Menu:
24/jul

E foi dada a largada para a máscara da Alison cair. Se nos flashbacks a personagem tendia a ser irritante, agora o gosto amargo de tê-la por perto estacionou, um desconforto que ganhou apoio na divergência de comportamento que ficou escancarada de vez. Gosto assim. O embate contra Ali promete ganhar mais intensidade e, de início, tenho que agradecer à Hanna, cuja atitude fez valer o episódio. Uma coisa que sou totalmente a favor é a desmoralização da Rainha da Maldade. Já deu esse negócio de fazer caras e bocas sendo que o lado falsinha ainda existe e está doidinho para se manifestar. Eu quero ver sangue, verdades e tapas, detalhes que estão demorando muito para acontecer. Ainda não consigo engolir essa passividade das meninas com relação ao maior pesadelo da vida delas. A trama bem que tentou atiçar os ânimos (conseguiu na medida do possível), bem como criar um suspense ao colocar Radley como um dos plots principais, porém, ela facilmente passou batida.

 

Pam retornou e fez o grande favor de quebrar a cara de Emily. Chega de ser trouxa, né? Não é à toa que o chacoalhão fez a Liar correr atrás de Paige, praticamente se declarando. Achei bem bacana a atitude – fingida – da mama em querer dar um suporte adulto para Ali, mas o objetivo era testar o território. A expressão desinteressada ao ouvir mais uma narrativa falsa da convidada me fez rir. Quem é que engole isso em nome de Jesus? O que chamou atenção é que a Rainha da Maldade não escondeu o receio em estar no mesmo ambiente que Pam, dita como ninja. De todas as mães, ela é a mais difícil de dobrar. A mulher é uma pedra no sapato.

 

Não tiro o direito da Pam em ter feito isso para fomentar uma opinião que acarretou na afirmação linda: Emily precisa parar de tentar salvar o crush. A mama só disse a mais pura verdade porque, enquanto a Liar acha que ajuda ao assumir o posto de segurança particular (eu cheguei a um nível que só dou risada dos pedidos da Ali para Emily, muita escravidão disfarçada de boa vontade), o pesadelo da cidade a apunhala pelas costas. Eu queria vê-la acordar depois disso, mas acho difícil. Por isso, sinto que a relação Emison ficará complicada, pois Ali esbanjou demais a sua petulância neste episódio. Parece que Ems não desencanou da Paige, então, sabemos quem a Rainha da Maldade tentará cortar do círculo que ela ainda tem certeza que lhe pertence. Como praga de mãe pega, acho bom Emily considerar seriamente o fato de que se encrencará se continuar a lamber os sapatos do crush.

 

O jantar serviu de pano de fundo só para dividir o trabalho do quarteto. Quem leva meu like esta semana é Aria por ter abraçado com muito amor e carinho o papel de voluntária no Radley. Tudo para descobrir a moral do desenho e, de quebra, tentar abordar E. Lamb. Acho até estranho notar que a personagem é a única envolvida dos pés a cabeça no que deveria ser a incógnita mais pesada desse novo arco de PLL. Nem incluo a Spencer porque nem sei mais o que ela quer. Foi muito bom vê-la jogar, sozinha, confiando no próprio taco. Ao longo de 4 temporadas, a Liar não teve oportunidades de ouro por ter sido resumida ao relacionamento com Ezra. Nada mais sensato que lhe dar um job sem alicerces, como já aconteceu com as outras meninas. Desde a morte de Shana, ela tem sido uma estrelinha por ter ganhado a chance de mostrar o seu valor. Isso tem funcionado. Ela calou a neurose para focar no que realmente interessava e deu a cara tapa ao longo da própria tramoia, mesmo apavorada. Aria conseguiu trazer um pouco de interesse e de envolvimento. O low profile foi digno, mesmo dentro de um plot que não engatou, mas que prendeu só por causa da tensão da personagem.

 

Alguém chama o Toby para dar uma sacudida na Spencer? Por causa do divórcio dos Hastings, ela está um porre. A personagem não fez nada neste episódio: nada ao lado de Ezra e nada ao estar frente a frente com Melissa. Anulo a decisão de colocar uma câmera para vigiar a irmã por ter sido uma atitude meio preguiçosa (que só valeu por pegar Ali na ponta do pé). Acredito que, esta semana, houve uma tentativa de fazer Spencer ser Spencer, pois o comportamento dela na semana passada foi muito OOC. Ela não está bem emocionalmente – um ponto que sempre gera preocupação –, o que compromete seu juízo. A interação com Ezra garantiu a típica tensão no quesito confiar e a curta conversa parece que alinhou os planetas. O que me incomodou é que a Liar estava tão raivosa para cima do professor no último episódio e, do nada, virou uma flor. As coisas estão muito calminhas para quem não deixa o samba morrer.

