Menu:
17/ago

Quem é pottermaníaco e me conhece há anos sabe que um dos meus calcanhares de Aquiles quanto a Harry Potter se chama Remus Lupin (não gosto da versão “traduzida”, me julguem!). Ele foi o personagem que inspirou minha primeira fanfic com foco na Era dos Marotos e, quando estava na fase trash da adolescência, o personagem da saga escrita por J.K. Rowling me fazia escrever textos tristes. Na época, até me convenci de que tenho jeito para desenvolver histórias muito dramáticas, vejam bem. Inclusive, me imaginava como a nova Nicholas Sparks.

 

Em meio à crise de identidade no fandom de Harry Potter, onde todo mundo tinha um nickname que representava a família da qual pertencia, lembro-me que assinava como Lupin, até descobrir que Lestrange era mais forte e que ninguém o honrava (a Bellatrix é minha top personagem favorita). Eu sou meio estranha quando o assunto é preferência entre os bruxos e as bruxas da Rowling, mas não tenho nenhum receio em dizer que aqueles que amo não existem. Não existem no sentido de terem feito parte da vida do menino bruxo em carne e osso, algo que aconteceu com parte dos Marotos.

 

O professor Lupin foi o único personagem real, por assim dizer, que representou a Era dos Marotos. Isso aconteceu em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, sem incluir Sirius Black, porque ele nunca foi o amor da minha vida. Muito menos o Peter Pettigrew. Era muito fácil escrever fanfic sobre eles pelo simples fato da Jo nunca ter dado descrição da personalidade de cada um, como acontece com aqueles que pertencem a Era Potter. A Era Marota nunca teve um começo e fim concretos, só a morte dos pais do Harry, e o restante dava para viajar e muito na maionese. Até hoje faço isso se querem saber e ainda me divirto quando encarno o papel de ficwriter, meu guilty pleasure.

 

Vocês devem se perguntar por quais motivos faço um post sobre o Remus e os Marotos, né? Muito bem! Como nada na minha vida é fácil, a tia Jo já me deixou muito bravinha. Isso aconteceu quando ela colocou Tonks e meu lobisomem juntos. Não shippo, achei ofensivo e não gosto até hoje.

 

Digamos que O Enigma do Príncipe afundou todas as minhas expectativas quanto a qualquer shipper que torcia, até os que não tinham prioridade (ou nem havia possibilidade). Só valeu porque o Dumbledore morreu nas mãos do meu querido Snape e, na época, só pensava que finalmente o chato diretor tinha batido as botas, o que compensou a leitura no meio da madrugada, online, com uma tradução meia-boca (Ok! Eu fiquei chocada, porque sempre achei o personagem imortal, mas, depois desse descarte, apenas me convenci de que ele não servia para nada, a não ser para falar frases de efeito. Lado sonserino maligno falando!).

 

Eis que desde o aniversário da tia Jo e do Harry, só coisas boas foram lançadas sobre o universo Potter. Se vocês forem à página do Random Girl no Facebook, vocês poderão conferir as capas e as contracapas divulgadas para a versão de aniversário que sairá este mês pela Scholastic. O Pottermore não foi esquecido e, para deixar qualquer fã do shipper Tonks e Lupin feliz, a Jo liberou na semana passada um material crucial sobre como eles se conheceram e qual seria o patrono do professor de Defesa Contra as Artes das Trevas mais amado (No meu caso, só perde para o Snape).

 

Como todos devem lembrar, Remus e Tonks foram membros da Ordem da Fênix e ela foi apresentada no quinto livro da série, toda adorável com o cabelo pink. A bonita ainda era a protegida de Moody, tinha sangue Black, era auror e entrou no grupo como a membra mais nova (isso dá gif biografia).

 

Remus Lupin e Ninfadora Tonks Relíquias da Morte

De acordo com Rowling, as primeiras impressões de Remus sobre Tonks foram extremamente positivas. Ele nunca tinha se apaixonado antes (nem pela Lily?) e, ao vê-la, ficou impressionado. Mais tarde, o lobinho ficou seriamente inclinado pela jovem bruxa. O sentimento começou a despertar no período em que o mundo bruxo estava, em tese, sossegado, o que serviria de desculpa para Remus ir embora por reprimir o que começava a sentir e por ter a ideia de que não suportaria ver Tonks se apaixonar por um jovem bruxo do Departamento de Aurores. Pelo menos, era isso o que ele achava que fosse acontecer. Porém, a guerra estourou, e Lupin permaneceu no mesmo posto na Ordem, mas escondeu o que sentia por Tonks. Os momentos saltitantes dele vinha quando era mandado em alguma missão ao lado da bruxa, o que o deixava muito feliz.

