Menu:
27/abr

Nina Dobrev não fará parte do elenco de The Vampire Diaries na 7ª temporada. Essa é uma informação antiga, mas que continua muito quente. Como se todo dia ela fizesse um post anunciando sua saída. O que me fez escrever este texto nem foi a novidade em si, mas a recepção. Alguns comentários me fizeram revirar os olhos, porque não acredito que a bitolagem seja tão dominante ao ponto de alguém escrever tanta bobagem. Fui otária!

 

Por mais que existam pessoas bacanas nesse fandom, há a fatia que representa a vergonha alheia. E é ela que me faz querer arrancar os olhos. Não é de hoje que níveis de bitolagem me tiram do sério, ainda mais quando acarretam desrespeito contra um artista que, evidentemente, não está nem aí para a turma do contra. Aqueles fãs que se acham donos/as não só do ídolo/a, como da vida dele/a.

 

Bastou uma lidinha de leve nos comentários do post em que Nina anunciou sua saída para eu perder o eixo. As palavras de apoio foram ofuscadas pelos resmungos ácidos que, óbvio, mencionaram Delena (casal da série) e Ian Somerhalder (o ex-namorado).

 

Sendo clara: Nina Dobrev não existe e não trabalha em função desses dois fatores. Superem.

 

Quanto mais lia os comentários, mais ficava inconformada. Me peguei refletindo pela milésima vez sobre o quanto a essência de fazer parte de um fandom tem mudado com o passar dos anos. E não é para melhor. Sei que fazer parte de uma comunidade de fãs é maravilhoso. Morri e voltei dedicada 100% a Harry Potter, acompanhei o elenco crescer, fui torturada esperando cada livro. Atualmente, nem me considero parte de outras, embora tenha uma mínima participação – como no caso de TVD.

 

Sei que fandom tem suas tretas e seus conflitos, justamente por ter a palavra “família” como ponto de partida. Há momentos bons e ruins. Pessoas se tornam irmãs e outras acabam como aqueles primos chatos. Normal! Mas a base tem se desmanchado por atitudes e por motivações idiotas. Afinal, fandom é sinônimo de união entre fãs por amor a algo comum. Porém, atualmente, quem se destaca são os haters que, infelizmente, representam a maioria por fazerem muito barulho. Justamente a parte que não pensa para depois agir por causa da paixão, que pode beirar a obsessão. O que gera comentários desrespeitosos contra a celebridade que adora.

 

O que me deixa doente é a dificuldade em separar a pessoa do trabalho, e vice-versa. O pensamento base que fez dos comentários no Insta da Nina um inferno. Justamente porque insistem em algo que não existe mais. Sim, soa meio duro. Parece até que nunca tive meu parzinho formado por celebridades favorito. Tive vários e sofri com todos eles. Foi legal, me irritei, quis puxar os cabelos, e estou aqui, viva e bem, assim como Nina Dobrev – sem a parte da fama e do dinheiro, claro.

 

Amei Nian com todo meu coração. Acompanhei a trajetória e fiquei chocada quando dei de cara com a notícia de que ambos terminaram. Mas apoiei a decisão dos dois e, como fã, desejei o melhor. Se o melhor da Nina foi ter um namorico com o Derek, ok. Se a felicidade do Ian está com a Nikki, maravilha! Sou admiradora de muitas pessoas/coisas, dou meu apoio e critico quando preciso. Mas jamais chegaria ao ponto de depreciar ou de denegrir aqueles que gosto, especialmente nas redes sociais – que são tão pessoais quanto as minhas.

 

Por mais que sejam comentários despejados no calor do momento, o que força mais ação a raciocínio, eles magoam. Nada mais sem graça que ver o ator ou a atriz reclamando sobre o desrespeito dos fãs. Não só isso, como terem que revidar para ver se a turma acorda para a vida.

 

Tenho certeza de que quem foi no Insta da Nina e meteu um comentário Nian não pensou em como ela se sentiria. Simplesmente porque só houve a preocupação viral do quanto essa decisão a afastaria fatalmente do Ian. Isso é falta de respeito. Acima de tudo, cegueira sobre o fato de que celebridades também são seres humanos. Eles também se chateiam e se irritam. Ian já saiu do eixo com essa ladainha e defendeu a Nikki em seu Insta. Ele precisava se dar ao trabalho? Não! Mas tem gente que não se toca!

 

Fã não é obrigado a concordar com tudo. Ele/ela tem o direito de xingar muito no Twitter quando algo terrível acontece. Contudo, há a linha tênue da opinião. Você comenta para agregar em algo ou só para fazer um escarcéu? Saiba que tanto um quanto o outro não mudará uma decisão tomada pela celebridade em questão que sabe melhor do que ninguém o que é melhor para si.

