Menu:
15/mar

Há 2 anos, foi ao ar um episódio chamado Bring it On que nos trouxe o primeiro dia de uma Elena desligada. Só consigo lembrar da vergonha que senti. Por ter esse sentimento não tão peculiar comigo, imaginei que sentiria o mesmo com Caroline. Posso não ter ficado com vergonha alheia, mas aplico essa mesma palavra aos 10 minutos finais. Como já comentei incontáveis vezes por aqui, The Vampire Diaries tem uma lei em que mulheres precisam depender do sexo oposto, o que resulta em ações infantis que as fazem retroceder e não amadurecer.

 

De uma maneira geral, este episódio foi uma readaptação superior ao 4×16. O começo foi agradável, pois Caroline sem humanidade, tendo em vista as partes em que ela estava de boa, virou a Caroline da 1º temporada. Arrisco a dizer que essa moça conquistou nuances da versão dos livros. Peguei-me sorrindo algumas vezes, crente que a ideia vingaria de maneira positiva, já que com Elena tudo foi um fiasco. Adorei o jeito intragável, com aqueles típicos instintos de frenemy lançados contra a BFF. Somado a isso, houve os comportamentos destrutivos, arredios e fúteis. Normal e bacana. Nada do que reclamar!

 

Foi uma “repaginada” que ficou de bom tom, típica, e que me deu a impressão de que a vampira seria incrível – e melhor – sem humanidade. Apesar disso, não vejo com empatia essa “novidade” de mais uma personagem feminina desligada. Simplesmente porque não entendo a dificuldade dessa turma em não superar as coisas do jeito que tem que ser. Como disse na última resenha, Caroline tinha tudo para seguir um caminho oposto, enfrentar o luto da mãe com dignidade, principalmente por não aceitar covardia.

 

Por mais temerosa que estivesse por causa desse plot repeteco, o salto de Caroline teve força por ter se apoiado na personalidade que nos foi apresentada no início de TVD. Ao contrário de Elena, que acabou sendo uma cópia malfeita dos trejeitos da Katherine, ela brilhou e fiquei assustada por, a princípio, ter gostado.

 

Sem dúvidas, Caroline apareceu nos seus primeiros momentos com muita personalidade em comparação à Elena que fez o que fez sem humanidade por birra. Esse eco maligno da personagem deu certo até metade do episódio por não terem fugido tanto do que ela é quando está na bad. Ao contrário da Santa Gilbert, que conseguia sentir recalque dos outros, Miss Forbes estava mesmo desligada, não hesitou um só momento, ao ponto de realmente ficar assustadora. Amaria que essa versão tivesse sido introduzida na série desde o começo, pois sou muito fã da megera dos livros.

 

Mas, como tudo que é bom dura pouco, a coisa desmoronou. Por qual motivo: shipper. E tudo o que eu queria era que Caroline pagasse com juros o que Elena provocou no 4×16. Aí sim acharia o maior arraso e seria digníssimo. Porém, não foi isso que aconteceu…

 

Elena vs. Caroline

 

Quando Elena estava sem humanidade, o grande problema foi algo chamado recalque. Por mais que jurasse que não sentia nada, ela mastigava ciúme e inveja, de um jeito nada saudável. A vampira não hesitou em espancar e quase matar Caroline, lembram? O que aconteceu quando a personagem se voltou para si foi o que comentei na resenha anterior (e na do 4×16): ela virou um eco mimado. A cidadã dizia que não estava nem aí, mas tudo que desencadeou foi para prender a atenção daqueles que sabia que se preocupavam.

 

O eco de Caroline foi bem light nesse quesito. Por isso tive esperança de que ela seria melhor, pois a vampira abriu o episódio arrasando e segurou as pontas até passar dos limites.