 

A súbita “camaradagem” rendeu revelações passageiras, mas nada que garanta que Spencer confia ou confiará nele. Nem eu confio no Ezra ainda. Ele está todo carinhoso, fofo e gracinha demais pro meu gosto. Me faço de difícil por causa dos acontecimentos da temporada passada. O personagem terá que se provar, não tem jeito.

 

Então que Melissa reapareceu para ajudar Spencer a perder mais o juízo e é evidente que ambas defendem lados opostos. Não podemos nos esquecer do bendito segredo que une Peter à filha mais velha. Sério, estou cansada das hesitações de Melissa com relação a isso. Por que não cospe logo o que aconteceu? Os trejeitos dela meio que indicaram que a bomba faz parte da noite em que Ali desapareceu e pode até ser um tease de que algo mais aconteceu. Se até Byron deu as caras, nada impede que Peter e Melissa tenham sido inclusos em uma trama à parte, provavelmente na companhia de Jessica. Ela até que foi convincente ao explicar para Spencer que certas decisões são feitas por amor. Vale lembrar que não é a primeira vez que a personagem frisa uma versão poética de os fins justificam os meios. É como se Melissa preparasse o emocional da irmã para o que está por vir. Torrey estava muito verdadeira nas lágrimas, sem dúvidas. Ela sabe interpretar mulheres falsinhas. No fim, houve uma “venda” sobre o comportamento de Peter que se justifica pelo amor à família. Tanto amor que o Jason teve que nascer para comprovar isso… Tsc.

 

De novo, Spencer ficou muito OOC para rebater a explicação da irmã. Não é por amor, mas por mentiras… Então por que diabos ela queria unir Veronica e Peter? Capricho, claro. A Liar está muito contraditória com o que sente. Uma hora ela é a entusiasta do amor. Na outra, fica revoltada e desacredita de tudo. Bipolaridades. Pior foi ela dizer que agora (só agora, vejam bem) quer saber quem Peter é. Mas tá tão difícil ver isso?

 

Hanna knows what Hanna means.

 

A melhor coisa que aconteceu na transformação de Hanna foi a língua mais afiada e totalmente descontrolada. Fiquei jogada com as atitudes dela neste episódio. A Liar arrasou no jantar da Pam e, como venho dizendo, alguém precisa mostrar para a Rainha da Maldade que não é apenas chegar e calçar as pantufas. Eu gosto dessa dose de inconformismo – mesmo sem uma justificativa aceitável. Alguém precisa mostrar que não está nada bem com o retorno de Ali e que não é nada certo o tornado simplesmente ficar à vontade. Hanna está certíssima em querer mostrar que seu passado negro não manda em porcaria nenhuma (porque não manda mesmo). O conflito entre ambas apenas mostrou que Ali não mudou nada, que ela ainda se acha dona das meninas e que não gosta de ser consternada. Não é à toa que Hanna não demorou a ser repreendida pelo surto de Caleb, como se fosse uma funcionária recebendo uma advertência do patrão.

 

Hanna está amarga desde o episódio passado. Fora do círculo, ainda me pergunto qual é dessa mudança visual. Se fosse só uma transformação no cabelo, tudo bem, mas a personagem parece que dorme de calça bem apertada. Essa reviravolta não tem uma problemática aceitável e achei meio sem noção torná-la uma alcoólatra só por causa de Ali. Spencer me para no Radley por achar que o namorado morreu e Hanna resolve encher a cara por não tolerar o passado? Não tem essência e é um viés muito sem noção. Certas coisas podem ser resolvidas com um Mc Lanche Feliz, não? Na vida real, basta dar as costas. Contudo, Hanna não quer cortar o cordão umbilical por causa das perdas. Ela sairá como vilã se virar a casaca. Talvez, a ideia da Marlene é chamar a atenção para o alcoolismo, mas não poderia ser pensado em um meio mais maduro para a personagem lidar com a presença de uma pessoa indesejada? Ou então dar um dilema que tenha uma causa que faça valer um debate?

 

O que me alivia é que Caleb pode segurar a onda de Hanna. A maneira como ele agiu contra Ali foi sensacional, pois incitou o lado falsinha da personagem. Por meio dele, se provou que a Rainha da Maldade não é de confiança e que não mudou absolutamente nada. A ideia de jerico da Sra. Fields apenas reforçou isso, uma interação que simplesmente denunciou que Ali continua a tramar e que não se sente nem um pouco confortável quando é confrontada. Mais uma vez, a morta-viva manteve o jogo sentimental: coitadinha para Emily e little bitch para as outras meninas. Todos os movimentos dela no jantar foram falsos, aquela necessidade de pagar de simpática para passar no teste da Pam. Essa garota merece um Oscar. As olhadelas dramáticas e cheias de censura indicando que Hanna passava dos limites só mostrou que ela continua a pensar no próprio umbigo.

