Menu:
03/jul

Este episódio foi tão chatinho. Tudo muito sossegado, tudo muito tranquilo, tudo muito cheio de enrolação. Estamos no 4º episódio e nada na trama mudou. Ainda é visível o quanto as Liars ainda se apoiam na indagação se A ainda existe como também no que aconteceu com Jessica, o único ponto pertinente até então. Até o drama pessoal de Ali está na hora de dar uma freada para mostrar do que ela é realmente capaz. O episódio colocou o quarteto no centro do picadeiro, fez o nome da antiga Queen de Rosewood não sair da boca de ninguém, mostrou Mona sedenta para botar fogo no barraco e rendeu mais pano para a manga com relação aos mistérios que rondam os Hastings. Teve muito chororô e, sinceramente, já começo a sentir saudades de A. Eu gostaria de pensar que a trama morna foi apenas uma folguinha do que pode acontecer na semana que vem, pois teremos o tão aguardado episódio 100. Essa sou eu mergulhando no velho hábito de pensar positivo sobre uma série que gosto tanto.

 

As Liars permaneceram separadas, mas com o mesmo propósito: evitar Ali. Hanna foi a pior da semana por causa da crise de identidade que não me poupou centenas de revirar de olhos. Não tinha necessidade de dar uma storyline dessa para a Liar, ainda mais tão perto do reencontro dela com a antiga cara metade. Sobre o cabelo, eu poderia ter gostado mais se a Ashley tivesse deixado as madeixas crescerem. Ficaria muito mais bonito. Pelas fotos promocionais do próximo episódio, está na cara de que Hanna adotará o estilo mendigo fashion do Caleb. Eu gostava do visual das 4 temporadas, não via nada de Ali, e continuo a achar uma bobagem ela ter essa crise logo agora. Hanna é a rainha dos complexos e acredito que seria mais interessante abordar o distúrbio alimentar. Afinal, a personagem resolveu se repaginar só por se sentir culpada. Não vi nada de complexo, sendo que a Liar já passou por coisas piores. Eu até entendo o fato dela ter ficado desconfortável na própria pele por ter sido um produto de Mona, mas poderiam tê-la feito mudar de um jeito mais feliz, não?

 

Deu a entender que a personagem se redescobriu, meio tarde, então, a sensação deveria ser mais libertadora. A única coisa boa do plot da Hanna neste episódio foi o furto, uma compensação por não saber lidar com o que sente. Alguém dê o que fazer para ela, obrigada!

 

Emily estava razoável neste episódio. Nada mais justo que dar a ela uma ocupação para desviá-la do chamego chato por Ali. Tudo bem que a Liar não estava a mil maravilhas, mas, em comparação à Hanna, digamos que ela estava na melhor forma. O que continua a me irritar é essa proteção passional em torno de uma pessoa que não merece. Emily age como se Ali tivesse sido abençoada com o senso da bondade, sendo que a antiga rainha de Rosewood está com as garras prontas para dar o bote. Emily precisa quebrar a cara para tirar o ex-crush do altar porque é muito irritante. Quando Aria a indaga sobre os sentimentos por Ali, quis morrer. Depois de tanta mancada, sério mesmo que ela fez pausa dramática para pensar sobre o assunto? For Christ’s Sake! Isso que é gostar de ser torturada.

 

O que sempre compromete a personagem é essa necessidade de forçá-la a um relacionamento, sendo que Ems pode muito bem passar uma temporada sozinha. Não aguento mais a Paige. Já sinto que não aguentarei o chove e não molha dela com Ali. Essa Sydney parece que seguirá o mesmo percurso de garotas que ficam bitoladas pela Liar. Assim, só tristeza. Sou totalmente a favor da Emily ficar solteira.

 

O lado bom da Emily neste episódio foi vê-la despachar Ali. Tudo bem que a intenção foi proteger o amor do ensino fundamental por causa do aviso de Paige. Infelizmente, não dá para exigir muito dessa Liar, ainda mais quando se vê que ela não abriu mão de um antigo amor platônico. Outro ponto positivo foi Emily ter notificado Ali de que a mentira sobre o sequestro seria a última da qual participaria. Será? Duvido muito.

