Menu:
09/mar

Primeiramente, devo dizer que estava com muito medo de ver este episódio de The Vampire Diaries, pois, sem querer, abri o Twitter no dia em que ele foi exibido e vi muitas reclamações em caixa alta. Sendo muito, mas muito sincera, não entendi o alvoroço, pois não o achei tão péssimo assim. Na minha mente, a insatisfação pode ter ocorrido por dois motivos: o adeus de Katherine pela segunda vez (e como aconteceu) e o fato de Elena ter retornado e só ter olhos para Damon. Eu vou considerar apenas o inconformismo com relação à Katherine como digna a ser discutida já que o babado foi tão forte ao ponto da Caroline Dries se pronunciar no mesmo dia para explicar o final do episódio. Acho que já estou muito bem anestesiada para lidar com certos pontos que podem ser perfeitamente ignorados e, como já comentei por aqui, ver a série por causa de shipper é uma das coisas mais tristes do mundo. Quem não se importa com esse assunto deve ter achado o episódio na medida quase certa.

 

Este episódio encerrou duas storylines e confesso que não estava preparada para dar adeus à Nadia. Está certo que a mordida só poderia ser curada por Klaus, mas TVD é quase uma série brasileira por dar jeitinho em tudo. Deu para notar com perfeição como esta temporada foi dividida em arcos, onde tudo começou com Silas e Tessa, um dos melhores plots até aqui e que foi encerrado muito cedo. Depois veio Wes e Augustine que não serviram de absolutamente nada, uma história totalmente mal trabalhada. Agora, houve o encerramento da saga Petrova. Ao menos, parte dela. É bem provável que essas storylines foram encerradas para dar espaço aos Viajantes, pois, de certo, eles serão responsáveis em dar uma sobrevida para a sexta temporada que ainda me cheira a puro fiasco.

 

A parte boa da trama é que não houve tanta transição de tempo e os outros personagens ficaram presos no mesmo plot, impedindo que a história se expandisse. A despedida de Nadia não foi fácil de engolir, especialmente pelo golpe baixo de mostrar flashes da busca dela por Katherine em meio aos delírios causados pelo veneno da mordida de Tyler. Flashbacks mexem muito comigo, não tem jeito, e achei bacana mostrarem trechos dessa corrida. Isso provocou o sentimento de culpa em Katherine, algo não tão inédito assim. A personagem já demonstrou esse sentimento na segunda temporada em meio à fuga que originou a lenda de que ela estava na tumba, onde a culpa por mais uma mentira só pesou por causa de Stefan.

 

A relação mãe e filha ficou mais aparente neste episódio e o desejo de Katherine cuidar dela me comoveu bastante, pois não é todo dia em que se vê uma personagem que nunca foi altruísta ceder ao ponto de negar a sobrevivência para ficar no leito de alguém. Eu achei uma tremenda sacanagem finalizarem a história das duas, pois ambas tinham muito o que aprender uma com a outra. Confesso que a situação me tirou do sério, pois esta temporada de TVD apresentou muitas histórias com potencial, e Nadia e Katherine era uma delas. Tudo bem que sou meio contra vilão encontrar o caminho da redenção, mas as duas passaram a vida sozinhas e a morte foi a única coisa que realmente as uniu. O que me deixou um pouco feliz foi o fato da galera, especialmente Matt, ter reconhecido que Nadia era uma pessoa bacana apesar dos pesares, pois tudo o que ela fez foi com o objetivo de ter o amor de mãe que lhe foi negado ainda bebê. Ele foi uma gracinha, sério. Foi uma tremenda perda, ainda mais para uma personagem que nem foi explorada e que só serviu para trazer os Viajantes nos calcanhares.

