Menu:
12/mar

Definindo este episódio em uma palavra: estressante. Sou uma pessoa que aprecia assuntos judiciais, embora não tenha me formado em Direito. O julgamento de Ali pode não se aprofundar, mas já se tornou um dos meus momentos favoritos desta temporada. A nova situação da Rainha da Maldade tirou a trama da mesmice e, acrescido a isso, continuamos a lidar com a lacuna confusa entre Mona e A. Quando pensamos que algo está certo, lá vai alguém quebrar a “verdade”. De novo, só me restou um cérebro fora do lugar.

 

Foi bem interessante a maneira como este episódio foi conduzido, pois foi a primeira vez que vemos um caso policial realmente ir pra frente. Para uma cidade que todo oficial/detetive é corrupto, que a lei não vinga e que pais saem da cidade deixando as filhas à mercê da sorte, ver Ali sentadinha no tribunal foi um deleite. Não digo isso por maldade, mas porque deu novos ares ao caminho rumo a mais um season finale.

 

Por mais que tenha havido uma pista, as coisas se desenrolaram sem pressionar tanto a ideia de que possivelmente descobriremos quem é A. As situações foram bem sólidas e contrabalancearam o papel dos outros personagens que não deixaram a sensação péssima de que não aprendemos nada em 40 minutos. Até porque, não há mais nada para aprender. Para um fim de temporada, essa inovada é importante, ainda mais se considerarmos mais 2 anos de PLL. Marlene é criativa, tem um gosto incrível para filmes e livros, e mudar um pouquinho o cenário antes da revelação do pop foi bem agradável.

 

Adorei os paralelos entre Hanna e Ali. Um perfeito conflito entre verdade vs. mentira, mas de um jeito diferente ao que estamos acostumados. De um lado, a Rainha da Maldade continuou a insistir em relatar o que de fato aconteceu desde que retornou a Rosewood e caiu do cavalo ao ser barrada de novo. Agora, não é mais uma questão de veracidade, mas de convencer o júri a lhe dar o benefício da dúvida. Do outro, a Liar se ateve a própria dignidade e não caiu na de Ashley que frisou a conveniência da mentira para tirá-la do xadrez.

 

Melhor que isso foi a dinâmica das duas na prisão. Gostei muito. Reforçou a impressão de que, possivelmente, não haverá saída para ambas. Achei que essa mistura não vingaria, considerando o que já aconteceu entre elas. Especialmente por parte da Liar que teve seus complexos ativados assim que Ali retornou para Rosewood.

 

Enquanto o tempo de Hanna e de Ali parecia congelado, a corrida contra o tempo continuou entre as Liars que ainda não foram convidadas a ocupar a cadeirinha das testemunhas. Ainda não e acho que seria um espetáculo. Justamente porque ficou meio claro que A é a/o advogada/o do diabo, dona/o de todas aquelas informações transmitidas apenas com o intuito de destruir o “conto de fadas” de Ali. Morri mil vezes quando o affair entre Jason e Ahsley veio à tona, com exclusividade, o que deu veracidade para a presença do enigmA.Seja lá onde o advogado de acusação arranjou as informações, o “vazamento” rimou com o sarcasmo de A que não perdeu um só instante de se gabar sobre sua possível vitória. Se Marlene cumprir parte do que prometeu, será o maior barato ver a expressão de choque quando as Liars puxarem o tapete dessa sombrA. Será um tombaço!

 

Um tombaço que queria muito que fosse dado por Spencer. Considerando tudo que ela passou desde a 1ª parte desta temporada, é fato que o antes voltou a atormentá-la. Peter dará as caras em breve, e fica mais fácil ainda captar que a Liar não está segura. A personagem ainda está no radar e Tanner nunca escondeu o desejo de abocanhá-la. Nem mesmo Gabe. A insegurança impregnou nos arredores dela, ao ponto de Veronica surtar com toda razão.