 

Adendo: por mais que não aguente mais a Paige, devo dizer que ela se comportou bem ao dar um ultimato sobre o que acontecerá quando Ali retomar a rotina escolar. O grupo de vitimizados não dará boas-vindas. Ninguém é obrigado a despejar flores em cima de uma garota que precisa encarar que não está com a bola toda. Fiquei pasmada com o fato dela ter negado Mona. O problema é que em Rosewood ninguém consegue fazer cosplay Suíça. Uma hora Paige terá que escolher um lado da treta ou será sugada. Por mais que tenha avisado Emily, prefiro imaginar que ela não apoiará Ali. Isso não descaracterizaria a personagem.

 

Adendo²: essa Sydney não me cheira bem, especialmente porque ela sabe de tudo da vida da Emily. Vi bem a olhadela para o celular da Liar, cujo nome que piscava não poderia ser outro a não ser Alison. Resta saber qual é o real interesse dela. Confesso que não estou curiosa.

 

Aria poderia passar uma temporada no Radley, não poderia? Não por maldade, claro, mas trazer o sanatório para o centro da história contribuiria para o retorno do lado sombrio de PLL, algo que está em falta. O episódio 5×07 pode trazer algum fato novo sobre o local por causa do E. Lamb, mas não custaria reativar algumas lendas urbanas tendo uma Liar lá dentro. Há incógnitas em aberto no Radley como o papel de Jessica e o que/quem matou a mãe de Toby. Enfim, seria o máximo ter Aria como hóspede, pois do jeito que ela está, pior não fica. Eu tenho gostado muito dessa vibe, pois, depois do ocorrido em NY, seria humanamente impossível seguir em frente. Aria tem sangue nas mãos e a culpa pelo que aconteceu com Shana a pegou de jeito. A cena da sala de informática me fez ficar em posição fetal, um close que resumiu muito bem como a Liar se sente. Apenas uma lágrima foi o bastante para mostrar que o que aconteceu foi muito mais que uma reação involuntária, mas uma responsabilidade que só aumenta a neurose dela.

 

As cenas Ezria foram muito gostosinhas de assistir por causa daquela impressão de começo de relacionamento. Eu tenho apreciado essa folga, cujo foco maior é reconstruir a confiança que eles tiveram antes dos acontecimentos da temporada passada. Não há como negar que os dois ainda se gostam, mas a falta de pressão amorosa tem oportunizado bons momentos para o ex-casal. Ambos passam por recuperações particulares e difíceis, e seria muito nada a ver causar um revival sem mais nem menos. Achei ótima a iniciativa de Ezra dar um tapa de realidade em Aria que ficou o episódio todo obcecada em saber tudo sobre Shana ao ponto de rever o velório dezenas de vezes. A Liar está bem atormentada e fissurada, o que é compreensível. Nem com o conselho de Emily houve calmaria, o que abriu espaço para Ezra dar o conselho-chave: passar a conviver com a perda. Vamos ver como Aria se sai.

 

O único ponto interessante do episódio girou em torno dos Hastings. Peter não perdoa as mulheres e não sente remorso em despachá-las. Não tem como não rir ao pensar dessa forma. Veronica ficou na defensiva o episódio inteiro, como se mastigasse todas as suposições em torno da família e dos DiLaurentis. Ela deve saber de muitas coisas e muito me encuca o fato dela ter sido corajosa em perdoar uma traição homérica do marido. O que pegou agora é que a Mrs. D foi envenenada e o veneno não poderia estar em outro lugar senão no território dessa família cheia dos bafos para contar. Admito que tenho minhas dúvidas, pois está muito fácil culpar Peter. Tudo aponta para ele e espero um tremendo plot twist. Tenho até medo que o segredo não seja grande coisa por causa dessa tamanha facilidade em associar os fatos. Spencer tem todo o direito de querer respostas, pois não aguento mais, em tão pouco tempo, essas expressões de paisagem dos Hastings.

