Menu:
20/fev

Este episódio de Pretty Little Liars foi uma perda de tempo disfarçada com a crise de Spencer por causa do vício por estimulantes. Mais uma vez, os envolvidos com a série investiram e muito no peso das promos (o que nem é mais surpresa, pois acontece desde sempre), como também pesaram demais na hashtag #AriaFindsOut. Eu acompanhei vários tweets no dia em que ele foi ao ar, imaginei que o mundo tivesse caído de uma maneira incontornável e fiquei bem curiosa. Porém, por detrás de um episódio que até conseguiu ser envolvente, ficou a decepção de mais uma promessa não cumprida. Afinal, Aria descobriu algo bobo. Ezra ficou com a Ali, isso doeu para ela, mas não foi o suficiente. Este episódio representou de novo o velho problema da série em segurar o suspense e, no final das contas, dar informações que não fazem a menor diferença.

 

Embora o episódio tenha sido uma perda de tempo nesse quesito, a trama teve bastante peso e quem propiciou isso foi Spencer. Troian enche os olhos desde a temporada passada por sair da zona de conforto com relação a sua personagem que sempre foi certinha e calma e, quando ela atinge o auge emocional, não tem como não sentir até mesmo o chão tremer. Além dela, preciso elogiar o Ian por conseguir fazer o Ezra mudar da água para o vinho com facilidade, algo que aconteceu lindamente no final do episódio. Uma hora ele é doce e na outra ele parece um maníaco. Eu adoro os olhos dele quando ficam injetados, maníacos. Posso dizer que se o season finale for uma porcaria, Ian e Troian ajudaram a melhorar esta temporada. O cabo de guerra entre Spencer e Ezra tem sido a melhor coisa dos últimos episódios.

 

A trama abriu com uma Spencer perdida e confusa. Ela simplesmente acorda na sala de Ezra trajada de pijamas. Parecia um sonho, mas era tudo real. Começar o episódio com um confronto entre os dois foi um valioso investimento, pois eles se tornaram as âncoras mais importantes deste final de temporada. Não teve como não temer o aviso do professor sobre o caminho perigoso do qual ela se encontra e é muito bacana os diálogos serem repletos de duplo sentido. Ezra chuta o vício da liar para tentar tirar uma confirmação sobre o que ele faz no horário pós-aula para as amigas, o que atiça o medo de Spencer que está sensível demais por causa do vício por anfetaminas. Isso dá certo charme aos confrontos constantes entre ambos. A partir do momento que a liar se livra dele, o objetivo da vez ganha foco: desmascarar Ezra. O problema é que o descontrole e a confusão mental de Spencer a fez cair em descrédito.

 

Antes disso, Spencer foi emparedada. Ezra foi simplesmente incrível em fechar o cerco ao redor dela e, se formos pensar bem, nem foi tão ruim assim. Por mais que ele tivesse como intenção principal parar o que ela fazia, especialmente no diário que ele crê que foi alterado com sucesso, o professor ajudou a liar a cair na real por meio de uma intervenção das amigas, algo muito importante porque ela começou a perder o juízo. Sendo bem sincera, a última coisa que eu quero é vê-la internada. Já me basta o que aconteceu na temporada passada. Foi ótimo, incrível e não precisa se repetir. O que preocupa agora é que o vício de Spencer traz cada vez mais para perto o suposto segredo dela e neste episódio houve muitos fragmentos soltos no ar. A parte em que ela mostra os indícios de abstinência comprova o quão profundo é essa necessidade da liar em prosseguir com o consumo de comprimidos.

 

O ponto mais interessante do dilema de Spencer foi a ficha escolar ter voltado à tona, indicando que o problema dela com medicamentos é muito mais complicado do que o esperado. O que poderia ser um impasse de saúde banal, administrado pelos pais e pelo médico, possui uma proporção maior e, aparentemente, mais grave. Isso seria o bastante para julgar o comportamento dela, o que a torna menos confiável. Como disse na review do episódio 4×18, ADHD indica Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, o que pode acarretar transtornos de personalidade. Na viagem mental de Spencer na semana passada, a culpa que ela sente pelo que aconteceu com Ali ficou muito evidente, o que indica muitas falhas no plano que faria a Queen de Rosewood desaparecer.

