Menu:
06/mar

Este episódio de Pretty Little Liars foi chato na maior parte do tempo. A trama se manteve focada no dilema de Spencer e resgatou os pontos que foram levantados na semana passada. Para compensar a mesmice, Nate Buzolic finalmente deu as caras e Ezra resolveu fazer uma visitinha. As peças principais para dissolver o mistério da vez estão cada vez mais próximas de formarem o encaixe perfeito e eu não vou criar expectativa quanto a isso. Afinal, a série é famosa em trollar todo mundo, especialmente em final de temporada. Porém, deu para notar o pouquinho de preocupação da Marlene em encerrar o que começou na 4B e espero que ela não invente moda. Está mais do que suficiente desse jeito. Já que ela garantiu que o último episódio será implacável e mudará tudo, nada mais sensato dar adeus aos pedaços pequenos que não influenciam em absolutamente nada na história.

 

Vou começar a falar das partes desimportantes. Aria não foi atrás de Ezra como eu bem imaginava, mas resolveu se recuperar do coração partido a alguns quilômetros de distância das amigas. Na cena inicial em que ela aparece, não teve como não pensar em Alison com todo aquele clima de festa dada por uma fraternidade. Aria seguiu pelo mesmo caminho da perdição e não se importou em ficar bêbada e dormir com o primeiro que desse bola. No caso, Riley. A desculpa de fazer um tour pela universidade foi por água abaixo, pois ela se divertiu bastante para quem estava deprimida. Eu dou todo apoio! Eu gostei da dinâmica dela com o novo peguete, mas não consegui entender a necessidade de trazer mais um garoto para a série. Será que eu fui a única que achava essencial Aria ter um revival com Jake? Achei uma baita sacanagem! O plot Jakria ainda não foi concluído e é uma burrada tremenda dar aval para outro “romance” começar. Achei desnecessário um personagem novo, pois pressinto que ele voltará daqui a alguns milhões de episódios para causar dor de cabeça.

 

Meu faro não quer acreditar na tentativa funesta de criar um triângulo amoroso entre Hanna, Gabe e Travis, pois seria um fiasco extremamente épico. Como ainda não se sabe se Tyler voltará a fazer parte do elenco de PLL, o mínimo que se pode fazer é manter a storyline entre Travis e Hanna. Gabe é descartável, pois ele usará a garota para chegar até Ali. Sem contar que o cara é maior de idade, né? Nada de Ezra 2.0, por favor! No mais, Hanna de namorico com Travis faz mais sentido, pois ambos já construíram uma história. Ele surgiu para suprir a falta que Caleb faria e não vejo motivo para Gabe ficar no meio disso. Adorei a iniciativa do Travis em pedi-la para jantar, como também a consideração que Ashley criou pela família que a ajudou sair da cadeia. Amo Haleb, mas esse romance temporário até que está bacana.

 

Então que o bilhete deixado pela chata da Paige surtiu efeito. Demorou até demais para os detetives de Rosewood voltarem a infernizar as liars e a escolhida da vez foi Hanna, cujo autocontrole é tão nulo quanto à resistência de Emily em achar que Alison se tornou uma boa pessoa. As duas se merecem, sem sombra de dúvidas! Na crença de que a caligrafia passaria batida, Hanna foi a pessoa incrível em descobrir que foi Paige quem escreveu o bilhete. Já sinto sono com a briga Paily. Eu quero imaginar que o namoro termine, pois seria outra burrice da parte da Ems manter o relacionamento com uma garota que não respeita um pedido dela. Sem contar que traria um benefício tremendo à trama, pois, em comparação aos outros casais, elas nunca trazem novidades, só drama e chororô que são totalmente dispensáveis.

 

Sobre as partes boas do episódio, Ezra reapareceu e meu coração ficou apertado. Ninguém queria lidar com ele por medo e por desprezo. Foi meio chocante saber que o livro dele é real e que ele fez tudo o que tinha que fazer para escrevê-lo. A índole dele voltou a ser pauta, mas com gosto de finalização. Ele cancelou a publicação e deu uma cópia do manuscrito para Aria. O que pensar dele agora? Confesso que estou até que aliviada ao saber que A não tinha planejado nada contra ele, pelo menos não ainda, e é bom acreditar que o professor pode não ter nada a ver com “A” Team (não consigo esquecer do covil dele). O que se conclui sobre o personagem até aqui é que ele usou sim as meninas com todas as artimanhas possíveis para conseguir uma boa história e, mesmo que ele não tenha demonstrado nenhum interesse inicial no papel de jornalista, ele agiu perfeitamente como um.

