Menu:
01/nov

Este episódio foi muito ok para uma série que costumava sambar em semana de Dia das Bruxas. Juro que a promo me deu um pouco de esperança sobre o que aconteceria, já estava adorando a ideia de um flashback – quem sabe sobre Kai –, e quis morrer quando a tal mulher correndo suja de sangue era uma aluna trajada de Lady Whitmore, encenando o ataque temático do Homecoming. Achei que haveria um banho de sangue, levando em conta que as showrunners aparentam certo empenho em trazer os antigos moldes para esta temporada. Pobre de mim! Além disso, espero que todos tenham curtido e se despedido de Bamon, da versão do Damon de 1994, da Elena feliz da vida e da suavidade da trama sem o peso do triângulo amoroso (ou Delena). O Salvatore que faltava retornou e as chances de The Vampire Diaries voltar a ser um pé no saco por causa do âmbito romance são altíssimas.

 

Tudo porque o pino que está em jogo é a Elena, a pessoa que tem aliviado demais a trama. Fico até triste com o parágrafo acima, pois gostei dos dois últimos episódios, até deste que foi muito superior a tudo que aconteceu até agora. O que é bom, dura pouco, pessoal, ainda mais em TVD. Verdade seja dita!

 

Stefan foi o primeiro a dar as caras e tive que rir do quanto Enzo é um maldito até mesmo quando está, em tese, prestes a morrer. Nada mais viável que relatar ao Tripp sobre a existência de vampiros justamente no lugar onde o Salvatore tem vivido. Colocar um radar em Ivy, e até mesmo nele, foi uma amostra de que o BFF do Damon quer continuar com a brincadeirinha. Como se isso fosse muito relevante, pois ele não será o primeiro e nem o último a se achar no direito de encher o saco do “péssimo irmão”.

 

Por outro lado, fiquei com a breve sensação de que Stefan viu Enzo como uma ameaça sobre a existência do vampirismo longe da fronteira de Mystic Falls. Consegui visualizar perfeitamente um plano Steroline para tirá-lo das garras do caçador que está bem disposto em limpar a sujeira sobrenatural de onde for. Essa missão de salvamento pode até acontecer porque Damon retornou e jamais deixaria o parceiro de cela ser torturado à toa. Só não queria o Stefan envolvido, não depois das baboseiras do Enzo. Ainda tenho crises de ódio com a tal “eternidade de sofrimento 2.0”, como se esse cidadão soubesse das coisas.

 

Tive um conflito interno de opiniões sobre a Ivy. Eu disse na semana passada que não gostei da reviravolta dada a personagem, ficou sem noção, especialmente por ter sido muito simples Enzo ter pensado em dar sangue a então namorada do Stefan antes de matá-la. Como não pensamos na obviedade de que ele estaria um passo à frente para torturar o Salvatore que detesta, independente se estaria presente para assistir ou não? Só sei que o timing para isso não bate. Foi a tentativa de um elemento surpresa nada surpreendente, só impactou mesmo porque muitas pessoas nem cogitavam que isso aconteceria. No mais, esse plot não tem pretexto. Para que mais vampiros em TVD? A série nem dá conta dos regulares, quem dirá novatos em transição, um fato que só acontece quando há intenção de morrer.

 

O único ponto positivo da Ivy é ser o lembrete do quanto a transformação é ruim, mas, olhando bem de pertinho, não consegui engolir como ela me sai da tumba, senta na janelinha e acha que pode fazer de tudo, sendo que a única pessoa que poderia ser seu alicerce era o cara que gostava. No caso, Stefan. Entendo que a novata estava indignada e no direito de achar que não merecia isso. Porém, toda essa dramatização foi só para colocar um peso a mais nos ombros desse Salvatore. Como se já não estivesse chato o bastante vê-lo sendo acusado pela milésima vez desde o começo da temporada. Que sem graça!

 

Friso de novo: Ivy me lembrou da Vicki. Isso me dá mil motivos para odiá-la. Descontrolada, folgada, abusada, cheia das brincadeiras sem graça e uma criançona que quer porque quer fazer algo X sendo que não pode. Total doppelganger da irmã do Matt. Essa nova personalidade dela conflitou com o pouco que foi visto no começo da temporada. Ela era a namorada do Stefan, claramente apaixonada, ao ponto de fazer até o café da manhã. Agora, parece que bateu a cabeça para voltar completamente surtada. Senti uma estranheza tremenda, entendi a revolta, mas a personagem mudou de um jeito brusco.