 

Ali não gosta de ser ameaçada e a sinceridade das atitudes veio quando o lado bitch entrou em cena. Muita cara de pau dar o mandato para cima de Hanna. Literalmente, ela chegou agora e quer sentar na janelinha. Anular Caleb só porque beijar alguém impede o raciocínio foi o anúncio da estratégia dela para cima de Emily. Afinal, nada como iludir e depois pisar. Só vejo lágrimas no futuro das Liars.

 

O único objetivo de Ali é assegurar Emily. Tudo que ela faz é para prender a única Liar que nunca hesitou em tê-la por perto. Um jogo muito maquinado. Está mais do que evidente que a personagem usa o quarteto, faz toda a campanha de amigas para sempre só para se garantir. A máscara dela começa a derreter, especialmente ao mostrar que não perdeu o dom e o gosto de tentar controlar as meninas, recorrendo à chantagem emocional de um jeito que elas se sintam um lixo. O comportamento dual da personagem caiu por terra e será um parto Hanna convencer as outras Liars de que lidam com a mesma pessoa de antes. Já prevejo a repetição do que aconteceu com Spencer na temporada passada, o ceticismo das amigas diante de suas verdades por causa do vício por anfetaminas. O mesmo acontecerá com Hanna se a ideia de alcoolismo for pra frente.

 

A (re) união Haleb não foi meramente amorosa, mas de rebote. Os dois estão sedentos em amarrar Ali pelos calcanhares e acho isso muito bom. Por mais que não tenha ficado contente com o retorno do casal, especialmente porque Hanna chifrou o pobre do Travis (expliquei isso na resenha passada), Caleb é o único que pode manter o juízo dela. A dupla está na mesma página, ambos bem ácidos e meio revoltados. Da mesma forma que amei as atitudes de Hanna, gostei das dele, e quero que ambos detonem Ali.

 

No mais, quero que a Rainha da Maldade espalhe o hate para eu falar mal dela. Sasha sendo rainha <3.

 

A refletir:

 

É oficial: Alison está aprontando. A garota tem um contato, reticências largadas quando ela apareceu batendo um papo com um cidadão dentro do carro e no celular no dia que decidiu sair de Rosewood. Não acho que seja Noel, pois acredito que ele escolheu o seu mestre. Deixo até a pergunta: como ele tem anotações escolares sendo que não está em aula? Menção honrosa só para dizer que o personagem continua lá?

 

Até acredito que Mona tenha queimado a casa do Toby, pois ela não tem limites. Se a garota quase matou Spencer e Emily, o que custa atear fogo em um lugar, ainda mais com a possibilidade de ter sido a mando de Jenna? Acho que, por mais que Mona tenha ingressado no “B” Team, a não amadora deve fazer muita coisa sozinha e, talvez, atenda um pedido ou outro de A. Mona quer que Ali se lasque, então, o que for ofertado pode muito bem atraí-la.

 

RIP E. Lamb?

 

Bethany mostrou por meio dos desenhos que era uma garota normal até, provavelmente, ter encarado a morte da mãe do Toby. O problema é que nenhuma foto dela foi mostrada e não dá para dizer se há semelhança com Ali. Para ela fugir e receber uma machadada gratuita, a aparência dela tem que ser nível CeCe de quase clonagem. Só sinto que Bethany era a chave de tudo, até mesmo sobre Marion, um segredo interligado ao Peter e, quem sabe, à Jessica.

 

Sydney ganhou espaço na trama. Ela só faltou fazer uma enquete para saber o que as Liars pensam sobre Jenna. Vale mencionar a master mudança de comportamento, algo que Marlene sempre me mata por não fazer sentido algum. Ezra foi revelado na temporada passada, aparentou ser um perigo, e voltou a ter olhos lacrimosos. O mesmo Toby. Agora, Sydney. A facilidade com que essas pessoas abraçam o lado negro é algo assim…

 

Não acho que Melissa tenha colocado o rato no armário de Paige. Quebrei a cara ao perceber no previously deste episódio que essa cena sem pé e nem cabeça era um sinal de que alguém sabia que ela tinha dedurado membros do grupo de vitimizados para Emily. Essa atitude medonha tem cara do Lucas.

 

A mensagem de A provocou fissuras no quarteto. Ali mantém segredos porque Hanna foi boa demais em dizer umas básicas verdades. A Liar está em péssimos lençóis, bem como a Rainha da Maldade. Só sei que essa SMS foi muito Ali. O timing foi conciso perante os acontecimentos no jantar da Pam. Ainda mais por Hanna não tê-la recebido.

