Menu:
17/maio

Depois de engatinharmos e implorarmos, eis que chegamos a mais uma reta final de The Vampire Diaries. Como digo sempre, e não me custa repetir, poderia ser pior.

 

No começo desta temporada, pontuei vários fatores que indicavam a tentativa de Plec e Cia. resgatarem nem que fosse um pouco da Era Dourada da série. Trouxeram comportamentos antigos, a típica trilha sonora e encontraram um vilão que esmagou a existência de Markos. Inclusive, o pouco de mitologia que foi dado manteve o típico mistério no ar, com cenas de abertura carregadas de suspense. Porém, o conflito ficou superficial, com resoluções rápidas e práticas, e justificativas para algo X ou Y vindas da boca dos personagens.

 

Contudo, até considero o miolo do caos bem desenvolvido, se fecharmos os olhos para todas as falhas claro. Se não fosse Kai, não teríamos um encerramento de qualidade. O bruxão Gemini foi a cereja do bolo e merece todos os prêmios, todos os abraços e todos os ascendentes.

 

Em compensação, TVD mostrou que seu maior problema nem foi a mitologia, mas a storyline dos personagens. Com o passar de 22 episódios, o ponto crítico da série ficou mais e mais em evidência. No caso, a brincadeira de dar atenção ao romance de maneira a descaracterizar os protagonistas e alguns secundários. De maneira a pisar por cima do passado deles. Vale o destaque para o antigo maior problema desde a S4: Elena Gilbert, a heroína que, infelizmente, se tornou um objeto do tabuleiro codinome fanservice. A personagem continuou na mesmice, girando em torno do Damon, sem nenhum momento que me convencesse de que ela ainda valia uma torcida.

 

Até que essa moça tomou a cura, um relampejo de esperança, que não vingou, pois o salto só foi pertinente por causa da saída da Nina.

 

Além disso, Santa Gilbert continuou no seu status de entorpecência e só foi melhorar na ilusão que deu aval para sua despedida. Qual foi a dificuldade de colocar essa pessoa no eixo normal dos 3 primeiros anos? Não precisava ser exatamente igual, porque as pessoas mudam conforme suas experiências, mas, no episódio passado, vimos essa personagem continuar a regredir e ter um tombo banal como de um coadjuvante. Como proceder?

 

Plec falou em algumas entrevistas que este finale seria satisfatório para quem não se importa mais com shipper (uma baita de uma hipocrisia). Depois de mil anos, concordo com essa senhora (duramente, porque meu orgulho não tem limites), justamente por pertencer a esse bloco. Gastei 40 minutos com um ótimo entretenimento. A tentativa de trazer nem que fosse um pouco da fórmula antiga de TVD foi efetiva, os últimos episódios conquistaram – em partes – por causa do tom de mistério, aquele que nos suga gradativamente, calhando em reviravoltas de tirar o fôlego. O finale se deu bem para uma temporada que oscilou bastante. Bem superior ao da S5.

 

Claro que todos os méritos vão para Kai. Que abertura arrebatadora deste episódio, não? Tenho que dizer que achei a cena pesada, considerando que é de TVD que estamos falando. Muitos corpos amontoados, sangue respingado para todos os lados, muitos Gemini tombados. Só tristeza!

 

Ric partiu meu coração. Antes mesmo que ele pudesse apontar o revólver na cabeça, cogitei fácil uma tentativa de suicídio. Não é para menos, né? Sinceramente, não sei como o personagem lidará com mais uma perda tão macabra. Ele já não lidou tão bem com Jenna ao se entregar ao alcoolismo enrustido. Agora, entoando que não tem mais nada a perder e sem Elena para segurar as pontas como antigamente, tenho que dizer que esse cidadão me preocupa. Até porque, foi tanto burburinho em cima do retorno dele para absolutamente nada, igual ao Enzo.

 

O teacher passou pelo mesmo processo das primeiras temporadas, só que com alguns diferenciais, tais como casamento e dois bebês. Foi demais para minha saúde vê-lo carregando Jo nos braços, totalmente desolado. Sempre gostei muito dele, lamentei pela perda, mas é fato que Ric foi tratado na S6 como se nunca tivesse feito outra coisa a não ser o homem da casa – o que trabalha, se apaixona, projeta um futuro e, no fim, a mulher é uma traíra ou morre.

 

Não que isso seja ruim, mas ele esteve na S6 só de passagem. Isso me frustra porque a jornada dele em TVD foi maravilhosa, teve um fim sensacional, tudo destruído por causa do amor Dalaric – que foi tão esquecido quanto o fato dele ter talento como caçador. O personagem empacou, só teve uma transição, a do vampirismo para ser humano – e que foi ridícula, diga-se de passagem. Não aposto minhas fichas na storyline dele na S7 e acho um bom momento para deixá-lo ir.

