Menu:
31/jul

30. Impacto de Harry Potter na sua vida.

 

Nada como falar sobre esse assunto bem no dia do aniversário da tia Jo e do Harry. <3

 

Harry Potter salvou muitas pessoas de diferentes maneiras. Muitos que não vivenciaram o auge do fandom consideram isso uma frase pronta de potterhead, mas, doa a quem doer, a saga ajudou muitas crianças e adolescentes tanto na conscientização de valores como na imersão na leitura. Isso são fatos que os haters não engolem. Infelizmente, sinto dizer que é a mais pura verdade e a sua saga não chega perto da minha. Um beijo melado na bochecha, smack.

 

Na época do lançamento de Harry Potter e a Pedra Filosofal na gringa, Rowling não tinha a menor ideia de onde se metia. No final da década de 90, a literatura não fazia nenhum escritor rico (ainda não faz) e o cinema se esforçava em ser criativo. Era um tempo em que havia mais originalidade, sem mídias sociais, sem internet de qualidade (não que isso tenha mudado no Brasil, né?). Rowling nunca teve o objetivo de enriquecer em cima dos livros. Seu motor sempre foi o amor pela escrita. É dela a frase de que escreverá o que quiser escrever, justamente por acreditar na própria vocação. Foi por causa essencialmente dela que autores mergulharam na bolha ilusória de ser tão bem-sucedido como a mãe do menino bruxo. Tenho até que dizer que foi por culpa dela que muitos livros perderam a autenticidade, pois quem os escreve só imagina a posição de best-seller e de adaptação com bilheteria rentável (não são todos, amém). Até hoje esse clima continua…

 

Jamais ela teria imaginado que a vivência em Hogwarts confortaria praticamente o mundo inteiro, especialmente aqueles que se encontravam prestes a ingressar na adolescência, uma das fases mais difíceis e que consegue abater até o mais brilhante dos seres humanos. Eu fiz parte dessa trajetória a partir dos 15 anos. Hoje, tenho 28. 13 anos. 13 anos de história, de aprendizado e de descoberta. Só tenho a agradecer por ter tido Harry Potter como companhia de cabeceira quando a tempestade dava indícios de cair sobre mim.

 

Sim, Rowling foi responsável em me fazer ter gosto pela leitura. Sim, Rowling me fez mais interessada por cultura, especialmente a de fãs. Sim, Rowling me fez afundar no fandom online sem passagem de volta. Sim, Rowling é a primeira mulher que pertence a minha lista de inspirações (ao lado da Céline Dion, pois empate é comigo mesma). Sim, ela é a razão da minha paixão incondicional pela escrita.

 

Assim, o impacto de Harry Potter aconteceu quando comecei a escrever fanfics inspiradas nesse universo. A leitura foi o impulso. A escrita foi o caminho que me fez descobrir uma das minhas maiores afinidades. Nada mais mágico que sentar com um plot na cabeça e tentar desenvolvê-lo, mesmo que seja de um jeito muito ridículo. Por ter entrado em contato com os livros em um momento delicado de transição, inventar histórias em cima do material de Rowling me ajudou a sobreviver em dias muito ruins.

 

Eu só consegui sobreviver a um dos milhões de embates que me sugaram emocionalmente por meio de textos e mais textos que não tinham hora para acabar. Lembro-me que tinha o hábito de produzir uma história em cima da outra, sem pausa. Em menos de uma semana tinha 3 a 4 shorts ou song fics publicadas. Quando comecei a me empenhar em fics maiores, eu não conseguia parar e adiantava capítulos aos montes. Por meio do que ela criou, eu encontrei minha salvação.

 

Além de ter me dado gosto pelos livros, Rowling, acima de tudo, foi responsável em me mostrar que eu poderia ser boa com as palavras. Enquanto muitos dão créditos pelo amor à leitura e pelo aprendizado de valores inesquecíveis, eu dou créditos pelo amor à escrita.

 

Rowling escreveu Harry Potter em uma fase difícil: ela estava em depressão e vivia da renda do governo. Mesmo com o emocional lá embaixo, ela ainda tinha que ter energia para cuidar da filha recém-nascida. O que a salvou? A escrita. Eu acredito em qualquer forma de arte e acredito que a arte pode salvar as pessoas de maneiras únicas. A escrita a salvou e tem me salvado. Foi por meio de textos e mais textos, e da leitura incansável dos livros, que consegui me manter na superfície.

 

Se é uma pessoa que tenho uma devoção tremenda é J.K. Rowling por tudo que ela enfrentou e por tudo que conquistou. Ela escreve por amor. Um sentimento que a tirou da zona de tiro.

 

Esse foi o grande impacto na minha vida e que carregarei para sempre.

 

É com grande tristeza que o desafio acabou. Estava bem acostumada com ele até. Foi demais enquanto durou e mando outro beijo melecado na bochecha de quem participou. Até a próxima ideia mirabolante. <3

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Isis Renata

    (antes tarde do que nunca, sua linda)

    acabou as homenagens e muito bate-papo via blog, mas o bom é que a magia continua dentro de nós. Achei bem legal você colocar o tempo onde tudo começou – no meu caso, foram aos 16/17 anos e hoje com 27 completo uma década de amor.
    Sei que parece piegas quando dizemos que um livro, e uma história fictícia mudou nossas vidas. Mas a verdade é que, só quem vivenciou isso é que sabe. Eu era um nada antes do livros. Sem personalidade, sem pontos fortes, ou talvez ainda não os tinha descoberto. Jk que abriu essas portas por meio de sua história e sua aventura num mundo. Você sempre pensa 'se eles podem, eu também posso'.
    A história da tia Jo é ainda mais incrível que conseguiu ver uma luz no fim do túnel de uma vida dura e sofrida. E que seus amigos eram suas palavras, como você mesma disse.
    eu acho lindo as palavras, elas transformam as pessoas. E admiro que tem dom para elas, como tia Jo, como meus poetas que amo e como você, sua linda.

    valeu muito a pena este desafio, e preencheu o vazio que toda a choradeira deixou.

    obrigada por nos inspirar sempre <3