 

A também voltou a ter um interesse genuíno nos Fields, o chamego de Ali. Agora com o casamento da Ella, espero que a traquinagem seja perversa.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Eu não aguento mais as caras e bocas da Ali ahahhaahahahahah Gosto dela sendo little bitch assumida. Tá na hora de tirar a timidez da personagem porque não tá rolando, fato! Simmm, eu tbm notei a olhadela para Emily, dando aquela impressão de que ela ficou ofendida pelo comportamento da Hanna e tudo mais. Mais uma vez, Ems é manipulada e eu quero TANTO, TANTO, TANTO que ela capote de cara no chão por causa dessa puxação de saco. SONHANDO ESTOU!

    Eu gostei da Hanna neste episódio só por causa da língua solta, mas, de resto, não entendi o objetivo. Caleb voltou, ela não precisa ficar de frescurinha. Se ela tem personalidade, não precisa encontrar na Ali motivos para reagir. Só sei que Ali tá deixando todo mundo muito insuportável.

    Spencer tá trabalhando menos que o costumeiro e esse divórcio tá tirando todo o brilho dela. Quero que ela volte logo ao lado de investigadora full-time pra dar uma força pra Aria. Uma força decente, pfvr! Sou mto Team Sparia tbm @_@

    Mona rainha, Rhonda mais ainda. GENTE, melhores pessoas nesse episódio Hahahahahahahahah

    Sydney morrerá, eu sei, vi na bola de cristal da Marlene hahahahaahahahah

    Emily convocou todo mundo, né? É uma idiota! Pior que ela ficou forçando a barra, como se fosse o maior evento de Rosewood. My ass! hahahaahahahahah

    Vamos ver o que acontece esta semana.

    Beijosss e obrigada pelo comentários <3333

  • Sâmia Maria

    Odiei Emily convocando Hanna por jantar, num dia esculacha ela e no outro praticamente obriga Hanna a ir naquele jantar

  • Sâmia Maria

    Gostei de Spezra por motivos de que realmente acredito que ele se arrependeu e ele não enganou só Aria então tem ganhar a confiança de todo mundo inclusive das zamigas.

    Amo Mona e acho que deveria aparecer em todos os episódios. Adoro as tiras dela "It's gone" "Poof!" rachei de rir

    AMEI Big Rhonda já a quero em todos os episódios EVER haha

    Sidney creepy, tomei um susto quando ela saiu daquele banheiro, não sei qual a dela.

  • Sâmia Maria

    Alison tá muito muito chata essa pose dela de boa moça, esse papinho de santa e depois muda da água pro vinho agindo como antes mandado Hanna parar de ver o Caleb pro bem dela e blah blah blah. Aquele teatrinho dela na mesa do jantar PELAMOR fiz as mesmas caras que Hanna. Aliás foi só eu que percebi que depois que ela se ofereceu a Pam pra ajudar e se levantou da mesa ela deu uma olhada pra Hanna desaprovando o que ela fez e depois olhou pra Emily como se esperasse uma atitude dela? E Emily tapada como sempre até a Hanna expulsou de casa.

    Hanna em algumas coisas tá me desagradando como no lance da bebida, prefiria ela roubando ou a história da bulimia a bebendo mesmo, mas pelo menos a bebida tá deixando a língua dela mais afiada "Você é a especial, Ali" "Não há ninguém no mundo inteiro igual você" e depois beijando Caleb pra mostrar pra Alison que ela tem personalidade e claro porque ela gosta dele também. Aliás sempre gostei de Haleb e depois daquele spinoff achei que a volta deles ia ser nada a ver mas o Caleb sabe tirar o melhor da Hanna. Deixar ela forte, com mais personalidade então acho que ele vai ser meio que um alicerce pra ela nesse fase dela de "não sei quem sou". E Caleb já chegou jogando umas verdades na cara da Alison. #goxtoassim

    Spencer anda um pouco apagada focando demais na separação dos pais mas o que mais gosto dela é que mesmo com tudo acontecendo ela ainda tem tempo e disposição pra analisar algumas coisas sobre Bethany, a morte da mãe do Toby.. Aliás ela e Aria foram praticamente as únicas que trabalharam no que deveria ser o foco agora: Bethany. Aria finalmente tendo o destaque que nunca teve, acho que depois da 4B os escritores tão investindo mais nela que sempre ficou muito presa a Ezra e a história dela até que tá com coerência. Descobrir quem era Bethany, quem matou ela e as conexões dela acho que vai ajudar muito na história principal de A. #TeamSparia