 

De todas as pessoas que poderiam partir meu coração, lá estava Tyler Lockwood. Parece que foi ontem que morri de tanto chorar com a 1ª transformação desse cidadão e revivi tudo como se fosse algo inédito. Nossa, bateu um desespero quando Liv “sugere” ativar a maldição, se sacrificando para que o crush pudesse se curar. Por mais que não tenha gostado – em partes – da relação dos dois, aonde é que fica minha cara com tanto amor despejado na despedida desses dois? Matar Liv? Gente, que dor! Queria pegar o menino lobito no colo. Foi destruidor demais.

 

O mais irônico é que o personagem também não fez muita coisa nesta temporada, só estava ali de passagem junto com Ric, e, do nada, cresceu de uma forma assustadora no finale. Os poucos minutos de cena dele foram arrebatadores e achei uma ótima homenagem em nome dos velhos tempos. Os méritos foram a transição, o peso real inspirado nos mesmos sentimentos que o abordaram ao duelar sobre o que poderia se tornar vs. o que não queria que acontecesse. O desejo de continuar humano, de não viver brigando com a licantropia, a dor da transformação, o típico aviso ao Matt sobre as chances de atacar os amigos… Não haveria outra forma de honrá-lo e, apesar de ser uma repetição, foi emocionante. Realmente, como se fosse a 1ª vez.

 

Apesar do esquecimento, Tyler terminou sua jornada em TVD fiel ao que sempre foi. O personagem foi um dos poucos que manteve a mesma linha de caracterização, até quando perdeu Caroline. Foi válido esse jovem ter tombado Kai por alguns minutos e acho que nem preciso dizer que surtei forte quando Damon meio que menciona Klaus. Perderam a chance de crossover, pois amaria ver o híbrido mostrando ao bruxão quem é que apavora Mystic Falls.

 

A saída de Tyler ficou meio nas reticências, ninguém sabe em que mato esse cidadão foi parar. As chances do Trevino voltar são maiores que as da Nina no quesito participações, e tenho que dizer que a ilusão dele com a Santa Gilbert foi rápida, mas digna. Está mais do que na hora dele abraçar o que é, já que não tem mais escapatória.

 

Boa sorte, lobito!

 

E o rei da temporada é….

 

Kai, vem aqui buscar seu prêmio por melhor atuação e vingança perfeita. Não houve um momento que não ri com esse babaca, um vilão delicioso que pode sim ser equiparado ao Klaus, mas ainda acho que o bruxão vence pela falta de compassividade. O híbrido poderia ser cruel, cheio das gracinhas, mas dava umas hesitadas emocionais, algo que não rebateu no maníaco desta temporada. Esse cidadão segurou seu lado maligno de berço até o fim. Ele representou uma perfeita vilanização, uma pessoa que foi se transformando em um monstro com o passar do tempo devido a minimização dentro da família. O famoso efeito rebote das aberrações. Né, Klaus?

 

O personagem fez o que fez sem culpar fulano e ciclano pela sua sede de vingança que estava a level 100 neste episódio. Kai simplesmente pegou uma mensagem, a distorceu de um jeito particular, e se tornou uma arma. Não é à toa que o foco da vingança era a família e Bonnie, dois fatores que o consternaram por causa da dúvida da sua capacidade e da quebra de confiança. De certa forma, o bicho saiu vitorioso. Não tem mais Gemini para contar história, né?

 

Chris foi uma baita revelação. Tive contato com esse cidadão na série Girls, um personagem totalmente diferente do que ele representou em TVD. Jamais imaginaria que o ator teria tanto potencial. Mas teve. Conquistou desde a sua primeira aparição, apresentou um sadismo suculento e um riso contagiante. O personagem foi tão sólido e tão bem construído que garantiu fortes reviravoltas, eletrizantes, dignas de dar pulos e mais pulos na cadeira.

 

Inclusive, ele transitou mais que a Elena Gilbert. Como lidar? De bruxo dos anos 90 com o desejo único de sair do Prison World para cobrar o que é seu no coven, ele saltou para a versão emo de si mesmo, voltou para o castigo e turbinou o desejo de vingança. Não só isso: quando achávamos que ele nos baqueou com uma morte ingrata, lá foi esse cidadão provar que tinha tudo maquinado, tudo redondinho, ao se tornar um Herege de Lily. Até mesmo com a mordida de Tyler, o bruxão não perdeu o charme, continuou a trabalhar o psicológico da turma, especialmente para cima de Damon, como um diabinho. Perfeição ainda é pouco para esse jovem.