 

Ivy só foi dar uma melhorada na companhia de Caroline, pois amei as tiradas (especialmente a que ela afirma que Caroline só faltava cortar a comida do Stefan. A que ponto chegamos, não é?) e o conflito bizarro de matar ou não matar por estar faminta. Em contrapartida, achei o fim da picada a nova vampira ter colocado a babá para dormir como se já manjasse dos paranauê. Entendam: a meu ver, a personagem estava acelerada para quem “tinha acabado de nascer”. Vicki sempre foi rebelde, uma cretina nível 100, o que dificultava o controle, detalhes que faziam parte da personalidade dela antes do vampirismo. No caso de Ivy, até onde vi, ela me pareceu mais sossegada e dócil. Tudo bem, essa pessoa estava revoltada com Stefan, mas acho isso insuficiente para ela sair desvairada pelas bordas de Mystic Falls. Espero mesmo que a dondoca seja cortada pelo Tripp, pois não tem utilidade alguma a não ser dar dor de cabeça.

 

Um pequeno comparativo: The Originals e TVD estão na mesma vibe quanto ao tema transição da vida humana para o vampirismo. No mundo de Klaus, temos Gia que optou por ser vampira, não pagou de histérica, permaneceu consciente e disposta a compreender esse lifestyle para se proteger. Comentei na resenha do episódio desta semana de TO que ela pulou as chorumelas que sempre acometem os recém-vampiros de Mystic Falls. Isso porque Plec trabalha nas duas séries e encaro isso como um sinal da falta de força de vontade em amadurecer o contexto de TVD. Ok que Ivy não pediu para ser vampira, mas criar uma nova Vicki é tão chato quanto o Enzo tentar ser uma espécie de Klaus para Caroline. E, vamos combinar, Ivy não é adolescente para se comportar daquele jeito desesperado, quase chorando para ir em uma festa da qual nem foi convidada. De onde veio toda essa crise?

 

Com esses dois comparativos, TVD só me mostrou pela milésima vez a dificuldade de largar péssimos hábitos e mesmos tipos de personagens. Depois de quase 6 anos, vemos as mesmas coisas, vide Tyler lutando para não ser lobisomem de novo.

 

Caroline retornou um pouco mais light em comparação aos últimos episódios. Amém! Tenho que dizer que fiquei do lado dela com relação ao comportamento do Stefan, pois, repito, não aguentava mais o “seguir em frente”. Quando o Salvatore repetiu isso, me deu vontade de estapeá-lo, juro! Morro de raiva quando os escritores forçam tanto uma ideia para um personagem ficar totalmente mal na fita (tipo a Elena berrando mil vezes que o Damon é um monstro). Para que frisar a mesma coisa que todo mundo já está farto/satisfeito de saber?

 

No meu ponto de vista, Caroline deveria ter recusado o apoio ao Stefan e sua mala sem alça chamada Ivy. Não me conformo por ela ter abraçado o problema. Cadê o orgulho?  Cadê os pitis dos últimos episódios? Agora que é o benzinho pedindo favor, dando a impressão de que ficará, a vampira se deixou ser usada. Foi lamentável e isso me incomodou, pois, independente de ser o Stefan, se tratou de um pedido vindo de um cara que pisou na cabeça dela, sem pensar duas vezes. Cadê o amor próprio? Está aí outro exemplo de que mulher em TVD não pode ter voz para negar o pedido de um bonitão, nem mesmo quando ele a magoa. O que fizeram? Coisa pior, claro, pois nada mais insuportável que ver Caroline resmungando pelos cantos ao invés de bater no peito e declarar que não quer ajudar.

 

Caroline se deixou levar. Por quê? Para alimentar Steroline. Por causa disso, a personagem, no nível de paixonite da qual se encontra, jamais negaria carregar a mala da Ivy. Tudo pelo crush. Daí, voltamos a forçada de barra por um shipper, descaracterizando os poucos personagens que ainda prestam em TVD na maior parte do tempo. Chamem o SAMU, gente, que o hate está me consumindo a cada episódio que empurram esses dois de um jeito desconexo, só para dar uma angústia que beira a irritação.

 

Mesmo assim, gostei do toco que Caroline deu no Salvatore, pois estava realmente cansativo vê-lo entoar o slogan “siga em frente”. Admito que fiquei bem indignada com a atitude dele em ter cogitado largar Ivy ali a Deus dará. As outras iniciativas do personagem eu assinei embaixo, mas essa não. Fiquei abestalhada. Como já disse por aqui, amo Stefan, de todas as maneiras possíveis e inimagináveis, mas, quando a péssima escrita o pega, nem o Voldemort consegue salvá-lo. De novo, à mercê de nada, o personagem saiu como a pior pessoa de Mystic Falls. Sempre dou elogios a ele, nunca deixei de mostrar o quanto o apoio e tudo mais, mas, venham cá, que babaca foi esse que estava nas redondezas de Whitmore?