 

Quando digo que o problema da Elena desligada foi recalque é porque ela só teve foco em uma pessoa: Caroline, a garota loira e perfeita, que choramingava por Tyler e que estava prestes a ser a nova Lexi de Stefan. Inclusive, a vampira quis chamar a atenção. Ela deixou a amiga despencar no concurso de líderes de torcida por bel prazer, como também a estapeou. Sobrou até para a Liz. A Santa Gilbert também falou para a BFF se desligar para parar de ser mimizenta, algo que Caroline falou para Stefan. Todo esse caos tinha que ser retribuído com louvor, já que havia espaço para reviver e explorar os paralelos entre ambas.

 

O outro problema de Elena desligada foi quando ela notou que tinha a chance de fazer o que bem entendesse. A personagem sempre foi a rocha de muitos e, sem humanidade, ela não queria mais ser vista como a certinha. Essa era a essência da sua personalidade que se empenhou em destruir, porém, terminou em vergonha alheia. A Santa Gilbert queria ser picante e perigosa. Para isso, se submeteu a situações humilhantes. O impasse dessa doida foi dentro de si mesma e sabemos disso ao vermos o quão descaracterizada ela ficou no fim das contas.

 

Caroline se desligou muito consciente do que queria, ao contrário de Elena que cedeu em altíssima negação. Miss Forbes sem humanidade realçou todos os defeitos que adoramos um dia. Até Bonnie reconheceu isso. Plec e Dries tinham a faca e o queijo na mão para deixá-la e mantê-la um patamar acima da Santa Gilbert, pois o encadeamento dela voltada para si foi positivo até chegarmos na rave. A vampira segurou boa parte do episódio e conseguiu convencer de que tinha o dark side sob controle. Um confronto que a Santa Gilbert se entregou de cara.

 

Almejar uma repaginada não faz mal a ninguém, especialmente quando se quer quebrar o antes para ter um depois melhor (claro que seria mais decente se ninguém se desligasse, mas…). A Santa Gilbert tentou isso, mas fugiu demais da própria personalidade. Porém, colocando na balança, a covardia dela sem humanidade foi impulsionada por um conflito interno. Ela quis aceitar sua nova condição de vampira – algo que estava em conflito – e a perda de Jeremy (que foi o acúmulo de todas as mortes que assistiu e não reagiu na hora). Por mais que tenha sido irritante, a personagem queria um caminho de volta, mas não antes de saber do que era capaz.

 

Não é à toa que, ao contrário da Miss Forbes, Elena sentiu até demais para quem estava desligada. E não é fome ou desejo de matar a que me refiro, pois faz parte do vampirismo. Mas insegurança que foi acobertada com insolência. Por querer ser a melhor, erraram na mão por motivos de Katherine.

 

No caso de Caroline, não tinha ponto de referência, a não ser a versão da season 1. Deu quase certo.

 

A diferença gritante entre as duas foi na decisão final que, claro, deu/dará aval para os plots que abrirão caminho rumo ao season finale. O que deram para Caroline fazer foi decepcionante. Matar Sarah, ok, mas fazer Stefan desligar? Really? Chegamos a esse ponto para “unir” um casal, gente?

 

Caroline tinha tudo para ganhar 5 estrelas por ter controlado a si mesma e as situações que criou. Ela foi realmente uma mestre ao assumir a trama, sozinha, não como Elena que forçou a barra o tempo todo. Accola estava impecável. Os acontecimentos transcorreram naturalmente, até o absurdo de forçar Stefan desligar a humanidade vir à tona. Faquinha de rocambole, cadê você?

 

Entendo perfeitamente que ao desligar a humanidade suas atitudes e seus comportamentos mudam. É o momento em que o vampiro é realmente vampiro porque sua real natureza se manifesta. Contudo, foi demais ver uma personagem anteriormente cri cri ao extremo ser o que mais odeia: covarde.