 

Kai demonstrou que os escritores ainda manjam de mitologia e de construção de vilão, mas ficaram tão atados a criar romance que perderam a prática. E isso afeta a trama. O bruxão provou que o que faltava na série era um inimigo de primeira, não mais do mesmo do universo da Santa Gilbert. Multifacetado, ele honrou o brilhantismo, segurou a trama até o limite, agonizou, revoltou, divertiu e o último plano arquitetado não poderia fazer mais jus a sua personalidade maquiavélica. Quer maldade pior que linkar Bonnie e Elena, as duas melhores amigas?

 

Não sei vocês, mas quando Bonnie mostra a gravação do Kai para o Matt, a narrativa da vingança, tive um piripaque do Chaves. Só consegui rir e aplaudir esse imbecil.

 

Só lamento pela morte ridícula do personagem. De novo, praticidades. Seria mais digno se Kai tivesse se matado, muito mais a cara dele por ser tão egocêntrico. Damon arrancando a cabeça desse cidadão com um tapa foi péssimo demais. Só perdoo porque o bruxão compensou com maestria o fiasco que foi Markos. Ele arrasou, sustentou o finale, e deixará saudade.

 

Mais um momento em que a praticidade entrou em ação: sério mesmo que, depois da lição de casa sobre Abby Bennett, bastou Kai ingerir sangue de vampiro e se transformar em um Herege? Assim, como se fosse um humano? E ainda ter os poderes? E nem me venham falar que o sangue dos 6 Kai tem uma mistura especial, porque ninguém do coven Gemini deu uma explicação plausível e sólida sobre a existência dessas aberrações.

 

E nem haverá, né?

 

E Damon Salvatore tenta de novo ser bonzinho

 

Quem não aguenta mais Damon passar pelo teste de caráter bota o dedo aqui. Mandem o personagem para o programa do João Kléber para ver se algo é resolvido, pois esse repeteco não desceu. Só perdoo (estou uma santa nesta resenha, gente), porque esse senhor trouxe um belo revés ao salvar Bonnie. Vocês não fazem ideia do quanto morri de ódio durante o desenrolar dessa cena. Tive que fazer uma pausa, pois fiquei tão, tão nervosa, que mal acreditei na reviravolta que esse Salvatore causou. O vampiro salvou quem merecia e ponto final.

 

E que salvamento motherfucking awesome. Juro! Considerando que Damon veio de uma decisão de querer ser humano só pela Elena e não por ele, acreditei fácil que ele mataria Bonnie ou a deixaria morrer. Quando esse senhor deu as costas, me vi pulando nele, cravando as unhas em seu rosto, urrando feito uma doida. Chega de obsessão pela crush, né? Damon, você não é mais kid!

 

Já que Nina não volta, nada como esfregar Bamon, não é? Não reclamo porque sou fangirl desde os livros, Ian e Kat nunca influenciaram meu amor por essa dupla (como se a Stefs fosse dessas, pfvr!), e meu sentimento é puro. Foi um belo timing para reforçar o que ambos construíram ao longo desta temporada, outra grata surpresa junto com Kai. É inegável: a bruxa traz o melhor do vampiro. Ambos possuem uma baita química. Inclusive, possuem uma autoridade de um meter a verdade na cara do outro que é muito preciosa.

 

Gostaria que ambos não se tornassem um casal na série. Já destruíram todos que existiram e quero que Bamon fique na friendzone – mas essa sou eu sendo otária, porque esperava o mesmo de Steroline e foram lá e jogaram lama nos dois. Não mereço!

 

Sem dúvidas, o Prison World foi o ponto maravilhoso da temporada, explorou a amizade entre Damon e Bonnie em um ótimo compasso e fez Kai evoluir como um incrível vilão. Sim, milagres ainda acontecem em TVD.

 

Elena Gilbert e o flash mob

 

Por que a Elena parecia a Joelma na dança com Damon, com todas as jogadas de cabelo? Ok reviver esse momento Delena, os primeiros minutos foram bonitos, mas estenderam a cena e só vi a Santa Gilbert se movendo daquele jeito ao som de Calypsooooo….Tá parei! Ainda podemos ser amigos.

 

Amém que a despedida da Elena não se desenrolou no episódio todo. Por mais que ela tenha ganhado súbita importância de storyline, por causa do salto da Nina óbvio, seria inviável ignorar a festança do Kai para focar justamente na personagem que nem tinha mais tanta relevância. Não digo isso por mal. Santa Gilbert perdeu o charme de heroína e desliguei meus sentimentos sobre ela.

 

Tem Bad Blood entre Elena e eu, sim. E se reclamarem, Caroline será a próxima vítima. #risadadoVoldemort.