 

Pergunto-me se Bethany será comentada ao longo do julgamento, pois foi, em parte, o que nos trouxe até aqui. Foi essa cidadã que deu rumo às meninas. E vale lembrar da visita ao Radley, um dos motivos que deve ter impulsionado a morte de Mona. Se é que ela morreu…

 

No meio de toda essa tensão, o nome Varjak continuou na roda, só que com um pouco mais de força. Nem consigo chamar esse cidadão de A, pois chegamos a um ponto que é bem possível Mona retornar e se revelar como A de novo. Algo que não me espantaria, considerando que é PLL, vamos ser francos. A essa altura do campeonato, o enigmA terá que ser muito top, pois, como venho dizendo, não há oferta de personagens.

 

Seja quem for, o caso que montou está redondinho, sem falhas, mas vamos recordar de algo muito importante falado no começo deste episódio: uma pessoa do júri é o bastante para quebrar toda a suposta veracidade que faz de Ali culpada. Na hora que esse povo entrou em cena, busquei um rosto conhecido, mas acho que será uma inserção de última hora… Ou não! Só sei que o interrogatório tem como intuito destruí-la de vez. A Rainha da Maldade está de mãos atadas por causa das próprias mentiras e A explorará mais isso.

 

Até porque seu objeto de desejo não aceitou o apelo. Queria muito que fizessem um retrocesso da 1ª temporada até agora, mas será muito difícil. Vale um comentário sobre a morte de Shana ter sido resgatada mil anos depois. A justiça tardia de Rosewood e que sempre falha.

 

As dúvidas entre A, Mona e Varjak têm rendido uma bela confusão mental. Muito raciocínio. Tenho gostado dessa rápida quebra de probabilidades, pois PLL sempre estende o que não é para estender, e fico aliviada que estejam respeitando o timing do season finale que vem aí. Este episódio me fez retornar a algo que comentei há muitas resenhas atrás: Mona é um gênio e jamais deixaria as Liars na mão. Posso muito bem duvidar do plano dela em querer se fazer de morta – e acabar sendo bem-sucedida nisso, vai saber -, mas é fato que, tendo em vista a fita de Bethany, deve haver muito mais naquele quarto. Uma sensação que calhou comigo desde que Hanna recebeu a planta (fraudada) da casa de Ali.

 

Spencer sempre foi sagaz e é bem provável que a personagem diluirá a charada de uma pessoa que sempre combateu em inteligência. Vale reforçar isso com o comentário de Andrew sobre Mona: ela gostava de criar planos, mas amava mais o crédito depois de concretizá-los. A gênia meio que falou isso no flashback com Mike… Que se desvendasse Big A sairia como heroína de tudo e todos.Deixar pistas para as Liars em lugares que A jamais imaginaria me fez pensar que a sombrA é um homem. Posso estar enganada, mas é algo a considerar já que Spencer encontrou o que pode ser a última dica da temporada escondida no espelho.

 

A pista ali na cara do gol e A buscando justamente em lugares lógicos como os livros e as bonecas. Afinal, são as coisas que faziam Mona ser Mona. Sabe de nada, inocente!

 

Além dos mistérios de Mona, os anúncios de Ali situaram o comprovante da pizzaria. Até que se prove o contrário, Varjak é real e falava com ela. O dilema é que pode ser coisa de A também. Ou de Mona, como a personagem bem pontuou. Há três pessoas envolvidas nesse mistério que podem ser as mesmas ou não. E isso só aumenta minha confusão mental, porque já nem sei mais aonde esse bafo começou.

 

Pior é que consigo ver perfeitamente o resgate de histórias que geral esqueceu para dar respaldo a mais um fim de temporada.

 

Ali pareceu honesta sobre a história dos anúncios, mas o que chamou a atenção foi a conversa via SMS com essa pessoa anônima, algo que Spencer teve o tato de investir, já que não houve retorno verbal quando Ems discou o número do recibo. A impressão de que Varjak e a Rainha da Maldade se conhecem diminuiu um pouco, só por causa do quesito lealdade, algo que frisei nas últimas resenhas. Está certo que não confio 100% nessa moça, mas não há motivos para criar mais mentiras. Até porque não daria sustento ao propósito dela em querer dizer a verdade para se safar.