 

Ezra foi dedicado e coletou todos os dados para escrever um livro policial que fizesse sentido, justamente por ser baseado em fatos reais. Por mais que ainda tenha um pouco de raiva por ele ter enganado todo mundo, fiquei com pena ao vê-lo no chão tentando remendar as coisas do apartamento. Minha esperança de que ele era bom até certo ponto é real, mas ainda não confio o suficiente no personagem.

 

A presença de Ezra também serviu para esclarecer a relação dele com Mona, onde o plano era fazê-la namorar Mike para vigiar Aria em troca de recortes sutis das ilegalidades dela cometidas contra o quarteto citadas no livro do professor. Eu não acreditei nisso. Eu queria acreditar, mas Mona é perspicaz demais. Tudo bem que desde o incêndio no final da temporada passada, a personagem foi sinalizada como uma pessoa que sabe menos ainda quem é A. Uma parceria com Ezra poderia também incluir o conhecimento de dados em primeira mão, o que de fato aconteceu. A deixa de Mona foi afirmar que o que o professor possivelmente descobriu é grande e sombrio.

 

O livro de Ezra não teria surgido sem motivos na trama. Ele ofereceu uma visão geral e fresca do que acontece, sem ser influenciado pelas tentativas escabrosas do “A” Team em desequilibrar as liars. Ao juntar peça por peça e achar que Jessica é a mentora dessa trama, as coisas realmente podem se tornar mais sombrias. Eu não me espantaria se fosse verdade, pois a mãe de Ali ganhou uma atenção exagerada neste episódio depois do que aconteceu entre Spencer e ela na semana passada. Jessica tem tudo para infernizar os Hastings, ainda mais por ter sido testemunha da discussão da liar com Ali. Não seria nenhuma surpresa se Peter e Veronica tivessem pagado pelo silêncio dela e de CeCe. Sem contar que a louça mal lavada ainda se prolonga para Jason, cuja paternidade também foi calada com alguns dólares. Ou seja, hábitos! Jessica ainda tem pé no Radley, o que poderia esclarecer o fácil acesso de quem quer que seja A aos doidos que lá habitam. Faz até que sentido Jessica ser A e, mesmo que ela não seja, a mulher deve saber de muitas coisas ao ponto de começar a cutucar Spencer.

 

A saída de Jessica do casulo deixou as coisas mais interessantes neste episódio. Pelo visto, a cabeça do “A” Team pode ser a mãe de Ali e até que gostei dessa ideia. Ela não é normal. Ela é completamente desmiolada e tem plena capacidade de agir como uma maluca para cima das liars, ainda mais por ter visto o que aconteceu entre a filha e Spencer. Jessica é descontrolada e perversa, dois itens que Ali herdou dela. O que rendeu muitas indagações foi a maneira como ela chegou à casa dos Hastings e soltou algumas indiretinhas para Spencer, como dizer o quanto é triste ver a filha morrer e como é bom ter uma boa noite de sono em lençóis limpos. Engraçado que os bilhetes de A tinham parado, mas só foi Spencer sair do limite para eles voltarem, isso desde os comprimidos. Ela tem sido a única a recebê-los e Jessica se enquadra muito bem como provocadora. Se isso for verdade, Ezra tem a faca e o queijo na mão para desvendá-la junto com as liars e sabemos como isso termina…

 

Vale lembrar que Peter nunca cansou de pedir para que Spencer ficasse afastada da casa dos DiLaurentis, provavelmente, por saber que a filha surtou na noite em que Ali desapareceu. Para isso, o flashback rendeu mais pano para a manga, onde a liar corre feito uma doida com a pá na mão e dá uma pancada suficiente para espirrar sangue para todos os lados. Porém, o rosto de Ali não apareceu em nenhum momento durante a corrida.

