Menu:
31/jul

Se é uma série que mal posso esperar para ver é Heroes Reborn. Quando soube da notícia de um comeback, fiquei muito, muito, muito contente. Algo que é difícil de acontecer, pois sou contra a reciclagens ou revivals de séries, filmes etc. que se consolidaram no passado.

 

No caso de Heroes, a 4ª temporada terminou de um jeito que me deixou com água na boca até hoje. Claire Bennet se espatifando no chão, revelando seu poder de regeneração. Antes mesmo das escalações começarem, já tinha aceitado que seria impossível o reboot contar com os atores que fizeram parte da história da série. Óbvio que adoraria rever a Hayden, bem como o Milo Ventimiglia, Ali Larter, Zachary Quinto – e por que não Kristen Bell que arrasou como Elle?

 

Mas…

 

Lembro-me que foi minha irmã que me fez assistir Heroes e maratonei enlouquecidamente. Quando cancelou, fiquei bem mal, uma experiência que se repetiu quando a CW barrou The Tomorrow People. Quando tiram heróis mundanos do ar, ou o filme flopa, está aí uma coisa que me deixa absurdamente frustrada. Por isso celebrei o retorno dos heróis da NBC.

 

Embora não conte com os personagens consagrados, ao menos o showrunner e criador permanece: Tim Kring. Quando o pequeno teaser foi lançado no ano passado, acreditei que a ideia não iria para frente. Quando vi o trailer divulgado na Comic-Con, chorei que nem uma condenada. As cenas nem precisaram se revelar, porque já estava morrendo com a música-tema.

 

Quando vi Mohinder, quis pular da ponte, mas não tanto quanto Hiro – que faltou gritar YATTA! na promo. O tiro de bazuca foi quando Micah se revela, o filho da Niki Sanders, personagem da Ali Larter, uma das minhas favoritas com todos os seus alter egos. Mama Petrelli também me fez ficar jogada na noite. Gente, é muita emoção. Consigo sentir meu coração derretendo com este post.

 

“Tivemos uma longa noite de descanso e boas noites de sono, e estamos prontos para salvar o mundo de novo”. Essa afirmação do Kring é totalmente o que acontece na promo. Aonde estão os heróis?, o vídeo pergunta, enquanto ocorre a manifestação dos mais variados poderes de pessoas comuns.

 

O que chamou minha atenção em Heroes Reborn foi o cenário da humanidade em caos, algo que vivemos hoje com mais intensidade – manifestações, terrorismo, violência, homicídios –, sendo que Heroes focou no de praxe: mocinhos vs. vilões, estrelando Claire e Sylar. Para se desprender do passado, o revival saltará 5 anos no tempo – 5 anos após a finalização de Heroes (em 2010).

 

O cerne será diferente no quesito “humanos descobrem seus poderes”. Agora, os mundanos têm conhecimento dos seres especiais, só que começam a caçá-los. Isso estourou meu cérebro por causa da trama trabalhar com a discriminação de quem é diferente. Na primeira versão da série, houve uma pegada mais mística, mais mágica, pois os personagens não entendiam o que aconteciam com eles. Agora, se você acordar com um poder, será um péssimo sinal.

 

Quem estará lá para salvar o dia? Bizarramente, Noah Bennet, marcando o retorno de Jack Coleman em seu papel icônico na TV, sendo o porta-voz dos segredos do passado. É bem estranho vê-lo na promo, em uma vida pacata, como se não tivesse contribuído para marginalizar os heróis.

 

Estou bem ansiosa para uma promessa do Kring dita no painel: ele dará respostas no reboot sobre o que aconteceu com cada um dos personagens – o que me dá esperança sobre a 4ª temporada, um pressentimento de que Claire foi a causadora do que veremos 5 anos depois. Afinal, ela se revelou em rede nacional. É muito fácil pensar que as dores de cabeça começaram com esse surto.

 

O que me dá mais firmeza sobre Claire ser a culpada do novo rumo da série é o título do episódio do finale da 4ª temporada: Brave New World (Admirável Mundo Novo).

 

Kring ainda afirmou no painel da CC que nunca foi sua ideia trazer o elenco original e que não importava quem retornaria. Tudo depende da história. Jack Coleman foi o único dito como necessário, pois seu personagem é crucial para a narrativa de Heroes. De fato, é sim.

 

O que deu para sentir na promo é que os personagens antigos que retornarão talvez serão um tipo de proteção para os heróis atuais. Afinal, eles são detentores da história e ficaram calados até as implosões acontecerem a céu aberto. Antes, você era estudado. Agora, você precisa morrer. Se for isso, achei incrível, pois dará força a história repaginada sem se desprender do que já aconteceu. Não dá para ignorar o que rolou no passado por ser aonde a mitologia mora.

 

Vídeo hospedado no YouTube e pode sair do ar a qualquer momento.
 

Só sei que estou muito ansiosa para conferir o resultado. Penso seriamente em até fazer as resenhas, mas ficarei muito atolada quando a fall season começar. Me ajudem!

 

Heroes Reborn contará com 13 episódios. A estreia será no dia 24 de setembro no lar de sempre – NBC, a nova emissora que tem tomado todo meu tempo.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Eu assistia Heroes, mas era na época em que a internet nem era tão acessível assim e tudo era na TV, por causa disso nem sei quais episódios vi e quais não, mas estou maluca faz algum tempo para fazer maratona da série e assisti-la do início ao fim, e isso piorou quando soube que Heroes Reborn era real, haha

    MAS, por enquanto ainda não tenho previsão de quando vou começar essa maratona, mas cara, até onde vi me lembro de Heroes ser uma série MUITO boa.

    Ah xará, quase esqueci, queria dizer que mudei o nome do meu blog, era O Pote de Glitter Rosa e agora atende por 13 Ideias. =)

    13ideias.blogspot.com.br

  • Ah, e xará esqueci de falar! Se quiser mudar o banner dos parceiros tem alguns disponíveis no meu blog, eu fiz, estão lindinhos hihi
    E eu amei o novo design daqui, tá lindão <3 (Já vi faz um tempinho, mas estava sem tempo de passar aqui e dizer isso pra ti, sorry! D=)