 

Toda vez que os personagens de TVD mostram doses de hipocrisia, optei por rir. Stefan, Caroline, Damon, Bonnie, Jeremy e Tyler tiveram um retrocesso. Há alguns episódios, todos brindavam e falavam mal de Katherine e, dessa vez, ninguém poupou os elogios pela tramoia que ela realizou com extremo sucesso. Contudo, devo dizer que na segunda temporada Katherine conseguia se passar melhor como Elena. Foi muita cegueira alheia o fato de ninguém notar o que havia de errado. Caroline teve toda razão em se sentir culpada, pois a estranheza estava escancarada. Como aprendi no filme Trapaça, todo mundo quer ver aquilo que deseja. Por meio de Kath, o que se nota desde a temporada passada é que o brilhantismo dos personagens da série foi aniquilado e todos foram entregues a um universo de obviedades. Katherine teria causado mais alarde se o fato dela ocupar o corpo de Elena não tivesse sido dado de bandeja. A diva costumava ser mais impactante e ela só conseguiu esse efeito de choque para os personagens da trama, pois, ao menos para mim, foi algo bobo e sem sentido.

 

Por causa da descoberta da verdadeira faceta de Elena, Bonnie retornou com a velha função de ter que salvar o dia e isso me gasta. O mais bizarro é ver que até Jeremy se tornou tão atrelado a ela que só aparece quando a namorada tem algum freela mágico, sendo que ele ainda mora em Mystic Falls e ainda frequenta a escola. Meros furos na trama! A ex-bruxa trouxe Liv para o centro das atenções mais uma vez e já a amo. Chega de personagens com expressões abobalhadas. A nova bruxa do pedaço não só ajudou a encontrar Elena aka Katherine, como também soltou as garras para cima de Jeremy. Posso dizer que adorei a ousadia (e o cabelo) dela? Era fato que a personagem traria um pouco de dor de cabeça e é até que bom, pois Beremy precisa de um pouco de drama.

 

Eu queria abraçar Tyler neste momento. Aquele abraço difícil de soltar. Juro que se eu o odiasse, esse sentimento teria mudado por tudo o que ele disse ao Damon. O híbrido resumiu o que sinto pelo Salvatore em uma palavra: piada. O vampiro como ripper tem sido uma trágica comédia. Eu não sinto nem um pingo de empolgação com a situação atual dele. Quem também falou umas belas verdades ao Damon foi Wes (RIP) ao afirmar que apenas ajudou o vampiro a se ver como realmente é. Eu queria agradecer esses dois personagens por terem me representado com sábias palavras. A única parte boa dessa piada que envolve Damon é que ele ainda encontra um pouco de senso quando a pauta é Elena. Gostei quando ele afirma que não quer ser como Katherine, que fez todas as bobagens possíveis e terminou sozinha. Eu queria acreditar que esse seria um sinal de amadurecimento, especialmente porque o Salvatore tem muita história para contar para Elena. Seria ótimo vê-lo jogar limpo, mas Damon tem ainda muito o que aprender. Ele é inseguro e, pensar em perder a namorada, é motivo para ficar na retaguarda. Eu só quero que Stefan não se meta quando a treta rolar solta.

 

Adendo importante: outra coisa que gostei muito no comportamento de Tyler foi ele pontuar que Elena jamais perdoaria Damon pelas atrocidades que ele cometeu. Foi algo positivo, pois alguém mostrou um pouco de sensatez e se posicionou de uma maneira que ainda demonstra conhecimento e respeito por ela. De fato, será ridículo se Elena abaixar a cabeça, mesmo eu tendo certeza que isso acontecerá. Afinal, é temporada Delena. Preencham as lacunas.

 

 

Outro adendo: voltei a amar Caroline só porque ela surtou ao dizer que cansou de se sentir culpada pelo que aconteceu entre Klaus e ela. Só espero que a vampira não meta mais o bedelho no relacionamento dos outros. Obrigada!

 

 

Quem voltou a me dar orgulho foi Stefan. Ele simplesmente não deixou a peteca cair diante de inúmeros motivos que poderiam fazê-lo agir como um suicida para salvar Elena. O Salvatore nada fez de grandioso e isso foi ótimo, um avanço tremendo, uma maturidade respeitável. Como disse em reviews passados, o jogo de cintura do personagem tem me chocado a cada semana. Ao descobrir que Katherine é parasita no corpo de Elena, imaginei que ele ficaria desesperado, o que sempre o leva a se sacrificar, mas Stefan estava tão controlado que fiquei com medo dele ter um colapso e agir feito um doido. Ele é o lado emocional de TVD, aquele que tudo faz pelo bem do próximo, e fiquei espantada que o mínimo de movimento que o Salvatore fez para salvar Elena foi ao apunhalar Katherine. Eu fiquei jogada, pois era fato que esperava que Damon fosse o sorteado, como sempre é. O que também arrebatou foi o sermão de Stefan ao afirmar que não contaria nada para Elena sobre tudo o que Damon fez na temporada estou com o coração partido e quero que todos morram. Stefan parou de assumir as responsabilidades alheias. Continue assim!