 

O relato de Veronica sobre as tomadas de decisão de Jessica fez um pouco mais de sentido. É quase um fato que a Mrs. D sabia que Ali estava viva. Sem marido e com a filha ansiosa para voltar ao convívio familiar, nada mais sensato que pegar o antigo bode expiatório e colocá-lo como culpado dos acontecimentos dos últimos 2 anos. Tudo para continuar a proteger sabe-se lá quem. Por causa dessa suposta ameaça, é fácil pensar que Peter pegou Jessica para Cristo antes do Bridal Show. É fácil também pensar na chantagem dele para Spencer não ser comprometida, ainda mais porque a mulher voltara a ter a faca e o queijo na mão. Como sabemos, alguém a calou no meio do percurso. Isso me fez lembrar da presença dela na delegacia, o que poderia apontar para Peter, pois, de certo, ela acusaria Spencer pelo que aconteceu com Ali e com a garota que ocupa o caixão. Porém, o timing do Sr. Hastings para fazer isso não bate, porque ele esteve o tempo todo com Melissa.

 

O recibo do veneno é de 1 semana, o que me dá um pouco de certeza que a meta de matar Jessica começou antes do Bridal Show. A pergunta que se abriu na minha mente foi: quem adulterou a receita? Peter foi selecionado como o culpado, justamente por ter uma prova no nome dele, mas não acho que ele teria esse aval de ir e vir da casa dos DiLaurentis só para trocar o medicamento. Há a possibilidade disso ter acontecido no Radley, pois os dois são cúmplices dos problemas do sanatório. Wren é o nome que tem sido muito citado desde o começo da temporada e, de quebra, está prestes a engatar o romance com Melissa de novo. Vale lembrar que as receitas médicas dele passearam pela bolsa de Spencer na temporada passada, ao ponto dela conseguir as anfetaminas via adulteração do documento. Peter poderia ter feito algo parecido, mas, como ele é sagaz, bem capaz de ter feito a sujeira sozinho.

 

Ainda estou no aguardo do novo surto de Spencer, pois, novamente, ela se sente responsável por algo que não tem certeza que cometeu. O relato de Veronica pode ter sido esclarecedor, mas não deu tranquilidade para a Liar. Se Jessica estivesse viva, ela estaria na cadeia. Era fato que Spencer não se livraria dessa culpa, pois o que aconteceu na noite em que Alison foi golpeada ainda está muito mal contado. Ela pode não ter atingido a amiga com a pá, mas ainda há a incógnita de quem matou a outra garota. Por mais que tenha sido “desmentido”, Spencer ainda tem dedo no crime. Ela pode ser vista como suspeita no futuro, o que a desequilibrará de novo. Já se vê como a personagem está abatida com as circunstâncias e Veronica foi bem sábia em aconselhá-la a ter foco no que se pode controlar. Contudo, Spencer é famosa em abraçar tudo ao mesmo tempo e despenca por causa do excesso de peso. Só sei que esse segredo dos Hastings precisa ser daqueles destruidores.

 

Ali continuou com a crise bipolar. Aquele choro dela no quarto me partiu ao meio, pois parecia um sentimento verdadeiro com relação à mudança e à responsabilidade de ter que sair da toca para enfrentar a “nova” vida sem um pingo de proteção. Devo dizer que a súbita sede dela em uma repaginada muito me chamou atenção. Até mesmo a insistência dela em ficar. Se Ali tem tanto medo do “A” Team, não seria mais sensato ir embora? Para o contexto da série isso não funcionaria, mas é a opção mais normal para quem quer começar do zero. Ken foi mestre em oferecer a saída de Rosewood, algo que dei maior apoio quando foi sugerido por Peter no episódio da semana passada. Todo mundo é atormentado, mas ninguém larga do osso, como se gostasse do terror. Isso que acho muito bizarro em PLL. Pessoas normais jamais ficariam ali.