 

Tonks causou um grande efeito sobre Remus e nunca passou pela cabeça dele que seria correspondido. Nas palavras da Jo, o maroto sempre foi melancólico e sozinho, sem contar que ele costumava se considerar um zero a esquerda, um alguém que não se vestia bem e que não valia a pena ter um relacionamento (por que não me apresentaram para ele?). Em uma missão, quando Tonks e ele se esconderam na casa de um conhecido Comensal da Morte, depois de 1 ano em que ambos criaram uma reconfortante amizade, ela botou a língua entre os dentes e fez um marcante adendo sobre um dos membros da Ordem:

 

Ele continua bonito, não continua? Mesmo depois de Azkaban?

 

Daí que veio o boato de que Tonks estava abatida por amar o primo, Sirius Black.

 

Remus perdeu a linha e respondeu com um pouco de amargura a questão, pois ele pensou que Tonks falava de Sirius: Ele sempre consegue as mulheres. Com esse comentário infeliz, ela ficou bravíssima da vida e mandou o recado: Você saberia perfeitamente bem por quem eu me apaixonei se não estivesse tão ocupado em sentir pena de si mesmo para notar.

 

Ouch!

 

Remus Lupin e Ninfadora Tonks Relíquias da Morte

Foi aí que nasceu o amor que não durou muito. Além da Jo me dar um shipper que nunca quis, ela me fez o favor de matar meu maroto (e único) que estava vivo para honrar o papo de crianças órfãs, no caso, Teddy Lupin.

 

Depois da declaração de Tonks, Remus fez a poker face e fingiu não entender o que ela quis dizer, o que não a enganou de nenhuma maneira. Mais esperta que o maroto, ela tinha certeza que ele a amava, mas que se recusava a admitir. Ele evitou novas missões ao lado dela, mal falava com a bruxa e começou a se voluntariar para rondas mais perigosas. Tonks se tornou desesperadamente infeliz (a perda dos tons de cabelo), convencida não só por pensar que o homem que amava nunca passaria um tempo com ela de novo, como também porque ele preferia correr o risco de morrer a admitir como se sentia.

 

Com esse excerto no Pottermore, Rowling ainda escreveu que essa resposta de Tonks fez Remus se sentir muito feliz, por se tratar de um sentimento que ele nunca experimentou na vida. Porém, ele revidou o amor por sempre “saber” que não poderia se casar sem correr o risco de passar a vergonhosa condição de lobisomem para um bebê.

 

Ainda na entrada sobre Lupin, Rowling revelou o patrono do professor, que é um lobo (faz favor de não confundir com lobisomem). Ele odiava o formato dele, pois o lembrava do que realmente era. Tudo que tinha a ver com o “mundo” lobo o enojava e Remus chegou a produzir deliberadamente um patrono não corporal que era usado quando estava perto de outras pessoas.

 

A novidade é linda e está mais completa no Pottermore. E aí, gostaram?

 

Quem sabe eu tomo coragem e escolho mais algumas passagens do site e trago aqui para o blog. Enquanto decido, deixo vocês com a cena deletada do casal em Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2

 


O vídeo está hospedado no YouTube e pode sair do ar a qualquer momento

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Hey, Jessie, tudo bem?

    Escrever sobre os Marotos é a melhor coisa da vida, né não? É minha Era favorita e sempre será por mais que não tenha escrito nada de novo. Às vezes, prefiro nem que a Rowling revele mto para não estragar a magia.

    Esse texto do Remus foi mais que suficiente, pois sempre fui curiosa para saber como a Tonks se apaixonou por ele. No Enigma, ficou solto no ar e por causa disso não consegui curtir o shipper. Não gosto deles juntos tbm não o/

    Obrigada pelo comentário e pela visita <3
    Beijoss!

  • Jessie Santos

    Adorei seu post, eu já estava querendo saber resumidamente o que o a matéria da tia Jo dizia, e isso ajudou bastante.
    Remus (também não gosto de "Remo") é meu maroto favorito também e eu não acho ele e a Tonks shippavéis, alías eu também escrevia uma fanfic sobre ele na Era Marota, porque esta Era é a melhor pra escrever, pois como você disse da pra soltar a imaginação, só que no meu caso, eu shippo ele com a Emmeline Vance.
    Enfim, de qualquer forma foi bem interessante descobrir um pouco do tão fechado Remus ;D