 

Só sei que tentaram queimar o Stefan neste episódio e o ápice disso aconteceu diante do Ric, outro que ganhou 20% do meu repúdio por mexer em um terreno chamado Defan. Eu disse na resenha do 6×02 que ouvir a ameaça da eternidade de sofrimento por parte do teacher teria o maior cabimento ao invés do Enzo, isso se Stefan tivesse realmente falhado. Ric é uma das pessoas que tem total direito de cobrá-lo sobre Damon e Bonnie, mas fez isso do jeito errado. A discussão entre esses dois personagens foi ridícula. Da mesma forma que não suporto Damon ser tolerado por todas as atrocidades que cometeu, não suporto quando ele é endeusado para que Stefan seja massacrado. Não é justo, sabem? Ainda mais considerando toda a trajetória desses dois Salvatore. Quem sacrificou mais coisas? Claro que foi o Stefan. Ric entoou palavras que não condizem com a pessoa inteligente que costuma ser.

 

Primeiro: Ric fez menos que o Stefan para encontrar Damon, sendo que tinha toda a galera, até mesmo Luke e Liv, à disposição. O que ele fazia esse tempo todo? De certo, botou a fé no Stefan, sentou na poltrona e aguardou enquanto assistia Caroline devorar os livros que indicou. Sem contar que o personagem está muito mais preocupado com a própria adaptação. O teacher deixou claro que odeia ser o que é e não me espantaria se ele tivesse passado os últimos meses em negação por causa do que se tornou. Notando agora, Ric não me pareceu abatido pela perda do Damon. Ele foi atrás do uísque para resgatar um hábito de quando era humano e não porque o BFF não está presente para fazer um brinde (algo que Damon fez, no túmulo dele, lamentando a perda).

 

Todo mundo estava em negação e agiu de um jeito inusitado. Ric pode ter priorizado outras coisas. É meio pesado dizer isso, eu sei, acredito demais em Dalaric, mas o jeito como o teacher se impôs diante de Stefan foi patético. De novo, cobrar é fácil, mas cadê que geral fez realmente alguma coisa? Vale lembrar que o Salvatore chegou ao coven Gemini, independente de ter mentido sobre Ivy. Provavelmente, Stefan fez isso para que parassem de sufocá-lo, sendo que também estava perdido. Ninguém soma 1+1. É mais fácil soltar os cachorros.

 

Segundo: como bem disse o Salvatore, Ric tirou as memórias da Elena. E ele ainda teve a pachorra de dizer que Stefan esqueceu Damon primeiro. Pausem aí! Como é fácil jogar a culpa no Cruzeiro, só porque ele empacou, não é? Se Ric estivesse mesmo preservando algo do Damon, nem teria aceitado a ideia de varrer as lembranças da Santa Gilbert. Por mais que ela estivesse magoada, não havia dificuldade em recusar. Ele não é o BFF? Deveria ter agido como tal já que deu a entender que ama muito Damon. Acho graça que com Jeremy o sermão foi formidável, mas, com Elena, que viu tanta coisa ruim mais de perto que o irmão, bastou um pouco do mojo vampiresco e tudo bem. O vampirão tentou sair da discussão com superioridade, mas é tão fracassado quanto os demais que só acham que fizeram alguma coisa por Bamon.

 

Afinal, a incapacidade geral se comprova quando Bonnie encontra a saída sozinha. Outro ponto negativo para o Ric é a maneira de rodear Elena sobre as memórias. Deixe a menina viver um pouco, pelo amor de Deus! Nossa, fiquei possessa! Quando a Santa Gilbert chora, geral reclama, e quando ela está feliz, querem que ela volte a ser miserável. Leave Elena Gilbert alone! Se ela ainda tem ligação com o Damon, deixa a coisa rolar, ué.

 

Tenho que dizer também que Ric tem sido a prova que faltava em TVD para mostrar o quanto o vampirismo não é tão legal assim. Afinal, a maioria dos personagens que se transformaram se tornaram, de certa forma, passivos com o que são. Um exemplo é a Elena, que nunca escondeu a falta de interesse em ser vampira, por querer ter filhos e uma família. Ela só foi se lembrar dessa pequena falha ao perder Damon, o que achei uma falta de respeito tremenda e uma amostra gritante do quanto ela se esqueceu dela mesma à mercê de um relacionamento. No caso de Ric, ele quer ficar na toca e busca meios para se conectar com o antigo eu. Por mais que ele tenha sido babaca com Stefan, tenho que dizer que o personagem mostrou uma compostura tremenda em não devorar alguns corpos no Homecoming. Fiquei até com pena como ele refuta Jo por vergonha de ser o que é.