 

Spencer acabou na reabilitação e recebeu a companhia de Dean para continuar o processo de recuperação. Foi bem estranho ver o Nate pagar de bonzinho e sensato em PLL, pois a versão diabólica dele ainda está muito presente em mim por causa do Kol de The Vampire Diaries. O auxílio dele serviu de muita coisa, pois a pressão em cima da liar lhe deu muitas coisas a se pensar, especialmente sobre a noite em que Ali desapareceu. Sem internet, celular ou contato com as amigas e com Toby, Spencer passou por um tratamento de choque que lhe deu novas memórias. Na semana passada, uma pequena fatia sobre o assunto foi apresentada: Ali e Spencer discutiram. Houve a pá. CeCe e Jessica foram cúmplices. Agora, a perseguição ficou mais tensa, pois houve a pancada na cabeça e dá para imaginar o que veio depois. Porém, não consigo engolir ainda a possibilidade de Spencer ter enterrado Ali com vida. Seria sinistro!

 

O que aconteceu na noite em que Ali desapareceu pode estar escancarado, mas as dúvidas mentais de Spencer se tornaram as minhas. Graças ao episódio noir, está difícil separar o real da imaginação, pois a mente perturbada da liar se mostrou bastante criativa. Nem ela sabe o que é verdade e o que é criado por causa do peso na consciência. Isso acarreta incerteza. De acordo com Dean, esse é o momento em que as memórias dela podem se abrir e revelar o que foi suprimido e/ou esquecido. Por causa do mesmo vício que a tirou do sério na noite em que Ali sumiu, Spencer recebe essas informações e ainda não dá para afirmar se ela causou a suposta morte da Rainha de Rosewood. Eu já estou meio convicta, especialmente por causa do comportamento de Veronica no final do episódio que afirmou que acobertar Spencer foi uma espécie de bênção. Dinheiro em troca da boca fechada de Jessica e CeCe só se for.

 

O que foi Jessica no quarto de Spencer, gente? Eu juro que considero um pedaço de imaginação sinistro, pois até a iluminação parecia muito falsa. Eu senti a brincadeira no final do episódio, onde a mãe de Ali aparece e logo em seguida Veronica para reforçar as dúvidas que a liar sente sobre o que aconteceu. Se Jessica estava de fato lá (o que não duvido), vamos pensar que a mulher está em busca de um payback e isso acontecerá no baile das noivas, cujo vestido de Spencer estava muito bem sob os cuidados de A.

 

A deixa do episódio foi largada nas mãos de Ali, a única que poderá dar as respostas para preencher as lacunas sobre a noite em que desapareceu.

 

Para refletir:

 

Jessica sabe do bilhete que diz que Ali está viva. O que isso acarretará em Rosewood? Ezra deu o manuscrito de mão beijada para Aria. Sinto que isso custará a vida dele. De novo: quem pegou as folhas do manuscrito que foram jogadas no ar? Quantas cópias Ezra tinha desse livro? E o que Toby escreveu para Spencer? Por que ele está em Londres?

 

Season finale, cadê você?

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Hahahahaha Aria resolveu emendar o coração partido da maneira errada pra não dizer que ela foi bem espertinha! Hahahahahaha Só nós duas pensamos que ela tinha atrás do Ezra, eeee bobinhas hahahahahaha

    Eu não consigo ver graça na Paige, porque ela não faz absolutamente nada. E, quando faz, não ajuda em nada. Ela e a Emily conseguem perfeitamente travar um episódio sem trazer algo de bom. Quando isso acontece é um milagre. Espero mesmo que termine essa relação pq é mto ZZZZzzzzzz.

    O que fazer com o Mike todo xonadinho? Fiquei com uma dózinha dele =[

    Ai! Só de pensar que falta pouco pra season finale. Fico até emocionada. Se a Jessica tiver envolvida no babado, será sucesso Hahahaha

    Beijosss!

  • Kamilla Evely

    Nossa cara, a cada episódio tô ficando mais cheia de (in)certezas. haha Achei um pouco desnecessário a Aria pegar o primeiro que aparecer, isso não faz ninguém esquecer não. kkk Mas o boy é um lindo! Mas concordo com você, que talvez mais pra frente ele volte a aparecer. E trolaram a gente legal, também imaginei que ela tivesse ido atrás do Ezra. kk
    Também espero que a Em acabe com Paige, ela é muito sem sal. Tá na hora de dá uma balançada na vida da Em, alguém que realmente mexa com ela… todos os casais (até Mona e Mike) estavam mais interessantes que elas duas. A Hanna tá bem esperta, depois que leu os livros do James Patteson. hauah Agora sobre a Spancer, tô confusa. Tô bem confusa. E a mãe de Ali, é bem A mesmo… aquelas indiretas que ela soltou pra Spancer… quero respostas. kkk Quero muito! rs