Menu:
25/ago

Acaso: conjunto de causas independentes entre si que, de modo imprevisível, determinam um acontecimento qualquer.

 

Quando era mais nova, não entendia os motivos da minha tia dizer a todo o momento a seguinte frase: nada é por acaso, tudo está escrito. Ela a repetia, incontáveis vezes. Palavras que sempre vinham acompanhadas com uma bela baforada do cigarro e um cheiro forte de café. Essa frase se tornou o mistério da minha vida, do universo e tudo mais. Quando era entoada, um vinco se formava na minha testa porque não conseguia entender a moral dela. Eu pensava: como o acaso poderia estar escrito? O acaso não pode ser escrito ou pode?

 

Essa frase ficou enraizada na minha mente e ainda consigo escutar o eco da voz da minha tia repetindo-a. Por ter se tornado meu dilema pessoal, só passei a entendê-lo quando passei a vivê-lo.Literalmente, ao acaso.

 

Acaso. Tem muito a ver com surpresas. Desagradáveis e agradáveis. A palavra pode ser única, mas ela compõe infindáveis processos e conclusões que podem ser felizes ou tristes. O acaso não é um momento fixo. Ele passa tão rápido quanto um momento que compartilhamos com a família ou com os amigos. Porém, há acasos permanentes, aqueles que ficam conosco. Aqueles que continuam a nos ensinar, dia após dia, as vantagens e desvantagens de ser o que somos, o que ainda descobriremos, o que ainda aprenderemos. O destino existe sim, mas em forma de pessoas, livros, filmes, séries, etc., dispostos no nosso caminho. Tudo por acaso. Sempre com uma mensagem que nos obriga a refletir, escolher e aprender.

 

Ninguém invade uma vida por acaso. Há pessoas que não acreditam nisso, como também em amor à primeira vista. Eu acredito que nada na vida acontece aleatoriamente. Pessoas, lugares, insights… Parece que um conjunto disso tudo está programado para cada um de nós, obedecendo ao curso da vida para oportunizar novas surpresas. No caso de pessoas, o acaso não garante que elas permaneçam para sempre. Algumas foram feitas apenas para saltarem no meio da escuridão para deixarem uma marca e depois irem embora.

 

Uma coisa que li em algum lugar, e que fez muito sentido, é que um alguém sai da sua vida porque a história simplesmente chegou ao fim. Percebam como certos alguéns desaparecem sem rastros. Eu tenho vários acasos passageiros que me mudaram de certa forma.

 

O acaso tem sido minha forma de obter sinais para determinadas respostas. É loucura, eu sei, mas acredito que nada na minha vida aconteceu porque o universo quis, mas por causa do propósito. Ninguém invade nosso coração apenas para brincar com ele, por exemplo. Alguma coisa sempre muda. Isso se você se permitir à mudança.

 

O acaso é meu sinal, especialmente quando estou prestes a desistir de qualquer coisa.

 

Anos atrás, escrevia uma fanfic enorme e estava prestes a deixá-la incompleta por causa da carga emocional. Deixei-a em hiatus, só a atualizava quando me sentia psicologicamente bem, o que era uma vez por mês. O que me fez finalizá-la foram alguns comentários que diziam o quanto aquela história era importante, até mesmo para quem tinha passado por algo parecido. Foi ali que vi os primeiros sinais do que deveria fazer no futuro, escrever para inspirar pessoas. Escrever para superar algo que me acometeu. Aqueles comentários me fizeram terminar a fic. Terminada, senti algo como absolvição. Trabalhei na minha dor escrevendo e, mais tarde, outros comentários vieram, como se quisessem me reafirmar o quanto aquela história foi de certa forma importante.

 

O mesmo aconteceu com o Random Girl que já chegou muito perto de ser deletado. Do nada, recebia algum comentário que me impedia de aniquilá-lo. Pessoas ao acaso contribuíram para que eu não desistisse de muitas coisas. É bizarro como elas aparecem no momento exato, aquele em que o aperto é grande, dizendo o que você nunca espera ouvir/ler.

 

Este texto nasceu de uma experiência inesperada e que bateu muito forte.

 

Durante meu desaparecimento, o blog estava prestes a morrer. Era uma convicção. Depois de muito pensar, resolvi dar uma nova chance. Depois de 1 semana, fui abordada por mais um episódio do acaso que aconteceu na Bienal do Livro, no dia 23 de agosto. Estava em um encontro de fãs e, do nada, uma pessoa me reconheceu como dona do Random Girl. Achei que era mentira (eu repeti “mentira” dezenas de vezes). Emely é seu nome e sua empolgação em me ver inflou meu coração de coisas boas. O jeito como ela falou comigo, pedindo para que eu não parasse o que fazia, dizendo que amava as coisas que compartilho, especialmente as dicas de escrita, me fez ver que o RG tem sua importância. Emely comentou sobre o We Project de uma forma tão querida que me deixou comovida. Foi um simples momento que serviu de um novo golpe. Eu caí na real de que faço algo certo. De que nada, nada mesmo, acontece por acaso. Que minha meta de escrever para inspirar tem dado certo.

