Menu:
05/fev

Não sei se grande parte de vocês compartilham a mesma impressão que eu, mas esperava um pouco mais deste início de crossover entre Chicago Fire e Chicago P.D.. Sinto-me até culpada de pensar assim, mas é fato que o episódio teve seus momentos. Minha expectativa elevadíssima estava prontinha para ver sangue circulando, sem parar, uma ideia que foi substituída por uma tremenda carga emocional dos personagens. Não curti os plots paralelos, pois desequilibraram a proposta da trama: trazer justiça à memória da Shay. Não que eu quisesse 40 minutos focados somente na paramédica, mas esperava um ritmo mais acelerado.

 

É fato que o lado emocional dessa história morava em Chicago Fire. Nada mais sensato que explorar esse caminho de novo, especialmente quando temos Severide e Gabby envolvidos. Porém, queria ver todo mundo arregaçando as mangas e fiquei meio passada com os chamados que se desenrolaram, pois não tiveram nada a ver com o incendiário. Só serviram para cutucar Dawsey e para fazer Megan nos derrubar com um balde de nostalgia. Seguraram muito o caos e não quero pensar que a resolução será esmagada brutalmente em P.D..

 

Mesmo com essa minha evidente insatisfação, o episódio atingiu o seu objetivo: dar rosto e voz ao incendiário. Nesse quesito, não me decepcionei, pois estava ansiosa para (re)ver o Robert Knepper, que sempre samba horrores como o mother fucker da história.

 

A trama começou quente e fiquei superempolgada. Sentimento que se dissipou conforme o andar da carruagem. Severide arrasou, todo decidido em dar cabo à investigação, focado em capturar o paspalhão do incendiário. Foi sensato deixá-lo empenhado nessa fatia da história. O Tenente incitou todas as emoções atreladas à memória de Shay e muito me admirei com a compostura dele em meio a uma situação extremamente desconfortável. Na medida do possível, o personagem manteve a cabeça erguida e o sangue frio, duas tarefas impossíveis se pensarmos no tipo de relação que ele tinha com a paramédica. Só para os fortes!

 

A maneira como Severide segurou as pontas me surpreendeu, como ele tem me surpreendido no decorrer desta temporada. Sempre aposto que o lado infantil dele aflorará em situações de pressão extrema e ele tem me provado o contrário. Acredito que o personagem é um dos poucos com uma boa evolução na trajetória da série e muito me espanta admitir isso (porque nunca fui com a cara dele e ainda rola certos momentos de antipatia). Ignorando a palhaçada que foi Vegas, o bombeiro está muito bem para quem amava sair pela tangente ou ser inútil.

 

Foi demais o reencontro Severide e Kevin. Ambos criaram um climão pesado, áspero e doloroso. A forma do bombeiro em lidar com outro maluco foi preciosa, porque ele tinha tudo para voar no pescoço desse cidadão. Considerando tudo o que passou depois da perda de Shay, o Tenente merece 5 estrelas, especialmente no quesito amadurecimento. Tava aí uma pessoa que eu esperava que fosse parar no Alcoólicos Anônimos ou se perder em atitudes incorrigíveis por causa do luto. Continue assim e seremos bons amigos.

 

Kevin foi uma surpresinha conveniente. Arrepiei-me com a mensagem no recorte de jornal. Um disparate! Melhor que isso foi a amarração da trama que, para dar respaldo ao que aconteceu com Shay, resgatou e entrelaçou outros incêndios. Inclusive, aquele que deu razão a 1ª temporada de Chicago Fire. Vocês não fazem ideia da minha expressão de choque quando Boden anuncia a que ponto o endereço do envelope se referia. Vocês não fazem ideia do quanto quis pegar Mills para dar um abraço. Cena intensa e que resgatou a linha tênue que havia entre esses dois personagens. Juro que bateu vontade de rever todas as temporadas para analisar quais incêndios seriam culposos ou acidentais. Dica de lição de casa quando o hiatus chegar.

 

O que falar sobre Adrian? Genial! Dissimulado! Saudade de vilões assim, tanto em Chicago Fire como em P.D.. São os melhores! Ri muito da cara de pau desse senhor, chegando de mansinho para perto de Severide, cutucando antigas cicatrizes. Quando ele me senta para fazer um lanchinho, pirei, absurdamente. Adoro o ator e estou contentíssima com o calibre do personagem. Gente, que delícia (e que ódio)! Atuação impecável e arrepiante. Esse cidadão é minha fonte de ânimo para o que deve ter acontecido em CPD (ontem no caso).