 

Fim da história!

 

Por que eu apoio a Nina?

 

Nina explicou que sairia, essencialmente, por crer que 6 anos era o bastante para contar a história de Elena Gilbert. Como fã, daria 3, porque TVD se tornou um exemplo de desleixo. Em vez de, como fã, pensar nos pontos positivos dessa notícia, muitos só pensaram no futuro do shipper X e no distanciamento dela do Ian – sendo que, assim que terminaram, uma parede se criou entre ambos. Mais lamentável é culpar a Nikki por essa tomada decisão que de súbita não teve nada. Vale o lembrete que essa novela do contrato rola desde o ano passado.

 

Se Nina saiu de TVD por causa do novo relacionamento do Ian, ninguém tem nada a ver com isso. Ela não é obrigada a trabalhar em um ambiente que a deixa desconfortável e atuar com a pessoa que claramente não tem mais afinidade. Ela o respeita e isso deveria ser o bastante. Melhor que ódio e indiretinhas nas redes sociais. Contudo, essa não é a história que acredito, pois é uma suposição que tem sido alimentada pela mídia desde que Nian acabou. E, claro, os fãs assíduos abraçaram e tornaram uma bandeira.

 

Não acho que Nina seja influenciável ao ponto de abrir mão de um projeto por causa do ex. Mas há pessoas que fizeram disso uma verdade universal e foram lá ralhar nos comentários de um post que era uma parte da despedida dela. Se Nikki atropelou a antiga amiga e ficou com o crush, ninguém tem nada a ver com isso também. Ian sempre quis se casar e Nina foi lá e meteu um NOPE. Queriam o quê? Que o cara esperasse sentado uma mudança de opinião? Obviamente que não!

 

Nina Dobrev não é Elena Gilbert. Há Delena na série, mas não há Nian na vida real. E se ambos deram a volta por cima, está na hora dos fãs assíduos fazerem o mesmo. É difícil? É! Já tive meus amores platônicos e sofri com todos eles. Mas há a hora do Let It Go, como tudo na vida.

 

O que vejo: Nina já tem mais de 20 anos e não quer mais interpretar uma adolescente. Ela se achou no direito de sair para ter outras experiências. O mundo das séries tende a empacar carreiras sim, independente dos atores e das atrizes gostarem do job. Alguns continuam por comodismo ou por terem um elo afetivo com o cast – como Paul e Ian que são casados secretamente –, e outros saem por quererem novos desafios.

 

Nina não é propriamente desafiada em TVD desde a S4. Sua personagem parou de evoluir e perdeu toda a caracterização. Muitos não veem isso.

 

O que poucos indagaram é: de que adianta ter um emprego sensacional se chega uma hora em que você deixa de aprender? De evoluir?

 

A prova: o maior sinal da insatisfação da Nina quanto a TVD veio depois do arco das mil e uma doppelgangers. Mil roteiros sobre diferentes personalidades de uma personagem de mesmo rosto. Seu trabalho na série se tornou mais do mesmo e eu, Stefs, como uma pessoa que não consegue se prender as mesmas tarefas, compreendi a tomada de decisão dela em sair e apoiei.

 

Um exemplo: Paul não saiu de TVD porque não se sente estagnado. Sabem por quê? Porque ele passou a ter liberdade no processo criativo. Ele ama atuar, mas ama mais fazer parte da sala de edição, de ser diretor e de assinalar um roteiro. É dessa parte que esse cidadão gosta e Plec deu essa alternativa que ainda o segura em Mystic Falls – além do xodó pelo cast. Wesley traçou o mesmo caminho da Lucy Hale (PLL): vou atuar, abrir portas para mim e, a menor chance, engato o que quero. Ele investiu e apoiou vários projetos no circuito de cinema independente como produtor/diretor/roteirista, 3 coisas que o definem mais que atuar.

 

A verdade: Nina é atriz. Ela canta. Ela dança. Ela é esse combo que não tem sido explorado porque TVD não lhe dá chance. Seria maravilhoso se os fãs hardcore de TVD refletissem e rebobinassem a trajetória dela na série. Não tem nada a ver com Delena ou com Ian e Nikki. Se voltarmos à história da Elena da 4ª temporada para cá, nada de surpreendente aconteceu. O ápice do desconforto veio na 5ª, quando Nina passou a ser a mesma pessoa com diferentes personalidades. Porém, nenhuma tão aprofundada e explorada quanto Katherine Pierce, a única personagem que realmente lhe propiciou desafios.

 

Não é à toa que a atriz passou a ser ovacionada mais pela vilã que pela heroína.

