Menu:
01/mar

Se vocês não sabem, este mês, chega às livrarias, pela editora Novo Século, Ligações (Landline) da Rainbow Rowell. Assim como foi feito com Fangirl e Eleanor & Park, eis algumas coisinhas que vocês precisam saber sobre esse livro que tem tudo para ser tão amado quanto os anteriores.

 

O primeiro insight para Ligações foi, óbvio, um telefone. Mas a partir de que ponto a premissa foi desenvolvida? A inspiração inicial para o enredo deste livro foi essa: uma história sobre uma mulher que perde o celular e toda sua vida despenca, o que, para Rainbow, soou como uma ideia clichê. Clichê porque a escritora pensou na sua relação com o celular e como ela encontraria outros meios de continuar “sobrevivendo”, caso o perdesse.

 

No fim, o pensamento foi alterado: uma mulher que, dessa vez, tem um telefone que a conecta ao passado. Por ter perdido o celular, a personagem teria que usar um modelo fixo. E é aí que a magia começaria a se desenrolar.

 

Ligações foi lançado lá na gringa em 2014. Dessa vez, os adultos são o público-alvo, o que fez Rainbow percorrer o mesmo estilo narrativo de Anexos. A história traz Georgie McCool, que está consciente de que seu casamento anda de mal a pior. Ela ainda ama o marido, Neal, e o sentimento é recíproco. Porém, por ser roteirista de TV, a personagem passa justamente a semana de Natal mergulhada no trabalho enquanto o marido viaja com os filhos.

 

O fato a faz se indagar se o relacionamento atingiu um ponto crítico. Ao descobrir um mágico telefone fixo, Georgie se conecta com o Neal do passado e tem a chance de salvar o seu casamento – ou preveni-lo de algum problema que poderá acontecer. Um reencontro que se torna um meio de saber se eles teriam dado certo se o casamento nunca tivesse acontecido.

 

Dentre os personagens, o preferido de Rainbow é Seth, o parceiro de escrita da Georgie. De acordo com ela, um cara interessante que, mesmo assim, você não quer namorar. Ele só é um bom amigo e um bom parceiro de trabalho. Só! A relação criativa o torna um apoiador e um encorajador da protagonista. A autora se divertiu ao escrever as falas dele.

 

Porém, no fim de tudo, quem a surpreendeu foi Heather, a irmã de Georgie, personagem que a autora não tinha planejado muito. No fim, ela se tornou muito significativa. Sem dúvidas, aquele tipo de personagem que se cria o plot conforme se escreve.

 

Escrever Ligações foi uma experiência diferente para Rainbow em comparação às aventuras dos outros livros. Tudo porque a personagem principal tem a idade próxima da dela, os sentimentos que sempre buscou no passado se encontravam no presente, e a relação de Georgie e de Neil é um espelho do que viveu nos últimos anos – ela a pessoa com a carreira enquanto o marido tomava conta dos filhos.

 

A editora Novo Século já liberou a capa e a sinopse oficial:

 

GEORGIE MCCOOL sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.

 

Talvez sempre esteve em segundo plano.

 

Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.

 

Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.

 

Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…

 

Será que é isso mesmo o que ela deve fazer?

 

Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?

 

E lá vamos nós mergulhar mais uma vez no poder do arco-íris!

 

A Semana Rainbow Rowell se encerra por aqui com grande aperto no coração. Espero que tenham gostado! Ano que vem, prometo que terá muito mais. <3

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Não consigo me referir aos livros da Rainbow em português. Se tivesse lido na nossa língua antes, quem sabe. Acho que o problema mesmo é Anexos e Ligações, porque os demais não mudou. E Landline, sendo Landline, é vida <3 hahahahaahah

  • Mônica Oliveira

    "Landline" é um nome muito mais chique do que "Ligações". Quero em inglês, socorro! Hahaha