 

Elena ficou tão apagada neste episódio, mas isso não quer dizer que não tenha sido agradável assisti-la esta semana também. Estou ficando mal acostumada e sei que sofrerei horrores se a personagem retornar a chatice típica por causa do Damon. Tudo bem que isso é quase certo, mas, por enquanto, vou me fingir de besta. Adorei o engajamento dela – de novo – em convidar as pessoas para festa. Senti orgulho por ela dizer ao Ric que seguirá o conselho dela mesma com relação às memórias. Aplaudi de pé! Está certíssima! Curti demais as interações dela com Liam, a iniciativa de chamá-lo para sair, bem como o conforto de simplesmente elogiá-lo e beijá-lo. Haters gonna hate, mas nunca vi Elena sendo tão humana depois do vampirismo como esta semana. Repito o quanto a transformação dela foi um tremendo erro (e mal escrita), não só por tê-la descaracterizado, mas por fazê-la perder pequenos momentos em que ela era ela mesma. Juro que vi essa versão da personagem antes dos Salvatore.

 

Achei mágico como Elena ficou abobalhada ao ver Liam trabalhar a seco em uma das vítimas do acidente causado por Tyler. Aqueles olhinhos brilhando, extasiada, por ver que nem tudo tem uma resolução prática por causa do vampirismo. Ainda existe toque humano neste mundo e acredito que ela era uma das pessoas que mais precisava ver isso de perto. O que vi foi uma garota se encantando com coisas das quais ela tinha o costume de adorar sob olhos humanos. De coisas das quais ela era engajada. Sem Damon na memória, Elena tem visto as coisas com mais claridade, um novo ângulo, e tem aproveitado as oportunidades. Está certo que ainda não estou com ela na decisão egoísta, mas, como dizem, há males que vão para o bem, e a Santa Gilbert tem sido uma caixinha de surpresas. Estou amando vê-la desse jeito, não custa repetir. Ela está sendo uma garota típica e normal, algo que deixou de ser há muito tempo.

 

Os pontos altos

 

Quero um abaixo assinado para a Bonnie ser a protagonista de The Vampire Diaries. Ela me representou em todos os sentidos e chego aqui morrendo de orgulho. A maneira como a personagem relutou e se impôs contra o Kai foi digníssima. Nada como ter os poderes de volta para recobrar a autoestima. A bruxa foi arrasadora do começo ao fim do episódio, maravilhosa até ao admitir que Damon estava errado sobre dizer que ele seria a última pessoa que gostaria de ter companhia. Foi formidável ver Bamon lutar pela vida um do outro. Foi formidável ver Damon protegê-la. Foi formidável ver Bonnie abrir mão do desejo de voltar para casa pelo novo amigo. Admito que não aguento mais vê-la se sacrificar pelos outros a troco de nada, mas a Suprema sempre dá um banho de heroísmo e de altruísmo. Bonnie tem todas as características de uma protagonista. Ela abre mão de muitas coisas pelo bem-estar do próximo ao mesmo tempo em que duela com anjos e demônios para vencer no final do dia. Ela perde, muito, como qualquer heroína. De certa forma, Bonnie venceu, Damon retornou para o irmão e para a “ex-namorada”. Agora, aguentará as consequências de ficar empacada com Kai, o bruxão que não é a mais dócil das frutas. Tenho medo disso, fato!

 

Preciso fazer um comentário sobre o Kai: fiquei feliz por ele não ter sido afligido pelo golpe de Bonnie. Como disse na semana passada, gostei muito do personagem e o quero por mais tempo nos arredores. Rachei o bico com as coisas na mochila dele, especialmente o Pager. Mais conhecido como BIP. Sim, gente, sou velha nesse nível para poder reconhecer certas coisas. Só sei que será divertido e misterioso vê-lo lidar com Bonnie sozinho. O tenso é que a bruxa está ferida e ele se aproveitará disso. Kai não perdoará o salto do Damon.

 

Adendo: mais uma vez, o plot da Bonnie deu uma lição de casa, algo que tem acontecido desde a semana passada. Adorei vê-la estudando, empenhada em entender o feitiço para sair dali, juntando as peças, enquanto Damon a caçoava. Fiquei feliz por uma das minhas dúvidas ter sido respondida, sobre a relação dela estar empacada ali com dois psicopatas. De fato, Grams avisou que asseguraria a neta e o pretexto foi esclarecido: relação entre covens. Agora que não há mais o ascendant, alguém me diz como a Bonnie sairá dali?

