Menu:
06/out

A season premiere da quinta temporada de The Vampire Diaries retornou e, para minha própria surpresa, gostei bastante. Já aviso que não me empolgarei, não soltarei vivas e nem vomitarei arco-íris, pois aprendi muito com a temporada passada. Ela começou bem e decaiu para minha eterna frustração. O que posso dizer neste primeiro momento é que todas as promessas vindas de spoilers sobre o retorno da série se cumpriram e espero que esse comportamento permaneça, especialmente por saber da habilidade dos escritores da série em perderem o fio da meada ao inserir plots e personagens em demasia.

 

O episódio começou com um clima delicioso de verão com direito a sexo, a Matt garanhão com duas garotas na cama, a mais beijos e a mudanças na rotina dos personagens. Como bem imaginei, Damon e Elena abriram a trama embaixo dos lençóis, algo que eles devem ter feito a torto e a direito durante 3 meses depois da formatura. Posso dizer que acho extremamente desnecessário vender o casal dessa maneira? Para mim isso é um marketing descarado. Desde a temporada passada, Delena tem recebido, na minha singela opinião, uma falta de cuidados e de interesse gritantes. Nunca me cansarei de repetir que a terceira temporada representou muito mais o sentimento que ambos compartilham um pelo outro, um amor que cresceu aos poucos, construído a base da amizade e da confiança, e que agora se resume a sexo.

 

Delena

Eu pertenço ao grupo dos/das Delenas que não curtiu a maneira como eles ficaram juntos. A pergunta que pula na minha mente toda vez que o casal entra em cena é: WTF que fizeram com o amor deles? Para mim, Damon e Elena é muito mais especial nos livros. Elena não é desesperada e Damon a ama de uma forma distorcida, mas que é linda. Só acho que destruíram uma storyline que tinha potencial de ser tão inesquecível quanto Stelena, Klaroline e derivados. É como se os escritores não quisessem dar chance para Damon realmente sentir a coisa toda e para Elena se entregar por inteiro. O amor deles está puramente carnal e a maturidade, algo que deveria ser levado muito em conta por tudo que ambos passaram no decorrer das temporadas, deveria ser mais relevante ao fato deles passarem mais tempo emaranhados um no outro. Depois de 4 anos, até eu esperava muito mais do namoro entre Elena e Damon. Cadê o amor que consome? Já escuto pornografias no ar! …

 

Damon e Jeremy

A relação Damon e Jeremy entrou em cheque. Posso dizer que não gostei? Posso sim! Havia estranheza entre os personagens, não só por causa do background que ambos possuem, mas porque ficou nítida a forçada de barra de colocarem eles embaixo do mesmo teto. Isso foi uma desculpinha só para que Damon tivesse o que fazer enquanto Elena se adapta à faculdade. Eu sempre quis que o Salvatore mais velho mudasse, mas morro de saudades do babaca das duas primeiras temporadas. Ele virar babá do Jeremy foi um absurdo das galáxias, pois não fez e não fará o menor sentido dar aval a uma união que nunca existiu. Tudo bem, é uma chance dos dois se entenderem, mas Damon nunca escondeu a falta de prazer em estar ao redor do garoto. Essa investida não ficou natural. Sei que a tentativa é mostrar que o vampiro é capaz de amadurecer, mas é óbvio que ele só age para fazer os gostos da namorada.

 

Jeremy na escola foi apenas uma reprise mais melhorada da primeira temporada, sem o cabelo emo e as unhas pintadas de preto. Eu não sei porque ainda insistem na educação em Mystic Falls, pois o garoto nem é tão humano assim. A dinâmica dele com Bonnie foi ainda mais estranha, pois só em TVD você fala sozinho e ninguém percebe. Achei bizarro ele ter que dar o paradeiro da namorada fantasma para Elena e o pai dela, uma vergonha alheia que só comprova a falta de necessidade de matar personagens importantes. Só quero ver como a reviravolta da storyline deles acontecerá, pois é óbvio que Damon e Cia. precisarão de uma bruxa. Só me falta migrarem Sophie direto de Nova Orleans. Se trouxerem Bonnie de volta, acho bom dar um jeito de fazer isso com o Kol também. Estarei de olho!