 

Bye, bye, Katherine!

 

O desespero de Katherine em salvar a filha me comoveu, como também o fato dela ter escutado, em meio ao delírio de Nadia, o tipo de pessoa que costumava ser. Quando ela recorreu ao Wes por auxílio, foi um sinal de que ela estava perdida. Ela nem pensou na possibilidade de ser enganada, pois estava tão focada em Nadia que nem percebeu que deu mais material de pesquisa para o doido da Augustine. Ao ver o mundo ruir, Kath poderia fugir, mas, para o contexto da trama, seria um erro grande. Ela levaria Elena junto e Elena é a protagonista. Sem contar que Katherine sabe se esconder e não seria nem um pouco perturbador se os Salvatore a encontrasse 500 anos depois. Eu fiquei muito orgulhosa das atitudes finais da personagem, um momento propício para redenção, pois ela tinha tudo para abandonar Nadia. Acho que se ela não tivesse sido descoberta, era bem capaz dela manter a poker face e deixar o universo agir sobre a filha. Katherine manteve a dignidade até mesmo na hora do endgame, mas o que ganhou destaque foi a presença dela no leito da única pessoa que a amou de verdade. A história criada para dar não só a Nadia, mas a ela também, um final mais bonito foi de repartir o coração.

 

Eu compreendo a revolta com relação à Katherine, mas acho que isso deveria ter sido superado desde o episódio 5×11, pois foi lá que ocorreu toda a despedida da personagem e jamais que fariam mais uma ode a ela. Porém, devo dizer que eliminá-la ainda me revolta, pois não sobrou nada para a série. Ao retirar Katherine, a última personagem que achei que não cometeriam essa burrada, foi o mesmo que dar adeus a toda a mitologia que a série tinha e que agora não tem mais. O que TVD representava durante quatro temporadas foi assassinado na quinta, pois todos os personagens antigos que ingressaram na trama com aparições curtas e assertivas foram aniquilados. Por quê?

 

Eu gostaria de ter uma resposta, pois nada, nada mesmo, conseguirá substituir o peso de Katherine. Nem mesmo dos Originais. Nem de Alaric, Jenna e por aí vai. Eu queria acreditar em um futuro melhor para uma das séries que fazia meu coração parar na garganta, mas não vejo. Eu continuo a assistir por inception. O sustento agora é o cast principal, mas o que fazer se nem eles são mais os mesmos? O começo desta temporada ainda deu esperança de que as coisas seriam como antes, mas foi mera impressão.

 

O discurso de Katherine antes de ser apunhalada não poderia ter sido mais propício para representar a minha insatisfação com a série. A segunda temporada é minha favorita de TVD e ver a personagem anunciar tudo o que fez pareceu até que era ela a showrunner da série. Quem seria Tyler sem o fator lobisomem? Quem seria Caroline se não se tornasse vampira? O que seria de Damon se não aprendesse a esquecer Katherine para conseguir melhorar e se apaixonar de novo? O que seria do amadurecimento emocional de Stefan assim que chegou em Mystic Falls? Todos os personagens giraram em torno do planeta Katherine e foi ela quem tornou muitas storylines interessantes. O drama de Mason e Tyler foi um dos pontos fortes da season 2, bem como Caroline que era incrível como recém-vampira. Ela trouxe os Originais, a família que agora tem um spin-off. A pessoa que mudou a série acabou de ser aniquilada para dar espaço a mais uma temporada de fanservice? Sério?

 

Eu recebi todas as afirmativas de Katherine como fortes tapas na cara. Todo mundo contou nos dedos as maldades que ela cometeu, mas ninguém nunca parou para pensar que, debaixo de tanta crueldade e sangue frio, ela foi capaz de mudar a vida de uma penca de personagens para melhor. Sim, ela foi uma maldita, cretina, egoísta, egocêntrica, manipuladora, traiçoeira, covarde e fugitiva, mas quem seria essa galera agora se não fosse pelas trapaças dela? Quem são Julie Plec e Caroline Dries perto de Katherine Pierce, uma das melhores criações de TVD? Por mais que a perda dela já tenha sido avisada, não dá para evitar certa revolta, pois a série acabou de anular um personagem extremamente forte. Melhor que a própria protagonista.