 

Emely fez meu dia e eu disse isso a ela. São coisas que não se espera. São coisas que jamais imaginaria que um dia acontecesse. A atitude dela me fez feliz. Um pequeno momento que mudou inúmeras coisas. Na hora que nos despedimos, me lembrei de uma frase que calhou na minha mão semanas antes quando estava no período de trevas:

 

“Seja forte, você nunca sabe quem está inspirando”

 

Eu tenho a impressão de que escrevo para ninguém ler. É com esse pensamento que o Random Girl tem sobrevivido por 3 anos, pois acredito que ninguém o lê. Ser abordada por uma pessoa fora do meu convívio pessoal, que lê e adora, que ficou feliz por me ver, foi um dos acasos mais lindos que vivi nos meus 28 anos de existência. Emely foi o acaso que me derreteu e que me mostrou que este blog tem ajudado alguém. Isso foi o que sempre almejei. Foi assustador e desconcertante, mas deixou o gosto maravilhoso de que faço algo correto. Serei eternamente grata por esse acaso.

 

Com o tempo, percebi que ninguém passa na sua vida sem deixar uma marca. Eu não escolhi as pessoas que tenho comigo. Elas simplesmente entraram na minha vida, todas associadas a um respectivo momento. E eu as aceitei. As coisas acontecem quando se menos espera, bem como as pessoas que permanecem ou perambulam nas nossas vidas. Eu sempre acreditei nisso. Esses acasos eu vejo como respostas, como todos os comentários na fanfic e no blog, e no encontro de pessoas como Emely. Eu vejo isso como sinais. Sinais para que eu não desista, justamente porque não sei qual vida estou mudando neste exato momento. Enquanto houver mais acasos e mais sinais, eu sei que não estarei completamente perdida.

 

Com o tempo, o acaso me ensinou a ter calma em meio à tormenta. O acaso deixou as pessoas certas comigo. O acaso me ensinou que nem todas as pessoas ficam, pois o ciclo delas simplesmente termina e só resta o adeus. O acaso me ensinou que sempre haverá algo ou alguém que surge na sua vida porque há um plano maior. O acaso me mostrou que um pequeno momento ou um vislumbre são o bastante para mudar de ideia. O acaso virou uma das minhas maiores crenças, os meus sinais que me impedem de desistir.

 

O que aprendi com acasos é que eles deixam mensagens. Mensagens que mudam. Tudo que aconteceu na minha vida vem de uma soma de acasos. Alguns corretos. Outros nem tanto. Mas todos contribuíram e continuam a contribuir para o que sou agora. Eu acredito que ninguém apareceu na minha vida por acaso, assim como um livro, um filme, uma série, até mesmo um episódio X que tem um quote que é um belo chute no estômago, dando a impressão que até o personagem está indignado com a palhaçada da qual você se encontra.

 

É pura mágica! O acaso é o inesperado, e é nesse inesperado que vem as minhas resoluções.

 

Hoje, entendo porque minha tia repetiu tanto que nada é por acaso, tudo está escrito. Eu passei a acreditar nisso por osmose e adotei como estilo de vida. Nada, nada mesmo, que bateu de frente comigo foi aleatório. Esse conjunto de acasos é o que sou hoje.

 

Obrigada a todos os envolvidos.

 

N/A: continuem com tudo aquilo que fazem. Vocês podem inspirar alguém por acaso <3.

 

Deixo vocês com a última prova do acaso que eu vi antes de publicar este post.

 

Onde está o botão “abraço automático dado com sucesso”?
Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    *repetindo a dose de abraço virtual* hug/

    Eu espero que mtos laços se criem, porque tudo que coloco aqui no blog vem do coração, e acho que isso é um fator essencial para qualquer coisa funcionar, independente do que seja. Eu sempre levei em conta o que sinto em dado momento e acho que essa minha tentativa de ser honesta na maioria das vezes, de um jeito tiazona aconselha, tem valido de alguma coisa. Não dá pra ter noção do quanto se faz algo bem e é por isso que temos pessoas e momentos que, mais cedo ou mais tarde, provam que estamos certos. Eu tbm acredito que estamos aqui para tocar vidas, independente do timing.

