Menu:
09/abr

A única pessoa que vi neste episódio foi a Maisie. Que atuação! Acho que lamentarei muito quando a atriz se despedir para dar espaço novamente a faceta de Holt. Desde a sua inserção em The Originals, tenho adorado o empenho dela, embora tenha criticado a mudança súbita de uma ingênua Mikaelson para uma versão estranhamente mais prática. Só sei que essa mulher sambou. Se não fosse por ela, teríamos mais um retorno pós-hiatus com mera encheção de linguiça.

 

Kill a demon today, face a demon tomorrow.

 

A trama deu continuidade ao cliffhanger do episódio passado e destacou Eva e Vincent. Que casamento atrapalhado, hein? Ele não passou de mais uma versão trouxa de um bruxo dado ao mesmo ator, mas conseguiu manter o humor, algo que Finn não conseguiu (a não ser quando fumava o baseado mágico. Ria demais daquilo, gente!). Conhecemos um pouco da dinâmica deles, quem ama mais e quem ama menos. O miolo dessa história foi a real motivação dela em capturar criancinhas e o quanto isso subiu na cabeça. Esclarecimentos preciosos.

 

Não estou tão feliz com o suposto fim dessa bagunça mágica, pois fiquei frenética com a ideia de ter mais um coven em New Orleans aos moldes da maligna Eva. Chorando!

 

Amo a storyline das bruxas, não tem jeito. Amei ver meu desejo atendido sobre um combate mental entre Rebekah e Eva. A cena de abertura foi demais! Os bruxos têm mostrado grande potencial nesta temporada, têm garantido as melhores histórias até então e são os que têm rendido pano para a manga com ineditismo. Foi muito legal saber que há 9 covens nos arredores do Quarter e fiquei ensandecida com a curtíssima nova mitologia trabalhada em cima dos pretextos de Eva. Adoraria que isso vingasse, mas ficou nas entrelinhas que os membros de New Hogwarts estão longe de entrar em extinção. Amém!

 

Desde que Esther sumiu, os seres mágicos do Quarter se individualizaram. Coven é um grupo e dou amém que essa essência tenha retornado por meio dos Treme, que podem garantir bons embates. Essa turma não age como uma panelinha desde a 1ª temporada e achei a proposta de Eva muito válida para reavivar esse viés. Até porque Josephine provou neste episódio que é forte, tem voz e tem compostura para retaliar qualquer intromissão da paz. Ela combateu divinamente as burocracias de um simplório Elijah. Claro que a idade a condenou, a bruxa-mor acabou capturada facilmente, mas acho que se derem espaço essa senhora causa estrago.

 

É fato que lobisomens e vampiros têm sido meros coadjuvantes da história central. O objetivo da temporada sempre foi Hope, mas, ao contrário das bruxas, Klaus e Cia. e Jackson e Cia. empacaram no mesmo giro do peão. As bruxas trazem frescor a cada episódio e o avanço da storyline de Eva ficou muito incrível. Maisie estava impecável, fisgou e abocanhou a trama com seus acessos de loucura. A gargalhada, o olhar alucinado e a postura, tudo fascinou. E o mais sensacional foi ver a atriz no final do episódio dócil e serena, como se nunca tivesse desmontado da Rebekah.

 

Queria que essa luta Eva vs. Rebekah durasse um pouco mais. Porém, considerando que estamos perto de mais um fim de temporada, o mais sensato é encerrar o caos que rendeu a aproximação do coven Treme para o cerne da trama. Possíveis participantes do combate contra Dahlia.

 

Tudo muito bem maquinado por uma inteligente Freya que terminou como parte desse coven. A personagem jogou com lágrimas até aqui, e diria que os movimentos no tabuleiro faria Kol muito feliz. Nada como agir na inocência para conquistar os irmãos mais fracos. No caso, Elijah. Senti firmeza na bruxa neste episódio e acho que agora sim dá para temê-la. Ela emanou o perigo que estava em falta, já que sua história estava normal demais. Observando…

 

O que me deixou um pouco infeliz com o resultado da inserção de Freya para salvar Rebekah foi o produto final: fazer tudo e todos se virarem contra Klaus. Um pensamento que destoou um pouco do propósito dela em se vingar dos irmãos, não só de um deles. Um desejo que me fez tremer na base na saideira do sanatório. Intimamente, sinto que será a repetição de um ciclo vicioso, pois nada mais clichê que tentar detonar o híbrido pelo Always and Forever. Essa moça não é a primeira a agir assim e afirmar isso diante de Esther não foi nem um pouco chocante. A personagem saiu do propósito que a introduziu na série e, talvez, o andar da carruagem mostre que estou errada.

