Menu:
19/fev

Aprendi uma valiosa lição com este episódio de Chicago Fire: que tramas como esta não podem mais faltar. Embora não tenha tido os 3 típicos chamados, a presença de Pat Pridgen, o novo Chief, e, de quebra, a do venenoso Welch, valeram por qualquer incêndio. Não precisou de muito para que esses dois cidadãos se revelassem como donos das portas do inferno. Quer tornar um ambiente de trabalho desagradável? Contrate figuras como essas.

 

O episódio misturou muito bem os ânimos que transitaram entre o cômico, estrelando Casey e Severide, e o irritante, insuportável, agonizante, etc., graças ao Pat. Welch ficou no canto, fingindo que não existia, até encontrar a oportunidade certa para fincar suas garras. A estrela mesmo foi o novo Chief que pagou de boa pinta na frente do Boden e, assim que sentou na cadeira mais cobiçada de Chicago, se revelou um belo demônio. Aquele sorrisinho mequetrefe não me conquistou por um só segundo e o 1º chamado só serviu para mostrar a fórmula secreta do caráter desse personagem: um cara de mais de 30 anos que ama bullying.

 

Como respeitar, hum?

 

E quem sofreu com isso? Otis! Fiquei muito feliz com o destaque dado a esse personagem, mesmo que tenha sido quase trágico. Adorei a chamada de atenção no Molly’s, porque essas palhaçadas de bullying só têm vida eterna porque tem gente que abraça. O bombeiro foi rei e quase morreu por tentar se provar para um cara que continuou a pentelhá-lo depois do trabalho. Não tiro nem um pouco a razão do Casey em ter chamado a atenção da fera. Pat nem chegou e acha que pode sentar na janelinha. Senta lá, Claudia!

 

O desconforto causado por Pat se estendeu por todo o Batalhão. Um Chief com amadurecimento abaixo de zero. O que foi a hora da vingança no 2º chamado para cima do Casey e do Severide? O que foi a insistência em humilhar Otis? Estava com saudade desse clima de ódio, de agonia, que dá vontade de enfiar as unhas no rosto de um personagem e gritar um monte de palavrões. Por isso que falo que este episódio de Chicago Fire foi ideal. Não teve quase nada na trama, mas pagou com desconforto e riscos.

 

Quero muito que a turma do Batalhão se rebele, porque aguentar Pridgen não será fácil. Como o desejo dele é meramente poder, já prevejo mais um recalcado querendo desbancar Boden. Já não me basta o ódio da temporada passada em mexer com quem está quieto…

 

No fim do dia, aprendemos as valiosas lições sobre Pat: não aceita não como resposta, ama comandar, gosta de ser acatado e já arruinou a liderança em outro Batalhão. Um homem com a síndrome do reizinho, que tudo acha que pode. Certos homens e seus problemas de autoridade.  Não é à toa que nem a mulher quis.

 

Falando na mulher, Beth não tem limites! Até parece que essa mocinha simplesmente abandonará o flerte do dia para a noite. Ela trouxe os primeiros indícios do problema que o Casey enfrentará daqui por diante. Pridgen pode não saber do novo rolo da ex, mas Welch estava no lugar certo, na hora certa. Gosto de vingança vindo aí, pessoal!

 

Com sinceridade, não curti tanto assim o comportamento saltitante do Casey. Ele simbolizou algo que não gosto de afirmar: homens sempre são a parte insensível. Sei que não é todos, mas o personagem me deu essa impressão. Não é à toa que a embalagem de Tenente disponível no mercado está prestes a custar muito caro. O mais bizarro é que ele saiu de um relacionamento “segredado” para entrar em outro. As lições com a Gabby não serviram de nada? Olhem os momentos de provação.

 

Juro que quando Matt cedeu pela 2ª vez a Beth, tive vontade de lhe dar uns tapas. Não sei vocês, mas senti que Gabby nunca existiu na vida dele. Entendo que tempo é tempo, que você pode fazer o que quiser, que você pode experimentar outras coisas, pois, quem sabe, seu caminho com o da pessoa que ama (ou amou) se reencontra… Mas Casey não me pareceu, em nenhum momento, preocupado. Ok que foi Dawson quem sugeriu o término, ela está mais em risco de se machucar que ele, e terá que suportar o que virá logo em seguida. Contudo, o break parece que foi um prêmio de vida ao Tenente.

 

O envolvimento com Beth é basicamente uma reprise. Segredo por segredo. A diferença é que os chefes de Batalhão são diferentes. Boden agiria melhor se soubesse de Dawson, mas Pat jamais dirá amém a Beth. Mesma situação, só que com alguns personagens diferentes.

 

Sendo bem honesta, senti mesmo que Casey não estava mais nem aí, especialmente quando atende a ligação da Gabby na maior falsidade do planeta. Para quem tinha química até demais, Dawsey parecia um casal que nunca aconteceu. Como lidar?

 

É estranho dizer que Severide era o único consciente da situação? Discordei de alguns pontos, mas quem avisa amigo é, certo? Certo! Porém, desde quando o Tenente mais pegador de Chicago se preocupa com limites? O cara me foi para Vegas, casou e só quis curtir enquanto externava o luto pela Shay. Ok que Kelly nunca se meteu numa furada como essa do Casey (mas ele se meteu sim em furadas) e fui totalmente a favor da chamada de atenção. Contudo, o sujo falando do mal lavado não teve coerência. The zoeira never ends.

 

No fim, Casey e Severide se tornaram alvos do Pridgen. Essa brotherhood será testada em todos os âmbitos. Não é à toa que ambos terminaram em detenção, como crianças no colégio. Achei graça! No meio dessa bagunça, tenho que elogiar a lealdade que os Tenentes têm um pelo outro. Nem muito menos deixar de elogiar Matt ao defender Otis. Eu não teria feito diferente. Acho que até daria um show porque sou dessas escandalosas.

