Menu:
17/nov

Este episódio de The Vampire Diaries não precisou de mais ninguém a não ser Paul Wesley e Nina Dobrev. Deu até para se perguntar quem eram os outros atores da série, pois eles ofuscaram todos que estavam ao redor deles. Ambos provaram que podem muito bem encarnar qualquer versão doppelganger e voltar para as versões originais, Stefan e Elena, sem causar estranheza. Mais uma vez, a dupla roubou a cena e mostrou o empenho de tentar fazer com que esta temporada seja agradável de assistir. Porém, sem muito sucesso. Eu não sei se é apenas impressão minha, mas sinto que muitas pessoas largaram TVD de mão, pois o buzz está menor em comparação à temporada passada. Concordo que está tudo muito chato, a exemplo deste episódio que só se salvou de novo por causa das cópias, de Silas e de Tessa. Mesmo com a tentativa de retornar às raízes e trazer a mitologia de volta, ficou nítido que o plot daqui para frente será um completo sonífero. Afinal, Silas se foi, né?

 

Silas abriu o episódio com extremo senso de humor e acharia bem digno se ele tivesse uma web serie só para falar do quanto o amor é uma pedra no sapato. Acho que seria sensacional dar de cara com ele no ponto de ônibus – sem toda a parte da maldade que ele tem, claro – para escutar as lamúrias de um homem que só aparenta ser insensível, mas é um tremendo bobão apaixonado. Com curta aparição, ele não deixou de ser divertido. Vê-lo bolado por ter sido mordido por Amara, bem como estar extremamente disposto a destruir qualquer romance, quase me fez rolar no chão de tanto rir. Nem preciso dizer que bati palma quando ele se recusou a trazer Bonnie à vida, como também a imensa vontade de continuar a boicotar o relacionamento de Damon e Elena, duas coisas que ele fez sem perder o glamour e o tom irônico. Posso lamentar – e muito – a morte dele? A série vai ficar insuportável sem Silas.

 

Do lado oposto, tivemos Stefan e o início dos traumas gerados pelo período em que ele ficou no fundo do lago. O vampiro tem muitos pesadelos e a dor o impulsionou a ir atrás de Silas. O personagem estava muito diferente em comparação à versão sem memória, mais fechado, calado e bem magoado. Ao menos, ele não ficou com a sanidade ótima de uma hora para a outra, algo que acontece muito em TVD, e, pelo visto, ele não vai conseguir se recuperar sozinho. Stefan mergulhou de cabeça de volta a tudo de ruim que aconteceu na vida dele, intensificado pelo drama de ter sido engolido por 3 meses. Em todo o episódio, a única coisa que acometeu o Salvatore na “nova rotina” foi reviver o drama dentro do cofre e, quando ele afirmou que nem os momentos felizes conseguia mais segurá-lo, meus sentimentos foram da tristeza para a raiva. Digo isso pela maneira como ele foi descartado e esquecido na transição da temporada anterior para essa.

 

Eu realmente senti muito por Stefan, pois não há ninguém que possa conversar verdadeiramente com ele. Nessas horas, sinto falta da Lexi, pois, por mais que Caroline tenha se mostrado uma excelente amiga, ela ainda não atingiu o mesmo nível da antiga BFF do Salvatore. O vampiro está em desespero por não saber acalmar a dor e ficou nítido que ele não quer Elena e Damon por perto, pois isso reforça e amplifica tudo de ruim que ele sente.

 

Eu só não quero que Elena se envolva nisso, mesmo sendo completamente impossível. Independente do assunto, ela sempre tem que se meter e ser a chata, especialmente na hora de repetir a todo o momento quem Stefan é, que ele é o único que a conhece, que sentia a falta dele e mimimi. Morre diabo! O mais engraçado é que ela tem uma autoridade e um direito de ir e vir na mansão Salvatore que é irritante a essa altura do campeonato. Culpa dos irmãos é claro! Só sei que de nada adianta a vampira tentar ajudar Stefan ainda com foco no próprio umbigo, pois é isso o que ela faz. O alívio veio quando ela se ofereceu para ajudá-lo em nome da amizade e não pelo que ambos representaram um para o outro, mas isso não me convenceu. O discurso dela foi desnecessário, bem como o abraço no ex e o falatório deselegante na frente de Damon de que Stefan foi isso e aquilo na vida dela. Ainda não entendo qual é a necessidade de fazer uma protagonista ser tão odiosa, sendo que devíamos torcer por ela.