 

Caroline e Elena

Eu gostei da transição de Elena e Caroline para a faculdade. Toda aquela alegria do campus, aquele gostinho de mudanças e aquele sentimento de um novo ciclo foi perfeito. Até eu queria ir para a faculdade, mas só que não. Caroline, sempre Caroline, com todos os surtos para tornar tudo perfeito, toda protetora com os sentimentos de Stefan. Eu fiquei contente por Elena, mesmo que eu ainda esteja de cara com a personagem, como se realmente a garota fosse humana, com aquele jeitinho otimista da primeira temporada. Todos os sorrisos de Elena me fizeram bem, pois ela merece – apesar dos pesares – um pouco de normalidade.

 

Um pedido: que Elena e Caroline sejam vampiras decentes quando o bicho pegar em TVD. Esse papinho de vampiras funcionais me fez tremer, Rosana.

 

Vale mencionar o quanto amei a dedicação de Liz ao deixar as meninas em Whitmore. Espero que não matem a xerife, porque isso me obrigará a fazer um vídeo para narrar a falta de necessidade de deixar todo mundo órfão.

 

Elena

Como tudo sempre tem um “porém”, só acho que Elena está muito bem para quem só cometeu burradas quando foi desligada, algo que se repete desde os primórdios quando ela não tinha um break down por todas as pessoas que morreram ao redor dela. Acho esse comportamento da vampira de “não ligar” um erro homérico, pois ninguém é feito de ferro. A versão Elena preocupada voltou à tona quando a jovem revelou que sonha com Stefan, sinal que a afetou durante as pausas de reflexão. Eu mal esperava para ver como se daria essa interação mental, pois, depois de tudo o que ela fez com Stefan, não a acho digna de nem sentir a falta dele. Não aceito mais essa desculpinha de sire bond, pois se ela estava consciente de que amava Damon, provavelmente ela também já sabia que não sentia nada por Stefan, o que me deixa com um pé atrás com a preocupação dela com o Tefinho. Se ela magoá-lo de novo, faço questão de tacar fogo no set de filmagem de TVD.

 

Stelena

Os cortes de cena entre Elena e Stefan foram perfeitas. Adorei o mergulho na banheira seguida de Stefan no fundo do lago. A ligação cósmica que Nina defendeu em entrevista estava muito presente para honrar todos os primeiros episódios das temporadas de The Vampire Diaries que sempre apresenta uma cena profunda e tocante do shipper Stelena. O casal pode não estar junto, mas ambos têm história. Não tem como anular isso de uma hora para outra. Elena pode ter escolhido Damon, mas, na minha concepção de sofredora por 4 anos, é impossível se esquecer de um relacionamento do nada. No caso dela, foram 3 anos de emoções incríveis que, afirmo, não se esquece em 3 meses.

 

Fiquei realmente com medo de que Elena fosse de fato ignorar a existência de Stefan inspirada no temperamento de Damon. Especialmente devido à insensibilidade dela durante o tempo sire bond e sem humanidade. Feliz ou infelizmente, Stelena é um relacionamento que não se deleta, mesmo quando se tem um namorado incrivelmente bom de cama. Essa abordagem dela sentir algo errado com o ex-namorado apenas fortalece que ela se importa e isso me deixou mais tranquila. O que me incomodou foi o fato dela esconder isso do Damon. O relacionamento deles já começou errado com um monte de omissões que só gerarão mal-estar no futuro.

 

Katherine

Sem sombra de dúvidas, quem brilhou bastante no episódio foi Katherine que me divertiu muito ao lado de Damon. A nova humana do pedaço realmente se mostrou perdida e desesperada, com bolhas nos pés, sem banho e digna de esquadrão da moda. Ainda bem que não anularam o lado little bitch dela que, mesmo sem todas as vantagens de ser vampira, não se esqueceu de que sempre pensará no próprio umbigo. Pelo menos, Kath fez um pedido que nunca imaginou que algum dia precisaria fazer: solicitar ajuda. Para Damon.