 

Chorei largada com o Tyler. O personagem nunca aparece e me dá uma dessas? Juro que estava tão preocupada em xingá-lo por se atrever a pegar o celular enquanto dirigia que nem me toquei sobre a possibilidade do gene lobisomem ser ativado por causa do atropelamento. Até porque sempre associei essa ideia com o querer matar. Enfim, na primeira vez, Tyler transitou por um mero acidente também, então, era fato que o avulso da trama voltaria a uivar para a Lua. Isso se Liv não tivesse tomado partido. Fiquei sem chão com o desespero dele, algo que na 2ª temporada não ficou tão aparente. De fato, o personagem não queria provocar aquilo e doeu lá no fundo quando ele diz que lutou tanto para não ativar a maldição, chateado demais porque o cara pipocou na estrada e provocou um estrago. Dia de má sorte! Me compadeci pelo Tyler, ele é um tremendo azarado, em todos os sentidos, e me lembro como hoje da sua primeira transformação. Fato que ele está melhor como humano.

 

A atitude de Liv foi completamente inesperada. Eu aguardava algum toque de magia e não um assassinato, por assim dizer. Fiquei em pausa dramática. Chocadíssima porque tem que ser muito mulher para fazer uma coisa dessas. Claro que a influência de gostar do Tyler pesou, pois a bruxa é uma personagem que se apresentou ligada à família, sem qualquer interesse de ter um envolvimento com alguém da turma de Mystic Falls. Vê-la agir guiada pelas suas emoções e pelos seus impulsos me atormentou, porque ela sempre foi fria e distante. No fim, Liv não é tão insensível quanto aparenta. Ok que matar pessoas não é legal, mas a fragilidade seguida da culpa foi demais para minha saúde. Tyler arrematou com um discurso bacana sobre uma vida ter sido compensada, mas claro que isso não alivia em nada. De algum jeito sobrenatural, alguém saiu vivo dessa bagunça. Só não o humano que quase foi retalhado pela Ivy.

 

Defan is life!

 

Reafirmo: achei o comportamento do Stefan neste episódio um tanto quanto petulante. Repito que entendi essa necessidade de seguir em frente, mas, de certa forma, os escritores distorceram essa ideia para torná-lo um sacana. Se achei válido ele abandonar todo mundo? Sim. Se achei pertinente descobrir que ele mentiu para Ric sobre Ivy ser uma bruxa? Err… De onde veio isso? O que era para ser uma decisão pessoal de ter uma nova vida soou como uma súbita mancada para colocá-lo na posição de péssimo irmão. Assim, sei que o personagem tem momentos, mas essa mentira não ornou, até porque ele tentou, só empacou porque não sabia mais o que fazer. Vejam bem, desde a season premiere desta temporada não se falou em outra coisa a não ser no papel de Stefan e na consideração dele por Damon.

 

E não, Stefan não é um péssimo irmão. O amor dele é muito puro, não só por Damon, mas por todas as coisas, inclusive dona Elena. Defan é uma dupla que se morde, mas se ama. Aos olhos de alguns personagens, esse detalhe deveria ser muito bem esclarecido, mas quem provou isso? Damon Salvatore, que aparatou e não precisou dizer/fazer nada para ver como o irmão sofria. Há pessoas que revidam a dor com péssimas atitudes. Todo mundo fez isso com a perda Bamon, mas, enquanto foi lindo Elena deletar as memórias, uma omissão/mentira do Stefan foi como o iceberg que afundou o Titanic. Eu digo: expectativa e mau costume em excesso.

 

O retorno de Damon mostrou, de uma vez por todas, o que muitos fãs da série tapam com a peneira: o quanto esses dois evoluíram. Tanto individualmente como em dupla. Isso, pensando apenas na irmandade. Stefan me emocionou ao desabafar o quanto sofria pela ausência do irmão, do quanto sem ele estava perdido, um completo fiasco, um lixo. O que aconteceu dos últimos episódios pra cá, essa cobrança maçante em cima de um cara que não tem a mínima obrigação de abraçar um problema enquanto o resto lixa a unha, foi destruída a partir do momento em que Damon reapareceu e aceitou o abraço do little brother. Estava tudo bem.