 

Ao menos, no quesito Elena, Stefan ficou na defensiva, pois os interesses dele nesse episódio eram outros. Achei bom ele ter transmitido a sensação de estranheza com o súbito interesse da ex-namorada pelo seu bem-estar. Na mente do Salvatore, ninguém ligou para o repentino sumiço dele e, do nada, Elena chega toda solícita? De todas as pessoas, ele não esperava que ela o esquecesse, independente de quem ela namorasse. Ambos sempre tiveram uma forte cumplicidade e isso foi anulado a partir do momento que Stefan ficou no fundo do lago e Elena foi curtir o relacionamento com Damon. Não vejo nada que possa uni-los da maneira como era antes, a não ser um desastre natural que seja justificável para colocá-los no mesmo espaço para voltarem a se amar.

 

Em meio a esse caos, o drama de Katherine foi uma surpresa, pois a queda do dente e a mecha branca no cabelo não era nenhum efeito colateral da cura, mas do tempo. O corpo dela está em processo de envelhecimento e digamos que 500 anos presa em uma bolha de juventude provocará um belo estrago. As interações dela com Nadia me deixaram chateada, mas, por ser Katherine, o descaso é uma das coisas que ela entende muito bem. A humana jamais contaria o que acontece com ela para as pessoas que bem lá no fundo se importa. Ela corre atrás do desconhecido, sem nenhum elo emocional, como Wes e Tessa. Confesso que fiquei passada com essa ideia de envelhecimento, o que colocou a personagem em estado terminal. Isso me faz ter mais certeza de que dessa temporada Katherine não passa. Especialmente por ela não conseguir ingerir sangue de vampiro para curar pequenas feridas.

 

Comentário aleatório: se Stefan tivesse ingerido a cura, ele morreria também. Analisando bem, essa substância sempre foi inútil e todo mundo foi atrás dela de otário. Ninguém seria curado para viver feliz e longe do vampirismo. Aplausos!

 

Ao longo da trama, a ideia brilhante de fazer Bonnie o novo âncora me tirou do sério. Eu queria dar um tapa em alguém, pois acho bárbara a falta de necessidade de matar certos personagens e depois ter que sambar para tentar corrigir o erro. Já sei que vou me irritar muito com o 100º episódio, pois há boatos que fantasmas darão um passeio. Com essa ideia de jerico apoiada por Jeremy, todo mundo foi lá se humilhar e barganhar pela ajuda de Tessa, que não pensou em ninguém a não ser nela mesma. Mais uma vez, a bruxa tinha a faca e o queijo na mão: a ira de Silas, uma doce e perdida Amara e as doppelgangers. O confronto dela com a rival foi muito suave se formos colocar na balança o ódio que Tessa sentia por ela, mas esse reencontro só serviu para mostrar que, no final das contas, a terceira ponta do triângulo dá um jeito de vencer, mas precisa destruir o amor principal.

 

A partir de um feitiço, Tessa iniciou a festa das doppelgangers. Amara. Katherine. Elena. As três apenas tornam o trabalho de Nina impecável. A atriz conseguiu transmitir em curtos instantes a diferença mais forte entre as cópias: a personalidade. Claro que vale mencionar o comportamento e a atitude: Amara dócil, Katherine ácida e Elena cheia de si. Nina conseguiu mudar as facetas com grande talento e foi incrível ver as três versões dela lado a lado. Imagino o trabalhão para fazer essa cena, fato. De todas as três, é muito fácil escolher a preferida, e o voto sempre será para Katherine Pierce. Uma pena que ela, muito provavelmente, será a próxima a ser eliminada da série. Bem, não vejo um futuro muito promissor para Katherine e, agora que Amara se foi, acho que no final só nos restará a Santa Gilbert para tolerar.