 

Freya foi uma personagem súbita e que tem sido bem desenvolvida. Foi de bom grado tirá-la do mínimo. Da versão de irmã abandonada. Vê-la detonar Esther foi justo. Klaus sempre pareceu a pessoa ideal em exterminar a mama, mas a bruxa tinha direitos. A moça jogou a todo o momento e passou despercebida. Vê-la tomar finalmente o norte da trama me deixou esperançosa com relação ao que ela tem em mente, embora ainda não bote fé nessa de virar a casa dos Mikaelson de ponta cabeça só para ter Klaus como aliado. O que isso tem a ver?

 

Agora que Freya revelou – aparentemente – sua verdadeira faceta, espero que ela seja um furacão no Quarter. Simplesmente porque não deu para engolir aquela choradeira toda. Comovi-me, mas insisto em dizer que, considerando o tempo que ela ficou sob os cuidados de Dahlia, é de se esperar danos na mente. Bem… Acho que esses danos aflorarão daqui para frente. Penso que ela renderá bons reveses, especialmente por ter nas mãos a mente de Klaus. Uma hora a vimos fragilizada, pretexto que a fez ganhar espaço entre os Mikaelson. Agora como membro do Treme, ela tem álibi e força em meio a bruxos que não hesitariam em pular em cima da vampirada.

 

Mesmo resmungando por ter sido subjugada, começo a acreditar em uma nova punhalada. Hope ainda está em jogo. Não é possível que depois de tanto #SaveTheKid, a bebê que faz poker face prestes a ser sequestrada se torne desimportante na reta final. Estou com medo, justamente porque Klaus será alvo e o foco da história tem chances de mudar por causa das investidas de Freya.

 

E o que foi o fim da Esther? Gente, quis bater minha cabeça no teclado. Toda essa pressão da mama Mikaelson para ela virar o Damon? Digo, um monte de passarinhos que pareciam corvos?

 

Confissão: tinha me desligado da existência da personagem e admito que fiquei passada com esse súbito comeback. Depois, fiquei com sono, porque o mimimi de salvar os filhos foi acionado. Grande desperdício de trama e de personagem. Tenho até medo do que acontecerá com Mikael, outro que saiu em uma expedição e até agora não deu as caras. Não sou obrigada!

 

Pela milésima vez aprendemos a não confiar nas bruxas. Quando achamos que uma dor de cabeça terminou, vem outra. A trama desta semana foi bem fechada e é assim que seguiremos daqui para frente. Tirando o foco de Eva, temos Freya, a personagem que se fundirá muito provavelmente com a aproximação de Dahlia, a incerta cereja do bolo que dará as caras – finalmente – semana que vem.

 

Quero saber mais sobre os Treme também e espero que essa turma engaje a Davina, a cidadã que merece o prêmio Matt Donovan de avulsa da temporada junto com Cami.

 

Preciso depositar meu amor pela Gia. Por que não existem mais mulheres geniais como ela? Foi batata vê-la se bicar com Hayley por causa de Elijah. Ainda bem que é TO e não TVD, né?

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Autran Kevinlyn

    E ae Stefs!! Sim eu perdoo e a demora…todo dia eu olhava e ops! Chegou a hora que respondeu!

    É incrível como o Narducci tem pleno domínio das storylines de TO. Ele poderia simplesmente deixar a história da Rebekah e o seu corpo sem explicação (bjo TVD,) mas ele e sua equipe fizeram questão de destrinchar isso, ainda mais com uma carga de mitologia enorme, da qual diga-se não foi explorada.

    TESE HIPOTÉTICA: Tenho certeza que Dhalia de algum jeito guardou Freya no caixão naquele sanatório, para forçar um encontro com Rebeblack, mas Dhalia sabia de toda historia de Eva e usou a sobrinha neta para forçar um salvamente e enganar os Mikaelsons.

    Cara, tou muito triste pela Esther(achei bonito as palavras dela para o filho). Quanto potencial os pais Mikaelsons tem e não foram usado. Erro crasso de TO. Criam personagens maravilhosos e não sabem como pará-los.
    Klaus mais paranoico do que nunca! Chato!
    Maisie é incrível apenas!!! O episódio foi dela.
    Gente, eu quero ser neto da LaRue, pode?

    Quote do episódio: "Back off" , qro meme já!

    E Dhalia hein?? Pelo promo…essa mulher vai esbagaçar!

    Bjos Stefs, daqui a pouco eu pouso em Mystic Falls, se cuida garota!