 

Mas isso não quer dizer que não tenha chorado. Chorei like a baby! Os revivals dela, em locais preciosos, foram demais para qualquer coração saudável. Amei forte as cenas com Matt e, claro, a fatal na companhia de Caroline e de Bonnie. Foi muito pertinente darem mais destaque ao quesito amizade, um fator sempre mais relevante na vida da Elena que amor. Pena que esse simancol bateu tarde demais. Até mesmo o adeus ao Ric foi de doer, um golpe certeiro de nostalgia que me fez lembrar da Santa Gilbert querendo brincar de caçadora – um plot que tenho certeza que vingaria mais que a transição para o vampirismo e a faria uma heroína badass! De novo, tarde demais.

 

Preciso frisar a cena com Bonnie, o revival que fez jus a versão original. Quando a bruxinha entrou no quarto com o travesseiro, meu cérebro estalou e mal acreditei no pedido da Elena. As plumas voando, gente! As duas chorando, gente! Santa Gilbert resgatando os diários, gente! SOS.

 

O que dizer no geral? Elena parecia Elena nessas ilusões. Humilde. Altruísta. Sensata. Amiga. Totalmente diferente da versão humana que pipocou na semana passada que só queria saber de forçar o Damon a ingerir a cura para ter sua vida perfeita. A menina da semana passada me decepcionou forte, mas a que apareceu no finale me deu um pouco de orgulho, porque aquela não era egoísta e bitolada. Ela representou o desejo genuíno que todos fossem felizes, sozinhos, sem se apoiar no recalque que passou a sentir assim que ganhou caninos afiados.

 

O diálogo mais tocante foi com a Bonnie, o momento, depois de mil anos, em que essa cidadã se sacrifica pela melhor amiga. Antes tarde do que nunca, né? Essa versão de Elena era a jovem dos 3 primeiros anos de TVD e isso doeu forte. Parecia até que o vampirismo nunca ocorrera na vida dela. Como se ela tivesse sido mesmo vítima das circunstâncias, como nos velhos tempos. E nada mais “poético” que dar a personagem um fim “humano”.

 

Sobre o link com a Bonnie: genial do ponto de vista de Kai, pegar os dois pontos fracos de TVD e torná-los um dependente do outro. Nada genial do ponto de vista da Elena, porque soa como a resolução prática aos moldes de Rebekah em The Originals. Santa Gilbert não morreu e nem “foi embora”. Ela continuará ali e certeza que a usarão mesmo “morta”. Afinal, a personagem se tornou um novo Silas: a cura em carne e osso.

 

Acham mesmo que deixarão Elena descansar em paz? Duvido! Ainda mais porque tem 6 Kai na cidade que podem muito bem querer roubá-la.

 

E, outra, é meio frustrante que Elena não tenha “morrido” como heroína em combate. Foi lindo, mas tão passivo quanto ao que ela se transformou nos últimos 3 anos. Nem deu para sentir tanto assim o peso do link com Bonnie, pois a mulher que deveria morrer em heroísmo foi silenciada na mente e no coração. Como tem sido silenciada desde que se tornou vampira.

 

Como disse na semana passada, essa moça morreu no finale da S3 e esse sono de beleza não é nada em comparação ao quanto a distorceram como um origami para atender a trama e não sua trajetória desde a S4. A despedida foi lindíssima, sem dúvidas. A ideia do adeus de cada personagem foi intimista para cada um. Embora quebrasse um pouco o ritmo que Kai impôs com tanta energia, a dramática se desenrolou sem afetar tanto a ação.

 

E-o-que-dizer-do-menino-Jeremy? SOS que quase tive um AVC fulminante.

 

Adendo: então que todos os personagens, inclusive Jeremy, estavam no mesmo ambiente que a Bonnie e…. Nada? Nem um alow volse na tela da Globo? Ok.

 

Concluindo

 

 

O finale se resume a um trecho da música da Valesca Popozuda: tiro, porrada e bomba. Ou, se preferirem, bomba, sangue e cadáver. O ritmo foi corrido, acompanhando o sadismo do Kai, o rastro de sofrimento deixando o coração bem pequeno. Apesar de tudo, foi um ótimo fim, gostei muito do que assisti justamente por ter tido a cara de TVD. Morte, sangue, drama, vilão potente, romance, coração partido, lágrimas e despedidas. É assim que a série sempre funcionou e retomar essa fórmula foi uma baita investida que, com sorte, deu certo.

 

Agora, ficamos com Lily e seus Hereges. Morri de rir com essa senhora sendo trouxa durante o episódio. Nem faria sentido ela tirar o brilho do Kai e esse break na storyline dela foi muito bem-vindo. Só espero que na S7 ela saia desse ciclo de “minha família querida” e realmente mostre o que quer da vida. Está mais do que claro que Stefan não a deixará em paz, então, é esperar para ver.

