Menu:
18/ago

A palavra em si já diz muito: um novo começo. Uma ideia maravilhosa, mas ninguém avisa que o propósito maior por detrás dessa palavra é que um novo começo parte de onde se empacou. Muitos rebobinam a fita, começam de novo e cometem os mesmos erros. Outros apertam a tecla pausa. Refletem. E, assim, continuam a partir do obstáculo que os interromperam.

 

Muitos tratam o recomeçar como uma página usada. Aquela cheia de rabiscos, ideias vencidas e sentimentos que não são mais os mesmos. Quando aquilo que se vê vai contra aquilo que se sente ou que se pensou, basta amassá-la e jogá-la no lixo. Nada como uma página nova, branquinha e até com aquele cheiro de tinta para investir no famoso recomeço.

 

Para alguns, recomeçar é justamente isso: amassar a página, jogar fora e começar novos rabiscos. Muitos não refletem sobre os motivos de investir em uma nova página. Nada me espanta quando vejo uma pessoa destemida no ato de recomeçar, saltando várias etapas importantes – como reconhecer os erros – e dar de cara com os mesmos resultados. Sinceramente, não pensar na razão ou na circunstância de recomeçar torna a ideia tão banal quanto dizer eu te amo para meio mundo (que lá no fundo você sabe que não ama pra valer).

 

Muitos nem percebem, mas são viciados no ciclo de recomeçar e não recomeçam nada.

 

Como tudo na vida, recomeçar não é simples. É difícil. Requer coragem.

 

Coragem?

 

Sim. Admitir que se precisa de um novo começo mexe muito com o orgulho. Mexe com o receio de admitir os erros e as falhas. Começar de novo não é um rebobinar. É pausar e, quem sabe, pedir um replay para entender porque um momento, uma ideia, qualquer coisa, não deu certo. Recomeçar é parar, respirar e pensar. Não é contornar o obstáculo. Não é saltar para a via mais segura. Procurar um novo trajeto sem considerar a si mesmo faz do recomeço um vício que tem muito a ver com conformismo. Afinal, recomeçar tem a ver com desafios e não com facilidades. Tratar a folha já usada como lixo é simples, complicado é analisar cada ideia e entender porque simplesmente não deu certo.

 

O recomeçar é difícil. Requer tempo. Requer aceitação de que algo não está bem. Que o que não está bem não precisa de frases prontas como logo passará ou deixa pra lá. Ou, pior ainda, eu desisto porque tenho algo melhor para me dedicar.

 

Começar de novo, com outra ideia, outro enfoque… Isso basta para alguns. Outros querem mais. Outros se encorajam para compreender os motivos do empaque e da razão para pedir por um recomeço. Esses não querem qualquer recomeço, mas um recomeçar superior ao anterior. Só sei que de nada adianta um novo começo sem considerar o que se aprendeu. O que mudou. O que tornou aquele obstáculo tão complicado ao ponto de acarretar aquela vontade desesperadora de desviá-lo. Soa fácil fazer tudo de novo, mas é mais fácil ainda ignorar os defeitos que, com toda certeza, afetarão o recomeço.

 

Recomeços são difíceis. Não é como amassar uma folha de papel e dar início a um novo rascunho. Requer muito mais que um insight. Tem gente que é viciada em recomeçar e, no fim, acha que recomeçou. Vive em uma eterna impressão e cai sempre na mesmice.

 

Intimamente falando, recomeçar tem a ver com se perder do propósito e o que fazer para retornar para ele.

 

Recomeços ainda são mais difíceis quando se sente na pele que não há mais tempo para dar um reboot na própria vida. Quando se é jovem, é muito fácil mudar de ideia, de dizer que está de saco cheio… São recomeços sem compromisso. Quando se é adulto, o recomeçar atinge todas as pessoas ao redor. Literalmente, é um pensar que influencia em tudo por ser uma reflexão mais profunda, cheia de medidores, de questionamentos e de opiniões.

 

Para um adulto, recomeçar cansa muito ao ponto de alguns simplesmente desistirem de fazer tudo de novo.

 

A vida é uma satisfação cheia de insatisfação.

 

Não adianta nada começar de novo sendo a mesma pessoa de antes.

 

Quando se resolve pelo reboot da própria vida, isso não quer dizer que qualquer um estará imune a novos empaques que berram pelo recomeço. Há outras intempéries no meio do caminho e é preciso enfrentá-las ao invés de contorná-las. A luta diária, especialmente quando se briga consigo mesmo, é sempre o ponto de partida para um novo começo.

 

Como diz meu querido Paulo Roberto Gaefke: não importa onde você parou, em que momento da vida você cansou, o que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar. Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo. É renovar as esperanças na vida e o mais importante: acreditar em você de novo.

 

O recomeço do recomeço do recomeço não pede o caminhar pela via mais segura. Daquele contornar básico. Recomeçar é voltar ao propósito. É possível zerar tudo e começar de novo, como o tal reboot. Mas de nada adianta ser a mesma pessoa ao fazer isso.

 

Recomeçar é sinônimo de coragem para mudar não só uma circunstância, mas o que há dentro de você.

 

É acreditar em algo novo.

 

É se redescobrir.

 

N/A: Este post é uma forma de mostrar que não desisti ainda. Sejam bem-vindos de volta! <3

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3