 

Fato é: não tem como resistir quando Casey incorpora o barraqueiro.

 

A zoeira está tão longe de terminar ao ponto de vivermos o momento em que Welch é escalado para trabalhar no mesmo Batalhão das pessoas que infernizou. Redenção? Torná-lo melhor depois da burrice que quase custou o trabalho de Cruz e a vida do Molina? Que nojo! Inclusive, tenho a impressão que ele só está ali para ser olheiro do Pat. Não é a primeira vez que temos um espião no meio da galera e Pridgen deixou meio claro que empacará o retorno de Boden. É impossível que o “Chief” não tenha ficado por dentro do ocorrido com Cruz. A repercussão foi altíssima. A escolha do Welch não foi aleatória e, agora que ele sabe o segredo não mais segredado do Casey, já se nota quem é que sofrerá daqui para frente.

 

Sem contar que o alvo do Welch é a Gabby. Praticamente, o cara a stalkeou o episódio inteiro. Inclusive, só sabia cutucá-la sobre o relacionamento – que não existe – com Casey. Não sei se vocês captaram isso, mas havia uma áurea sobre a cabeça do personagem que piscou a mensagem “estou tentando galera”. O bombeiro atuou bem ao lado de Severide e quebrou uma regra para salvar Otis. Porém, essa impressão esmoreceu quando esse sacana deu com a língua entre os dentes sobre Matt e Beth, como não quer nada, para cima da Dawson.

 

De duas uma: ou foi maldade ou porque está a fim da Dawson. A tranquilidade com que Welch anunciou a fofoca quente de Chicago me fez rir demais. Impagável! A expressão de cachorro molhado, todo migs, depois de todas as mancadas… Só faltava esse senhor ter um amor enrustido por ela. Já que o Batalhão está em clima de High School Musical, capaz desse plot vingar no estilo: menino provoca birra na garota por secretamente amá-la. NÃO!

 

Antes de finalizar, preciso rasgar seda para a Sylvie. Tenho meus direitos! A cada episódio essa mulher me representa e, dessa vez, não foi diferente. Quando Celia vai atrás da paramédica e pede o número de celular, imaginei que teríamos uma situação de obsessão. Brett salvou a menina e, por carência, ela fica aficionada. Fiquei surpresa com o norte desse plot que acabou por revelar um pouco mais da não mais novata em CF. Gosto de histórias do passado. Cruz foi um amor, como sempre é, em apoiá-la, e achei demais vê-la querer dar um pouco de conforto para a adolescente, só porque não contou com o suporte dos pais.

 

Porém, não tiro tanto a razão da mãe, pois há adolescentes que não sabem o valor das coisas e simplesmente precisam aprender do jeito mais difícil. Quero nem ver essa senhora dando a louca para cima da Sylvie.

 

Gente, estou embasbacada com a quantidade de falas que o Capp tem recebido desde o episódio passado. Ele está falando bem mais que o Mills, percebam!

 

E vamos para mais um capítulo Chicago Fire High School.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Daniela Messias

    Heey Girl s2*
    hahahahahaha ñ duvido! Se a série ter suas dezenas de temp's, é isso mesmo q vai acontecer!
    Ridículo! Ta merecendo uns sacodes p ver se acorda…run
    Foi perfeita mesmo! e ele falou com uma naturalidade tão grande! mais ou menos como "olha, eu acredito em vc! mas desculpinhas a parte, seu ex está ficando com outra fulana e está amando!" noossaa hehe Agora só esperar p ver se ele continuará "mendingando" nossos likes rsrs
    O Otis é tão amor *-* dai vem um troglodita se achando até umas horas..mais vai!
    Espero mais ep's emocionantes com a Sylvie! e claro, p ñ fazer desfeita, deixa o Mills participar!! hahahahah
    beijoos*

  • heyrandomgirl

    Oieeeee, Daniela! <3333

    Hahahaha Gente, tá demais! Até consigo ver Casey e Severide cantando "Together, together, together everyone" ai parei! hahaahahahahahahah

    Não foi? Qdo o Casey atendeu a ligação com aquela expressão tipo "WTF essa mina doida me ligando, não aceitou que acabou"? Meu Deus, o sangue subiu na testa!

    Cara, achei a cena da descoberta MTO perfeita! A presença do Welch, como se tivesse de passagem, falando o maior babado do dia. MINHA MORTE! Detesto ele, mas o mané merece um elogio por ter sido responsável pela informação. Tomou meu like!

    Esse Pat tá na hora de partir dali! Ngm mexe com Otis! Meu maior xodó dessa série <3 Folgado demais da conta.

    HAHAHAAHAHAH mas, gente, alguém ainda lembra do pobre do Mills? Só tem o 2º chamado da ambulância e olhe lá!

    Sylvie deusa! <3

    Beijosssss!

  • Daniela Messias

    Chicago Fire High School foi o melhor! hahahah s2
    Olha, eu poderia concordar mais e mais sobre o q vc disse de Dawsey. Nem parece q existiu amor, reviravoltas e tals entre o casal..sei lá. E achei ridículo quando o Casey atendeu o telefone; aff q cínico -_-
    Pode me chamar de maldosa, mas achei suuper bem feito p o Casey a Dawson ter descoberto a verdade! Ainda mais através do cínico²/Welch
    Pat Pridgen, vulgo idiota, foi tão bléé! Por mexer com o Otis ( <3 ) e por se acahar capaz de tirar o lugar do Bolden! Aah coitado…
    Fato: Sylvie está saindo melhor que a encomenda! ^^
    Sobre o Capp ter mais falas q o Mills: rindo até 2016 (como dizem) hahahah
    beijoos!