Menu:
27/set

Just avoid love at all costs

 

Stuck in Love era um dos filmes que estava morrendo de vontade de assistir. Não só por ter o Logan Lerman, Greg Kinnear ou a Lily Collins, mas por ser centrada na vida de três personagens que amam escrever e que precisam encontrar meios para abraçar o amor. O longa dirigido por Josh Boone (que também é o responsável pela adaptação de “A Culpa é das Estrelas”), tinha como nome anterior Writers, um detalhe que chamou minha atenção a princípio pelo filme, um título que achava mais propício por se referir aos protagonistas apaixonados pelas palavras e pelos livros. No final das contas, Stuck in Love caiu superbem, pois a trama foca em diferentes formas de amor e como os personagens o encaram.

 

Stuck in Love: o plot dos personagens principais

 

Bill, Sam e Rusty são os personagens principais dessa linda história que começa no Dia de Ação de Graças. Os donos da casa (pai e filho) recebem Sam para o feriado a fim de ter uma confraternização para colocar as novidades em dia. A jovem logo espanta a poeira ao afirmar que terá um livro publicado, o que dá cenário para as outras partes da trama se desenvolverem. Além do trio, há os personagens secundários que entram no conflito de amar ou não amar, como Erica, a mãe que trocou a família por um boy magia mais novo e sarado.

 

Resenha - Stuck In Love

Bill é um ótimo pai, um romântico nostálgico, um escritor renomado e premiado que está com o coração partido por causa do divórcio com Erica, a mulher da sua vida. Isso lhe rendeu um sério problema criativo, pois ele não consegue escrever. O que pega para o lado do personagem é a terrível espera de 3 anos, pois ele crê que a ex-esposa voltará para casa. Não é à toa que ele a espiona para fazer um balanço do novo casamento dela. É até engraçado quando ele abre a narrativa do problema dele e afirma que assiste a um programa de televisão, onde o personagem principal – que era ele – foi trocado por um modelo viciado em academia. Eu amo o Greg e ele tem essa pinta de paizão muito linda.

 

Resenha - Stuck In Love

Rusty é a ponta sensível da família. Ele é o irmão mais novo de Sam e enfrenta o drama do colegial. Ele é apaixonado por Kate, uma garota usuária de drogas. O adolescente define o sentimento pela menina como algo que dói e, como desabafo, produz textos românticos para ela. O adolescente é um ávido fã de Stephen King, adora escrever short fiction, mas não acredita tanto no próprio talento como escritor, o que conflita no sucesso de Sam, detentora dos elogios de Bill. Contudo, é o pai quem exerce a maior influência sobre Rusty e o empurra para correr atrás de experiências reais para poder escrevê-las no futuro.

 

Stuck In Love - Lily Collins

Ao contrário da sensibilidade dos garotos, Samantha representa o iceberg. Isso não quer dizer que ela é má, não é nada disso. Ela é apenas fechada na própria inteligência, o que camufla suas inseguranças amorosas. Ao invés de procurar um cara com um QI próximo ao dela, a jovem se joga nos braços de garotos babacas que não cobrarão nada depois. Para vocês terem ideia, Rusty a define como promíscua. Sam não acredita no amor e caminha pela rotatória para não bater de frente com o sentimento. Porém, tudo muda quando Lou apresenta um interesse sincero pela garota, um fofo com a mesma paixão pelo universo dos escritores. Ao se ver diante de um garoto que tem o perfil dela, Sam foge pela tangente, pois não sabe lidar com a situação. Ela fere sentimentos alheios até o amor mordê-la na traseira.

 

Minha nova alter ego: Samantha Borgens

 

Stuck In Love - Lily Collins

Além de Lou, o outro problema de Samantha é lidar com a mãe. Por culpa da mulher, a jovem não acredita no amor. Ela aproveita a vida como se cada dia fosse o último e não tem projetos de amar ou ser amada. Por causa de Erica, Sam se tornou racional demais. Ela aprecia a popularidade, o reconhecimento trazido pela publicação do livro e pira quando está caçando algum garoto por diversão. Ela é ousada e atrevida. Tudo na vida dela é rápido e indolor. Enquanto ela tiver livros para publicar e corpos para usar, Sam crê que o amor nunca a pegará de jeito.