 

O reencontro Silas e Amara foi intenso e tocante. Ambos ainda se amam apesar dos 2 mil anos separados. A cena ficou muito bonita e as juras de amor entre eles foram de quebrar o coração. Foi possível sentir que o amor que habitava ali era real, mútuo e compassivo, sentimentos particulares que tentaram sobreviver a todas as intempéries e o destino. É um amor visível, que machuca e que se sacrifica. Eles queriam ficar juntos, mas os anos de sofrimento, às vezes, superam o amor, e Tessa fez questão de fazer isso ao longo do tempo. A morte deles foi justa, pois o casal não aguentava mais viver na mesma condição, especialmente por não terem um ao outro. Foi um final extremamente justificável e lamentável, pois com Amara se foi Silas, e a série voltará a ficar sem graça.

 

Nessa bagunça, Tessa aproveitou para partir dessa para melhor. Amara segurou tempo suficiente para se manter viva, a bruxa se matou para ir atrás de Silas e Bonnie voltou. Pensei que ficaria feliz pelo sucesso do feitiço, mas não. Eu queria que Damon falhasse. Queria que Elena chorasse. Tudo está muito fácil de ser corrigido na série. Basta um gole da cura, basta uma noite dos fantasmas para compensar as mortes, basta ceninhas Stelena para não perder um público de peso… Está ridículo! A vitória de Elena foi um ato de egoísmo puro, como sempre é. Ela nunca pensa na quantidade de pessoas que se sacrificam no percurso, imune a dor de qualquer um. Elena só pensa no quadrado dela e Damon, o egoísta rei, apenas alimenta essa doença toda. Pior disso tudo, é ela ter dito ao Stefan que venceu. Tinha mesmo necessidade disso? Com aquela expressão toda fingida? A situação toda foi forçada e falsa demais.

 

Só de pensar que essa vitória de Elena causou a vida de personagens que sustentaram os últimos episódios da temporada, tenho vontade de chorar. Tudo ficará focado na faculdade e na sociedade secreta de Wes. No aguardo do porre que vai ser. Pelo menos, Bonnie vai sofrer e eu fico feliz, pois isso fará Elena ficar doidinha. Mystic Falls é um lugar onde todo mundo morre, então, a bruxa sentirá muitas cólicas sobrenaturais dos espíritos passando por ela. Quero ver isso ser corrigido sem Tessa.

 

E o Stefan bolado, como fica?

 

Falha nossa: Matt está possuído por aí e ninguém se lembra? Ah! Tá! Até a Nadia estava tranquila demais, vejam bem.

 

Desabafo: se TVD continuar assim, acho que não gastarei mais energia com as resenhas depois do hiatus de final de ano.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Aii eu senti bem lá no fundinho de que vc era Stelena. Acho que foi pela maneira carinhosa como tratou o Stefan <3 Eu costumava ser bem mais Stelena, por assim dizer, mas a série conseguiu destruir isso, pois sempre acreditei no casal além de qualquer pancadaria do fandom. Antes, eu até rasgava seda em reviews, mas a entoação estava perdendo valor e me desgastava muito. Agora, estou na luta pra fazer uma resenha mais compacta. O que é MUITO difícil, pq sempre acho que deixo passar alguma coisa.

    Damon. Eu desisti de ter fé nele. Eu o amava nas duas primeiras temporadas, sabe? Eu o achava extremamente independente, bacana, sacal na medida certa e, feliz ou infelizmente, não acho que ele faz o boa pinta de vampiro apaixonado, pq ele é suavemente egoísta. Tipo, a Kath. Por mais que eu goste dela na melhora do caráter, ela sempre foi girl power, e fez tantas burradas quanto o Damon, mas, se Steferine for um processo de redenção, considerando que eles têm uma lacuna aberta, bring it on! Mas façam bem feito, não como desculpa só pq não tem Stelena na temporada.

    Eu esperava mais de Delena. Ainda mais depois da cena Never Let Me Go que eu achei sensacional, mesmo na época sendo doente por Stelena. Eles tinham mais intensidade e minorizaram uma história pra ser safadeza oculta.

    Ownnn como vc é linda <3 Mande beijos pra quem lê e um abraço de mto obrigada *_*

    Beijosssss!!!