 

A não ser que a dondoca conheça a pessoa por detrás do anúncio e esteja pagando de protetora. Um detalhe que também não me espantaria por ser bem a cara dela fazer isso.E tem o livro que A ou Varjak ou Mona usou para atrair Ali. Adorei a perspicácia de Hanna, pois me fez lembrar do trabalho dela com Lolita junto com Spencer.

 

Momentos de estranheza 

 

De novo: eu com meus problemas com relação à Aria. Bizarro demais ela ter recebido a mensagem de A ou de Varjak, sendo que o contato de Spencer nem foi por meio do celular dela. Gente, se essa menina tiver um dedo no “A” Team, abrirei uma champagne! Mas tenho certeza que é trollagem da Marlene, porque ela sabe das mil teorias em torno dessa Liar.

 

Mas a estranheza aumentou quando Aria sugere fazer compras em vez de pensar em um meio para entrar na casa de Mona. Tão estranho quanto Andrew dizer que a morte da gênia foi um favor ao mundo para depois se retratar com indiretinhas sobre “lhe dou uma carona se você for xeretar a casa alheia”. Ainda quero acreditar que esse menino não tem a nada a ver com Varjak. Seria a coisa mais ilógica ever. Talvez, não tanto quanto o Lucas, mas…

 

E eu quero acreditar que Aria só se comportou assim por ter concordado por meros instantes com Andrew, mas daí temos Caleb. Só eu achei a olhadinha dele para cima da Liar muito nonsense? Mais estranho que isso foi a maneira como o personagem tirou o celular da mão dela e, depois, ficou todo estranho, atraindo a atenção de Spencer. Quando ambos ficaram a sós, meu nariz colou na tela, esperando que esse cidadão fosse dizer algo sobre a Aria. Chateada!

 

Até votaria nele como A ou membro antigo do “A” Team por ser o único que manja de tecnologia.

 

Mas deixo as perguntas: a troca de olhares com Aria seria de cumplicidade ou de “eu sei que você fede, miga?” Ou apenas preocupação com Hanna? Não sei não…

 

O que pensei: Aria sempre foi meio que a favorita de Mona no quesito mentiras e tramoias. Caleb pode ter algum envolvimento com Ali, algo que fez parte de spoilers e de teasers do começo desta temporada, mas nada vingou. A única coisa que provocou curiosidade foi a olhadinha entre a Rainha da Maldade e ele no dia em que a casa do Toby explodiu, só.

 

Vale lembrar do cochicho entre Mona e Aria que nunca foi revelado. Vale lembrar também que A ou Varjak é irrastreável, algo que Caleb faria sem um pingo de dificuldade. Por falta de personagem, é mais fácil suspeitar daqueles que ainda estão em cena…

 

Bem perto do fim, me pergunto onde está o resto do cast de PLL. Fizeram tanta questão da Sydney para silenciá-la. O mesmo Jenna, que aceitou fazer parte do exército de Ali e sumiu. Até mesmo Lucas está em falta, considerando que ele foi braço direito da Mona. E a tal Sara Harvey? Acho que pecaram muito nesses quesitos, mesmo objetivando uma surpresa no finale.

 

Agora, vocês decidem: haverá alguém que ajudará Ali no júri? Cyrus está vivo? O que significa a charada da Mona? E a ferramenta que não demorou a se tornar uma nova evidência?

 

Em breve em Pretty Little Liars… Ou não!

 

PS: acho que a charada de Mona nos levará até a dollhouse. Covil e lista do líder? Cara da Mona. Ou A. Ou Varjak…

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    É tanta teoria que já tô confusa hahahaahha Agora tô evitando ao máximo ler, porque me atrapalho toda. Mas jura que enfiaram ele tbm? Aff, sou mais o Peter para ser A se for chutar o balde desse jeito hahahhaha

  • Livia Corigliano

    Nega, vc viu as teorias de que as frases são um quebra-cabeça pra Charles Dilaurentis?