 

Sim, gente, essa pessoa aí embaixo é o tapete Stefan, novo artigo de luxo para sua casa

 

O resultado: Miss Forbes abriu brecha para uma possível descaracterização fulminante. Não tenho dúvidas de que ela retornará ao juízo normal completamente estragada, pois as mesmas mãos que destruíram a Santa Gilbert, esmagarão a essência da Caroline. Se não já esmagaram…

 

Gente, nem a Santa Gilbert, que acabou com a raça do Stefan na 4ª temporada, foi tão baixa. E olha que ela tinha muitos motivos para detoná-lo por estar de saco cheio dele. Caroline provocou um dano com extrema autoridade sendo que não tem metade da sintonia que a BFF tinha com esse cidadão. A vampira não tem essa moral toda não, gente, especialmente quando resgatamos Klaus, a única pessoa que realmente tinha razão e poder para fazer o Salvatore se desplugar.

 

Eis a separação decisória entre Elena e Caroline: Santa Gilbert se juntou ao Damon para viver a liberdade que se negou quando era humana. Ela traiu e cuspiu no Stefan sentimentalmente e Miss Forbes acabou com o Salvatore moralmente. Corrompeu o caráter, apunhalou pelas costas, pisou em cima e o fez ser o que mais odeia: ripper.

 

Mas a minha conclusão é a mesma: inventem outra mulher para o Stefan ou o deixem em paz.

 

O único ponto positivo que tiro duramente disso é que Caroline provou que desligou bem desligada. Elena ainda pensava e Miss Forbes provou que realmente queria 1 ano sem sentir nada ao ponto de não retroceder ao encomendar a morte de Sarah. Porém, foi covardia de dois níveis, né? Se a loirinha estivesse tão fria como aparentou, deveria ter matado a sobrinha do crush pessoalmente. Nem tudo é perfeito!

 

Para não dizerem que sou injusta, Caroline sendo maldita no final, na companhia do Stefan desligado, foi awesome. Mas nada apaga a humilhação que ela provocou contra ele.

 

Agora, Stefan e Caroline passarão um bom tempo juntos, mas de que adianta torcer? Afinal, um romance sem entrega emocional não é um romance, ué. Quanta solidez.

 

O que eu realmente queria, e até mesmo esperava, é que Caroline retribuísse tudo que Elena provocou contra ela quando estava desligada. Quando Liam entrou em cena, foi bom demais ver a cara de tacho da Santa Gilbert ao saber que a BFF chegou perto de matá-lo. Melhor foi a tortura psicológica da narrativa de Miss Forbes. Ficou excelente! Por que Deus não usaram esse ponto de partida?

 

Sério, queria que Caroline esmagasse Elena para honrar o que aconteceu no 4×16. Não tentar dar uma rasteira só porque o crush se declarou tarde demais. Please! Honestamente, não sei porque os escritores insistem em criar paralelos entre personagens e episódios se não fazem o trabalho direito. Combater Miss Forbes e Santa Gilbert desligadas seria mil vezes mais interessante, uma nova chance de mostrar as incontáveis diferenças de um vampiro desligado. Já se foi Liz e agora isso, me ajudem!

 

Acréscimo: Liam e Sarah estrelaram muito bem o Jogos Mortais. Foi a melhor cena do episódio.

 

O frustrante plot do Stefan

 

Quando digo que este episódio foi uma readaptação do 4×16 é a mais pura verdade. O investimento em Caroline trouxe um pouco de superioridade, mas não posso dizer o mesmo de Stefan Salvatore.

 

De novo, Stefan se sentiu culpado. De novo, Stefan foi brincar de babá. De novo, Stefan tomou um tabefe ao ouvir verdades da garota que está a fim. Mas isso nem foi a ponta do iceberg…

 

O que me fez rir de indignação foi vê-lo usar as mesmas palavras, com adaptações sutis, para cima de Caroline, a fim de trazê-la de volta. Com direito a peculiar seguradinha no rosto. Não sei vocês, mas captei um copia e cola de cena Stelena. Quem é que não se lembra do Salvatore segurando Elena para botá-la de volta na tomada? Aquela cena chorosa?