 

Falando em Stefan, ele ganhou o prêmio Matt Donovan. O Salvatore começou a temporada como um ótimo divisor de opiniões e perdeu o brilho ao mergulhar na dinâmica de Caroline. O protagonista virou encosto de porta e meu medo é que ele fique sentado na praça esperando Miss Forbes. Stefan, você também não é mais kid!

 

A posição de Caroline continuou a me fazer feliz. Não teria pensado diferente sobre imaginar que Stefan ainda gostava de Elena e ter um pouco de receio. Ela está indo devagar, com sensatez, e acho que ambos merecem isso depois da palhaçada de se envolverem com os sentimentos desligados. Torço para que eles recuperem a mágica da S4. Agora não tem mais a pressão da Santa Gilbert, então, o amor pode rolar naturalmente. Não precisam forçar mais, né?

 

Pelo visto, o futuro da S7 começa com um Damon provando que sua obsessão pela Elena vai longe. Felizmente, o que chamou minha atenção foi o estado de Mystic Falls com o novo salto no tempo, tendo Matt como patrono da cidade. Considerando que o set da Mansão Salvatore foi destruído, vamos atiçar nossa imaginação sobre Lily e os Hereges terem sido a causa.

 

E quanto tempo será que passou? Matt dirigia o carro escrito xerife. Lindo, mas ele é a única polícia de Mystic Falls e não deixa de ser engraçado.

 

Confesso que não estou tão otimista com a S7. A ideia de Defan até acalentou meu coração, mas os dois terminaram do mesmo jeito: em stand by por causa das crush. Não haverá triângulo amoroso, ao menos é o que Plec e Cia. afirmaram, mas repetir de novo dependência amorosa é de **&%¨SS. Ambos têm a faca e o queijo para recuperarem a independência. Não é preciso continuar alimentando o que Elena fez o favor de destruir.

 

Enfim, termino esta resenha por aqui. Ainda não sei se encararei mais um ano de TVD, então, deixarei para decidir isso quando ver o 1º episódio da S7 – apesar que posso até continuar se o retorno for ruim, mas só se anunciarem que é temporada final.

 

Obrigada a todos que leram e que comentaram, e quem não comentou também. Espero mesmo que eu os tenha representado de certa forma, sejam nos momentos colete à prova de balas ou dos elogios. Foi uma temporada exaustiva, mas agora temos férias!!

 

E boa sorte de novo, Nina Dobrev. <3

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • heyrandomgirl

    Meses se passaram e continuo enjoada de TVD. Só resenho em honra dos migos, porque já teria chutado kkkkkkkkkk É a força do pacto!

    Tyler me arrasa na despedida, não podicê. Fiquei bem chateada com isso. Ric tem que voltar com um baita impacto psicológico, porque bancar de ninja sentimental já bastou dona Elena.

    Bonnie quase morrendo me roubou o ar :( Quando Damon deu as costas para ela, já estava pronta para meter pau kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Espero que não trollem Bamon. Eles são muito amor <3

    #Oremos para que a S7 seja a última. Não dá mais!

    Beijossss! <3

  • heyrandomgirl

    Me passa esse seu otimismo, porque não tô assim não. kkkkkkkkkkk Estou curiosa para saber se vai ter flop ou não, mas, de resto, só vejo Plague e Cia. usando os mesmos recursos para manter a memória da Elena viva (uma hora Nina terá que dar as caras, tipo a Holt, certeza!), enquanto Defan sofre bullying. Já chegou aos meus ouvidos até a possibilidade de Klaroline – já que não tem Delena, TRAZ TODOS OS SHIPPERS DE VOLTA HAHAHAHAHAAHHAHA

    Enfim, TVD vai acabar acabando (sendo redundante) com presidente da CW ou não. A turma já perdeu o interesse, máximo que farão é ver qual é a do 1º episódio e só. Se tivessem alimentado Defan desde sempre, tipo Supernatural, quem sabe, mas apostaram tanto em shipper que a morte de mais um (e que indicava mais interesse) afetará em tudo, querendo ou não.