 

Quando Veronica fica por dentro do problema da filha, ela diz que Spencer não sabe o que faz na metade do tempo e na hora voltei para o piloto de PLL, onde me lembrei da expressão vazia dela quando é questionada sobre Ali. Se tudo isso indica o segredo escabroso da liar, acredito que se pode esperar coisas bem intensas e ruins. Depois deste episódio, não me espantaria se Spencer continuasse envolvida com o “A” Team, pois, na época do Radley, ela assumiu uma nova identidade chamada Jane Doe (vocês podem relembrar do episódio aqui).

 

O auge de Spencer não parou por aí. Eu queria muito ver a cena em que ela grita que Ezra é A e foi incrível. Porém, fiquei meio infeliz, pois o peso da afirmação não causou nenhum efeito nas liars. Eu fiquei meio revoltada. Depois de tantas evidências que Spencer mostrou para Hanna e Emily, achei um absurdo elas começarem a duvidar. Ainda mais quando fica claro que Spencer é vítima de uma emboscada de Ezra. O professor conseguiu dividi-las com extrema perfeição e foi muito astuto em não deixar falhas. Com um atestado médico comprometedor e receitas médicas de Wren dentro da bolsa dela, ficou meio difícil ela ser acreditada, mas, pelo amor de Deus, as evidências estavam muito claras, antes mesmo de Spencer parecer uma maluca. Hanna me tirou do sério com as suspeitas e Emily tem se tornado tão detestável que eu gostaria que ela fosse viajar, sem data de volta. Por isso gosto de Sparia quando o assunto é amizade, porque as outras só prestam para investigar.

 

Vale mencionar que estava com saudades de Spoby e eu odeio ver o Toby triste daquele jeito.

 

Em meio a todo esse caos, Ezra se mostrou o perfeito rei de Rosewood. Ele aproveitou a fraqueza de uma das liars e a rebateu nas outras para dividi-las. O personagem foi muito incrível neste episódio ao misturar o lado doce com o perverso, especialmente na companhia de Aria. Eu ri que nem a Spencer quando o professor se mostrou preocupado com o vício por anfetaminas da liar e ri mais ainda quando ele quer levar o problema para os pais dela. Muito cara de pau! Ezra achou que venceria e foi bem legal vê-lo deslizar na própria segurança ao dar detalhes do suposto corpo que seria de Toby (ainda me pergunto quem estava no lugar dele, mas beleza!). Ele foi muito imbecil. Por outro lado, o personagem foi mestre em contaminar Aria pelo tempo que deu e por gerar a desconfiança de Emily e Hanna, mas tudo o que é bom dura pouco. Enquanto ele cantava o hino da vitória, Spencer planejava um rebote, e digamos que Ezra se deu mal na própria ignorância. Ele jogou iscas, elas morderam, mas o gênio caiu na própria frase de trabalho desleixado e assistiu a própria queda.

 

A relação Mona-Fitz entrou em cena e teve alguns esclarecimentos soltos no ar. O que ficou evidente para mim é que Mona faz o típico trabalho do “A” Team para Ezra, algo que ele não faz. As receitas médicas de Wren pararam na bolsa de Spencer por causa dela. Sem contar que acho que era ela no pavilhão Ambrose, deixando a dúvida se o dinheiro foi realmente recolhido. O professor demonstra ser um tipo de líder que fica na penumbra, focado na parte técnica e que apura. Ele apenas move as peças do xadrez, algo que ele faz com Mona que não está com Mike porque ele é fofo, mas para cercar os Montgomery. O fiasco veio em forma de surpresa, pois ela pediu demissão do cargo, com certeza por ver uma possibilidade de namorar o irmão de Aria. Ezra só se esqueceu de que lida com uma pessoa extremamente carente e Mona tem um chefe que não aceita negativas. Deu para sentir que a personagem quer normalidade, mas o histórico no “A” Team é uma mancha eterna no currículo dela. Porém, acredito que a Mona recebeu um prêmio de gratificação no final do episódio por ter captado a tristeza de Aria, o que deu para ela supor que a verdade sobre Ezra veio à tona.