 

Você percebe que a criatividade morreu quando reciclam cenas de outro casal. Volta Kevin!

 

E, outra coisa, Stefan se declarar daquele jeito impulsivo, quase vomitando na Caroline, foi muito nonsense. Parecia que tinha uma arma na cabeça dele. Amigo, amor não nasce em 24 horas.

 

Ignorando tudo isso, meu coração parou quando ele fechou os olhos para a humanidade e os abriu para seu instinto ripper. Meu Deus, quase tive um troço! Não deveria, porque essa investida já está tão bleh!, mas Stefan todo estripador é bom demais! Pena que aconteceu de um jeito babaca e, para disfarçar, colocaram Sarah no meio para sair como a culpada. Para dar uma pitada ao Stefan herói que se sacrifica… Please!

 

Os outros plots

 

Stelena tinha morrido, mas reacendeu como se sempre estivesse presente. Desacreditei quando Stefan depositou sua humanidade no colo da Elena. Revi essa cena mais de uma vez para ter certeza, pois estava crente que a mensagem tinha sido para Caroline (não me perguntem como). Isso me fez voltar a season 3 e, claro, a season 4. Um “pouco” de “justiça” ao antigo shipper, já que o problema de lidar com falta de emoção sempre foi muito deles. Parece engana trouxa, recomendo doses pequenas de otimismo, pois esses dois são apenas usados para salvar a audiência de última hora.

 

Falando em audiência, alguém me abraça? Personagem desligado não dá mais lucro não, meu povo!

 

Enzo dando uma de Edward Cullen me fez perdoá-lo por alguns instantes. Quando ele disse que é rápido, forte e rico, me esqueci das tolices dele e rachei o bico. O mais divertido disso é que Caroline destruiu o plot dele. Não há mais vingança! Podem matá-lo agora!

 

Damon tem muito trabalho com relação a Lily Salvatore. Um trabalho tremendo que ficará distante dos olhos de Stefan – até porque ele não reagirá emocionalmente ao saber que a mãe foi presa por ser ripper. É um plot que muito me interessa, especialmente por uni-lo ao Kai.

 

Estou bem curiosa para saber mais dessa mulher. Damon balançado sobre o que realmente aconteceu com ela foi uma das poucas cenas em que captei uma sinceridade emocional. A desilusão e a culpa acumulada desde o velório da mãe o deixará bem focado nesse assunto.

 

O fato de Lily ter zarpado em NY me fez lembrar do episódio 4×17, em que Damon foi reencontrar um migo e assistimos ao flashback que o mostrou desligado (com Lexi). Prevejo uma festa de rippers, já que não tem mais ponto de sustento para nos guiar rumo ao fim desta temporada. Stefan já saiu da tomada, a mama Salvatore pode voltar enlouquecida…. Espero que não tentem criar uma mitologia em cima disso, até porque não existe, né? A não ser que seja X-Vampiros. Um grupo especial destinado a ser só ripper.

 

E o que dizer sobre Bonnie? O surto que ela deu para cima do Damon me deixou no chão. Pode ir para o lado negro da força, gata, pois se depender de Elena e de Caroline, estamos ferrados. Ela é a única que está na bad por motivos sólidos, o que lhe dá todo o direito de ser cruel. Gostei muito da atitude dela em barrar Jeremy, por mostrar que ela quer se recuperar. Embora os gatilhos no cérebro dela por causa do estresse pós-traumático ainda não tenham sido explorados, o desconto de tanto trauma será em Kai.Já estou conformada com a morte do bruxão porque Chris fará outra série da Plec.

 

E Bonnie sorrindo com a ligação do Damon. Minha morte! Enfim, daria 5 estrelas se as situações finais não tivessem sido motivadas pelas razões erradas. No mais, foi até que bem escrito, considerando que teve parte do dedo da Dries, e Candice arrasou.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3