    Sem contar que a oferta de séries pro 2º semestre tá mto interessante para dar atenção aos Salvatore. HEROES, GENTE, HEROES! HAHAHAAHAHAAHAH

    Até lá, só temos previsões! Só queria que Paul saísse dessa vida HAHAHAHAHAHA

    Beijos, sua linda! <3

  • Alexandre Luiz

    ME MECHEU MUITO VER A ELENA, BONNIE… TODOS ALI NA SALA ONDE TUDO COMESOL MESMO ASSIM QUERO QUE CONTINUE PORQUE VER TUDO DE NOVO SO PORQUE EU NAO POSSA CONTINUAR NA 8 TEMPORADA NAO É LEGAL ATE PORQUE EU JA VI TODOS KKK

  • Deborah

    Oi Stefs! =)

    Nossa senti sua revolta daqui hahahahaha =P

    Eu tmb gostei mto do Kai! Adorei o personagem e já sinto sdd do Chris. Por isto qdo digo que "ele morreu na hora certa" é q ao meu ver ele cumpriu seu objetivo e já pode descansar em paz ;). Ele conseguiu sua vingança e sinceramente não via outro objetivo pra ele na S7 (infelizmente).

    E a comparação com o Klaus, foi somente qto a trajetória como vilão em TVD… =)

    Kai foi um ótimo vilão, mas por causa desta história de redenção o personagem teve uma trajetória um pouco irregular q não fez jus a ele… Uma pena, de qlq jeito vai deixar sdd 😉

    Qto a Elena, posso estar sendo ingênua mas acho que não vai mudar tanto assim ela estar morta ou viva… Na prática a personagem perdeu sua interprete, logo não vai aparecer mais no show. Por isto não acredito que terá cenas como as do 6×01. E Damon e os outros terão que superar sua ausência do msm jeito q teriam se ela tivesse morrido: lamentando, se lembrando as vezes, mas seguindo em frente afinal outras coisas vão estar acontecendo em suas vidas e os obrigando a seguir adiante… Queiram ou não.. Como é na vida de td mundo :).

    Talvez eu esteja vendo o copo meio cheio, mas na vdd acho que Elena ficar viva é até um bom pretexto para o Damon não enfiar o pé na jaca de vez: se ela tivesse morrido msm ai sim veríamos um luto interminável… E eu não to disposta hahaha. Seria uma linda história de amadurecimento, mas q exigiria tempo e paciência para sair algo crível e bom… E sendo bem sincera… Alguém tem paciência para ver o Damon indo ao fundo do poço para superar a morte da Elena e sair mais maduro? Que bom, pq eu não teria hahahahahaha. Por isto prefiro a saída mais prática: Elena tá viva, Damon lamenta a sua ausência, fica deprê mas segue com a vida pois sabe que dentro de alguns anos a verá de novo, fim! hahaha. Assim somos polpados de cenas chatas de luto e desligamento da humanidade! 😉

    Qto ao Matt, concordo com vc: quero ser otimista, mas já nos enganaram tanto que só acredito numa trama boa pra ele vendo! hahaha

    E relaxa Stefs: até o presidente da CW já disse que o foco de TVD agora vai ser Defan (e tmb q esta não é a última temporada… Pro bem ou pro mal hahaha), então acho difícil a Plec ignorar este toque da chefia e só focar em shipper ;). Agora se a audiência vai segurar… Tmb não sei rsrs. É pagar pra ver.

    Bjs sua linda!!! Desculpa se te chateei com algum comentário, de vdd não foi minha intenção =). Nos vemos então em outubro nas reviews vampíricas ou, caso vc desista de TVD e TO, nos vemos nos outros textos do blog ;). Inté e obrigada vc pela companhia flor!!! <3

  • Concordo em número, gênero e grau. Nem ia dar muita bola pra essa resenha porque TVD já está me dando enjoos, mas essa season finale mexeu comigo de várias formas.

    – Tadinho do Ric, chorei com a cena do casamento. Estava tudo tão feliz até que…
    – Tyler é outro que surpreendeu. O que foi a Liv morrendo? Ela some e volta pra morrer, tadinha.
    – Sobre a Elena você já disse tudo. O mesmo pro Damon, Stefan e Caroline.
    – Cara, a cara que a Bonnie fez quando o Damon deu as costas pra ela fez meu coração sair pela boca. Na hora, minha vontade foi fazer o Klaus e matar o Damon. Depois que ele volta e mata o Kay, a cara da Bonnie me encheu de orgulho do Damon e me fez agradecer por eu não ser o Klaus.

    Espero que a S7 seja a última temporada. Ninguém aguenta mais!

