Menu:
19/jan

Vamos começar a semana bem com a resenha deste livro lindo: Jane Austen – Uma Vida Revelada. Trata-se de uma biografia meio que compacta sobre a autora, que reconta alguns pontos-chave da vida dela. Não só isso, como aproveita para entrelaçar os acontecimentos com o processo de escrita de suas principais obras – Orgulho e Preconceito, Razão e Sensibilidade, Mansfield Park e Emma – e os títulos publicados após seu falecimento.Quando digo que este livro é “meio que compacto”, é porque ele não aprofunda tanto a vida de Austen. Ele parte do nascimento até o falecimento, claro, mas o foco maior é dado para os livros publicados.

 

Há um cuidado tremendo no resgate de determinados fatos, como o cenário do qual a escritora viveu e das pessoas que conviveu. Porém, é um título que usa esse background para situar as obras, o que permitiu que fossem exploradas. Passeando pela internet, fiquei feliz por não ter sido a única a pensar desse jeito, considerando que ainda não tive a oportunidade de ler outras biografias sobre a autora.

 

 

O que torna esse título meio instigante é o fato de Austen ser apresentada como uma pessoa misteriosa, o que deu margem para opiniões que se divergiram com o passar dos séculos. Especialmente entre aqueles que conviveram com ela. Como Catherine Reef, a autora da biografia, pontua: “Cartas e diários podem revelar muito sobre pessoas famosas do passado, mas Austen não deixou nenhum diário. Após sua morte, os parentes destruíram muitas cartas que a autora escreveu”. A autora de Orgulho e Preconceito foi e continua a ser uma incógnita que fãs assíduos e historiadores ainda amam desvendar.

 

Ilustração de Razão e Sensibilidade

 

Para alimentar essa galera, e até mesmo um iniciante que não sabe quem foi essa escritora que o mundo todo ainda fala, Reef incluiu em algumas páginas fotos e documentos que dão rosto à família e aos conhecidos de Austen, e ilustrações de algumas obras. Há depoimentos também, o que cria um atrito interessante de perspectiva sobre quem era essa mulher. De um lado ela é adorável, do outro taciturna. O livro mexe com a imaginação por causa dessas suposições.

 

Reef tem um feeling por biografias e as escreve pensando no público jovem. Assim, Jane Austen – Uma Vida Revelada traz uma história compacta sobre pontos específicos da vida da escritora, como o drama de ter que casar por dinheiro, de ter impressões amorosas destruídas, de assistir os irmãos serem bem-sucedidos por causa do gene Y, da vida dedicada à família, da frustração da dependência feminina, do quanto era ligada a Cassandra, a irmã mais velha, etc.. Tem história mais do que suficiente para deixar um leigo bem informado sobre a autora.

 

Como uma apaixonada por história, a leitura valeu muito mais por Reef ter conciliado momentos da vida de Jane com o que acontecia na época. No caso, os babados da aristocracia do século 19. Além disso, pontua-se o papel da mulher como escritora e que gêneros literários eram predominantes. É uma viagem maravilhosa no tempo, tendo Jane Austen como companhia. Sem contar que todo esse background foi a fonte de inspiração da autora, a famosa captura do comportamento alheio, detalhe marcante que a tornou famosa.

 

Reef cria paralelos sobre a autora que leva o leitor a associar o momento com determinada obra. Orgulho e Preconceito é a mais escancarada, título que ninguém hesita em afirmar como a real biografia da vida de Austen. Lá está de novo seu amor por uma personagem chamada Jane, as experiências nas mansões dos irmãos bem-sucedidos, a crítica de que as mulheres não precisam casar por dinheiro, a presença do regimento britânico… Elizabeth Bennet é sua personificação da frustração sobre a dependência feminina, algo que experimentou na pele, ainda mais quando ficava mais velha, sem pretendentes e sem um tostão.

 

Não poderia concordar mais quando se afirma que Austen era uma observadora nata da natureza humana. Afinal, ela usou a própria experiência para compor situações e usou as pessoas do seu convívio para moldar personagens. A época em que viveu lhe dera aval para criar o cenário, cheio de problemáticas, especialmente amorosas. Ela escrevia sobre o que sabia.Claro que minha parte preferida da biografia é quando os romances de Austen entram em cena. Um histórico breve de cada um que, de novo, casa com dado momento da vida da escritora. Nem é surpresa que o xodó da época era Orgulho e Preconceito. Na atualidade, isso não é nem um pouco diferente, mas adorei saber mais.

 

Por mais que Jane seja uma eterna incógnita, ela sempre será minha Elizabeth Bennet. A mulher contra as regras da sociedade, crítica, sarcástica e irônica. Sua imagem é reduzida a um retrato de silhueta, mas a ausência de um rosto não torna seus livros menos queridos. De uma escritora anônima por causa do preconceito da época, que ditava que a mulher correta jamais poderia chamar a atenção para si, Austen foi longe.

 

Reef deixa nítido o gosto de escrever sobre pessoas e entrega tudo mastigadinho, pensando justamente no leitor leigo. Ler biografias não é a melhor experiência para muitos, por serem maçantes e longas, mas, no caso de Jane Austen  Uma Vida Revelada, a leitura é gostosa, dinâmica, cheia de referências. Sem contar que o design do livro é lindo! Para compor uma história sobre Jane Austen, a autora fez a lição de casa, e é muito bom captar isso a cada virar de página. Da mesma forma que ler esse gênero pode não ser bacana, nada mais chato que observar que quem o escreveu é uma farsa. Reef se safa dessa lindamente.

 

A leitura é envolvente, ao ponto de fazer quem lê se indagar sobre o que teria acontecido com a autora em incontáveis momentos, especialmente sobre a possível desilusão amorosa. É um “mistério” gostoso de ler, ainda mais quando envolve um autor que admiramos. Jane Austen  Uma Vida Revelada é totalmente indicável para quem quer conhecê-la. É uma apresentação que anula o hábito de dar uma passadinha na Wikipédia.

 

Falar de Jane Austen é tão difícil quanto ler seus livros, mas esse título faz um retrocesso básico sobre a autora em curto espaço de tempo. Não é tão substancial como aparentam outras biografias, mas vale ter na prateleira (já disse que o design é lindo? Então, preparem até ver o resto dessa belezinha).

 

 

Na Prateleira

Título: Jane Austen – Uma Vida Revelada

Autor: Catherine Reef

Editora: Novo Século

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3