 

E o que falar sobre Megan? A personagem serviu para reviver a memória de Shay enquanto Severide tentava trazer justiça. Os revivals contados por ela me deixaram sem vida. Outra sacanagem acarretada pela presença dela foi o foco nas fotografias da ex-paramédica na parede do Batalhão. Um apunhado de lembranças que poderiam ter deixado o agridoce na garganta ainda mais intenso se flashbacks viessem à tona, como no 3×01.

 

Achei-a meio arrogante no começo, como se marcar presença ali fosse um tremendo favor. Ainda bem que foi só impressão. Foi emocionante a cena dela com Brett e Mills, no chamado dos paramédicos, e foi ainda mais emocionante o que Peter disse: Shay só se importava em fazer os outros sorrirem. Onde aperta para trazer essa mulher de volta?

 

Claro que o maior tiro do episódio foi a cerimônia em homenagem a Shay e fiquei muito satisfeita por ela ter acontecido no final. Esse tipo de cena tem sido a causa da fraqueza do meu coração desde que comecei a assistir Chicago Fire. Não consigo lidar. Boden nem tinha começado a falar e eu já estava aos prantos. A compostura de cada personagem, os olhares distantes para não pensar que, oficialmente, davam adeus a Shay me deixaram destruída.

 

O discurso da Gabby foi maravilhoso e lamentei por Severide não ter feito um (sendo que seria mais justo, desculpem). Porém, o bombeiro ficou com o golpe final: revelar o nome da BFF gravado na ambulância. E, para matar, Megan aos prantos aceitando a bandeira. Não tem como ter vida depois de uma cena dessas.

 

O mundo paralelo

 

É oficial agora: Dawsey acabou. E, se querem saber, estou feliz! Quando os dois se unem no final do episódio e tem aquela conversa super de boa, relembrei dos bons momentos que ambos tinham até metade da 2ª temporada. Percebi que esses eram os momentos que me faziam amar os dois juntos. O bom disso é a folga que o romance deles trará a trama, pois, vamos combinar, esse relacionamento engoliu tudo e todos. Já era tempo de dar uma pausa. Porém, deixo registrado que não me apetece o futuro da storyline do Casey.

 

E o que foi a Gabby chamando Casey de baby? Juro que a expressão dele de WTF? me representou. Dawson me deixa feliz em alguns momentos, mas, quando ela engata a poker face, dá vontade de arremessá-la na privada. Tenho que dizer que não achei interessante a personagem ter sido a responsável em pedir um tempo na relação. Tinha que ter sido o Casey. Ele se empenhou tanto em ser babaca… Poderia ter sido mais um pouco.

 

Às vezes, me gasta esse endeusamento da Gabby. Maior fonte de reclamações de quem assiste a série e concordo totalmente. Nem todas as iniciativas do mundo precisam ser dela.

 

Otis e Cruz: necessários, porém, desnecessários. Amo os dois, mas a falta do que inventar para alguns personagens nesta temporada muito me incomoda. Foca na Zumba!

 

Concluindo…

 

No fim das contas, Severide foi responsável pelo material que cairá na mesa do Voight. O episódio em si só teve a intenção de cavucar o bruto da investigação. A praxe. Afinal, bombeiros não podem fazer além do que foram treinados. Claro que foi tremendamente revoltante escutar que Adrian continuaria a desfilar por aí e quase capotei quando Gabby me sai do Molly’s decidida e pede ajuda para Antonio. Só não foi a melhor cena do episódio porque aconteceu o memorial da Shay.

 

O que isso significa? Que Voight e sua gaiola entrarão em ação. Não sei vocês, mas sinto que Adrian sairá bem dessa, hein? Seria ótimo para a trama, adoro lacunas, mas seria injusto com a memória de Shay. Vamos aguardar!

 

PS: quero ser miga da Brett!

 

PS: Nunca assisto os crossovers ao mesmo tempo. A não ser SUV e CPD que passam no mesmo dia. Obedeço a data de exibição para manter as resenhas em dia (explicando algumas colocações).

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3