 

Não fiquei surpresa com isso, pois o Salvatore e ela possuem um histórico que deve ser relembrado. Sem contar que, na primeira temporada, o vampiro só queria saber de liberar a amada da tumba. Não é à toa que ele se demonstrou disposto a transformá-la em meio à contrariedade de reencontrá-la, como também em ajudá-la, e nem mentiu quando ela mencionou que ele a queria vivinha da silva. Não sei se Katherine procuraria primeiro por Stefan em nome dos velhos tempos, mas, só pela falta de menção, meu coração Datherine bateu bem forte.

 

Silas

A aparição de Paul como Silas era um dos tópicos mais esperados da season premiere de TVD e foi simplesmente um estouro. Eu queria poder abraçar o Paul pelo pescoço, sério. Estou morta de orgulho, sem mais! Cara, eu tive que fazer minha irmã parar de falar quando o Silas entrou em cena e eu nunca vibrei tanto pelo meu ator favorito desde a fase ripper do Stefan. Não é mais novidade para ninguém que Paul amou a chance de ser mau e agradeceu aos anjos por não ter ficado com a garota, o que me faz afirmar que este ano é o ano do Paul Wesley. De novo! Se a temporada afundar, minha fé está toda depositada nele, pois sei que ele levará a trama nas costas, como aconteceu na terceira temporada.

 

Silas

Silas e Stefan ripper se diferenciam por pequenas coisas. Eu fiquei meio preocupada com a possível aproximação dos personagens, como aconteceu com Elena e Katherine, mas Paul sabe das coisas. Ambos são sarcásticos, sedutores, quebram as regras, mas Silas sente prazer em manipular. Sente prazer em atrapalhar o pensamento dos outros por ser psíquico. Stefan ripper só agia pela sede e se sentia mal depois do processo. Na versão sanguessuga, o Salvatore ainda tem conhecimento dos próprios sentimentos e do que ele pode perder no percurso, algo que se intensificou quando se apaixonou por Elena. Silas não tem nada disso e demonstrou falta de respeito com todo mundo. Ele é cheio de si, se acha superior a qualquer vampiro e usa e abusa das fraquezas dos outros com aquele sorrisinho canalha. A parte legal de Silas é que ele é ótimo em dizer algumas verdades de maneira muito natural e eu nem preciso dizer que ele me levou à loucura quando fez um falando francamente com Damon.

 

A parte “Silas, o sincero” me fez ver mais uma vez que Damon não mudou em nada, mesmo tendo ficado com a garota. Sério gente, eu não senti a preocupação dele com relação ao Stefan muito sincera, bem como o reencontro deles (Silas x Damon) que foi algo meio tipo: querido, estou com sua mina, vai embora, pfvr! Eu fiquei meio chateada com isso, porque me fez perder toda a fé em Defan. Tirando a parte de você roubou minha namorada, o discurso de Silas colocou mais uma vez os sentimentos de Damon pelo irmão em cheque e o resultado não me agradou nem um pouco. Como eu queria que eles fossem como Sam e Dean Winchester…

 

Refletindo sobre Damon com relação ao Stefan

 

Vamos resgatar um pouquinho da história de The Vampire Diaries. No episódio 1×18, Stefan duelava com a vontade de beber sangue e lutou a trama inteira contra o desejo de se alimentar como um bom vampiro e contra o medo de voltar a ser ripper. O que Damon fez por Stefan? Zombou dele! Durante o episódio, Damon provocou o irmão com piadinhas infames e largava copos de sangue por toda a mansão para testá-lo. O pior disso tudo é quando Damon afirmou ao Stefan que realmente gostava de vê-lo sofrer daquele jeito com desdém, sem nenhum pingo de arrependimento. Se esse sentimento mudou? Acho que não, pois as alucinações de Stefan deixaram isso muito claro e eu só peguei mais birra do Damon por causa dessa eterna falta de tato pelo irmão mais novo.