 

Sam é realista, mas se esconde nos próprios medos de se apaixonar por causa do trauma de ter presenciado a traição da mãe. Ao contrário de Rusty, ela se tornou uma durona de primeira linha e desabafou o que sentia no primeiro livro publicado, cuja temática é casamento e amor. Da mesma forma que eu e muitas pessoas veem a escrita como uma forma de cura, Sam usou a arte de escrever para tentar se recuperar de um baque que congelou o coração dela.

 

Stuck In Love - Sam e Lou

Quando li O Ano da Leitura Mágica (recomendo!), a autora diz muitas frases realistas sobre o universo de quem lê e de quem escreve, mas uma das passagens que mais me marcou foi quando ela menciona que os livros são reflexos do que somos. Não nessas palavras, mas foi assim que captei a mensagem. Uma prateleira é o reflexo da personalidade do dono. O livro publicado é o reflexo de Sam. O mundo literário é a proteção da personagem, nunca incluso em qualquer conversa, o que impossibilita que qualquer um “a conheça melhor”. Da mesma forma que julgamos um livro pela capa, também julgamos uma pessoa pelo livro, e isso ficou bem marcante no primeiro encontro de Sam e Lou.

 

Para ela, falar sobre os livros que gosta é o mesmo que abrir uma passagem secreta. Assim como uma música. Todos esses itens com poderes de denunciar a nossa personalidade.

 

Tudo o que Sam quer é não ser magoada. Para isso, ela não dá oportunidade. Porém, é óbvio que o universo de pessoas tão duras e aparentemente tão resistentes desmoronam com mais rapidez. Ela descobre a realidade de Lou e se sente mal por tê-lo maltratado. Ela perde a cabeça ao saber o porquê do pai ainda esperar por Erica. No final das contas, tudo o que ela sabia sobre amor estava errado e a personagem se vê no desafio de ajustar a vida longe dos livros e da escrita. Dentre todos os protagonistas, Sam é quem encontra a redenção na segunda chance ao amor, pois ela começa a enxergar esse sentimento peculiar de um novo ângulo.

 

Por mais que Stuck in Love gire em torno de três personagens, Sam é a que mais evolui. Ela sai da bolha de conforto de usar garotos, livros e palavras como escudo, volta a enxergar além dos muros que a circundam e passa a enfrentar todos o medos. Samantha torna o filme um aprendizado, que dá o típico recado de que não se pode cuspir para o alto pelo resto da vida.

 

Stuck in Love: opinião da Random Girl

 

I could hear my heart beating. I could hear everyone’s heart.  I could hear the human noise we sat’ there making not one of us moving,  not even when the room went dark.

 

Stuck In Love - Bill

O quote acima foi pronunciado por Bill e ele me fez pensar bastante, pois o personagem pontuou isso como um sentimento recorrente dos escritores. Depois de Struck By Lightning, que me ensinou muitas coisas sobre fazer ao invés de procrastinar, Stuck in Love conseguiu descrever inúmeros dos meus sentimentos que afloram no período de horas e mais horas por dia que passo escrevendo o WP. O período cansativo e estressante do qual dou vida a personagens que não faço a menor ideia se um dia sairão do meu computador para a versão impressa.

 

Independente disso, escrever é mais que uma forma de desabafo. Eu descobri isso quando estava empenhada na fan fic eterna que me tomou 5 anos e que foi meio que inspirada em fatos reais. Foi um processo de cura. Um processo difícil de pular o muro e ver que ainda há coisas para viver e histórias para criar. Cada capítulo escrito era uma batida de coração nova, banhado de emoções impossíveis de serem descritas neste parágrafo. Eu sinto toda essa euforia com misto de emoção quando estou empenhada no WP. O coração batendo, os personagens respirando, o silêncio que é o melhor amigo de qualquer escritor…. É um combo perfeito.