    Acho que este ano tem sido pesado pra muitas pessoas. Eu sinto isso tbm, certos dias com mais intensidade que outros. São mudanças costantes de humor, de ceticismo, de frustração, entre outras coisas que, quando se misturam, é uma luta suportar. Uma hora coisas boas aparecem, acho que um dos segredos é não se desesperar. Gritar pode, desistir não. Uma hora o jogo muda e é engraçado ver isso acontecer qdo simplesmente nos desligamos. Qdo deixamos o curso de certas coisas se desenrolar naturalmente…

    Obrigada pelo carinho constante de anos, viu? E pelas palavras que estarão no heart <3

  • heyrandomgirl

    Somos fãs de sintonia. Eu até me julgo aquela pessoa que só precisa do 1º contato pra saber que determinada pessoa vale mais que um olá ou um encontro. Quando li sua mensagem no Face, eu mal pude acreditar nesse pequeno grande acaso. Porque simplesmente teve tudo a ver com o que escrevi, e vc foi lá e sambou na minha frente. Fiquei chocada e feliz porque estava em uma vibe de gratificação, por saber que algo de bom eu tenho feito – mesmo em meio a tantas calamidades.

    Não, Mammy, eu não parei pra pensar na sintonia do blog com todo mundo por justamente ter o pensamento, digamos, errado. Pensar que escrevo pra ninguém facilita as coisas de vez em quando, mas me frustra de vez em quando tbm. É um misto de mtas coisas que me fazem ficar na corda bamba. O importante é que o blog sobreviveu a todas as minhas tentativas de deletá-lo.

    Agora pare de ser linda desse jeito porque ando mto sensível :(

    Obrigada pelas palavras. Tanto aqui, como lá no Face.Elas valeram mto, estão bem guardadinhas e jamais serão esquecidas <3

  • heyrandomgirl

    Repito: vc fez meu dia! Acho que nunca cansarei de repetir isso, pois foi a mais pura realidade. Daqui do outro lado não dá para saber a proporção que o blog atinge, não dá para saber se há pessoas que realmente leem e curtem as postagens, mesmo sem deixar algum comentário…É difícil não saber quem acompanha pra poder agradecer, e vc foi um grande encontro, especialmente em um momento que estava bem decidida em deletar meu blog. Saber que minhas palavras mudam/ajudam alguém é gratificante demais.

    Eu espero que um dia o We Projecto saia do forninho Hahaha Até lá, continuemos a escrever. Vc também faça isso, adoraria ler, nem que seja short fics. Eu sempre tive muito medo de me expor virtualmente porque não tenho controle dos meus dedos… Acho até que estou mais à vontade em falar sobre pontos mais intimistas, e isso tem me aliviado bastante. Palavras tem poder sim. Palavras tbm curam. Eu acredito mto nelas.

    Nossa! Eu fui parar no chão quando ID tocou Bleeding Out. Eu tenho um relacionamento sério com essa música – e tantas outras. Sei bem os carões do povo que não entende mto bem o que é saber da letra e cantar a plenos pulmões. Essa é uma das melhores partes de ir aos festivais da vida ahahahaha

    Ah bolsaaaaaaaaaaaa *_* Hahahahaah Que linda <3 Virou marca registrada porque uso só no header do blog, o que denuncia meu amor pela Snow <3

    Beijos sua linda! Obrigada pelo comentário e pelo carinho <3

  • heyrandomgirl

    Own prima, assim vc me emociona <3 É um duelo constante aqui na minha cabeça, uma luta sem fim, especialmente quando envolve a parte burocrata das nossas vidas – como vc bem falou. Eu só sei escrever, não manjo mais de nada para me expressar e ver gestos como esses me dão mais força pra não abaixar a cabeça. Obrigada pelas palavras lindas <3

  • Isis Renata

    Concordo com a Thu ao dizer que você criou um incrível laço com seus leitores, sejam eles seus amigos próximos ou não. E que as provas sempre aparecem uma hora ou outra, ou seja nos acasos.

    Eu amo acasos e acredito fielmente neles. Criada dentro da igreja e mergulhada em sentimentos eu sou a Amélie da vida real, e vivo buscando sinais de que tudo era pra ser mesmo. E as provas sempre aparecem: em uma oração, em um momento, em um livro, em uma pessoa.

    Me emocionei com seu momento e com seu encontro com sua leitora. Isso é tão bonito. Eu sempre penso que estamos neste mundo para tocar a vida das pessoas. Para fazermos a diferença à nossa maneira. Seja ela passageira ou não.