  • heyrandomgirl

    Gente, era cena da turnê do Calypso, sinto muito. O cabelo da Elena sendo jogado parecia o bate cabelo da Joelma, verdade seja dita! hahahahaha

    Pior que penso assim tbm. A trama de Bela Adormecida é um meio de segurar a galera DE. Li que Elena está apagada, mas que o pensamento dela está com Damon, então, já prevejo uns insights mentais dela com ele, sabe? É mta viagem, mas é TVD, e Plec e Cia. mudarão o norte da história com base na audiência. Quem é fã forte de DE não vai ver a S7 por causa do shipper. Não adianta! Eles são radicais ahahahhahah

    A morte da Jo foi um vácuo, né? Nem eu me toquei dela no episódio, sinceramente. Ric pegou pesado para quem perdeu a milésima mulher. Quero vê-lo em um sanatório hihi haahahahah

    O fim da Elena não ornou com nada. Ao menos para mim, ela tinha que ter dormido tbm como heroína, mas inventaram algo de praxe para dar um jeito de mantê-la. Sim, amei muito esse insight vindo da boca do Kai, porque remeteu à loucura dele. Porém, na prática, é mais um prolongamento da presença dela, que empacará a evolução dos personagens. Inclusive do Damon que, com certeza, será um beberrão desligado insuportável. Ele já foi mais legal sendo mala por si só – amo mais essa versão – agora ser mala pela mulher, já vimos isso e achei um saco.

    Acredito em Bamon e acredito na Lily. Tenho lá minha fé em Defan. Mas, como um todo, ainda não confio na S7. Tá muito ilusão de que as coisas darão certo, sendo que a série se transformou um "beneficiando o shipper da vez". Plec e Cia terão um desafio tremendo de se desprenderem de ter shipper, porque não tem mais, e todos os escritores só têm feito isso desde a S4. Mitologia não tem vingado, salvo do Gemini que chegou perto de dar certo – e flopou com o Kai virando emo. Ainda tenho minhas desconfianças.

    Obrigada pelos comentários, sua linda! Fico feliz que goste das resenhas e espero encontrá-la no primeiro epi da S7 – porque esse terei que ver kkkkkkkkkkkkk

  • heyrandomgirl

    Elena, além de ser Elena, engatou a pior história de princesas: Bela Adormecida. Princesa chata, que não faz nada, e fica esperando beijo do boy para despertar. Não-mereço! Mas é bem a cara dessa cidadã ahahahahahhahaha Tinham que ter matado essa jovem SIM! Mania de reciclagem.

    Damon herói me dá crises, como Damon desligado por causa do crush tbm. Pior que ele ficará amuado como foi na época da Kath, senão pior, porque Bonnie estará viva e bela, um lembrete de que seu amor está dormindo por causa da miga. O cara se tornará um amargurado.

    Gente, o Paul nesse episódio estava maravilhoso demais. Não sei, depois de muito tempo vi o real Stefan de TVD, porque acho que ele tbm se perdeu. Ele diante da Elena parecia o bom e lindo Stefan, não essa versão doida que nem consigo explicar porque ainda estou confusa hahaahhaahhaahhahaha

    Dança Delena – toca Calypso. Gente, nenhum casal merecia uma cena dessas, na boa. Ficou terrível demais, mesmo que tenha sido muito bem editada.

    Morte da Elena evoluiria todos. Faria a galera sair da zona de conforto. Mas….. nem Plec e Dries conseguem sair da zona de conforto quem dirá os personagens. Hahahahha

    Beijos, sua linda! Obrigada por sempre dar uma passadinha aqui para comentar. <3

  • heyrandomgirl

    Oie, Deborah! <3

    Ai, eu gostei muito do Kai, especialmente porque tomei abuso do que Klaus se tornou. O bruxão tinha potencial, mas tentaram redimi-lo e foi aí que desconstruíram a storyline dele. E Klaus tbm sofria de sou o fodão e ngm me toca, é o maior mimimi dele imutável, e não senti que encheu o saco com o Kai tanto quanto acho com o híbrido hahaahahahahha.

    Sobre a Elena: sei lá, achei tolice esse salto, porque continuarão a usá-la de qualquer maneira. Damon voltará ao ciclo vicioso e isso me dá preguiça. A ideia que tinha era cortar a personagem pela raiz para que Defan voltasse a ter uma identidade individual. O que farão é esticar Delena para não perderem essa fatia do público, já que Stelena pulou do barco há muito tempo.

    Toda a storyline da Elena desde a S4 foi em vão, esqueceu? HAHAHAHAHAHAHA Ela não fez absolutamente nada! E essa pose de bela adormecida tbm é em vão, porque nem como heroína digna ela foi destinada a dormir por mtos anos. Vão segurar o objeto para inventar trama com base na audiência. Fatos reais! Prevejo na mente dela vários insights com o Damon só para manterem Delena na série, como no 6×01.