 

Se o quote de Bill realmente representa a vida de um escritor, eu não sei, mas já está anotado como parte da minha rotina de escrever o tempo todo. As pessoas têm a ideia errada de que escrever é só colocar palavras em algum lugar, mas não é bem assim. Há aqueles que fazem isso pela dor, para transmitir uma mensagem, para realizar um sonho… São muitos motivos e eu tenho certeza que, independente de qual seja o objetivo, dar vida a personagens é o mesmo que convidá-los para sua vida. Eles sentam, falam com você, tentam descrever como se sentem para que alguém dê forma a isso em cenas. Foi isso que Stuck in Love demonstrou ao colocar três personagens escritores para lidar com o amor, um sentimento de puro terror. Eles precisaram encontrar inspiração para enfrentar desilusões e nada melhor que escrevê-los.

 

A writer is the sum of their experiences

 

Em o Clube dos Cinco, os alunos tiveram que escrever uma redação sobre eles. Em Struck By Lightning, Carson queria fazer a diferença e inspirar as pessoas para que elas pudessem ver que realmente importam. Em As Vantagens de Ser Invisível, Charlie desabafa com um estranho e foi estimulado a ler e a escrever para superar traumas particulares. Em Stuck in Love, Sam buscou, mesmo que indiretamente, entender sobre o casamento e o amor por meio do seu livro; Rusty se empenhou na paixão por Kate e por Stephen King para ser mais confiante; e Bill esperou o amor e ganhou uma nova história para contar.

 

Resenha do filme Stuck In Love

Dentro desses dilemas, Stuck in Love apresenta uma trama apaixonante. É um filme delicado e encantador, que dá vontade de querer invadir a televisão e fazer parte de tudo aquilo. Não é uma história forçada, aquela que empurra o tema amor goela abaixo, ou que se apoia em personagens arrogantes, algo bem comum quando se tem escritores como protagonistas. É um drama familiar que tem o amor como base de tudo e que nos mostra que há sim meios de sermos bem-sucedidos, que não é vergonha nenhuma esperar o amor da sua vida voltar, que é bonito se apaixonar pela primeira vez, que todo mundo terá um coração partido e que há medos e temores que podem ser desabafados por meio da paixão pelas palavras e pelos livros.

 

Acredito que a força dos personagens está apoiada mais no amor em comparação à escrita. Claro que uma coisa é atrelada a outra, pois escrever requer afinidade e paixão pelo ato, mas, no final das contas, os todos se redescobrem e se surpreendem.

 

Stuck in Love entrou para a minha lista de filmes favoritos. Tem atuações excelentes e uma trilha sonora maravilhosa. Vale muito a pena conferi-lo!

 

O vídeo está hospedado no YouTube e pode sair do ar a qualquer momento

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Menina, não diga isso. Trate de ver de novo Hahahaahha Sem dúvidas, este filme está na minha lista de favoritos. Um dos melhores filmes que assisti este ano. Lily anda me enchendo de orgulho pq ela tá crescendo a passos lentos, mas uma hora ela alcança o andar mais alto <3

  • Isis Renata

    acho que meu humor ou sono não aderiram muito o movie.
    não sei se esperava outros tipos de amores. ou se o final ficou ao meu ver estranho demais
    achei mais triste que amoroso rs achei que seria um filme mamão com açúcar, mas não foi rs
    talvez o reveja novamente, com outros olhos.

    mas o filme tem seus pontos fortes, tirando a questão 'love' no caso, imagino como ele te atingiu por abordar a questão da escrita. e como os escritores projetam suas histórias. isso foi bem legal de ver e realmente é o que acontece. apenas refletimos na escrita tudo o que sentimos e passamos.

    gostei de matar saudades do meu charlie/percy. e a lily é sempre tão linda rawr

  • heyrandomgirl

    Não é baseado em livro não *_* e é um belíssimo filme. Amei mesmo *_*