 

Ezria não foi de quebrar o coração. Acho que a tensão de contar ou não contar deu aval para meu órgão vital ficar tenso, mas só Aria representou o lado emocional da coisa toda. A personagem descobriu parte da verdade sobre o professor da pior maneira, o que a levou a uma tristeza fora do comum. É muito bom vê-la destruída, pois Aria sempre ficou nos bastidores, presa ao relacionamento supostamente perfeito e aos dilemas familiares. Ela nunca sentiu o gosto do que é sofrer por causa de A tanto como agora. Vê-la ser repartida foi ao mesmo tempo triste e justo. Aria precisava disso. Não só a personagem, como a Lucy. O meu incômodo foi justamente por causa da expectativa de que Spencer conseguisse se provar, algo que deveria ter acontecido para calar a boca de Hanna e Emily. O desvio me deixou extremamente frustrada. Afinal, Aria não descobriu a verdade em si. Ela cavucou na cabana e encontrou algo por “mera sorte”. Eu queria que Spencer causasse uma reviravolta. Que ela provasse que Ezra é A, ou parte do “A” Team ou Big A, sei lá.

 

Eu fiquei com nojo do Ezra depois daquele discursinho ridículo de ter ficado com Ali, sem saber a real idade dela e tudo mais. Justificativa mais sem nexo, porque é impossível não desconfiar de uma cara de bebê que jurava ser maior de 18 anos. Está certo que Ali é mestre na manipulação e na persuasão, mas Ezra estava na faculdade for Christ’s sake. Ele não é tãooo inteligente? Como deixou isso passar batido? Claro que ele sabia onde se metia. O que vejo é um tonto que ficou extremamente apaixonado e terminou obcecado. O professor é muito doente. Só de ouvir as palavras dele fiquei com vontade de vomitar, especialmente quando Aria indaga que ele a usou. Ezra continuou a namorar Aria mesmo ela sendo menor de idade e isso me enoja ainda mais. O cara é quase um pedófilo. #revoltstotalmeperdoem

 

Por ter gostado muito da trajetória do personagem, quero acreditar que Ezra, ao menos, amou Aria nem que fosse um pouco.

 

Ponto importante: em meio à briga Ezria, apenas um ponto se destacou: o fato dele ter falado para Aria que as folhas que ela encontrou se tratava de um livro policial sobre Ali. Isso me chamou atenção depois de ler uma teoria no The -A Thing que diz que Ezra pode ser o detetive que Peter Hastings contratou para ir atrás de Ali. O post ainda levanta pontos a se pensar: Ezra nunca apareceu trajado aos moldes do “A” Team e o covil dele é meticulosamente organizado, como o de um policial. O que dá um pouco de veracidade a essa teoria é que as folhas que Aria encontrou estavam seguras como um manuscrito e na lateral havia anotações que remetem a uma revisão. O que pensar sobre isso? Mas vale lembrar que Ezra sabia do estado do corpo do suposto Toby, o que indica que ele sabe muito mais das coisas do que aparenta. A dúvida fica se ele é bom ou ruim. E, vamos combinar, que a descoberta dele como suposto membro do “A” Team foi fácil demais.

 

Aria agiu muito bem diante da dolorosa parte da verdade sobre Ezra. Ela disse tudo o que deveria ser dito. Sem contar que ela foi ótima em correr atrás de pistas por causa do deslize verbal do professor, o que me fez dar ainda mais valor à relação Sparia. Houve uma parte da liar que acreditou em Spencer e isso foi o suficiente. Isso mostrou um pouco de valor que ela sente pela amiga, o que lhe deu aval de seguir os próprios instintos. Seria ótimo se Aria descobrisse o covil no porão da cabana, mas o que encontrou foi o suficiente para ela ver que a afirmação de Spencer foi completamente lúcida. Por mais que a expressão da Lucy chorando tenha virado meme, eu não esperava tanta carga emocional por parte da personagem dela. Aria sempre foi muito doce, nunca perdeu as estribeiras, e fiquei chocada com a convicção dela em negar qualquer palavra de Ezra. Aí está uma chance para a atriz se provar, pois todos os holofotes estarão concentrados nela.

 

Por mais que tenha sido mais uma perda de tempo, foi um episódio bem pontual, com dois plots pertinentes e que foram suficientes para mover os personagens. A cena final da Spencer me deixou de coração partido. Espero que ela não seja internada de novo e que a tia Veronica dê um voto de confiança para ela.

 

E por que diabos a Aria não voltou só de raiva para pegar as folhas, hum?

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3