    Não matar Elena não tira ngm da zona do conforto e é isso que me incomodou. A morte faria todos darem um jeito na vida, mas ainda há um fio de esperança que ela acordará. E, se não tiver, teremos uma descaracterização em massa, porque todo munda só pensou durante 6 anos no conforto da Sta. Gilbert. Com ela dormindo, ngm seguirá em frente, e se seguir tbm será um fiasco, porque geral sempre espia por cima do ombro. E obviamente que procurarão todos os covens do universo para tentar trazê-la de volta. E isso é repetitivo. Nina se foi. Deveriam tê-la matado para dar ao elenco a chance de recuperar a caracterização sozinho.

    Sobre superar, temos a Elena como maior exemplo de novo. Quer pessoa que supera tudo rápido? Ela só surtou qdo o Jeremy morreu e foi lá e se desligou. Sei lá, ela ainda continuará a empacar o que não precisa ficar mais empacado. Talvez Bonnie lide melhor, porque ambas são BFF. Agora Damon já estou preparada para a mesma lorota de sempre. O cara das ilusões se tornará realidade, a não ser que Stefan intervenha – o Cruzeiro em ação como nos velhos tempos.

    Meu Deus porque não cancelaram TVD! hahahahahaah

    Matt virou meu personagem para ser trouxa, porque todo ano prometem algo para ele e nunca vinga. Não acho que ele será sucesso, como na S4, S5 e S6. Sucesso seria ele concentrar toda sua raiva e causar demais, mas esse cidadão é mto covardão ainda. Seria perfeito desconstruí-lo, toda essa pegada de bom samaritano sendo dissolvida. Quem sabe agora que ele tem poder esse norte vingue, porque não há nada pra esse jovem a não ser passear com o carro da polícia e comer donuts.

    Como sempre digo, tenho pacto com TVD, mas tudo vai depender do 1º episódio da S7. Ainda estou deveras pessimista, não acho que Defan segura, e estou preparada para ver a audiência afundar tudo de uma vez. Na verdade, queria que flopasse mais para tirar a arrogância da Plec. Nossa, aí sim seria minha vingança!

    Beijossss, sua linda! Eu que agradeço sua companhia, seus comentários e nossas trocas de figurinhas! <3333

  • rayanne

    Imagina minha alegria por uma Elena morta ser jogada na lixeira por causa de um feitiço. Parece até uma versão muito mal feita de OUAT. Que porcaria é essa? Não tem o menor sentido ligar a vida da Elena à personagem que mais sofre nessa série. JP tem que parar de ter medo de matar personagens. Já que ela quer ser uma Shonda da vida tem que deixar de ser temerosa. Muito melhor matar a Elena de forma digna do que ficar cozinhando certa parte do fandom para manter a audiência. Pfff baixo até para você, Plec.

    Alguém ainda compra essa coisa de "Damon herói"? Chega né? Já posso até ver o Salvatore enchendo a cara, chorando e matando pessoas por sentir falta da 'amada'. Vai ser do mesmo jeito que foi com a Kath. Já assisti este filme e não, não quero voltar a vê-lo. Obrigada! É assim que vão reconstruir Defan? Stefan sendo chamado sempre que Damon estiver fazendo mal a algum morador da cidade? Surprise! Quando o fandom pedia que Damon voltasse a ser o velho Damon, não era desta forma. Fazer o quê?

    As despedidas foram intensas, mais por conta dos atores do que pela relação dos seus personagens. Elena lembrando que existem outras pessoas no mundo além do boy foi tardia. A Nina mesma disse que chorou de verdade em algumas cenas. O que foram os olhos lacrimejosos do Paul na despedida? Fofos! A despedida das meninas foi mágica. Nos fez voltar no tempo e lembrarmos daquela série encantadora que tínhamos. Ê saudade! Ver Elena como humana, sensível aos seus amigos, com o cabelo lambido e aquelas roupas foi tão triste. Doeu ver no que aquela mocinha se transformou com o passar dos anos. Trágico! E o que dizer da dança Delena? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk levei um susto quando vi a cena. Que coisa mais sem noção! Independente do casal que fosse ali, não tinha cabimento aquela paródia de Dirty Dancing. Cena mais engraçada de TVD em tempos.

    O que dizer do resto? Uma mitologia fraca, mas ainda assim bem melhor que a das outras 2 temporadas passadas. Personagens mais perdidos que cego em tiroteio. Ric voltou pra fazer vários nada, Tyler já vai tarde, Matt não faz diferença nenhuma há anos na série, Bonnie só se ferra, Stefan e Caroline só vivem em sua própria bolha e Damon vai ficar choramigando…tédio! Perderam a chance de fazer esse povo crescer com a morte da Elena, principalmente o Damon, em favor de nada. Infelizmente isto é TVD. As antas não conseguem escrever nada que faça sentido mais. E agora TO vai tentar ajudar a dar um 'up' na série-mãe, mas o resultado será pior.