  • Luiza Morena

    Opaaaaaaa! Nem precisa agradecer, porque eu só comento o que vale muito a pena, e você escreve com objetividade, sabedoria e imparcialidade. Eu sou uma Stelena curada aaahhahaha, estou mais para um team Stefan querendo uma boa história para todos os personagens, já que durante a série, Damon teve um bom desenvolvimento, assim como Kath e os Originais. Contudo, o bad boy ficou perdido nessa temporada, pelo menos até agora. Mesmo não torcendo por delena, pensei que veria algo mais vivo no casal, e me enganei até nisso. Bom, tô espalhando sua resenha pelos amigos fãs da série no facebook, e até agora só vejo elogios. A turminha gosta de boas resenhas para organizarem melhor as idéias sobre cada episódio. Voltarei sempre!!!!! Aliás, li a 5×08 e tá excelente.

  • heyrandomgirl

    Olá, Luiza, muito obrigada pelo comentário! 😀

    Eu já desisti de entender os motivos dos quais de tanto forçarem um triângulo amoroso que deixou de ser funcional. Pelo menos para mim, não dá mais aquele desejo de torcer para que Elena fique com alguém e não falo mais que Stefan ou Damon merecem coisa melhor, pois ambos estão obcecados por uma garota que não vale a pena. Stelena tinha a magia particular deles, bem como Delena que foi arruinado por motivos que tbm não consigo entender. Eu nem me arrisco a dizer que é marketing, porque, se for isso, é uma tremenda burrada, pois a audiência a cada episódio simplesmente cai. Virou uma tremenda palhaçada e a trama perde personagens em potencial justamente para alimentar um assunto que perdeu toda a graça. Silas se foi, Katherine logo irá tbm e Tessa…Já imagino a série entregue a chatice de sempre e é triste ver isso, pois TVD deixou de ser um fenônemo para ser mais uma série teen cuja protagonista é indecisa e irritante e que pisa em quem quer e sai sempre como vitoriosa. Triste, mas é verdade.

    Concordo contigo sobre a frase final de Elena para Stefan. Realmente, não tinha necessidade disso e eu fiquei extremamente ofendida (pergunta do dia: vc é Stelena?).

    Nossa, você tirou as palavras dos meus dedos (inventando frase, Hahaha). Silas era a parte engraçada, algo que Damon não é mais, de forma alguma. Damon se estragou a partir do momento que confessou o amor por Elena e focou nisso como se fosse uma promessa de vida. Lembro que amava o sádico e sacana Damon, com todas aquelas piadas inteligentes. Ele perdeu todo o charme e está insuportável engoli-lo.

    Obrigada pelo seu comentário mais uma vez. Eu adoro conversar sobre séries e às vezes fico até com medo de receber comentário, pois sempre acho que sou a única que vê tudo de ruim Hahahahaha Seu recado foi extremamente satisfatório e eu me senti parte do grupo chateado com TVD hahahahaahahah

    Beijossssssss!!! E volte sempre <3

  • Luiza Morena

    Perfeita sua resenha, está exatamente de acordo com a descrição que faço de tudo isso que aconteceu no episódio e está acontecendo na série de forma geral. E não é porque estava torcendo sempre para um casal, como Stefan e Elena, é por que a forma que os produtores se utilizam para acabar com o triângulo amoroso, está sendo mais penosa de acompanhar do que o próprio triângulo em si. O personagem central, Stefan, passa por um tratamento de choque muito radical para enxergar que a Elena não é mais o amor que ele sempre sonhou e que deve seguir em frente sem mais olhar esse desastre do seu passado. Foi demasiado dispensável a forma como Elena deu uma patada na sua cara no final do episódio, como se os produtores tivessem socando a cara dos torcedores do casal…e olha que eu senti o bofetão no coração. E tudo que você falou sobre as cópias confere com meu sentimento. Silas, Tessa, Katherina foram meus êxtases nessa temporada e não sei como irão ser substituídos. Silas, principalmente, porque deu um ar novo ao lado cômico masculino, já que Damon não consegue mais fazer piada com a mesma liberdade e naturalidade de antes. Enfim. Não sei se a série conseguirá me ganhar por muito tempo. Parabéns pela resenha.