Menu:
27/out

Eu fiquei extremamente emocionada com este episódio de The Tomorrow People. Ele foi muito perfeito e dosou ação com pontos mais delicados. Na semana passada, o maior problema de Stephen foi lidar com o sacrifício, um detalhe relevante na vida de quem tem poderes extraordinários. Dessa vez, veio o fato da necessidade de esconder quem você é por causa dos humanos e da não necessidade de bancar o herói para protegê-los. Stephen lidou com a realidade que colocou em cheque os sentimentos humanos que ainda estão presentes na personalidade dele e não foi surpresa alguma a maneira como ele agiu no decorrer do episódio. Afinal, o rapaz cresceu com a família e, se desligar de tudo isso, só por causa da descoberta dos poderes, para embarcar no esconderijo dos seres do amanhã, não faria o menor sentido. Stephen nunca escondeu a preferência em ser humano e foi bem fácil se indignar ao saber que uma das regras do TP é não salvar a vida de pessoas comuns, pois ninguém é super-herói para perder tempo e brincar de ser Deus.

 

Em meio aos dilemas pessoais em ajudar ou não os humanos, fomos levados a vida de Cara, 5 anos antes de descobrir que era um ser do amanhã. Eu fiquei muito triste pela maneira como a vida dela deu uma reviravolta tremenda e foi realmente uma surpresa saber que ela tinha problemas de audição. Geralmente, a garota bonita tem tendência a ter um passado de loser ou de popular demais, mas Cara tinha um problema mais intrínseco, que sumiu quando os poderes foram revelados. Por ter sido quase estuprada, esse fator mudou completamente a visão dela com relação aos humanos, pois o drama lhe rendeu a expulsão de casa, sem direito a se defender.

 

Cara foi acusada de homicídio, sendo que ela tentou se defender do assédio e, com esse incômodo particular, a jovem se fechou para tudo o que envolve a vida mundana e seguiu na crença de que não vale a pena salvar os humanos.

 

Enquanto o mundo de Cara era abalado por uma lembrança que a mudou completamente, Stephen estava perdido na vida tripla de estudante humano, de ser do amanhã e de agente Ultra. O adolescente começou a notar os altos e baixos de escutar os pensamentos das pessoas e, por meio disso, o impasse de Emily foi a causa central para fazer os seres do amanhã refletirem sobre a regra de não ajudarem os humanos. Ela deixou o episódio mais emocionante, especialmente quando Cara entrou em cena. Emily fez com que todos os sentimentos humanos aflorassem em Stephen, que não parou até intervir na situação da garota que não era nem um pouco fácil de lidar. A problemática chegou até os ouvidos de Jedikiah que apenas reforçou o pensamento de Cara: não salvar humanos.

 

Daí, entramos no outro dilema de ser uma pessoa com poderes especiais: a exposição. Jedikiah é líder de uma guerra silenciosa, onde ele captura os seres do amanhã revelados para anulá-los ou matá-los. Porém, a questão é a mesma de sempre: o quanto vale se expor para salvar uma espécie que pode causar a sua morte, por não aceitar o que é diferente? Jedikiah foi mestre em pontuar isso, bem como Cara que não hesitou que a missão dela é proteger os seres do amanhã e danem-se os humanos. O Tomorrow People é quem corre risco de extinção, não a humanidade. Eles que se virem.

 

Cara e o desprezo pelos humanos, não pesa tanto quanto o sentimento de Jedikiah pelos seres do amanhã. Devagar, somos levados para as profundezas do trabalho dele, em um local que ele chama de reabilitação, onde os TP são capturados e fadados a morrer ou ficar sem poder. Porém, com a chegada de Stephen, os interesses do homem ganharam um novo foco, mas sem se esquecer de aniquilar os seres do amanhã. O sobrinho não tem apenas os 3 Ts, como também é capaz de controlar o tempo, um detalhe que ganhou atenção no episódio e que, com certeza, será mais explorado daqui para frente. Stephen não é como os outros e, se o pai dele foi visto como salvador, é muito provável que ambos compartilhem o mesmo fardo de serem mais fortes em comparação aos outros membros do Tomorrow People.

 

Jedikiah sabe que o sobrinho está do lado dos seres do amanhã. Por ser sistemático demais, é mais conveniente manter Stephen por perto. Porém, por qual motivo ele ainda não invadiu o esconderijo dos seres do amanhã sendo que a isca ainda permanece no campo de tiro? No que o fato de Stephen parar o tempo pode influenciar nas decisões dele?

 

Parar o tempo é uma forma que Stephen encontrou para enganar Jedikiah. Depois de colocar um pendrive no firewall da rehab do tio a pedido de John, a armadilha seguinte quase custou Cara que foi salva por Stephen em uma perfeita encenação de aclamação ao poder que a torna incomum. Posso dizer o quanto essa cena foi incrível? Apesar de Stephen ter parado o tempo em uma cena de tirar o fôlego, não acredito que Cara tenha sido falsa. Ela não escondeu o desprezo que tem pelos humanos e é fato que ela prefere ter os poderes devido ao que aconteceu no passado. Isso bate de frente com todas as crenças de Stephen, pois ele cresceu em um lar familiar, mesmo que tenha sido conturbado pela partida do pai. Isso foi tirado de Cara, que foi apenas chutada com alguns trocados para se virar.

 

A chegada de Stephen no grupo dos seres do amanhã não é só porque ele tem um pai importante ou por ser muito mais especial, mas porque ele pode mudar toda a rotina do TP. O grupo está convencido a viver na penumbra para que a espécie não corra risco de extinção. O dilema aqui é que Stephen preza ser humano, mesmo tendo poderes. Ele ainda não teve o gosto de sentir orgulho de ser um ser do amanhã por estar rodeado de coisas ruins que são intensificadas pelas tomadas de decisões extremamente infelizes de Jedikiah. O personagem ainda continua perdido e não sabe quem realmente é, pois ele se vê na necessidade de agir conforme os próprios instintos, e nem sempre é o certo a se fazer. É o lado humano dele que sempre fala mais alto, o lado que sempre dá problema, o instinto de salvador que os seres do amanhã não aceitam.

 

É aí que entra a cena final do episódio, onde Emily e Cara me emocionaram. Digamos que foi um momento de redenção de Cara, pois ela viu que é possível sim ajudar os humanos, na medida do possível e, claro, só aqueles que merecem um auxílio verdadeiro. Emily se sentia culpada por ter sido responsável pela morte da irmã, e isso mexeu com Cara de uma maneira que ela compartilhou a conclusão do seu passado com Stephen e ninguém mais. O episódio terminou com aquela sensação de “salvamos o dia”, como também mostrou que o elo entre Stephen e Cara está prestes a crescer e, quem sabe, ficar mais profundo. John não ficará tão contente, mas acho que ele não faz o tipão ciumento, mas ele se acha mais importante por ter acompanhado Cara passar por cima dos próprios demônios.

 

Final feliz. Muita emoção. Mas algo tinha que dar errado. Posso dizer que Astrid começou a me irritar? É claro como água que ela gosta de Stephen, mas ela começará a se meter onde não deve e gerará problemas. Astrid viu Stephen “aparatar” e, sem dúvidas, começará a caçá-lo de cima a baixo, e tenho certeza que ela vai chegar até os agentes Ultra só por ser intrometida. No aguardo!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3