Menu:
17/fev

Momentos. Esse é um. Esse, aqui, agora, é um momento. Tudo pode acontecer depois.

 

Esta semana, o blog estará com uma carinha especial e todos os posts serão uma forma de relembrar Esther Grace Earl, a adolescente que inspirou John Green a escrever “A Culpa é das Estrelas”. Eu e mais uma galera linda compartilharemos amor pela adolescente e pelo livro “A Estrela que Nunca Vai se Apagar”, publicado pela Editora Intrínseca. Serão 7 dias de muito amor e inspiração. 

 

 

Para começar a Semana Esther com o pé direito, trouxe para vocês a resenha do filme Agora é para Sempre (Now is Good), baseado no livro Before I Die de Jenny Downham. Dirigido por Ol Parker, o longa conta a vida de Tessa, uma adolescente que simplesmente abandonou a luta contra a leucemia que a consome por 4 anos para viver o presente da melhor maneira possível. À primeira vista, o roteiro aparenta ter uma pegada romantizada demais sobre o tema, mas ele conseguiu se destacar por dar importância aos momentos.

 

A história é de partir o coração e a parte boa é que os clichês em torno de uma pessoa detentora de câncer são deixados de lado para dar uma perspectiva diferente, bem como uma mensagem que passa longe da ideia de menina conhece menino e ambos se apaixonam. Claro que tem isso, pois é quase um ponto obrigatório, mas até essa pegada recebe um toque diferenciado, um pouco mais real quando se tem que lidar com uma doença que não só consome o paciente, como todos os envolvidos.

 

Tessa é a protagonista desse drama que só quer saber de viver o agora. A afirmação para abandonar o tratamento vem da necessidade de manter corpo e mente em alerta ao que acontece a seu redor, um detalhe que é comprometido por causa do excesso de medicamentos que acarretam diferentes efeitos colaterais. Para não perder nenhum momento enquanto o câncer a consome, Tessa lista tudo aquilo que deseja fazer antes de morrer. O engraçado é que os tópicos não são típicos, como ler dois livros por dia ou ir para a praia, mas englobam atitudes um tanto quanto rebeldes, como furtar uma loja. Para impulsioná-la, temos Zoey, a melhor amiga, que lhe dá corda para continuar a ir atrás de tudo que almeja em curto espaço de tempo. No começo, parece simples, há certo divertimento, mas é fácil notar que Tessa sente falta de algo, especialmente o de se sentir realmente viva por dentro. Por mais que ela finja ser uma garota saudável, não há como negar o verdadeiro status do qual se encontra, o ponto principal de aflição muito bem camuflado por comportamentos que fazem seu pai querer arrancar os cabelos.

 

A personagem tem seu charme, mas é a língua afiada que se destaca. Quando sua condição entra em cena, ela rebate com piadas inconvenientes, especialmente quando está perto do pai que é responsável pelos cuidados dela. Tessa se mostra impaciente o tempo todo e não tem receio algum de dar às perguntas respostas ácidas e irônicas. Ela criou uma casca de proteção em torno de si, pois a última coisa que deseja é pensar no quanto está doente. A vida dela passa a se apoiar na seguinte questão: os momentos estão ali, por que pensar no dia seguinte? Por mais que ela esteja consciente do problema e do quanto ele a impede de ter um lifestyle dito como normal para uma pessoa saudável, Tessa não abre mão de ser uma garota típica que tenta se divertir, sem arrependimentos. Durante todas as respostas mal-educadas, percebe-se que a personagem evita o máximo lembrar que tem leucemia, o que a faz esconder a verdade, especialmente quando conhece algum garoto.

 

Agora é para Sempre tem uma premissa um tanto quanto diferente, especialmente no que condiz ao arco amoroso. Enquanto em Um Amor para Recordar há um garoto devoto à garota, ao ponto de casar com ela, neste filme há Adam, o vizinho de Tessa, a parte mais humanizada da história. Ele representa aqueles que sentem dificuldades de aceitar que uma pessoa querida está com câncer, e são derrubados pelo sentimento constante de impotência por não saber muito bem o que fazer. O adolescente simboliza os anseios daqueles que ficam perdidos quando um ente querido é acometido por algum tipo de câncer ou até mesmo outras doenças mais graves, um detalhe que fica claro quando ele recusa Tessa por causa da condição dela. Por mais que seja doloroso, Adam esboça o medo típico de mergulhar de cabeça no desconhecido em meio à posição inevitável de não se apaixonar pela adolescente que tem mais vida do que imagina. Ele afirma que não tem preparo psicológico para isso, mas entende que essas coisas simplesmente acontecem. Sem aviso. Sem pedir licença.