 

Damon

Durante muito tempo, Damon colocou as vontades pessoais acima das necessidades do próximo, especialmente quando incluía Stefan. Damon queria Katherine a qualquer custo e não se importou se isso destruiria Mystic Falls, mas ele queria porque queria tê-la de volta. O mesmo comportamento ele aplica quando o assunto é Elena. Silas comentou de maneira muito sábia que o momento do qual Damon vive com a namorada não passa de uma ilusão. Afinal, o Salvatore saiu como vencedor. Por que se importar com Stefan se ele mesmo se ofereceu para ir embora ao honrar o ditado os incomodados que se retirem? Porém, lá no fundinho, o maior medo de Damon é que Stefan volte e era muito fácil ignorar a outra ponta do triângulo por ele ter a garota. Porém, o Salvatore mostrou um revés ao pedir que Jeremy trouxesse Katherine de volta, mas não acredito que ele tenha feito isso pelo irmão, mas sim, pela Elena.

 

Stefan

Stefan pode ser chorão e protetor demais (mais aceitaria ele como marido, sem preconceitos), mas ele tem uma coisa muito bonita que eu chamo de dignidade. Por mais que ele tenha decidido deixar tudo para trás a fim de oferecer ao Damon a felicidade que ele sempre quis, o vampiro não iria embora sem dar sinal de vida, ainda mais por ainda amar Elena. Stefan teve a iniciativa que Damon nunca teve a coragem de encarar: ir embora. Dar espaço. Deixar duas pessoas em paz.

 

Claro que o Salvatore mais velho amadureceu durante o relacionamento com Alaric mas, quando se tem uma garota entre os irmãos, Damon se torna um babaca. Como Silas bem pontuou, o vampiro se esqueceu do irmão para não ter que se lembrar dele o tempo todo. A meu ver, Damon achou a falta de notícia de Stefan muito natural, sabendo que não é. Nunca foi. Nunca será. E era mais fácil deixar de lado a saber o que poderia ter acontecido.

 

O que Silas disse ao Damon apenas ressaltou o que todo mundo sabe: que o Salvatore mais velho é egoísta. Ele teve seus méritos sim, claro, mas não consigo ter pena do personagem ou ficar feliz por ele. Sim, ele merece e muito a chance com Elena, tinha demorado até demais, mas espero que algo nessa relação lhe ensine a amar ou, ao menos, aprender a respeitar e se sensibilizar pelo desejo dos outros. Especialmente, a valorizar o irmão que nunca se recusou a apoiá-lo ou a salvá-lo. Está na hora de deixar certas birras e inseguranças para trás e colocar Defan para funcionar direito.

 

Damon

Eu não vou reclamar muito do egoísmo de Damon, pois é parte do que ele é e é o que o torna muitas vezes divertido. É a essência principal do caráter dele, o que o faz diferente de Stefan que é sempre altruísta. O Salvatore mais velho tem muita dificuldade em crescer interiormente e amadurecer. Ele não deixou Elena entrar no coração dele direito, como se deve, pois, no fundo, ele sabe que Stefan é capaz de mudar tudo, mesmo sem querer. Eu sinto que o trauma Katherine ainda existe e ele se protege. Para não dizer que ele foi de todo ruim, o único momento sincero que senti em Damon foi quando ele salva Jeremy. Vi honestidade, mas para mim não foi o suficiente. Afinal, ele abraçará o mundo para não sacudir o novo ciclo de Elena que ganhou mais ação devido à descoberta de que Megan tinha laços com o pai dela.

 

Mas seria isso um sacrifício por amor ou uma forma de proteger o quadrado dele.

 

As alucinações de Stefan foram outro ponto alto no retorno da série, pois provaram de uma vez por todas o papel que Damon e Elena exercem na vida dele. Desde o começo do episódio, Damon ofereceu os caminhos mais fáceis, como aconteceu quando Jeremy foi expulso da escola. Na alucinação de Stefan, ele ofereceu o famoso turn it off, o que me faz voltar ao episódio 1×18 de TVD, onde Damon fala que gosta de vê-lo agonizar quando está mal. Tudo bem que o Salvatore falou isso de uma maneira mais suave neste episódio ao usar a agonia como desculpa principal para dar adeus à humanidade, sem mencionar a vitória dele – de novo – em ficar com Elena, dois itens mais que suficientes para fazer Stefan se desligar. Sem contar a vida e a morte no fundo do lago.