 

Por causa dessa insistência de Ali, todas as lágrimas de crocodilo foram esquecidas graças à atitude dela em gravar a própria consulta a fim de mergulhar as Liars ainda mais na mentira sobre o sequestro. De abatida essa menina não tem nada. Sendo bem sincera, as circunstâncias do episódio me fez indagar se Ali é Ali mesmo, pois houve muitas falhas no comportamento dela que podem ser consideradas bem estranhas. A começar pela cicatriz e pelo fato dela não ter comentado da gravação para Spencer. Sem contar a maneira energética com que ela tratou Hanna e o jeito inconformado ao encarar o ultimato de Emily sobre sua última participação em uma mentira. Vale dizer o jeito com que ela olhava para o computador que poderia muito bem dizer que a jovem é meio perturbada. Uma hora ela estava sensível, como se estivesse amedrontada. Na outra, ela era toda bossy e inconveniente. Vai saber.

 

Só sei que se ela estivesse tão de boa e se A não existisse mais, o comportamento de Ali seria supostamente o contrário. No máximo, ela só tentaria se restabelecer no trono. Isso reforça minha crença de que ela brincava também de ser A, o que seria o clichê mais clichê da história de PLL. Essa falta de reação do “A” Team, essa dualidade de Ali e todas as empreitadas de Mona não inspiram confiança. Ali estava muito esperta para quem parecia triste. Claro que não é do feitio dela ser a cega da história, mas essa bipolaridade começa a ficar cansativa. Está na hora dela agir. De onde já se viu a Rainha ficar abatida? Espero que o que ela viu de comentário negativo sirva para fortalecê-la, pois não dá para ter a little bitch de volta sendo que ela age que nem uma mosca morta.

 

Outras atitudes divergentes de Ali

 

Algo que notei foi o foco nos olhos dela. Na consulta, eles pareciam azuis e no final do episódio pareciam verdes. Tudo pode ser efeito da luz. Não consegui correlacionar nada, mas Sasha já avisou para a galera ficar de olho no comportamento de Ali.

 

O que foi a assinatura dela ao enviar uma mensagem para Emily? –A e –Alison? Independente disso, qual é a necessidade de assinar uma mensagem sendo que se supõe que Emily e as outras Liars possuem o número dela? Mau costume? Isso só aumentou minha hipótese de que Ali é A.

 

E a mochila girlie? Ali quer pagar de inocente? Tudo bem que é provável que ela volte a estudar de onde parou, mas o acessório não orna. Estou pensando seriamente – e pela milésima vez – na teoria das gêmeas. Marlene está amando brincar com isso, bem sei.

 

Para refletir:

 

É oficial: eu tenho medo do Lucas. Gente, como ele mudou, né? Ele surpreendeu ao acreditar que Ali voltou boazinha do inferno. A abordagem dele para cima de Hanna parecia uma busca de confirmação, pois acho que ele não confia tanto na Mona. Se Lucas estava em dúvida, é porque alguma coisa tem.

 

Ali pareceu muito convicta de culpar Peter pelo envenenamento de Jessica. Pior foi vê-la compartilhar lágrimas com Spencer. Posso chamar de falsidade?

 

Mona está em todos os lugares. Até Ali se aproximar, será impossível saber o que diabos ela quer. A personagem bem que poderia compartilhar o que sabe sobre a história da inimiga, porque ficar às cegas por mais uma penca de episódios é demais. Quero imagens!

 

Achei muito estranho o velório da Shana estar disponível online. A história da personagem não terminou por aqui, pois ainda temos o livro dela, mais um repeteco de informações que nos farão ver que Shana nem era A.

 

Alguém poderia responder logo se A se foi? Tô cansada de ser atiçada a troco de nada.

 

Andrew pode voltar em todos os episódios, obrigada!

 

Eu estou bem curiosa para saber o que rolará no episódio 100 e espero que faça jus a PLL. Afinal, é o momento épico de toda série de longa data e espero que seja de qualidade.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3