 

O reencontro Defan foi vital para mostrar que Stefan só se importava com a opinião daquele que tinha morrido e para reforçar o conflito moral que Damon passou no inferno pessoal de Kai ao ponto de reconhecer que precisava voltar por Stefan. Em apenas 1 segundo de descrença e de piadinhas, Damon capturou a dor do brother na lata. Um detalhe que todos que conviveram com Stefan deveriam reconhecer, entender e parar de resmungar. Até a Elena desmemoriada foi sensata em cutucá-lo, dizendo que ele não estava bem, e quase foi enganada por causa disso. A reação do Damon foi fenomenal. Um belo tapa na cara da oposição Defan. Stefan é craque em omitir o que sente, gosta da faquinha de rocambole, mas essa dor que é muito igual a uma tortura pessoal não passou despercebida por Damon.

 

Você vê o quanto Defan evoluiu quando Stefan assume que não é nada sem o Damon. No passado, ele não queria nem ver o irmão pintado de ouro e daria uma festa a cada momento em que se via livre desse pentelho. Ver que o Salvatore o quer desesperadamente de volta é se entregar a uma fraqueza da qual nunca demonstrou. Lembrando que Stefan foi o único a desmoronar no season finale (Elena não conta, pois a intenção dela era outra), não achando nem um pouco justo Damon morrer sendo que tinha tudo. Uma dor de amor puro.

 

Stefan precisou ser babaca para omitir o quanto sentia falta do irmão. Ele nunca pensou duas vezes em ir atrás do Damon quando a relação deles estava péssima e vice-versa. O reencontro foi destruidor, lindo demais e justíssimo para dois personagens que não possuem um momento de comunhão há muito tempo. Não era Elena quem deveria estar ali para receber o Damon, jamais. Foi Stefan e sempre será o Stefan em qualquer quesito, fim. Achei de extremo bom tato Damon retornar e dar de cara com o irmão. Os dois queriam isso. Os dois queriam se reencontrar. Foi tocante, raro e precioso, um instante que há muito tempo não acontecia na série. A intensidade do Paul nessa cena destruiu minhas estribeiras, bem como Ian que mergulhou na mesma emoção dando a Defan uma das melhores cenas depois de milhões de episódios. Juro que fiquei colada na televisão a espera do abraço e, quando aconteceu, morri para não querer mais voltar.

 

Queria pensar que Elena terá uma storyline à parte para que Defan seja a grande coisa da temporada, mas é sonhar demais. É triste ver o quanto esses dois deixaram de ser a razão de tudo para se bicarem por causa de uma garota. Damon disse que queria voltar pelo irmão e foi o irmão quem o recebeu. Stefan anunciou que estava perdido sem Damon e será o irmão que o botará no eixo. Stefan sempre foi muito bom em lidar com a própria dor, mas não dessa vez. Ele nunca perdeu de verdade o Damon e não soube lidar com isso. Faltou um pouco de solidariedade das pessoas que só o buscaram por uma solução, sem sequer ouvi-lo. Tudo bem que o personagem não falaria nada, mas ninguém tentou. Nem mesmo Caroline que estava obcecada em recuperar Mystic Falls.

 

Por isso, sempre protegerei Defan e bloqueio mesmo comportamentos como os de Ric, Enzo e Caroline que não entendem bulhufas dessa irmandade. Fim!

 

A se pensar

 

Nessa bagunça toda, algumas lacunas ficaram em aberto: Ivy capturada, Jo não foi hipnotizada por Ric e Liam suspeita da súbita cura da Lady Whitmore. O que vem agora?

 

E, venham cá, Tripp será mesmo o vilão da temporada? Sinceramente, ele é muito Markos. O propósito dele é totalmente coerente. Vamos ver o que acontece.

 

PS: Adeus Bamon!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    AI CARA, PODE ME CHAMAR DE CARA! HAHAHAHAHAHA Me sinto no filme, Ela é o Cara! HAHAHAHAAHAHAH

    A Ivy tá meio bagunçada e não acho que ela dure não pq não tem espaço pra ela na trama. Só será o meio do Tripp explicar as viagens dele quando Stefan e o Damon for resgatá-la e, de quebra, o Enzo. Acho que ela será o atrito dessa "união de famílias Fundadoras", porque os Salvatore são vampiros e vão detonar o novo caçador do pedaço. No mais, não vejo futuro pra essa personagem não.

    Se não me falha a memória, é Clarenzo Hahahahahahaha

    DOIS! Não aguento mais Steroline tbm, está mto difícil de engolir. Antes os dois eram tão mágicos. :(

    O timing de alguns personagens para superar certas coisas é um abuso em TVD. Tipo, a Elena é ótima em dar a volta por cima sobre os pais e a Jenna, mas não pode suportar um boy, sendo que há muitos no mundo, e família é ÚNICA. Ric só está sendo interessante pelo autocontrole e por refletir algo que ngm esboçou por tanto tempo: não gostar de ser o que é. Ric era bom como caçador, era inteligente pacas, e sinto que o vampirismo o tornará um zero à esquerda. Ele mal falou do Damon. Ric está se odiando.