 

O que o torna muito especial é a pressão que ele se impõe de não ficar com Tessa por causa da doença que lhe traz a ideia de impotência antes mesmo de apoiar a garota. O que me fez gostar bastante da storyline de Adam é que ele segura a onda até se sentir seguro e, quando o sentimento de querer estar com Tessa é incontornável, o personagem ingressa bem ciente da luta que está prestes a começar na companhia de uma garota que muda muitos âmbitos da vida dele. O dilema aqui não é o fato de se apaixonar em um momento que soa nada propício, mas o que vem depois. O pai representa a fatia que não aceita o romance por acreditar que Adam não tem força para suportar tudo o que está prestes a acontecer e idealiza a probabilidade dele cair fora assim que tudo ficar insuportável.

 

Tessa e Adam se tornam o ponto forte que desmorona conforme a leucemia diminui o tempo de vida da adolescente. Durante a trama, ela é irrefutável quanto ao tratamento e não muda de opinião nem quando a situação fica próxima de ser crítica. Porém, tudo se torna desesperador quando Tessa mostra que quer viver. Assim, ela conhece Adam no momento errado e ao mesmo tempo no momento certo, pois o apoio da família é apenas uma parte do que ela sempre quis para lidar com a doença. No fim das contas, ela queria sentir outro tipo de amor e ele foi encontrado em Adam. Ela queria novos momentos e os conseguiu, pois o amor de ambos não é aquele que tudo promete, é aquele que tudo vive.

 

Relações de Esther com Tessa

 

Resgatando um pouco da memória da Esther, a pequena nerdfighter também fez muitas listas ao longo do tratamento contra o câncer da tireoide. Sem contar que ela não deixou em nenhum momento de aproveitar todas as chances de estar ao lado da família e dos amigos, dois lados que ela sempre afirmou como essenciais, seus infinitos, para que não desistisse de lutar. Esther queria também beijar um garoto, como ter mais momentos além do constante repouso. Foi no amor que ela se apoiou enquanto lutava todos os dias. Às vezes, ela se comportou como Tessa e preferiu externar a doença, substituindo todas as inseguranças com palavras e desenhos. Esther abraçou todos os momentos que surgiram ao longo do caminho e não deixou de vivê-los com intensidade, mesmo quando estava muito fraca.

 

Agora é para Sempre poderia ser mais um filme adolescente sobre câncer, mas não é. Tessa pode ser a protagonista, mas ela é facilmente ofuscada por outra personagem: a vida. Precisamos viver o agora. Por mais que eu seja uma pessoa que se empolga e muito com as promessas do futuro, nada nos constrói melhor e nada nos dá melhores pontos de vista como os momentos que compartilhamos no presente, seja com quem for. O longa é bem suave ao abordar essa temática e se apoia essencialmente na ideia de viver o máximo possível, sem se esquecer de ter esperanças e sonhos, algo que preocupa Tessa, a garota que teve seu nome colocado no mundo.

 

Esther e Tessa são exemplos, um real e um fictício, de que o momento para fazer o que queremos é no presente, não no futuro. O velho ditado de viver o agora como se fosse o último dia da nossa existência calha perfeitamente com Agora é para Sempre e até mesmo com a vida de Esther que fez o seu melhor, todos os dias, mesmo quando estava indisposta e deprimida. Ao contrário de Tessa, ela continuou com o tratamento e foi otimista. Enquanto lutava, Esther se empenhou em inspirar e ajudar outras pessoas. Tessa pode não ter inspirado ninguém, mas ela teve os momentos que almejou de um jeito diferente e inesperado, e os aproveitou. Além disso, Tessa deu outros momentos para quem estava ao redor dela por saber que, no dia seguinte, ela poderia não estar mais ali.

 

A vida é cheia de momentos. É a nossa viagem. Agora é para Sempre é um drama delicado sobre uma garota que encontra diferentes formas de amor para se manter forte. É um filme que aborda o tema de maneira bem sutil, dono de uma fotografia e de uma trilha sonora maravilhosas. Não tem como não chorar no final da história e não se perguntar como se aproveita a vida sem desperdiçar sonhos e esperanças.

 

O filme representa perfeitamente um dos mandamentos de Esther: aproveitar a vida ao lado das pessoas que mais gostamos. <3

 

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Larissa Telles

    Esse filme é perfeito, eu também queria ler o livro, já que geralmente o livro é melhor que o filme, mas cadê o dinheiro para comprar? kkkk' Enfim, um dia nós iremos ler oo/

    Beijos e de nada :3

  • heyrandomgirl

    Olá, Ieda, obrigada pelo comentário <3

    Pois prepare alguns lencinhos pq o filme garante umas belas lágrimas. Tem a pegada adolescente de A Culpa é das Estrelas, mas sem os dois personagens com câncer nhoi.