    Devo confessar, que este ano tem sido pesado a mim. E olhando para ele eu lembro o quanto sofri o desânimo e as mudanças constantes. E por vezes precisamos apenas respirar fundo e acalmar nosso coração para que coisas melhores aconteçam. Eu tento sempre buscar coisas que me façam renovar as forças e acreditar mais uma vez. É difícil a mim, pois sou ansiosa e nervosa, mas o acaso chega ai para que eu aprenda a lidar com esse nervosismo…

    enfim, espero encontrar a calmaria e o centro de tudo
    e quero como todas as meninas que comentaram, te agradecer por todos os momentos de inspiração e forças que encontrei aqui e em você <3
    um beijo, te amo e tchau.

  • Thuany Ramella

    Eu acredito muito em ligação, energia, ou seja lá o nome que queira dar. Acredito que quando se importa com uma pessoa, quando existe algum tipo de conexão, ela sempre estará em seus pensamentos. Foi inexplicável a vontade que eu tive em compartilhar contigo o que eu senti ao ler o seu texto, eu simplesmente precisava te agradecer por, misteriosamente, estar em sintonia com o momento em que estava passando. Por estar em sintonia comigo, mesmo que distante.
    Ouvi uma pessoa dizer que esse ano representa o fechamento de um ciclo e por isso, várias coisas (boas e ruins) podem acontecer. Recomeçar, para mim, seria exatamente isso, o fechamento de um ciclo. E o "acaso" de você estar justamente nessa "vibe" me fez pensar mais ainda nesse recomeço.

    O trabalho que você vem fazendo com o RG é lindo, e talvez você não tenha parado para pensar na sintonia que você acabou criando com os seus leitores, sejam eles seus amigos ou não. Você já me inspirou em tantos momentos de dúvida, que nem imagina, portanto, tire da sua cabecinha teimosa a ideia de que você escreve para ninguém.

    Eu, como leitora do blog, quero te agradecer por ter criado comigo essa sintonia inexplicável, que por muitas vezes parece que está falando por mim.

  • Emely

    Não me lembro muito bem como eu conheci o seu blog. Acho que esbarrei com o seu perfil no Fanfiction.net ou acabei o descobrindo por intermédio de um blog de resenhas de Glee. Mas lembro que, quanto mais lia as suas postagens, mais eu ficava maravilhada em ver um site em que alguém realmente refletia sobre as coisas e a sua paixão por aquilo ficava evidente. Lembro que vi uma postagem sobre o Imagine Dragons bem na época em que eu descobri eles, e fiquei muito feliz.

    De lá pra cá, eu sempre chequei o Hey, Random Girl em busca de novas coisas que pudessem me inspirar ou apenas me informar sobre projetos divertidos e resenhas muito boas. Você até abriu a minha mente sobre Jornalismo e, mais tarde, quando a minha professora de Historia me disse como era o mercado, eu me lembrei vagamente das suas postagens.

    Como eu disse no dia, o We Project é a minha seção favorita do blog. Eu também pretendo publicar as minhas historias um dia e sempre amei ler sobre escritores, não necessariamente dando dicas, mas falando da própria experiencia com a escrita. E o WP tem exatamente isso, em uma dose mais real do processo. Estou esperando ler o seu livro um dia.

    Também adoro as aleatoriedades e as resenhas, apesar de não assistir os seriados dos posts e ter me perdido em alguma temporada de Supernatural.

    Continue o que você faz, porque as pessoas lêem. As palavras tem poder, e as suas certamente carregam esse peso. Alguém ainda vai se deparar com algo que você escreveu aqui, seja um post novo ou antigo, e vai se sentir agradecido, se é que já deve ter acontecido.

    Stay awesome, Stefs!

    Curiosidade: Eu também fui no show do Imagine Drangons no Lollapalooza e quase tive um ataque quando eles começaram a tocar Bleeding Out, tanto que uma mulher na minha frente me olhou de cara feia.

    Curiosidade 2: Uma coisa que me ajudou a ter certeza que era realmente você foi a bolsa com estampa da Branca de Neve com óculos de armação vermelha.

  • Karla Kelvia

    A cada vez que leio suas postagens mais intimistas, mais eu me sinto grata por te conhecer, msm que Fortaleza e Sampa não estejam perto uma da outra rsrsr. Vc é talentosa, vc tem esse dom, e eu sei como é, a espécie de som e fúria, o desespero de as coisas estarem tds aqui, na cabeça, pedindo vida, e como é equilibrar td isso com a "vida real", com a parte burocrata das nossa vidas. Vc não pode parar! Vc tb me inspira e me dá força, eu gosto mto do RG, de vc e das palavras que vc encaixa tão bem!