    Quero nem ver a rainha Bonnie com o Kai, ainda mais machucadinha >< Eu tbm quero que o Damon, SÓ O DAMON, a salve HAHAAHAHAHHA Assim EXIGÊNCIAS.

    Sim, eu sei, mas as séries sempre mandam mensagens subliminares de não atender celular pra não causar acidentes, e isso me deixa possessa por saber que há PESSOAS QUE FAZEM ISSO NA VIDA REAL AHAHAHAHAHAHA.

    Liv foi um soco bem dado na cara. Ainda não superei o que ela fez. Duvido que Elena Gilbert teria bolas pra tanto.

    Defan <3

    Beijosssssss!

  • ziinhooo

    Já começo dizendo que PENSEI QUE SÓ EU TIVESSE LEMBRADO DA VICKI. Porém, a transição da Vicki foi taaaaaão mais dramática. Essa Ivy já chegou manjando dos paranauê, só gostei que ela estava com tédio da Caroline mas depois percebeu que ela estava certa (fiquei com pena quando o idiota capturou ela). Não quero que o idiota do Tripp a esquarteje, nem pensar, acho que ela já estava tomando jeito e depois que passar pela transição pode ser só mais um vampiro e amiguinha da turminha. Eu vejo nela uma futura Caroline em termos vampirismo e ainda acho que ela tem chances com o Stefan (mas só se ele tirar da cabeça essa história que só pode seguir em frente se for com uma humana).

    Klaroline <3 / Caroline + Enzo (tem nome?) <3

    Meeeeeu amoooor, não aguento mais Steroline. São fofos como amigos mas, como casal, só se for nas nossas mentes/imaginações férteis. Está forçado demais e a quem sai prejudicada é a Caroline que fica toda descaracterizada.

    Sobre o Ric: Até agora não entendi como ele não se controla vendo sangue. Já tem o que? 5 meses? Caroline está lá, mesmo que estivesse ocupada com O Caso Bamon, ela não recusaria ajuda? Recusaria? Eu tenho certeza que não! E é de me admirar que logo ele não pensou na possibilidade de que eles estivessem vivos em outro lugar (ainda mais se lembrarmos que eles frisavam: TODAS AS POSSIBILIDADES).

    Chamando atenção pra outro ponto sobre o Ric, eu acho que o primeiro passo para ser vampiro e conseguir viver “uma vida humana” é se aceitar, aceitar sua própria natureza e saber respeitá-la. E isso ele ainda não fez.

    Super concordo com você em relação a Elena. Amei ver os olhos dela brilhando e a forma como ela ficou abobalhada <3 Agora espero que com essa volta do Damon isso traga algo positivo pra ela.

    Caaaara, medo da Bonnie sozinha lá com o Kai. Mas super concordo
    com suas considerações sobre a personagem. Ela divou! Ela diva! Ela é a DIVA em pessoa. Estou cansado dessa heroína se sacrificando pelos outros, porém ela faz com tanta maestria, digna de uma rainha. Mas mesmo assim quero que ela se dê bem. Quero que o Damon volte para buscá-la, será digno e honesto da parte dele, já que ela salvou ele (pena que ele não liga muito pra isso). Já posso imaginar o Damon gritando “Bonnie veeeeem” e ela lutando com o Kai e usando um feitiço simples porém esperto e astucio, daquele jeito que só ela faz, deixando ele imobilizado de alguma forma e se salvando <3 <3 <3 imaginação fértil disse Hello Everyone

    Você sabe que o celular não foi o que causou o acidente, né? Pra mim, foi o susto que ele levou com o cara correndo na estrada. Ele na verdade tentou desviar e fez merda, sem querer, mas fez. Isso me fez refletir como uma coisa mal feita ou feita errada por um, afeta todos. Enzo > Ivy > Stefan > Ivy > Caroline > Ivy > cidadão inocente > Tyler > acidente. Já pensou em como seria se lá no 1°/2° episódio o Damon não tivesse vindo atrás do Stefan como seria?

    Caaaara (tenho que parar de te chamar assim, arruma um apelido legal ai) eu também pensei que a Liv ia fazer alguma magia. Fiquei pasmo com a atitude dela, foi muito louco.

    Defan é vida! Chorei com o Stefan abraçando o irmão. Defan é vida!

  • heyrandomgirl

    JP tem problemas particulares. Talvez, ela queira modelar a vida dela na série, não é possível. Hahahahhahahaah Defan foi vital durante 3 temporadas e a próxima promo deu até a entender que os dois estarão juntos, provavelmente para resgatar a mala do Enzo (algo que não queria, pq o Stefan iria contra tudo que fez até aqui por causa da Ivy).

