Menu:
06/out

The Originals cumpriu com o que foi prometido nesta segunda season premiere que, como comentei no post com os spoilers principais da série, teve uma abordagem diferente. A nova trama foi repaginada com alguns elementos mais importantes em comparação ao que foi apresentado no piloto backdoor, que foi transmitido no 4×20, em The Vampire Diaries. A primeira impressão que tive quando a série começou foi a sensação de estar imersa em algum conto de Anne Rice. O flashback que nos mostrou Mississippi, 300 anos atrás, só precisava da presença do Lestat para ficar ainda mais perfeito. Elijah foi o responsável a nos guiar mais uma vez para a história dos Mikaelson, onde tudo o que aconteceu foi narrado do ponto de vista dele.

 

As cenas escolhidas do piloto backdoor foram as que deram mais relevância, como as interações de Klaus com Marcel e Hayley que se encaixaram na perspectiva de Elijah. Sem contar que elas serviram de lembrete das causas que fizeram Klaus migrar para Nova Orleans, a fim de encontrar a bruxa Jane-Anne, a responsável pela conspiração contra o Original. Elijah chegou antes, meio tarde, pois a trama se iniciou já com a morte da bruxa. Seguido disso, Marcel ostentou mais uma vez o poder que tem sobre a cidade, o elemento-chave para a estreia de The Originals que recebeu um caráter um pouco mais aprofundado. Afinal, todo mundo quer saber como Marcel controla bruxas e lobisomens e este assunto se sobressairá junto com a gravidez de Hayley e a vontade de Klaus ser rei de Nova Orleans.

 

A cidade que antigamente pertencia aos Mikaelson agora é uma praça da Inquisição e também um pedaço voltado para o turismo por ter grande background histórico.

 

Elijah sempre foi meu Original favorito e o personagem foi um perfeito contador de histórias. Adorei quando o personagem voltou no tempo para dar um update à Hayley sobre o passado da família. Isso foi de extrema importância, pois não é todo mundo que se lembra como eles se transformaram nos primeiros vampiros, algo que foi revelado lá na segunda temporada de The Vampire Diaries. Porém, as cenas do flashback foram enriquecidas com os motivos dos quais o papa Mikaelson tinha desgosto por Klaus. Meu coração ficou pequeno ao ver como o híbrido foi minimizado graças à ganância de Esther. Depois do que foi mostrado com relação ao personagem, ficou meio impossível não simpatizar com a causa dele, mesmo que Klaus passe metade do tempo sendo um belíssimo motherfucker.

 

Pelo menos, Klaus teve motivações meio que plausíveis para fugir de qualquer tipo de afeto ou de carinho pelas outras pessoas. Agora, dá para entender muito bem o porquê dele ser narcisista, amargo, temperamental e ácido, não só com a família, mas com qualquer pessoa que tente uma aproximação. Klaus se fechou para qualquer possibilidade de ser abençoado com sentimentos humanos, um detalhe que ficou totalmente concentrado em Elijah. Por mais que tivesse outros assuntos paralelos, este episódio teve um foco muito importante na relação Elijah e Klaus, e por quais motivos há os instintos de proteção e de respeito, mesmo com todos os incidentes do passado que poderiam muito bem separá-los.

 

Marcel não apareceu muito, pois ele não era o foco principal da trama. Até porque ele foi muito bem apresentado no piloto backdoor. Klaus também não participou tanto, pois sabemos das motivações dele e da resposta que ele deu ao irmão sobre Hayley e o bebê. Na premiere de The Originals, o foco foram as bruxas, que são lideradas por Sophie, e os motivos delas quererem acabar com o reinado do dono da casa custe o que custar. Houve novas conversas entre Sophie e Elijah que serviram para abrir o debate sobre como Marcel controla as bruxas, nada mais que isso.

 

Hayley não foi tão importante assim, pois o plot dela também já tinha sido apresentado. Ela só serviu para Elijah se comover o tempo inteiro com a gravidez e com a esperança de retomar o amor, a lealdade e o senso de família entre os Mikaelson por meio do bebê. Outro detalhe foi Sophie mostrar que elas estão interligadas, como aconteceu com Elena e Katherine, onde se uma morresse a outra ia junto. Hayley estava bastante sensível e fragilizada. Mesmo que Klaus e ela não forme um shipper, ambos combinam bastante por terem um background familiar nada feliz. Eles foram chutados pelos pais, as mães não foram bons exemplos, e eles não fazem a menor ideia do que fazer com o bebê. Gostei bastante de terem focado na fragilidade e no pavor da personagem em meio à probabilidade de Klaus causar a morte dela.

 

Sophie foi o destaque da premiere de The Originals, por ser uma bruxa totalmente diferente de Bonnie. Achei magnífica a segurança dela em desafiar dois Originais e ter mostrado pulso firme em não retroceder se fosse preciso matar Hayley e o bebê. Elijah segurou muito bem as pontas ao lado dela, ambos com uma química muito boa. Ela é muito confiante, embora esteja em pânico, e acho que as outras bruxas do coven são extremamente fortes. Mal posso esperar para ver esse grupo em ação, especialmente Davina que foi revelada no final do episódio como a fonte que mantém o poder de Marcel sobre Nova Orleans em perfeito estado.

 

Klaus e Elijah são o polo negativo e positivo dos Mikaelson. Enquanto o híbrido não queria saber de nada e depois decidiu que quer ser rei como Marcel, o outro queria reacender a chama da família por se sentir culpado por tudo que o pai fez contra Klaus. A briga deles foi sensacional, digna de uma família nobre, que dá umas porradas sem ao menos ficar com a roupa amarrotada e o cabelo fora do lugar. Eu admiro muito o respeito que Klaus tem pelo irmão mais velho, mas é algo que morre quando os interesses dele está em jogo. Não é à toa que ele empalou Elijah de novo. Temo pela chegada de Rebekah, que teve uma curta participação, mas que foi suficiente para mostrar o asco que ela criou por Klaus.

 

Eu tenho certeza que amarei The Originals pelo simples fato de não ter shippers. Eu fiquei imersa do começo ao fim e fui surpreendida com a conclusão do episódio de estreia. Eu acreditei que tudo ficaria bem dentro do possível, mas Klaus é um ser que nunca mudará. Como bem sabemos, Elijah voltará com sangue nos olhos quando tirarem a estaca do peito dele. Quero só ver a cara da Rebekah quando souber do mais novo incidente entre os Mikaelson. O clima da série é mais pesado que em Mystic Falls, a trama não inventou tantos assuntos paralelos e ela se manteve fiel ao quesito família e lealdade, as bases da série de acordo com Plec.

 

The Originals apresentou um clima de suspense muito gostoso de assistir, tendo um elenco muito maduro e de presença forte que tem tudo para arrasar em um ambiente sombrio. Estou louca para saber o que acontecerá semana que vem!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3