 

Sem contar que Nina conquistou um reconhecimento absurdo por mudar da água para o vinho. Ela deu conta de duas personagens absurdamente diferentes com extrema facilidade e convencimento. Pode não ser uma Tatiana Maslany, mas para quem nunca engatara um papel popular na época, mudar como mudou no final da S1 para a S2 foi o melhor momento da carreira dela. Foi o desafio e esse desafio deixou de acontecer.

 

Considerações Finais

 

Frisando de novo, Nina é uma artista. Da mesma forma que quero Paul longe de TVD, o mesmo vale para a Troian Bellisario de Pretty Little Liars. São pessoas talentosas que têm necessidade de não só atuar, mas de criar. Dobrev pode não ter investido em muita coisa desde que migrou para Mystic Falls, mas fará isso agora. A praia dela é mesmo ser atriz e ela almeja novos desafios. Pensar que sua saída foi motivada por Ian, uma pessoa que se afastou, é ridículo. Tão ridículo quanto desejar mal a ele por não estar com ela, e vice-versa.

 

Nina quer amadurecer. Ela ainda é jovem e tem muito que aprender. Vejam bem: só agora, longe de TVD, que ela realmente se descobrirá como artista. Que rumo tomará. O que quer. Enquanto alguns companheiros de elenco têm seus projetos paralelos, a atriz ficou concentrada na série. Ela era o pilar intocado, mas cedeu por já ter dado tudo o que tinha que dar. E estou com ela. Sempre estarei.

 

Por quê? Porque ela precisa evoluir. Mostrar que é mais que Elena Gilbert. Ninguém é obrigado a empacar para sempre em uma série e viver só disso. O cinema, embora não seja mais como antes, tem várias portas, várias oportunidades, e quero vê-la em papéis diferentes. Nina não teve outra chance de provar que é boa além de Katherine Pierce – os outros filmes dela são muito fracos. Agora, há a chance de crescer como mulher, já que largou uma protagonista adolescente.

 

E, não, isso não é uma crítica. Nina é role model para muitas adolescentes e acho isso ótimo. Toda menina precisa ter uma referência, eu tenho as minhas e é um máximo. Acho que se ela quer continuar a ser um exemplo, não é mais com a Elena Gilbert que perdeu todos os pontos fortes.

 

A falta massiva de apoio com relação à decisão da Nina foi de chorar. Pior que “é culpa da Nikki Reed”, foi ler que ela “cuspiu no prato que comeu”. Como se ela tivesse feito isso de propósito. Como se ela tivesse chutado o balde porque está com ciúme do Ian. Chega, né?

 

Enfim, o que quero dizer com este post é que apoio a Nina. Ela me fez feliz com essa decisão e espero que Elena Gilbert tenha um final condizente. Os fãs, como fãs, deveriam ser apoiadores e não os maiores inimigos de um artista. Admiração tem respeito atrelado, e isso está muito em falta.

 

O que rola na ficção nem sempre vai para o mundo real. E o mundo real nem sempre garante um happy ending. Nina pode ter saído essencialmente por causa do Ian? Não sei, não estava lá, mas tenho certeza que não é isso que ela gostaria de ouvir/ler. E tenho certeza que isso não é metade de um grão que inspirou sua decisão de largar mão de TVD. Ele pode estar incluso no pacote, mas jamais seria o estopim. Se fosse, o contrato teria sido quebrado na S5.

 

Sim, é chato ver a pessoa que gostamos largar um projeto ou ser bacaca ou não ser o que esperávamos.

 

Lembrem-se: celebridades são seres humanos. Eles também nos decepcionam e nos fazem felizes.

 

E, sério, há uma singela falta de respeito com celebridades hoje em dia. E acho isso terrível e culpo essa coisa maravilhosa chamada internet. Hoje, muitos fandoms têm deixado de ser um apoio para ser um grupo de conspiração impulsionado por osmose ou por fofoca. Relembrem o que aconteceu com Phoebe Tonkin, que chegou a sair das redes sociais por causa de tanto hate.

 

Está na hora da turma ver e entender uma situação como um todo. De refletir e chegar a uma conclusão plausível. Artistas nunca nos manterão 100% felizes, e o que nos resta é viver no looping ame ou odeie. Criticar é válido desde que seja construtivo, não por causa de bitolagem, de suposição, de fofoquinha e de teoria de fã.

 

Não há nada de errado ver um artista querer coisas melhores. Nós, mundanos, queremos coisas melhores todo santo dia. E é isso que seres humanos fazem: decidem por si, independente das opiniões alheias. E Nina Dobrev está nem aí. Ela está feliz e estou feliz. Finalmente, ela decidiu por um novo ciclo na sua jornada artística e só tenho a desejar muita sorte nesse processo.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3