 

Elena

Daí vem Elena como a parte boa da história. Ela mostrou mais uma vez que é a razão de fazer Stefan lutar. Por mais que não tenha sido real, nunca é tarde para frisar que o Salvatore faz de tudo pela garota que ainda ama e sempre pagará muito caro por esse sentimento. A cena foi muito tocante, Stefan prestes a chorar, com aquela expressão desesperadora. Quase entrei em pânico quando ele considerou se desligar, mas Elena estava lá para salvá-lo mesmo que mentalmente. O amor dele por ela é forte demais e não tem como ignorar isso. Amá-la faz dele um ótimo vampiro e ele se propõe a sofrer quantas vezes for preciso por ela. Pode ser uma idiotice, eu sei, mas Stefan e Elena mostram a parte mais tensa de qualquer relacionamento: o sacrifício. Você abre mão da própria felicidade em nome daquilo que ama. Não é fácil. Stefan se apoia em Elena para não perder o senso de quem realmente é e eu considero essa atitude como uma das bases que sustenta e dá valor a Stelena.

 

Não gosto de ver o Stefan sofrer, isso realmente me machuca, pois, depois de tudo o que ele fez por Mystic Falls, o vampiro ainda terá que enfrentar um período de choque mental e emocional assim que conseguir sair de lá. Por isso, eu ainda acredito que ele vai se desligar, não por ser fácil, mas por conceito de trama. Claro que não quero que isso aconteça, mas o Tefinho vai sair do lago morto de FOME.

 

Stefan sempre será a parte que se sacrifica, que se ferra, que não é valorizada, mas que sempre, sempre, sempre dará os maiores exemplos. The Vampire Diaries é a história dele e isso foi esquecido por causa da guerra de shippers. Desistir da humanidade soa como a melhor das opções, mas os sentimentos dele por Elena são para sempre. A linha tênue de influência de Damon e Elena sobre Stefan serviu apenas para confirmar quem é a parte que se importa e que serviu de respaldo para o que Silas afirmou durante o episódio. Por mais que Elena tenha sido uma maldita com o Tefinho, a menina das três temporadas passadas ainda existe, ainda se preocupa com Stefan, ainda tem senso de saber que, por mais que eles não estejam juntos, ele precisa dela. Stefan não precisa de cura. Ele só precisa da Elena.

 

Silas

Todo mundo queria ser vampiro funcional no verão, mas não deu muito certo. Elena e Caroline enfrentaram um assassinato que foi considerado um suicídio, e tenho grandes receios de que o pai de Elena está vivo para dar uma de Isobel 2.0. Elena se tornou foco de uma nova caça, bem como Katherine que virou objeto de perseguição de Silas e de Mystic Falls inteira. O desejo do doppelganger de Stefan pela vampira pode estar relacionado à cura. Não entendi o objetivo dele em querer matá-la, mas, depois de muito pensar, acredito que ele quer o sangue dela. A substância ainda deve estar no organismo de Kath e, como ninguém sabe como a cura funciona, não me espantaria se ela fosse a chave para fazer Silas morrer. E como um caçador é o único que pode ajudar nisso, tudo se encaixa e explica de vez porque Jeremy teve que voltar.

 

Outros comentários válidos: Matt saiu como o vencedor por ter pegado duas meninas ao mesmo tempo, um milagre divino na vida de quem só se ferrava. Agora, ele faz parte de alguma mandinga incitada por Nadia. Chamem os Winchester! Forwood foi pausado, amém! Fiquei com dó da Caroline, mas o Jesse é muito mais gato. Só lamento pela Bonnie e a morte do pai dela, algo que me pegou de surpresa, de fato.

 

Audiência: por mais que o episódio tenha sido muito bom, houve um abandono de 25% com relação à season premiere do ano passado. Foram 2.59 contra 3.483 milhões da premiere da quarta temporada. #pausadramática

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3