil. Quando a Nicki aparece vestida como Jackie O na corte para ser julgada, a estilista afirma que foi uma maneira de mostrar o tipo de roupas que as meninas usam quando elas são presas. Lindsay Lohan é um exemplo clássico nesse quesito.

 

A pergunta que fica é: as cenas dos furtos foram refeitas nas casas de quem foi roubado? Não, gente! Na verdade, o set foi construído como um shopping particular, onde, com o auxílio de Anne Ross e Sarah Parks, as decoradoras, foram misturadas roupas de maneira que as de valor chamassem mais atenção. As peças de cada personagem ficavam à espreita e Battat as organizou para que os personagens as roubassem conforme a personalidade deles – Nicki rouba uma jaqueta Rick Owner e Rebecca, interpretada por Katie Chang, um vestido Alexander McQueen da casa da Megan Fox.

 

Na casa da Rachel Bilson (ai que dó!), eles roubam peças da Chanel. Na da Paris Hilton, o alvo foi Versace e Herve Leger. A produção ordenou as roupas em duplas para que os personagens fossem direto naquilo que se identificavam. Para uma cena, a equipe colocava as luxuosas por cima, para deixar o closet o mais rico possível. Na telona, pode parecer que tem muita coisa, mas é mera impressão. Os produtores tiveram que rebolar para aumentar a quantidade de peças que eram poucas.

 

As joias também é um ponto forte. Quem brilha em The Bling Ring é a marca Bulgari. Para quem imagina que é só entrar em contato com a loja para obtê-las, se enganou, pois o processo é bem delicado. Para que o elenco usasse acessórios caros e da moda, seguranças foram disponibilizados para protegerem as peças da marca. No total, foram cedidas 15 milhões de dólares em joias e cada segurança foi responsável por 5 mil cada um. A escolha de Battat foi pelas versões menores que atingiram suaves 13.6 milhões de dólares para a produção.

 

Acharam que era fácil?

 

Vale mencionar que Battat também tem dedo nos figurinos do piloto do seriado Girls e How to Make it in America. Atualmente, ela ajuda o elenco do remake do filme cult dos anos 80, Endless Love, a se vestir de forma arrasante.

 

Se inspirando na moda de The Bling Ring

 

Por mais que sejam roupas caríssimas de serem usadas em uma rotina pacata, a moda da gangue de Hollywood pode estar no seu guarda-roupa. Aproveitem a temporada de frio e use peças que são feitas de couro. Perca a timidez e invista nas leggings pretas e combine com um suéter básico, uma imitação da Zara. Os óculos escuros são hits no filme e devem ser do modelo maxi ou com lentes no formato aviador.

 

Lembrando que a história do filme aconteceu em 2008, então, dá para explorar bastante o look do dia.

 

No Brasil, não dá para sair com capas de pelo, pois faz muito calor e ninguém compreende que essas peças são uma gracinha. Como ainda estamos no inverno, dá para usar e abusar da jaqueta de couro. Não se esqueça dos saltos, especialmente das botas e das ankle boots que são sucesso.

 

The Bling Ring tem estreia marcada no dia 02 de agosto nas telonas brasileiras. Confiram o trailer para morrermos juntos.

 

Vídeo hospedado no YouTube. Isso quer dizer que ele pode sair do ar a qualquer momento

 

Fonte que inspirou o post: The Fashion Spot

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Quero mtoooooooo assistir, mas tenho a impressão de que não vai chegar em tantos cinemas, igual Perks. #ódio

  • Isis Renata

    chegue logo filme ")