 

Para quem não está por dentro, Katherine não volta mais. Ela foi sugada para o que Caroline Dries chamou de dark world, ou seja, o inferno do ponto de vista de TVD. Agora, me digam, porque essa invenção sendo que há o bendito véu, aquele que esperei episódio atrás de episódio Katherine passar? Eu me tranquilizei um pouco quanto a esse assunto ao lembrar do livro Diários de um Vampiro referente ao arco O Retorno, onde Stefan fica preso em outra dimensão. Essa seria a hipótese que justificaria a criação de mais um buraco tendo como intuito prender alguém lá. Isso daria assunto para a sexta temporada e posso imaginar perfeitamente que o escolhido será Stefan. Como não quero acreditar que os roteiristas sigam o livro à risca, meu sonho é que Damon receba essa aventura, pois ele precisa de um drama que valha a pena assistir.

 

Essa sou eu fazendo cogitações.

 

Então que Elena voltou. Bem… Eu a queria de volta, mas não desse jeito bagunçado. Katherine conseguiu ser maligna até mesmo antes de ser sugada para o dark world e eu poderia ter achado a investida incrível, mas não. Elena voltará a ser a criança petulante com o instinto ripper duplicado, pois o veneno dela é mais forte que aquele que foi injetado em Damon. Eu queria pensar que a Santa Gilbert recordará alguns fragmentos do pesadelo que viveu ao ser calada por Katherine, mas é acreditar em Papai Noel. Enquanto o mundo caiu só pelo fato da Elena ter dado atenção ao Damon assim que acordou, eu estou mais preocupada com o fato da série repetir cada vez mais as mesmas histórias. Damon e Elena são os piores personagens para ficarem nesse estado por causa da personalidade de achar que tudo podem, sem se importarem com o sentimento das outras pessoas. Para Damon, tudo bem, mas Elena não é assim.

 

Mais uma vez, concretiza-se a destruição da protagonista. Como recriar simpatia por Elena sendo que, a cada instante, ela se torna a pessoa mais enojante da série? Eu sinto falta de torcer por ela, sabem? Por isso, já pressinto que os próximos episódios serão difíceis de engolir, pois ela sem humanidade é um pé no saco, igualzinho ao Damon.

 

A série caiu no repeteco de novo e a prova disso é que a cura para todos os males agora se chama antídoto. Ou seja, lá vai Stefan e companhia correr atrás de um milagre para reajustar Elena. Será que isso não cansa? O que Dries falou sobre esse plot é que a Santa Gilbert lidará com a montanha russa emocional causada por todas as investidas de Katherine, especialmente com Stefan, ao mesmo tempo em que o vírus a mata aos poucos. Com dois personagens capazes de aniquilar quem quiserem, taí a razão para Elena perdoar tudo o que Damon fez, pois, se ela cometer as mesmas burradas, supostamente, esse será o argumento para ela abaixar a cabeça e manter o relacionamento. Se isso acontecer, só ficará confirmado o quanto a série perdeu o sentido, a personalidade e a lógica. Por causa dessa posição de atender os viciados em shipper, só vejo uma série que costumava ser perfeita afundar, pois é óbvio que os envolvidos com TVD não ligam mais para nada. Se ligassem, não comprometeriam tanto o desenvolvimento dos personagens que eram para crescer e não retrocederem.

 

A série está em um repeteco sem fim, com o gracejo de termos dois personagens estripadores agora. É esse o final que Dries achou chocante? É esse um dos episódios que Plec comentou no Twitter ter adorado? Vou deixar nas reticências.O episódio não foi ruim, pois Nina carregou tudo no colo e foi brilhante mais uma vez. Porém, sou a favor da retirada de Dries do poder, pois ela parece a Sera Gamble que quase afundou Supernatural.

 

Para ler a matéria da Dries sobre Katherine (em inglês), cliquem aqui.

 

A série retorna no dia 20 de março. 
Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3