    Eu tento entender a finalidade do Ric, pq, até então, Plec e Dries disseram que ele seguraria as pontas do Jeremy e da Elena. Mentira! Pq nem ele tá com a cabeça no lugar, todo abaladinho porque agora é vampiro e tudo mais. Outro personagem que será vitimizado e temo mto que ele termine a temporada sendo babaca. Não era a favor do retorno dele, nunca fui, o término dele na série foi perfeito, mas tem que atender o menu, né? Ridículo!

    Steroline é a coisa mais forçada da série. Bem que tentam, mas se tornou intragável, até a amizade deles, um detalhe que curtia muito –'

    Agora vamos ver como a série caminha com o Damon de volta.

    Beijosss!

  • heyrandomgirl

    Hey, Gabrielle <3

    Eu tbm amei mto esse episódio, terminei com aquela sensação de felicidade e foi mto fácil escrever a resenha. A coisa toda fluiu como há muito tempo não fluía e estou com medo do que nos aguarda esta semana.

    Sem dúvidas, Defan foi a melhor coisa do episódio, depois vem Bamon – que agora não tem mais e já estou meio que desesperada, pois me divertia à beça com eles #chora

    Assim, o que mais quero é que o Damon não volte a ficar chatonildo por causa da Elena. Não quero novela Delena de novo, não aguento, quero que todo mundo siga em frente e encontre a própria individualidade. Todo mundo se perdeu, a mão dos escritores não tem ajudado, mas isso tudo é utopia ahahahahahahahahahah

    Beijosssss! <333

  • gabrielle araujo

    olá, mais uma vez você está de parabéns, disse tudo que eu queria dizer, só que com estilo. Eu amei esse episódio, faz um zilhão de anos que isso não acontece, eu ri pra caramba, fiquei com raiva, me emocionei, chorei, e quando terminou eu fiquei tipo, já acabou? Não! Quero mais. Estava super ansiosa por essa resenha, pelo simples fato de que você assim como eu ama Defan, e esse episódio teve a cena mais fofa de todos os tempos, Stefan estava sendo um babaca, e sim eu queria dar uma voadora nele, mas quando ele entrou naquela cripta mostrando o quanto estava sofrendo, eu me derreti, e a expressão no rosto dele quando viu o irmão me deixou no chão, foi lindo o reencontro dos dois, Bonnie me deixou morta de orgulhosa, ela é uma das poucas pessoas da série que apenas evoluiu, sem deixar de lado sua essência, vou sentir tanta falta de Bamon, foi bom enquanto durou, amei a cena que ela leva uma flecha e o Damon corre para tentar curá-la, foi lindo o jeito como eles tentaram cuidar um do outro, ainda tenho esperança que Damon tente resgatá-la, ele claramente se apegou a ela durante esse tempo em que eles ficaram presos. pela primeira vez desde a terceira temporada estou contando os dias para o próximo episódio, bjus

  • rayanne

    Vi muita gente chorando no tumblr e no facebook sobre Defan e me pergunto, por quê JP não investe nesta relação? Chega de Petrovas separando irmãos! A série só teria a ganhar se deixasse a Santa Gilbert e seus dramas de lado e focasse em reconstruir a relação Defan. Seria tão bom se os irmãos se escolhessem ao invés de Elena. Poxa, já passaram e sofreram por tantas coisas por causa das Petrovas. Mas como JP e Dries são responsáveis pela série, não podemos ter coisas boas. Não assisti, mas já sinto falta também de Bamon (R.I.P).

    Uma coisa que também me chamou atenção, foi muita gente perguntando qual a finalidade do Alaric no atual enredo hahahaha mal sabem que ele voltou devido a vários pedidos de fãs no twitter e porque JP tem um crush no Matt Davis. TVD no seu melhor! E mais uma vez Bonnie sendo sacrificada. Já perdi as contas do quanto essa personagem sofre, se sacrifica, perde, chora e nunca tem o devido reconhecimento. Se a série trabalhasse melhor seus personagens, não precisaria criar histórias absurdas e nonsenses.

    "Daí, voltamos a forçada de barra por um shipper, descaracterizando os poucos personagens que ainda prestam em TVD na maior parte do tempo." Frase que resume bem a série. Steroline é o pedido da vez no menu e sinto muito pela Candice e pelo Paul. Deve ser horrível ver seu personagem se perder assim. Triste!

    Em uma semana em que meu forninho caiu por causa dos meus OTP's, continuo as preces por todos que ainda assistem TVD. #OREMOS