    Assista e depois me diga o que achou *_*

    Beijosss!

  • heyrandomgirl

    Oie Fernanda *_* Ahhh!! Fiquei feliz que vc viu o filme e veio comentar aqui de novo <3

    Eu tbm chorei lá pro finalzinho, me segurei bastante até, pq geralmente abro o berreiro com mta facilidade Hahahahahaha Mas é lindo. Adorei os personagens, o contexto, tudinho. Agora queria ler o livro que inspirou o filme.

    Beijossssssssss e obrigada por ter voltado <3

  • heyrandomgirl

    Não é? Preciso encontrar o livro que inspirou ele agora Hahahaha espero achar nem que seja em PDF <3

  • heyrandomgirl

    Olá, Cassiana, tudo bem? Obrigada pelo comentário <3

    Prepare-se pq o livro é mto lindo mesmo, de ficar bem triste por alguns dias. E ele é tãoo colorido, tão querido, tão lindo que dá medo até de amassar as folhas Hahahaha

    Beijosss e obrigada pela visita <3

  • Larissa Telles

    Já assisti esse filme e chorei feito criança. É muito lindo, tudo que fala sobre doenças terminais meche comigo e acredito que com muitas outras pessoas, pois faz a gente ver o quanto a vida de outras pessoas é difícil. Espero ler o livro da Esther logo <3

  • Cassiana Carvalho

    Preciso desse livro, parece ser simplesmente perfeito <3

  • Milena Soares

    É ótimo esse filme, amei

  • Fernanda Yano

    Oie Stefs, assisti ao filme ontem. Muito lindo mesmo, e não nego do meio ao fim chorei muito.
    A gente vê a parte não somente de Tessa, mas das pessoas envolvidas, a vontade de viver, de estar junto, os medos. Viver o presente acima de tudo e não pensar na doença ou nas coisas ruins que podem acontecer. Gostei muito e me emocionei demais.

  • Vitória Castro

    Eu quero o livro A Estrela Nunca Vai se Apagar que a @amy_macchiato e a @intrinseca estão sorteando na #semanaesther http://il-macchiato.com/?p=9190

  • Ieda Cavalcante

    Ótima dica, não conhecia esse filme, deve ser realmente emocionante, assim como o livro A culpa é das estrelas, que já estou me preparando pra chorar muito quando assistir a sua adaptação.
    Vou ver se consigo encontrar esse filme pra assisti por aqui.
    Bjs!

  • heyrandomgirl

    Oie Fernanda! Obrigada pelo comentário <3

    O filme faz lembrar um pouco de A Culpa é das Estrelas, ainda mais por ter uma pegada adolescente, mas sem perder um pouco das jogadinhas de palavras e de um pouco de humor, algo que filmes assim precisam para não ficarem tãooo depressivos. Se assistir, depois me conta o que achou.

    Beijos e obrigada pela visita mais uma vez :*

  • heyrandomgirl

    Oie, Fernanda! Obrigada pelo comentário <3

    Assista, é muito lindinho e não tem como não chorar no final das contas. É tudo mto dosado entre humor e drama, o que não deixa o filme tão pesado. Depois me conte o que achou *_*

    Beijos e obrigada pela visita mais uma vez :*

  • Fernanda Yano

    Adorei! Eu não conhecia esse filme, deve ser lindo e já vou olhar pra assistir.
    Tanto Tessa (ficção) quanto Esther (fictício) são histórias de emocionar.

  • Fernanda Borges

    Parece ser bem interessante este filme, bem parecido com A culpa é das estrelas que gostei muito de ler!

  • heyrandomgirl

    Hello Sophie, obrigada pelo comentário <3

    Hahahahaha faça por merecer, fique de boinha e ganhe o livro, acho digno <3

    Beijossss!

  • Sophia Rios

    Preciso desse livro, estou tipo sendo boazinha aqui em casa pra ver se alguém me dá ele de presente… rsrs

  • heyrandomgirl

    Oieeeee Heidy, tudo bem? Obrigada pelo comentário <3

    O filme é mto lindo e chorei largada :( Eu preciso ler o livro tbm, acho que vou morrer qdo fazer isso Hahahahaha

    Beijoss e obrigada pela visita *_*

  • Heidy Chistynne

    Adorei sua resenha, preciso assistir o filme Agora é para Sempre e lógico que preciso ler o livro. <3